Tudo o que temos a fazer [...] é colocar nosso jeito de viver dentro dos meios ecológicos conhecidos. (Marcus Eduardo de Oliveira)
ISSN 1678-0701 · Volume XX, Número 78 · Março-Maio/2022
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(7) Notícias(5) Dicas e Curiosidades(1) Reflexão(1) Para sensibilizar(1) Dinâmicas e recursos pedagógicos(1) Arte e ambiente(1) Divulgação de Eventos(1) Sugestões bibliográficas(1) Educação(1) Ações e projetos inspiradores(2) Do Linear ao Complexo(3) A Natureza Inspira(1) Relatos de Experiências(11)   |  Números  
Artigos
15/12/2021 (Nº 77) EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM OFICINA DE PRODUÇÃO DE BRINQUEDOS EM GARRAFAS PET NO ENSINO PÚBLICO DE MACAPÁ, AMAPÁ - BRASIL
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4227 
  

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM OFICINA DE PRODUÇÃO DE BRINQUEDOS EM GARRAFAS PET NO ENSINO PÚBLICO DE MACAPÁ, AMAPÁ - BRASIL



Suzane Rodrigues de Oliveira1, Láysa Adriele da Silva Dias², Wallace Gomes Camelo³, Ricardo Augusto Oliveira Evangelista Neto4, Alzira Marques Oliveira5

¹Universidade Federal do Amapá, e-mail: susanerodriguess@gmail.com; ²Universidade Federal do Amapá, e-mail:laysa_dias_ap@hotmail.com; ³Universidade Federal do Amapá, e-mail:ricevanneto@gmail.com; 4Universidade Federal do Amapá, e-mail:wallace.camelo.12@gmail.com; 5Universidade Federal do Amapá, e-mail:alzira_dutra@yahoo.com.br





Resumo

O descarte inadequado de garrafas PET no meio ambiente causa sérios problemas em virtude do tempo de decomposição desse material. As garrafas habitualmente utilizadas para embalar água ou refrigerantes são produzidas com o politereftalato de etileno (PET), um poliéster, polímero termoplástico, material muito resistente ideal para produção de embalagens devido as suas características mecânicas e químicas de impedir gases e odores. Dessa maneira, o objetivo desse trabalho foi confeccionar brinquedos visando sensibilizar os alunos do ensino fundamental quanto a reutilização de garrafas PET, contribuindo para a preservação do meio ambiente. A produção dos brinquedos ocorreu através de uma oficina, onde os alunos foram os responsáveis pela produção de três diferentes brinquedos (boliche, bilboquê e centopeia). Foram utilizados dois formulários semiestruturados, o primeiro foi aplicado antes da oficina e o segundo ao término do evento. Os formulários buscaram averiguar a contribuição da ação, bem como observar se os alunos foram sensibilizados quanto a reutilização de garrafas PET. Os resultados do primeiro formulário apontaram que os alunos tinham a percepção que o principal benefício da reutilização era voltado para proteção dos animais, florestas e rios. Bem como relataram ainda que no ambiente familiar a principal forma de reutilização de garrafas PET se dá para produção de porta-trecos. No segundo formulário a principal mudança deu-se no entendimento sobre os benefícios da reutilização onde apontaram redução de lixo nas ruas e o aproveitamento desse material no cotidiano, utilizando-os em brincadeiras. Conclui-se que a ação de Educação Ambiental através da produção de brinquedos em garrafas PET é capaz de despertar para a conscientização quanto ao cuidado com o meio ambiente, observou-se ainda que os alunos estavam motivados a adotarem novas práticas ambientalmente adequadas, colaborando para a conservação socioambiental.

Palavras-chave: Reutilização. Meio Ambiente. PET. Educação Ambiental. Brinquedos.



Abstract

Improper disposal of PET bottles into the environment causes serious problems due to the decomposition time of this material. The bottles commonly used to pack water or soft drinks are produced with polyethylene terephthalate (PET), a polyester, thermoplastic polymer, a very resistant material ideal for packaging production due to its mechanical and chemical characteristics to prevent gases and odors. Thus, the objective of this work was to make toys in order to raise awareness among elementary school students about the reuse of PET bottles, contributing to the preservation of the environment. The production of toys took place through a workshop, where the students were responsible for the production of three different toys (bowling, bib and centipede). Two semi-structured forms were used, the first was applied before the workshop and the second at the end of the event. The forms sought to ascertain the contribution of the action, as well as observe whether students were sensitized about the reuse of PET bottles. The results of the first form showed that the students had the perception that the main benefit of reuse is the protection of animals, forests and rivers, and in the family environment, the main form of reusing PET bottles is for the production of gadget holders. In the second form, the main change took place in the understanding of the benefits of reuse, which pointed to a reduction in garbage on the streets and the use of this material in everyday play. It is concluded that the action of Environmental Education through the production of toys in PET bottles is able to raise awareness about caring for the environment, it was also observed that students were motivated to adopt new environmentally appropriate practices, collaborating to socio-environmental conservation.

