A natureza universal sustenta a vida de todos os seres. (Dalai Lama)
ISSN 1678-0701 · Volume XX, Número 76 · Setembro-Novembro/2021
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(8) Notícias(7) Reflexão(4) Para sensibilizar(1) Arte e ambiente(1) Sugestões bibliográficas(2) Educação(1) Ações e projetos inspiradores(2) Cidadania Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Do Linear ao Complexo(1) Relatos de Experiências(9)   |  Números  
Relatos de Experiências
08/06/2021 (Nº 75) EXPERIMENTOS SOCIOPEDAGÓGICOS PARA O ENSINO DA RESPONSABILIDADE SOCIOMABIENTAL EM UMA IES NO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA/PA.
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4144 
  

EXPERIMENTOS SOCIOPEDAGÓGICOS PARA O ENSINO DA RESPONSABILIDADE SOCIOMABIENTAL EM UMA IES NO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA/PA.



Breno Anderson Pereira Melo1; Voyner Ravena Cañete2; Marcilene Calandrini de Avelar3; Milene Pereira Mendes4; Waddle Almeida Nascimento5, Ailton Araújo 6



1Mestre em Ensino de Ciências Ambientais, Universidade Federal do Pará; E-mail: breno.anderson@yahoo.com.br.

2Doutora em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido, Universidade Federal do Pará; E-mail: ravenacanete@gmail.com

3Mestre em Ensino de Ciências Ambientais, Universidade Federal do Pará; E-mail: lenerafinha@hotmail.com

4Mestre em Ensino de Ciências Ambientais, Universidade Federal do Pará, E-mail: milene324@hotmail.com

5Doutorando em Engenharia Civil, Universidade Federal do Pará, E-mail: waddle.nascimento@gmail.com

6 Doutorando em Agronomia, Universidade Federal do Pará, E-mail: aaraujo@ufpa.br



RESUMO: Este relato apresenta uma proposta didática para o ensino da Responsabilidade Socioambiental, para alunos de Administração em Abaetetuba - PA. Esta proposta contribui no desenvolvimento de práticas pedagógicas e na sensibilização dos discentes sobre a importância da responsabilidade socioambiental.

Palavras-Chave: Educação Ambiental. Pedagogia Ativa. Ensino por Projetos. Administração. Amazônia.



ABSTRACT: This report presents a didactic proposal for the teaching of Social and Environmental Responsibility, for Administration students in Abaetetuba - PA. This proposal contributes to the development of pedagogical practices and to raising students' awareness of the importance of socioenvironmental responsibility.

Keywords: Environmental education. Active Pedagogy. Teaching by Projects. Management. Amazon.

  1. INTRODUÇÃO

A região amazônica, em especial o estado do Pará, através de um modelo de desenvolvimento capitalista e liberal, intensificou e acelerou o processo de ocupação e crescimento da área, com base em uma visão externa e privilegiando o centro do poder nacional (BECKER, 2001). Mas, essa violenta tentativa de desenvolver o estado, resultou em uma série de cenários de riscos para a Amazônia, um impetuoso ciclo de desmatamento, exploração pecuária e madeireira, intensos conflitos sociais e ambientais, grandes projetos que formaram enclaves econômicos e uma intensa e perversa exploração da população local, causando inúmeros danos sociais.

Assim, é preciso redefinir não só uma limitação nas possibilidades do crescimento econômico desmedido, como também criar um conjunto de possibilidades e iniciativas que promova à existência harmoniosa entre o homem e a natureza, e nessa perspectiva surge o desenvolvimento sustentável, visando uma mudança substancial no processo civilizatório e redefinição das relações socioambientais (DEMAJOROVIC, 2003).

A ideia de sustentabilidade possui intrínseca relação com a Educação Ambiental, pois possibilita um processo dialógico de saberes, de construção de conhecimento crítico e emancipador, possibilitando a constituição de valores éticos, inserindo os educandos no contexto da complexidade ambiental e a reinserção do homem como parte integrante da natureza.

Para Loureiro e De Campos Tozoni-Reis (2016), a Educação Ambiental tem a função de despertar no indivíduo o ato da reflexão sobre as problemáticas ambientais locais e globais, de permitir-lhe desenvolver a consciência crítica e o pensar político, além de levá-lo a adotar uma postura para a transformação social.

Nesse sentido, este relato de experiência tem como objetivo fornecer subsídios aos professores para que desenvolvam atividades diferenciadas, utilizando as ideias didáticas aqui elaboradas em suas aulas. Todos os métodos de ensino e ferramentas pedagógicas deste relato podem ser reaplicados e/ou convencionados de acordo com a realidade dos educadores, auxiliando no ensino das temáticas relacionadas às Ciências Ambientais, buscando contribuir com a sensibilização os discentes sobre a importância e complexidade das questões socioambientais.

