Que meu andar, meu viver seja cada vez mais no ritmo das bicicletas... (José Matarezi)
ISSN 1678-0701 · Volume XXI, Número 79 · Junho-Agosto/2022
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(6) Notícias(6) Reflexão(4) Para sensibilizar(1) Entrevistas(1) Saber do Fazer(1) Arte e ambiente(1) Sugestões bibliográficas(3) Educação(1) Sementes(1) Ações e projetos inspiradores(2) Gestão Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Do Linear ao Complexo(3) A Natureza Inspira(1) Relatos de Experiências(3)   |  Números  
Relatos de Experiências
30/05/2022 (Nº 79) JOGO EDUCATIVO SOBRE AGROTÓXICOS EM UMA INTERVENÇÃO DE EXTENSÃO: UM RELATO DE EXPERÊNCIA
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4312 
  

JOGO EDUCATIVO SOBRE AGROTÓXICOS EM UMA INTERVENÇÃO DE EXTENSÃO: UM RELATO DE EXPERÊNCIA

Dany Geraldo Kramer1, Vivian Rayane de Morais Almeida2

1 Programa de Pós-graduação em Saúde da Família no Nordeste – RENASF. Departamento de Engenharia Têxtil. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

2 Discente de Enfermagem. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

dgkcs@yahoo.com.br





Resumo: Os agrotóxicos provocam problemas socioambientais em diversas regiões do Brasil. Assim, realizou-se uma atividade de educação ambiental sobre temática e aplicação de jogo educativo. Conclui-se que a atividade facilitou a compreensão, a problematização e a contextualização da temática de agrotóxicos.

Palavras-chave: Agrotóxico; Jogo; Relato de experiência.

Abstract:

Pesticides cause socio-environmental problems in several regions of Brazil. Thus, an environmental education activity was carried out on the theme and application of an educational game. It is concluded that the activity facilitated the understanding, the problematization and the contextualization of the theme of pesticides.

Keywords: Pesticides; Match; Experience report.



Introdução

Os agrotóxicos ou pesticidas são substâncias sintéticas utilizadas no controle de pragas de plantas ou animais, na qual sua utilização é justificada na busca de melhorias da produtividade no setor agropecuário. Os agrotóxicos podem ser classificados de acordo com a praga a que se destinam como (BARRAZA et al., 2020; CORDOBA et al., 2020):

- Inseticidas (contra insetos em geral);

- Larvicidas (contra larvas de insetos);

- Formicidas (contra formigas);

- Carrapaticidas (contra carrapatos de animais),

- Nematicidas (contra nematóides parasitas de plantas);

- Moluscicidas (para combate a moluscos);

- Raticidas (para combate a ratos, em particular);

- Herbicidas (contra ervas daninhas e outros vegetais indesejáveis).

Estes agentes químicos podem ser utilizados de forma indiscriminada, podendo acarretar em riscos à saúde humana e ambiental, uma vez que podem contaminar alimentos, solos e água. Os efeitos destes riscos podem ser decorrentes de uma exposição direta, por sua ocorrência presentes na água ou alimentos contaminados ou pelo descarte inadequado de embalagens (RODRIGUEZ e tal., 2020; ZHAO et al., 2018; SHARAFI et al., 2018). As embalagens devem ser encaminhados aos centros de coleta locais para posterior retorno ao setor industrial de acordo com Decreto Lei 4074/02.

Entretanto, em muitas localidades brasileiras não é o que ocorre, sendo este material descartado juntamente com o lixo comum ou em terrenos baldios, favorecendo o risco da contaminação (CORREA et al., 2020). Assim, a conscientização da população e produtores agropecuários se faz importante, sendo relevante a educação ambiental neste processo (FONTAN et al., 2021; OLIVEIRA, 2018).

A educação ambiental se apresenta como uma importante ferramenta pedagógica que pode contribuir com a mudança de hábitos e práticas sociais, uma vez que proporciona às pessoas a oportunidade de reflexão sobre temas de relevância ambiental, como os agrotóxicos (FILHO et al., 2018; BURGOS et al., 2017). As atividades educativas nesta áraea podem ser reforçadas com as tecnologias educacionais, colaborando na diversificação e flexibilização das atividades, possibilitando que o estudante/público acesse os conteúdos em tempo e no local que desejar, além de proporcionar a interação entre os participantes (OLIVEIRA, 2018; NETO et al., 2019).