Keywords: Reuse. Environment. PET. Environmental education. Toys.



INTRODUÇÃO

O Estado do Amapá apresenta um sistema bastante ineficiente de tratamento de resíduos sólidos, principalmente nas áreas urbanas. Dados levantados pelo Instituto Trata Brasil no início de 2017 indicavam que a cidade de Macapá, capital do estado do Amapá era considerada a 3ª pior cidade no tema saneamento básico devido a ausência ou precariedade dos serviços ofertados à população, dentre estes se destaca o insuficiente sistema de tratamento de resíduos sólidos (INSTITUTO TRATA BRASIL, 2020).

O tratamento indequado de residuos sólidos acarreta a contaminação do solo, da àgua e dos ecossistemas por meio da infiltração dos líquidos dos resíduos que estão em processo de decomposição, e ainda existe o risco de contaminação por metais pesados que são substâncias tóxicas (RIBEIRO; ROOCK, 2010; SANTOS et al., 2014).

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) visando diminuir os problemas gerados pelos resíduos sólidos estabeleceu instrumentos e diretrizes, estipulando prazos para o encerramento dos lixões, assim como trazendo alternativas sustentáveis para a utilização dos resíduos, tais como a reciclagem, a reutilização, entre outras (BRASIL, 2010).

As garrafas PET (politereftalato de etileno) descartadas de qualquer forma no meio ambiente causam graves problemas socioambientais em virtude de serem materiais de alta resistência. Pinto (2012) alerta que materiais feitos com politereftalato de etileno são necessários aproximadamente 400 anos para decomposição de forma natural no meio ambiente.

Em 2008 a Associação brasileira da Indústria do PET (ABIPET, 2020) e a associação Compromisso Empresarial para a Reciclagem (CEMPRE, 2020) divulgaram que foram consumidas 462.000 toneladas de PET para produção de garrafas, dessas apenas 54,8% (253.000 toneladas) foram recicladas. As demais garrafas, equivalentes a 209.000 toneladas de PET foram descartadas em aterros sanitários ou de forma inadequada no meio ambiente contribuindo para o esgotamento dos aterros e causando sérios impactos ambientais que afetam principalmente a saúde da população.

Ao afetarem de maneira drástica o meio ambiente e a saúde pública, as garrafas PET necessitam de destinação adequada. Esses resíduos se tornaram grandes problemas a serem enfrentados nas cidades brasileiras. Em 2012 CEMPRE divulgou em seus relatórios que 5,6% dos materiais recicláveis coletados nas grandes cidades brasileiras são plásticos, sendo que destes, 32% é representado pelo PET.

Dessa forma, a proposta de reutilização do PET para confecção de brinquedos é uma excelente alternativa para o reaproveitamento desse material, uma vez que o custo para confecção desses brinquedos é muito menor se comparado com o custo para confecção de um brinquedo convencional. Antunes, Santos e Mai (2018) consideram a reutilização como a forma de recolocar a matéria-prima nas cadeias produtivas, diminuindo o consumo de energia e água. Ou seja, o que sería descartado é reaproveitado ganhando nova funcionalidade.

Nessa perspectiva, a reutilização de garrafas PET para confecção de brinquedos é uma forma sustentável para diminuir os impactos do descarte inadequados desse material e contribuir na formação de cidadãos conscientes do seu papel na manutenção do meio ambiente sadio e equilibrado.

O tema em questão apresenta a sua relevância, principalmente nos aspectos sociais e ambientais, visto que a ação tem como foco a educação ambiental no sistema público de ensino, promovendo a concepção de novas utilidades para materiais com alto potencial de poluição ao meio ambiente. A reutilização de garrafas PET ao serem transformadas em novos objetos contribuem para redução de descarte irregular e colabora em momentos recreativos das crianças.