  1. MATERIAL E MÉTODOS

A experiência de ensino aqui relatada foi realizada na Faculdade de Educação e Tecnologia da Amazônia (FAM), localizada na Rodovia Dr. João Miranda, nº 1.541 – Bairro: Bosque, na cidade de Abaetetuba/PA. A FAM insere-se na realidade do estado do Pará, na cidade de Abaetetuba, que fica localizada estrategicamente, estando a 120 km da capital pela (Rodovia Alça Viária) ou a 40 km (seguindo pelo porto do Arapari, atravessando de balsa o Rio Guamá). É banhada pelo Rio Maratauíra, um dos afluentes do Rio Tocantins; e no Distrito de Beja, berço da colonização do município, é banhado pelo Rio Pará, utilizado para exportação de minérios, através do porto da Vila do Conde. Também existe a proximidade ao Polo Industrial de Barcarena, que fica a 30 km.

Os sujeitos da pesquisa foram 52 alunos de duas turmas do sétimo semestre do Curso de Bacharelado em Administração, onde esses alunos iriam cursar no semestre de realização da pesquisa a disciplina Responsabilidade Socioambiental.

A proposta didática aqui relatada foi realizada em 12 encontros, divididas em aulas expositivas dialogadas, aula de campo, visita técnica, mesa redonda e a apresentação do relatório técnico.

  1. RESULTADOS E DISCUSSÃO

Para facilitar a compreensão dos docentes e auxiliar na concretização da proposta didática, a mesma foi dividida em duas etapas que compreendem: o planejamento e a implantação, sendo realizados 12 encontros, este trabalho utilizou a técnica pedagógica ativa baseada em projetos.

O ensino por projetos é defendido na obra de Hernandez e Ventura (1998), que propõem este método, uma vez que reforça o ensino e garante a aprendizagem, pois aproxima teoria da prática numa abordagem emancipatória, favorecendo a contextualização e a flexibilidade dos conteúdos curriculares.

O planejamento é uma etapa importante desta proposta didática, uma vez que é nela que foram organizadas as ideias e ações que serão executadas durante as aulas. O planejamento deve existir para facilitar o trabalho tanto do professor como do aluno e deve ser uma organização das ideias e informações (CASTRO; TUCUNDUVA; ARNS, 2008).

Ao falar sobre a Responsabilidade Socioambiental e meio ambiente, o professor deve levar em consideração a ementa da disciplina e o Projeto Pedagógico de Curso (PPC) e quais ferramentas ele pode utilizar para lhe auxiliar durante as aulas. O docente possui uma grande missão de planejar de que forma os assuntos devem ser abordados, guiando os alunos na construção do conhecimento, emancipação, autonomia e compreensão da complexidade ambiental.

Desta forma, foi decidido em conjunto com a coordenação pedagógica da IES, que as aulas poderiam ser: teóricas, aquelas ministradas em sala de aula (expositiva-dialogada); de campo, aquelas realizadas em um espaço não formal, utilizar visita técnica, mesas redondas, seminários e as metodologias ativas como o ensino por projeto.

Seguindo a sequência da proposta didática, após a elaboração do planejamento, parte-se para a implantação da proposta. Esta etapa foi dividida em: diagnóstico, intervenção e verificação da aprendizagem.

No diagnóstico, o professor e coordenação pedagógica realizou uma análise bibliográfica dos documentos e livros que norteiam as aulas e efetuaram a aplicação do questionário semiestruturado antes do início das aulas para verificação dos conhecimentos prévios dos alunos e a percepção dos mesmos sobre os temas de meio ambiente e Responsabilidade Socioambiental. A aplicação de um questionário para os alunos, teve como objetivo verificar a percepção do graduando acerca da temática abordada. O questionário foi essencial para o docente, pois auxiliou no planejamento das próximas aulas de como elas podem ser desenvolvidas.

Durante a pesquisa bibliográfica foi necessário verificar como estes temas são contextualizados, tomando como referência uma análise minuciosa do PPC e da ementa da disciplina Responsabilidade Socioambiental; a bibliografia básica e complementar também são ferramentas que devem passar por verificação antes das aulas, uma vez que são utilizadas em sala.

Após o diagnóstico inicial, efetuou-se o processo de confecção e aplicação dos procedimentos intervencionistas. Realizam-se na intervenção, cinco aulas expositivas dialogadas, buscando auxiliar o discente a conhecer os conceitos básicos sobre meio ambiente, crise ambiental, complexidade ambiental, gestão ambiental e Responsabilidade Socioambiental, possibilitando o embasamento teórico dos alunos e a construção de uma visão crítica e holística sobre os desafios da sustentabilidade. Pois, como ensina Freire (1996) a partir da formação crítica, é possível conduzir ao desenvolvimento de cidadãos que sejam capazes de analisar suas realidades sociais, históricas e culturais, criando possibilidades para transformá-las, conduzindo alunos e professores a uma maior autonomia e emancipação.

