A primeira lei da ecologia é que tudo está ligado a todo o resto. (Barry Commoner)
ISSN 1678-0701 · Volume XX, Número 75 · Junho-Agosto/2021
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(8) Notícias(4) Dicas e Curiosidades(1) Reflexão(4) Para sensibilizar(1) Dúvidas(3) Entrevistas(1) Arte e ambiente(1) Educação(1) Você sabia que...(1) Sementes(1) Ações e projetos inspiradores(1) Cidadania Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Relatos de Experiências(14)   |  Números  
Relatos de Experiências
08/06/2021 (Nº 75) ENRIQUECIMENTO AMBIENTAL DE JABUTIS TINGA (CHELONOIDIS DENTICULATUS), PIRANGA (CHELONOIDIS CARBONARIUS) E COELHO MINI LOP (ORYCTOLAGUS CUNICULUS) NO JARDIM BOTÂNICO DE DIADEMA
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4158 
  

ENRIQUECIMENTO AMBIENTAL DE JABUTIS TINGA (Chelonoidis denticulatus), PIRANGA (Chelonoidis carbonarius) E COELHO MINI LOP (Oryctolagus cuniculus) NO JARDIM BOTÂNICO DE DIADEMA.

Maiara Mandaji Oliveira1.

1Graduada de Bacharelado em Ciências Biológicas, Universidade Paulista Anchieta. E-mail: maiaramandaji@gmail.com



Resumo: Jabutis são animais que possuem relevante importância para estudos genéticos e taxonômicos. No Jardim Botânico de Diadema construiu-se um recinto para abrigar oito jabutis resgatados de maus tratos. Além dos répteis, um mini coelho comprado em criadouro legalizado habita o mesmo espaço e todos os animais possuem o mesmo propósito para o parque, sensibilizar a população sobre a natureza e cuidados com animais silvestres através de monitorias feitas por estagiários de Ciências Biológicas com o tema Educação Ambiental. Para melhor aproveitamento do recinto e das monitorias, os estagiários propuseram que o enriquecimento ambiental fizesse parte dos tópicos abordados nas monitorias.

Palavras-chave: jabutis, educação ambiental, botânico de Diadema.



Abstract: Tortoises are animals that have relevant importance for genetic and taxonomic studies. In the Botanical Garden of Diadema an enclosure was built to house eight tortoises rescued from ill-treatment. In addition to reptiles, a mini rabbit purchased in legalized breeding inhabits the same space and all animals have the same purpose for the park, sensitize the population about nature and care for wild animals through monitoring made by biological sciences trainees with the theme Environmental Education. To better use the enclosure and monitoring, the trainees proposed that environmental enrichment be part of the topics addressed in the monitoring.

Keywords: tortoises, environmental education, garden of Diadema.



Introdução

Jabutis são animais pertencentes a classe reptilia e ordem testudinata. Definidos como animais ectotérmicos e onívoros possuem importância em estudos genéticos e taxonômicos por apresentarem uma filogenia ímpar, além de características conservadas ao longo de sua evolução (Silva, 2015). No Brasil são encontrados em regiões, principalmente, do Norte e Central onde correm risco de extinção devido à produção agrícola, extrativista, pecuária, captura para a comercialização como animal pet e a utilização de seus ovos para preparo de manteiga e óleo de combustível (Flosi et al., 2001).

No Brasil encontram-se duas espécies de jabutis. A primeira, Chenoloidis denticulatus (Linnaeus, 1766), comumente chamada de jabuti-tinga possui coloração amarela e narinas pretas, habita florestas tropicais e subtropicais. Nessa espécie, o macho pode atingir até 70 cm de comprimento e a fêmea 40 cm, com um peso médio para ambos os sexos de oito a dezoito quilos. A palavra denticulada está relacionada aos dentículos presentes em filhotes nas bordas das escamas marginais da carapaça. Conforme os filhotes se desenvolvem esses dentículos são perdidos (Flosi et al., 2001).....…

...................................................................................
A espécie
Chelonoidis carbonarius (SPIX, 1824), popularmente conhecida como jabuti piranga pode ser encontrada em regiões de cerrado na Venezuela, Colômbia, Suriname, Guiana Francesa, Bolívia, Paraguai, Argentina, Caribe, nas ilhas Venezuelanas Margarita e Los Tertigos e, no Brasil, nos estados do Pará, Maranhão, Ceará, Pernambuco, Bahia, Goiás, Mato Grosso e Roraima..........................................................................

As duas espécies atingem maturidade sexual entre 5 a 7 anos e cada postura gera, normalmente, de 6 a 7 ovos (Flosi et al., 2001). O atributo fundamental dos testudines é o dorso, chamado de carapaça, que reveste seu corpo formado pela fusão das costelas, vértebras torácicas, lombares, sacrais e alguns ossos da cintura pélvica e torácica (Silva, 2015). Além desta característica, a parte ventral, chamada de plastrão é a principal condição que difere o sexo do animal (figura 1).

