Que meu andar, meu viver seja cada vez mais no ritmo das bicicletas... (José Matarezi)
ISSN 1678-0701 · Volume XXI, Número 79 · Junho-Agosto/2022
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(6) Notícias(6) Reflexão(4) Para sensibilizar(1) Entrevistas(1) Saber do Fazer(1) Arte e ambiente(1) Sugestões bibliográficas(3) Educação(1) Sementes(1) Ações e projetos inspiradores(2) Gestão Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Do Linear ao Complexo(3) A Natureza Inspira(1) Relatos de Experiências(3)   |  Números  
Reflexão
30/05/2022 (Nº 79) A MÃE DE TODAS AS MÃES
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4294 
  

A MÃE DE TODAS AS MÃES

A ela, que é a responsável pela nossa vida e que nos fornece tudo e muito mais do que precisamos para viver, agradeçamos pela oportunidade de estarmos aqui, vivenciando as mais incríveis aventuras e desventuras.

A ela, que sustenta noite e dia a essência de todo viver, sem sequer questionar espécie, tamanho, sexo, cor, que abraça a infinita diversidade da existência e que está sempre grávida de mais e mais vida, agradeçamos por tudo o que ela nos proporciona.

Não há, de todas as suas riquezas, nenhuma que negue aos seus filhos. Tudo, simplesmente tudo, coloca à nossa disposição para que possamos viver esta experiência única e coletiva, que nenhum cientista - até hoje - conseguiu explicar, que é a própria vida.

Que nós, seus filhos legítimos, a reconheçamos como sendo a base de sustentação da existência de cada um e de todas as formas de vida que nasceram do seu ventre.

Que cada um de nós, seus únicos filhos “racionais”, “inteligentes”, repensemos a forma como a estamos tratando, e que não esqueçamos, jamais, de que ela nos acolhe desde o nascimento até a morte, uma vez que todos - indiscutivelmente todos – voltaremos, um dia, ao seu ventre, e seremos terra, e sentiremos, assim como ela sente, todas as agruras que lhe impusemos com a nossa forma imprópria de viver!

A ela, a nossa mãe maior, a Terra, grande e poderosa mãe Gaia, que tem um número incontável de filhas e filhos, a maior doadora de vida, o nosso carinho, o nosso amor, e que todos tenhamos, em todos os contextos e instâncias, mais respeito para com ela.

Viva a Mãe Terra!

Berenice Gehlen Adams – Especialista em Educação Ambiental



Ilustrações: Silvana Santos