Cada aula teve a duração de quatro horas, distribuídas em dois tempos de aula e um intervalo de 15 minutos; a primeira aula buscou auxiliar o discente a conhecer os conceitos básicos sobre meio ambiente, crise ambiental e aspectos históricos, inserindo o aluno no âmbito da complexidade ambiental.

Durante esta aula expositiva, foi explicado o processo de construção do Relatório Técnico e também como ocorreria o método de aprendizagem e construção do conhecimento, além das etapas da metodologia ativa de ensino. Os alunos foram divididos em grupos de cinco a seis integrantes, para que pudessem trabalhar em equipe no decorrer da realização das atividades.

Na segunda e terceira aulas, foi abordado o tema da Gestão Ambiental, apresentando aos alunos os conceitos e as situações práticas do assunto nas organizações, com foco principal na realidade brasileira e amazônica. Na quarta e quinta aulas, foi abordado o tema da Responsabilidade Socioambiental, criando a possibilidade da construção de uma visão crítica dos educandos sobre a sustentabilidade.

A aula expositiva-dialogada é foi à primeira etapa do processo de ensino-aprendizagem desta metodologia de ensino; estas aulas forneceram embasamento teórico sobre os temas e que ajudaram nas atividades que foram desenvolvidas subsequentemente. Durante estas aulas, o professor pode utilizar além de vídeos, projetor de imagens mostrando slides ricos em figuras e que possibilitem ao aluno analisar e discutir sobre as problemáticas ambientais e as consequências das ações empresariais.

Após a etapa das aulas expositivas, seguimos com a aula de campo (aula 06), quando o professor deve levar seus alunos a um ambiente externo à sala de aula, podendo optar em visitar áreas degradadas ambientalmente ou áreas preservadas, como Unidades de Conservação, parques e regiões de florestas.

Nesta pesquisa, optamos em levar os alunos ao Parque Estadual do Utinga na capital do estado Belém, para que pudessem conhecer o projeto de educação ambiental dali e assim se perceberem como meio ambiente e despertar nestes alunos, uma prática consciente e reflexiva sobre as questões ambientais.

Efetuada a aula em campo, o professor partiu para a terceira etapa (aula 07) que compreendeu a visita técnica, onde se pode vincular os conhecimentos teóricos e práticos acadêmicos adquiridos em sala de aula, com o universo profissional deste futuro administrador.

A visita tem impacto no ensino-aprendizagem dos alunos e favoreceu a percepção dos graduandos na aplicabilidade dos conceitos discutidos em sala e como as empresas empregam a Responsabilidade Socioambiental no universo corporativo. A empresa visitada foi a Natura S.A, localizada na rodovia Eng. Augusto Meira Filho, 3391, Benevides – PA, uma empresa conhecida internacionalmente, do ramo de cosméticos e perfumaria e que possui um grande trabalho de Gestão Socioambiental.

Na quarta etapa (aula 08), foi realizada uma mesa redonda, quando foram convidados membros e líderes comunitários das localidades vizinhas ao polo industrial de Barcarena para que pudessem relatar, problematizar, discutir e esclarecer, os impactos sociais e ambientais que as comunidades sofreram após a implantação do polo industrial.

A finalidade da mesa redonda é compreender a atuação das empresas que compõem o polo industrial de Barcarena - PA, no âmbito da Responsabilidade Socioambiental, na perspectiva e no olhar das comunidades.

A mesa redonda foi escolhida, pois possui uma dinâmica atraente, possibilitando esclarecer ou polemizar uma temática, podendo servir para ampliar ou discutir ideias, gerando, assim, um debate em que os participantes podem confrontar seus posicionamentos ou não, além de ser menos formal e possibilitar que a plateia e os expositores fiquem mais à vontade para discutir as ideias (SODRÉ, 2016).

Após a aula de campo, a visita técnica e a mesa redonda, os alunos ainda estão com o pensamento voltado para os assuntos que conheceram e que vivenciaram, Neste sentido, em sala de aula (aulas 09 e 10), é o momento adequado para o professor auxiliar os discentes a trabalharem mais especificamente em seus projetos e no Relatório Técnico, estimulando-os a mostrarem e socializarem entre si, os conhecimentos obtidos.