Neste sentido, o presente artigo foi elaborado a partir de uma experiência inicial de oficina de confecção com garrafas PET na Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria Luiza Bello da Silva, localizada na área do campus Marco Zero do Equador da Universidade Federal do Amapá – cidade de Macapá, Amapá.

A oficina foi realizada na turma do terceiro ano do ensino fundamental I com 21 crianças entre 9 a 11 anos do período matutino. Os trabalhos foram conduzidos por acadêmicos do curso de Ciências Ambientais sob a supervisão de uma docente. Os resultados apontam que houve a sensibilização quanto a reutilização, as crianças mostraram interesse e entusiasmo na produção dos brinquedos, além de mais cuidadosas com as questões do descarte das garrafas PET.



METODOLOGIA

A oficina de produção de brinquedos com garrafas PET foi desenvolvida por acadêmicos do Curso de Bacharelado em Ciências Ambientais da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) na Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria Luiza Bello da Silva conhecida como “Escola de aplicação” localizada no espaço do campus da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP na cidade de Macapá, estado do Amapá.

Os participantes foram alunos do terceiro ano do ensino fundamental com idade entre 9 a 11 anos do período matutino. As garrafas PET utilizadas para a confecção dos brinquedos foram coletas aos arredores de monumentos históricos da cidade de Macapá pelos acadêmicos e posteriormente higienizadas para manuseio pelas crianças.

A oficina ocorreu em três momentos, o primeiro foi o momento inicial (fase diagnóstica) com a aplicação de um formulário e uma breve palestra abordando a problemática das garrafas PET e a importância de cuidar do meio ambiente. Posteriormente, ocorreu a produção dos brinquedos. Os alunos foram divididos em três grupos e sob a orientação dos acadêmicos confeccionaram três diferentes brinquedos. Ao término da confecção dos briquedos ocorreu a atividade recreativa com os brinquedos, houve o revezamento das brincadeiras. O último momento foi a aplicação de outro formulário com a intenção de verificar a contribuição da oficina.

Foram confeccionados três diferentes brinquedos, são eles: boliche, bilboquê e centopeia. Os materiais utilizados foram as garrafas PET, papel EVA, papel crepom, cola de silicone, tesoura sem ponta, barbante, estilete e pincéis permanentes (Figura 1A, 1B e 1C).

Figura 1 – Materiais utilizados para confecção dos brinquedos de garrafas PET. (a) boliche, (b) bibolquê e (c) centopeia (cobrinha).



Para a confecção do boliche foram utilizadas garrafas PET de 500 ml, para o bilboquê foram necessários gargalos de garrafas de 1 litro e para a centopeia utilizou-se tampinhas coloridas.



RESULTADOS E DISCUSSÃO

As atividades foram desenvolvidas incialmente com aplicação de um formulário, buscando compreender o entendimento dos alunos em relação a danos ao meio ambiente causados pelo descarte inadequado do lixo e a importância da reutilização para diminuir os impactos ambientais, enfatizando as mudanças de comportamento com atitudes ambientalmente corretas.

Os alunos foram questionados sobre “Qual a importância da reutilização de materiais descartados para saúde do planeta?”; “Como as garrafas PET são reutilizadas na sua residência?” e “Há projetos de educação ambiental sobre reutilização de lixo na sua escola?”

No que diz respeito ao primeiro questionamento, 71% (n=15) responderam que o principal benefício da reutilização é devido a proteção dos animais, florestas e rios, 19% (n=4) afirmaram que é importante para a redução da poluição do ar e 10% (n=2) mencionaram que é a redução do aquecimento global.

Quando questionados sobre as formas que reutilizam garrafas PET em suas residências, a predominância é a reutilização através da transformação das garrafas em porta-trecos. Na visão de Silva, Santos e Silva (2016) a reutilização de garrafas PET são atitudes benéficas, visto que esses materiais representam potencial efeitos nocivos para o meio ambiente e para a saúde pública.

Sobre a existência de projetos de educação ambiental com a abordagem sobre lixo, 10 (48%) afirmaram que conhecem e 11 (52%) desconhecem. Contudo, foi observado no espaço da escola o uso de pneus inservíveis com finalidade para o plantio de espécies vegetais ornamentais e brinquedos pedagógicos de garrafas PET na sala de aula.

Souza et al (2016) ao executarem projeto de educação ambiental voltada para lixo consideram que ações sobre a reutilização de materiais descartados despertam o interesse dos alunos e os motivam na defesa do meio ambiente. Silva, Santos e Silva (2016) reiteram que projetos de educação ambiental com a temática reutilização são de extrema relevância, são ações que contribuem na formação de cidadãos conscientes.