Coelhos da raça Mini Lop possuem uma média de 1,4 kg e 1,5 kg, pequeno porte, corpo com musculatura bem desenvolvida, pernas curtas e peludas. Cabeça larga com perfil curvilíneo com grandes e redondos olhos, orelhas pendendo para os lados da cabeça, focinho largo e bochechas proeminentes, possuem pelagem curta ou média abundante na região da cabeça São comumente apreciados como pets, com expectativa de vida de 8 a 10 anos. O coelho do Jardim Botânico foi comprado em criadouro legalizado.

O recinto abriga oito jabutis e um mini coelho que fazem parte da proposta do Jardim Botânico de levar conhecimento científico básico para a população através da educação Ambiental (EA). Para isso, são feitas monitorias em que os estagiários ensinam curiosidades tais quais diferenças entre as espécies do grupo quelônio, sua dieta, bem como a do mini coelho, dimorfismo sexual, cuidados com animais pets não convencionais e alertas sobre maus tratos e tráficos de animais silvestres.

Metodologia

Animais mantidos em recintos necessitam de estímulos semelhantes à sua vida livre na natureza. Para tanto, o espaço foi adaptado para proporcionar este tipo de experiência. Além de trazer benefícios para os animais, o enriquecimento ambiental é uma questão importante que deve ser abordada em temas que envolvem a educação ambiental...................................................................................
A proposta dos estagiários foi melhorar a qualidade de vida dos jabutis em dias quentes e dificultar seu acesso a comida fazendo-os procurar por ela. Para o mini coelho, foram inseridos canos de PVC simulando tocas e fibras de coco para desgastar os dentes.



  1. Piscina

Para a construção da piscina foram usados os seguintes materiais: sacho, filme agrícola, cimento, corante “Universo tintas” cor azul, pedras de jardim e tijolos de borracha. Iniciou-se o projeto com a escolha do local e retirada de terra de dentro do recinto formando um buraco (figura 2), em seguida colocou-se o filme agrícola e o cimento (figuras 3). Para finalizar a piscina foi pintada com a cor azul, os tijolos e as pedras de jardim foram adicionados para fazer a borda da piscina (figura 4).



  1. Suporte para alimentos

O suporte para alimentos (figura 5) foi desenvolvido com a intenção de dificultar o alcance de frutas e verduras e fortalecer o maxilar dos animais. Os materiais utilizados foram canos pretos, barbantes e folhas secas. Além deste suporte, o recinto conta com comedouros fixos e bandejas espalhadas pelo ambiente (figuras 6 e 7) para que os animais possam explorar todo o local. A fibra de coco foi colocada dentro de um cano de PVC para que o mini coelho pudesse cheirar o que havia no objeto (figura 8).....................................................



  1. Canos de PVC

Os canos de PVC foram utilizados com o intuito de imitar tocas para o mini coelho. Os 3 canos de cor branca foram lixados, pintados e distribuídos pelo recinto (figura 9).

Discussão e Resultados

A educação ambiental é um processo fundamental para a sensibilização da sociedade. A propagação da EA pode ser feita no âmbito formal em escolas e universidades ou não-formal, como proposto pelo Jardim Botânico de Diadema. Além das monitorias levarem conhecimento sobre ciclo de vida de animais como borboletas e de bicho pau, curiosidades sobre jabutis, tartarugas e cágados, importância da água, árvores, conservação e preservação de florestas, termos como mimetismo e camuflagem, o enriquecimento ambiental tornou-se mais um tópico de abordagem dando espaço para discussões como importância de zoológicos, a permanência ou não de animais dentro de recintos e o motivo de alguns não poderem voltar para seu local de origem, tornando as monitorias mais dinâmicas e interessantes para o público.

Todas as propostas de enriquecimento ambiental oferecidas pelos estagiários dentro do recinto (figura 10) foram bem sucedidas. A água da piscina, antes reposta diariamente, passou a ser trocada semanalmente visto que os jabutis preferiram a água com galhos e terra (figura 11).



Conclusão

A educação ambiental é uma ferramenta utilizada por educadores e cientistas a fim de direcionar o foco da população para a natureza e sua preservação. O Jardim Botânico de Diadema possibilita essa sensibilização através de monitorias abertas para qualquer tipo de público. De forma não formal e lúcida, os estagiários levam conhecimento científico básico para que o mesmo seja disseminado por quem visita o parque.



Bibliografia

Francis Magno Flosi, Jerusa Martins Garcia, Claudete Pugliese, Andrea Aranha Sanchez, Aparecido Klai. Manejo e enfermidades de quelônios brasileiros no cativeiro doméstico. Disponível em < http://bit.ly/3r2MIUE >. Acesso em 25 de fevereiro de 2021

Tiago Lucena da Silva. Análise Morfológica e Filogeográfica em Jabutis Brasileiros (Testudines). Disponível em <https://bit.ly/3qXDjOc >. Acesso em: 25 de fevereiro de 2021.

Perito Animal. Disponível em: <https://www.peritoanimal.com.br/coelhos/coelho-mini-lop.html>. Acesso em: 26 de fevereiro de 2021.





Ilustrações: Silvana Santos