Como exemplos de tecnologias educacionais podem ser citados os vídeos e hipertextos e jogos utilizados em atividades presenciais ou à distância, podendo ser difundidos pela internet, por DVDs, CD-ROMs, televisão ou telefone celular (CORREA et al., 2020; SA; VALENTE, 2013; BROWN; STAKOVA, 2017). Os jogos digitais podem ser desenvolvidos em diversas plataformas, sendo uma destas o Scratch.

No Scratch observa-se um ambiente de programação visual baseado em lógica de programação em blocos, permitindo a construção de animações, cotação de histórias e jogos. O Scratch permite a criação e importação de mídias variadas (música, imagens e sons) proporcionando a criação de jogos nas mais diversas modalidades, tais como jogos de trilhas, missões ou mesmo Quizz - composto por várias alternativas, verdadeiro ou falso ou apenas respostas curtas (SÁ; VALENTE, 2013; NETO et al., 2019).

Neste sentido, a incorporação de jogos produzidos no Scratch em ações de extensão voltadas para educação ambiental, com a temática agrotóxicos, se faz relevante, favorecendo um aprendizado dinâmico e divertido. Nesta conjuntura, foi desenvolvido um jogo, abordando-se conceituações, classificações, questões ambientais e toxicológicas associadas aos agrotóxicos, de forma a se promover ações de educação ambiental de forma dinâmica e ativa, para qual é descrito o presente relato de experiência.



Metodologia

O presente relato de experiência refere-se a ação de extensão voltada a educação ambiental, com a temática agrotóxico. Esta atividade foi constituída de encontros virtuais na qual foram realizadas apresentações sobre o tema e aplicação do jogo “Agrotóxico” produzido na plataforma Scratch. Nesta plataforma os jogos podem ser criados a partir de algoritmos de lógica de programação através de blocos (Figura 01), sendo complementado com saudações e perguntas sobre o tema (NETO et al., 2019).



Figura 01: Estrutura básica da lógica de programação (blocos) da plataforma scracht.

Fonte: Autoria própria.



Este foi composto de questionamentos sobre conceitos, classificações, tópicos ambientais e toxicológicos voltados aos agrotóxicos (Tabela 01). O jogo foi aplicado no início e final das apresentações sobre o tema.



Tabela 1 – Questões presentes no jogo sobre agrotóxicos.

Questões

Possíveis respostas

Você já estudou sobre agrotóxicos?

SIM

NÃO

Os agrotóxicos têm vários modos de ação um deles é:

ABSORÇÃO

EXCREÇÃO

FUMIGANTE

Os agrotóxicos de classificam de acordo com as pragas que se destinam, são exemplos de classificações, exceto:

ESPORICIDA

MOLUSCICIDAS

CARRAPATICIDAS

Qual o tipo de agrotóxico utilizado contra ervas daninhas e outros vegetais indesejáveis?

HERBICIDA

INSETICIDA

NEMATICIDA

Os organofosforados são absorvidos pelo organismo humano (vias oral, cutânea e respiratoria).

VERDADEIRO

FALSO

Alguns agrotóxicos permanecem nos alimentos por um período, um dos alimentos que mais se encontra resíduos de agrotóxico é:

PIMENTÃO

CEBOLA

MAMÃO

O DDT tem uma propriedade que pode ser danosa à saúde humana e ambiental que é:

BIOACUMULAÇÃO

ABSORÇÃO

REGENERAÇÃO

A exposição a longo prazo ao DDT pode ocacionar

TOSSE

CÂNCER

CEGUEIRA

São impactos ambientais dos agrotóxicos, exceto:

CONTAMINAR ÁGUA E SOLO

CHUVA ÁCIDA

RISCO A SERES VIVOS

O descarte de embalagem de agrotóxico pode ser feito no lixo comum.

VERDADEIRO

FALSO

Fonte: Autoria própria.





Resultados e Discussões

A intervenção foi realizada com alunos de graduação e público diverso interessado na temática, que foram inicialmente questionados sobre o conhecimento sobre o tema, dos quais, 78% citaram desconhecimento, sendo apresentado incialmente o jogo (Figura 02).

Figura 02: Intervenção de educação ambiental voltada ao tema agrotóxico na modallidade virtual.

Durante a apresentação do tema, observou-se participação efetiva e dinâmica dos ouvintes. Na sequência da reaplicação do jogo, verificou-se a consolidação do conteúdo. Sendo inqueridos sobre riscos ambientais, conceitos, mecanismos de ação e tipos de agrotóxicos, conforme exemplificado na figura 03.