Posteriormente a aplicação do primeiro formulário ocorreu a palestra de aproximadamente 15 minutos sobre a importância de cuidar do meio ambiente e a reutilização as garrafas PET para diminuir a poluição ambiental, sobretudo, evitar a degradação dos ecossistemas aquáticos do planeta.

O desenvolvimento das atividades de confecção dos brinquedos deu-se inicialmente com a apresentação de brinquedos já confeccionados com objetivo despertar nas crianças o interesse em fazer o seu próprio brinquedo e também para que pudessem conhecer as possibilidades de transformar uma garrafa PET em outros objetos.

A partir desse contexto iniciou-se a confecção dos brinquedos pelos alunos (Figura 2A e 2B) e posteriormente foram realizadas as brincadeiras com os mesmos (Figura 2C e 2D).

A atividade de confecção dos brinquedos foi um momento de descoberta para as crianças, onde eles tiverem a oportunidade de criar e refletir sobre as diversas possibilidades de reutilização de materiais descartados. Ao abordar os acadêmicos, instrutores na oficina, estava sempre a manifestação das crianças “posso ficar com o brinquedo?”, “posso levar pra casa?”. Contudo, para que outras crianças pudessem compartilhar o uso dos brinquedos os mesmos foram doados a escola para outras atividades.

Figura 2 – Alunos do terceiro ano do ensino fundamental I da Escola Municipal Maria Luiza Bello da Silva em atividade de confecção de brinquedos e posteriormente brincando com os brinquedos feitos a partir de materiais recicláveis (garrafas PET e tampinhas). (A) e (B) confecção de centopeias com tampinhas de garrafas PET, (C) e (D) confecção e brincadeiras com o bilboquê.



A oficina se caracterizou como uma atividade lúdica e educativa onde as crianças vivenciaram a produção artesanal de brinquedos, além da reflexão sobre os benefícios da reutilização de garrafas PET.

Martins et al (2014) consideram que a confecção de brinquedos a partir de materiais recicláveis desperta nas crianças pensamento de autonomia, pois elas percebem que conseguem criar os próprios brinquedos. Outro ponto positivo é a conscientização sobre a importância da reutilização de um material descartado no meio ambiente para evitar danos à saúde das pessoas e dele próprio.

Ao final da oficina foi aplicado outro formulário, buscando verificar a contribuição da oficina para a sensibilização das crianças e a motivação para adoção de práticas sustentáveis, como é o caso da reutilização. Nesse segundo formulário foram realizados quatro questionamentos aos alunos, sendo o primeiro “Qual o local correto para destino do lixo de sua casa?”, o segundo foi “Qual a importância da reutilização de materiais descartados para saúde do planeta?”, o terceiro “O que fará a partir de agora com as garrafas PET de sua residência?” e, o último foi “O que conversará com os familiares da sua casa sobre a reutilização de garrafas PET?.

Em resposta a primeira indagação, 20 (95%) afirmaram que o local correto para o destino final dos resíduos sólidos produzidos na residência é o aterro sanitário e apenas 1 (5) apontou a rua como local apropriado. Esses dados apontam que a oficina obteve resultados positivos, pois as crianças indicam o local correto para o descarte dos resíduos produzidos no domicílio.

Quanto ao segundo questionamento, sobre os benefícios da reutilização de garrafas PET para a saúde do planeta, 15 (71%) apontaram que contribui para proteção de animais, florestas e rios, 4 (19%) afirmaram que contribui na redução de enchentes e 2 (10%) afirmaram que é importante na redução da poluição do ar e na redução do aquecimento global.

Sobre as práticas a serem adotadas a partir de agora com as garrafas PET produzidas no domicílio, 15 (71%) asseguraram que irão separar e reutilizar de alguma forma, 2 (10%) afirmaram que irão descartar corretamente para ser levado pelo carro coletor e 4(19%) não souberam responder.

A última pergunta sobre a divulgação dos benefícios da reutilização de garrafas PET, 20 (95%) afirmaram que irão conversar com seus familiares e apenas 1 (5%) afirmou que não. Esses dados apontam a sensibilização dos alunos quanto os impactos negativos do descarte irregular de garrafas PET.