A pergunta motivadora para construção e elaboração do projeto foi: Qual cenário de riscos socioambientais é mais preocupante em nosso município? Com base nesta pergunta instigada na aula inicial, os alunos pesquisaram, discutiram, participaram das atividades da metodologia e desenvolveram um Relatório Técnico.

Na quinta etapa (aula 11) de nossa proposta pedagógica, foi organizado um Seminário pelos docentes e discentes, com apoio da coordenação do curso e direção geral da Instituição, quando os alunos tiveram a possibilidade de demonstrar para os colegas, os resultados de sua pesquisa em uma apresentação em grupo, explanando sobre a construção dos seus relatórios, possibilitando o debate dos resultados alcançados. O intuito desta apresentação foi provocar o debate de ideias, possibilitando a discussão da temática ambiental, pois os alunos puderam construir o conhecimento em conjunto com os demais colegas, objetivando a pluralidade de ideias e respeitando as concepções individuais.

O Relatório Técnico é uma produção científica, com base em uma metodologia ativa, que buscou inserir os alunos no âmbito da complexidade dos problemas socioambientais, através da dialogicidade de diversos pontos de vista sobre as questões socioambientais, buscando garantir uma visão holística e integradora sobre temas abordados, procurando a efetivação da construção do conhecimento e a possibilidade de emancipação e pensamento crítico.

Na sexta etapa (aula 12), o professor verifica se os resultados da proposta didática (aulas expositivas-dialogadas, de campo, visita técnica, mesa redonda e seminário), foram efetivos para o processo de ensino-aprendizagem a partir da reaplicação do questionário inicial e com um diálogo aberto com os alunos, com a finalidade de verificar a nova frequência das respostas dos alunos e se a proposta possibilitou aos alunos uma análise mais reflexiva sobre a complexidade ambiental, favorecendo a sensibilização dos novos gestores sobre os cenários de riscos ambientais e seus impactos socioambientais.

  1. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A proposta didática apresentada neste relato de experiência nasce como uma tentativa ou mais um recurso que visa assessorar docentes e alunos no decorrer do ensino-aprendizagem de assuntos que abordem o meio ambiente e sua complexidade, servindo como um horizonte para que os professores desenvolvam atividades diversificadas, ressignificando sua prática docente e possibilitando a formação de novos gestores, sensíveis às complexidades socioambientais.

Não pretende-se aqui esgotar as possibilidades pedagógicas das aulas que abordem os temas ambientais, mas que este estudo seja um recurso para auxiliar os professores e alunos durante o processo de construção do conhecimento da disciplina Responsabilidade Socioambiental e também de disciplinas que abordem temas sobre o meio ambiente no curso de Bacharelado em Administração.

Com base na experiência vivida, esta proposta didática pode contribuiu para o planejamento, organização e execução de atividades pedagógicas diferenciadas, alterando a prática pedagógica e consequentemente o ensino-aprendizagem, possibilitando uma mudança na forma de pensar dos educandos para que possam compreender a ação dos atores sociais na natureza. Outro ponto positivo dessa experiência foi à construção do saber ambiental através da dialogicidade e da discussão sobre a Responsabilidade Socioambiental, promovendo a conscientização dos futuros gestores com a preocupação socioambiental.

Concluímos que se de fato houver compromisso, estímulo e colaboração de todos os envolvidos na execução das atividades (professores, alunos, gestores e coordenação pedagógica), os alunos podem ter novas oportunidades para aprender e desenvolver um pensamento crítico e compreender o papel que as organizações e suas ações refletem na sociedade e no meio ambiente.

  1. REFERÊNCIAS

BECKER, B. K. "Revisão das políticas de ocupação da Amazônia: é possível identificar modelos para projetar cenários?" Parcerias Estratégicas, n. 12, 2001, pp. 135-159.

CASTRO, P. A. P. P.; TUCUNDUVA, Cristiane Costa; ARNS, Elaine Mandelli. A importância do planejamento das aulas para organização do trabalho do professor em sua prática docente. Revista Cientıfica de Educação, v.10, n. 10, pp. 49-62, 2008.

DEMAJOROVIC, Jacques. Sociedade de risco e responsabilidade socioambiental: perspectivas para a educação corporativa. São Paulo: SENAC, 2003.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Paulo Freire. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HERNÁNDEZ, Fernando; VENTURA, Montserrat. A organização do currículo por projetos de trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

LOUREIRO, C. F. B.; DE CAMPOS TOZONI-REIS, Marília Freitas. Teoria social crítica e pedagogia histórico-critica: contribuições à educação ambiental. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, pp. 68-82, 2016.

SODRÉ, G. de M. C. Gêneros orais e letramentos: a mesa-redonda como objeto de ensino. 2016. 73f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras - com habilitação em Língua Portuguesa) - Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2016.



Ilustrações: Silvana Santos