Figura 03: Envolvimento dos participantes no jogo educativo sobre agrotóxicos.

A utilização de jogos digitais em ações educação ambiental aplicadas aos agrotóxicos demontrou-se de grande relevância, sendo elogiada a interface e metodologia funcionando como um processo de Ensino-aprendizagem dinâmica e lúdica. Ademais, os participantes puderam refletir sobre os riscos dos agrotóxicos e cuidados com alimentação.



Conclusões

A partir dos dados supracitados, conclui-se que a atividade de educação em ambiental proposta facilitou a compreensão, a problematização e a contextualização da temática de agrotóxicos, possibilitando ao participante a obtenção informações e formar ideias crítico-reflexivas sobre a temática, emitindo opiniões de forma segura e consciente.



Bibliografia

BARRAZA, D.; JANSEN, K.; WESSELING, C.; & VAN WENDEL DE JOODE, B. Pesticide risk perceptions among bystanders of aerial spraying on bananas in Costa Rica. Environmental Research , 189, 1-10. (2020).

BROWN, J.S; STAKOVA, K. Game theory as a conceptual framework for managing insect pests. Current Opinion in Insect Science Volume 21, June Pages 26-32 2017.

BURGOS, S.; YOHANNESSEN, K.; ÁLVAREZ, A.; SOC, A.; REBOLLEDO, A.; Educ, L.; & Valenzuela, M. T. Educación en salud a través del desarrollo de habilidades científicas en escolares chilenos. 59(3), 276-284. 2017. 

CÓRDOBA GAMBOA, L.; SOLANO DÍAZ, K.; RUEPERT, C.; & VAN WENDEL DE JOODE, B. Passive monitoring techniques to evaluate environmental pesticide exposure: Results from the Infant’s Environmental Health study (ISA). Environmental Research, 184, 2020.

CORRÊA, D. M.; GOMES, F. B.; LUZ, F. A. Educação Ambiental através do jogo didático “Super Trunfo® Agrotóxicos”: Environmental Education through educational game “Super Trunfo® Agrotóxicos” . Revista Ensino, Saúde e Biotecnologia da Amazônia, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 1–18, 2020.

FILHO, J. K. M. A. Relação Saúde Ambiental/Saúde Humana: (Re) Conhecendo o Cenário do Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental. Neurobiologia, vol. 73, nº 03, 2010.

Fontan, I. da C. I. ., Oliveira, S. G. de ., & Anjos, T. dos . Relato de experiência de educação ambiental: conscientização sobre uso de agrotóxicos em comunidades rurais de peçanha – mg por estudantes de engenharia florestal. Revista Ibero-Americana De Humanidades, Ciências E Educação, 7(11), 1075–1086. 2021.

NETO, JC.; MARCOMINI, JTS; BUENO, LG. O uso das Tecnologias Digitais em contextos de ensino: Scratch, Logo e Objetos de Aprendizagem. Res., Soc. Dev.; 8(12). 2019.

OLIVEIRA, A.S. Educación en Ciencias con trabajadores estudiantes jóvenes del Brasil en una situación de larga exposición a pesticidas Revista Tecné, Episteme y Didaxis. Año 2018.

RODRÍGUEZ, R.; PALOMO, L.; PADILLA, M.; CORRALES, A.; & VAN WENDEL, B. Talleres participativos sobre riesgos en el uso de plaguicidas: Una construcción colectiva e interetaria. 2020. 

SÁ, M H N de; VALENTE, A B. Um Projeto de Investigação usando o Laptop UCA na Escola: o andar do tuiuiú. Anais do Workshop de Informática na Escola, [S.L.], p. 179-188, 25 nov.. 2013.

SHARAFI.K, M. PIRSAHEB, S. MALEKI, H. ARFAEINIA, K. KARIMYAN, M. MORADI, Y. SAFARI Knowledge, attitude and practices of farmers about pesticide use, risks, and wastes; a cross-sectional study (Kermanshah, Iran) Sci. Total Environ., 645 pp. 509-517, (2018.

ZHAO L. ZHAO, C. WANG, H. GU, C. YUE Market incentive, government regulation and the behavior of pesticide application of vegetable farmers in China Food Control, 85 pp. 308-317, 2018.

Ilustrações: Silvana Santos