Silva et al (2016) ao realizarem oficina de brinquedos a partir de garrafas com alunos do ensino fundamental I e II consideram que a atividade desperta nas crianças a conscientização ambiental. As crianças se tornam multiplicadoras de práticas sustentáveis, refletem sobre seus papéis diante do consumismo e compreendem a importância da reutilização para evitar a poluição do meio ambiente.



Considerações Finais

Os resultados da oficina revelaram que ações de Educação Ambiental são eficientes na sensibilização de crianças, ao confeccionarem os brinquedos em garrafas PET, os alunos constataram que a reutilização evita produção de lixo e consequentemente a poluição ambiental.

O trabalho buscou evidenciar importância da sensibilização através de atividades práticas que estimulem as crianças no processo de conscientização para o cuidado com o meio ambiente. Os alunos ao produzirem brinquedos com materiais descartados puderam refletir sobre os benefícios da reutilização, principalmente das garrafas PET.



Referências Bibliográficas

ABIPET (Associação Brasileira da Indústria do Pet). O que é Pet?. Disponível em: http://www.abepet.com.br/oqepet.php. Acesso em 20 fev. 2020.

ANTUNES, C. F.; SANTOS, E. M.; MAI, L. Descarte adequado de resíduos sólidos domésticos: Descarte adequado de resíduos sólidos no município de Tubarão – SC. Universidade do Sul de Santa Catarina, 2018. Disponível em: http://www.uniedu.sed.sc.gov.br. Acesso em: 07 mar. 2020.

BRASIL. Lei Nº 12.305, de 2 de Agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 03 mar. 2021.

CEMPRE (Compromisso Empresarial para a Reciclagem). O Mercado para Reciclagem. Disponível em: http://www.cempre.org.br/fichas_tecnicas. Acesso em: 10 fev. 2021.

INSTITUTO TRATA BRASIL (2020). Principais Estatísticas de Saneamento Básico. Disponível em: http://www.tratabrasil.org.br/saneamento/principais-estatisticas/no-brasil/saude. Acesso em: 10 fev. 2021.

MARTINS, N. M.; et al. Projeto Catatuê: confecção de brinquedos com uso de material reciclável: ensino-aprendizagem e atividades lúdicas. Revista RealizAção, Dourados, MS, v.1, n. 2, p 50-59, 2014. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/realizacao/article/view/3280. Acesso em 20 fev. 2021.

PINTO, J. C. Impactos ambientais causados pelo plástico. São Paulo: E-papers, 2012.

RIBEIRO, J. W.; ROOKE, J. M. S. Saneamento básico e sua relação com o meio ambiente e a saúde publica. Juiz de Fora, MG. 2010. Disponível em: http://www.ufjf.br/analiseambiental/files/2009/11/TCC-SaneamentoeSa%25C3%25BAde.pdf. Acesso em: 15 fev. 2021.

SANTOS, A. L. et al. Aproveitamento da fração orgânica dos resíduos sólidos urbanos para produção de composto orgânico. Revista Brasileira de Ciências da Amazônia, Rolim de Moura, RO, v. 3, n. 1, p. 15-28, 2014. Disponível em: http://www.periodicos.unir.br/index.php/rolimdemoura/article/view/1177. Acesso em: 14 fev. 2021.

SILVA, F. L. et al. Oficina de brinquedos a partir de garrafas PET: Ferramenta para sensibilização ambiental e alerta ao consumismo infantil. [Anais]. Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental. Campina Grande/PB. Disponível em: https://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2016/VII-049.pdf. Acesso em 15 nov. 2021.

SILVA, T. M. D. L., SANTOS, A. F. S., SILVA, E. P. D. Reutilização de Garrafas PET: contribuições para a fetividade da Educação Ambiental nas escolas de Caruaru-Pe. In: Educação ambiental na gestão de resíduos sólidos. Org. EL-DEIR, S. G.; AGUIAR, W. J.; Pinheiro, Sara Maria Gomes. 1. ed. Recife: EDUFRPE, p. 181, 2016. Disponível em: http://repository.ufrpe.br/bitstream/123456789/677/1/Educacao_Ambiental_2016.pdf#page=182. Acesso em 10 fev. 2021.

SOUZA, M. H. A., et al. Reciclagem e reutilização de garrafas PET: do lixo ao luxo. Revista Rede de Aprendizagens, Recife - PE, v.1, n.1, p.24-26, 2016. Disponível em: http://rededeaprendizagens.recife.pe.gov.br/index.php/ra/article/view/49/16. Acesso em: 01 fev. 2021.





Ilustrações: Silvana Santos