Tudo o que temos a fazer [...] é colocar nosso jeito de viver dentro dos meios ecológicos conhecidos. (Marcus Eduardo de Oliveira)
ISSN 1678-0701 · Volume XX, Número 78 · Março-Maio/2022
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(7) Notícias(5) Dicas e Curiosidades(1) Reflexão(1) Para sensibilizar(1) Dinâmicas e recursos pedagógicos(1) Arte e ambiente(1) Divulgação de Eventos(1) Sugestões bibliográficas(1) Educação(1) Ações e projetos inspiradores(2) Do Linear ao Complexo(3) A Natureza Inspira(1) Relatos de Experiências(11)   |  Números  
Notícias
15/03/2022 (Nº 78) ONU CONCORDA EM CRIAR PLANO GLOBAL PARA CONTER POLUIÇÃO PLÁSTICA
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4256 
  

ONU CONCORDA EM CRIAR PLANO GLOBAL PARA CONTER POLUIÇÃO PLÁSTICA

Da Reuters

Acordo histórico foi chamado de pacto ambiental ‘mais significativo desde o Acordo de Paris’. Tratado deve ser finalizado até 2024



FOTO: LAI SENG SIN/REUTERS

 

RESÍDUOS PLÁSTICOS EM UM PONTO ILEGAL DE RECICLAGEM NA MALÁSIA

A ONU (Organização das Nações Unidas) aprovou nesta quarta-feira (2) um acordo histórico para criar o primeiro tratado global de poluição por plástico, descrevendo-o como o pacto ambiental mais significativo desde o acordo climático de Paris de 2015.

Os países-membros das Nações Unidas - incluindo o Brasil - conversaram por mais de uma semana em Nairóbi (Quênia) para chegar a um acordo sobre o esboço de um tratado para conter a crescente poluição plástica. Autoridades governamentais aplaudiram e deram socos no ar após a adoção de uma resolução para criar um documento sobre poluição por plástico, que deve ser finalizado até 2024.

Estamos fazendo história hoje e todos vocês devem se orgulhar”, disse a jornalistas Espen Barth Eide, presidente da Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente. “A poluição plástica se transformou em uma epidemia. Com a resolução de hoje, estamos oficialmente no caminho da cura.”

A resolução, que a ONU chamou de “o pacto ambiental mais significativo desde o acordo de Paris“, foi escrita em termos amplos e um comitê intergovernamental agora tem a tarefa de negociar um tratado vinculante que deverá ser adotado por empresas em todo o mundo. Qualquer tratado que imponha restrições à produção, uso ou design de plástico afetará empresas de petróleo e de produtos químicos que fabricam plástico bruto, bem como gigantes de bens de consumo que vendem milhares de produtos em embalagens de uso único.

Isso também teria um impacto significativo nas economias dos principais países produtores de plástico, incluindo Estados Unidos, Índia, China e Japão. Embora as autoridades da ONU tenham se unido na celebração do acordo para a criação do tratado, ainda há divergências sobre o que deve ser incluído em um pacto final, disse o embaixador da Suíça para o Meio Ambiente, Franz Perrez.

Fonte: https://bityli.com/xXrTv



Ilustrações: Silvana Santos