O modo de funcionamento da humanidade entrou em crise. (Ailton Krenak)
ISSN 1678-0701 · Volume XXI, Número 80 · Setembro-Novembro/2022
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(11) Notícias(11) Dicas e Curiosidades(1) Reflexão(1) Para sensibilizar(1) Dinâmicas e recursos pedagógicos(1) Entrevistas(1) Arte e ambiente(1) Sugestões bibliográficas(1) Educação(1) Você sabia que...(1) Sementes(1) Ações e projetos inspiradores(5) Cidadania Ambiental(1) Do Linear ao Complexo(3) A Natureza Inspira(1) Relatos de Experiências(9)   |  Números  
Notícias
13/09/2022 (Nº 80) CALOR EXTREMO NA EUROPA E OS EFEITOS DO AQUECIMENTO GLOBAL
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4346 
  

CALOR EXTREMO NA EUROPA E OS EFEITOS DO AQUECIMENTO GLOBAL

 by Redação 

 

Calor extremo na Europa e os efeitos do aquecimento global

Europa têm marcado temperaturas superiores a 40ºC, o que pode se repetir nos próximos anos

As altas temperaturas marcadas recentemente nos termômetros da Europa chamaram a atenção de todo o planeta. São números históricos, que ultrapassaram os 40ºC em diversas cidades e chegaram a modificar o funcionamento de aeroportos e estações de trem. No Reino Unido, por exemplo, a principal linha da Costa Leste chegou a ter sua circulação suspensa por conta do calor extremo, pois o calor poderia expandir os trilhos e tornar o transporte inseguro. E o Aeroporto de Luton, em Londres, precisou suspender seus voos por alguns dias, após as temperaturas danificarem as pistas.

O calor extremo também causou incêndios em diversos países da região, como Espanha, Portugal, França, Itália, Grécia e o próprio Reino Unido. Com o fogo, também agrava-se a seca. Um levantamento do Observatório Europeu da Seca (EDO) apontou que, em agosto, 47% da União Europeia estavam em risco de seca, com 17% da área em estado de alerta, e prejuízos para a vegetação e as colheitas agrícolas. O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), órgão de ciência climática da Organização das Nações Unidas (ONU), explicou que aquele foi o período mais quente da história dos últimos 125 mil anos.

Este cenário deixa cada vez mais claro que os efeitos do aquecimento global estão cada vez mais recorrentes e intensos, causando danos severos. “Com certeza o aquecimento global está relacionado às ondas de calor e outras alterações de temperatura do planeta. Por exemplo, os fatores relativos ao Efeito Estufa com a grande quantidade de CO2 na atmosfera, atrelados à grande emissão de combustíveis fósseis”, diz a professora Carla Suelânia, mestre em Geografia e docente dos cursos de Engenharia do Centro Universitário Tiradentes (Unit Pernambuco).

Além disso, a Europa está passando por um fenômeno chamado de sistema de alta pressão atmosférica. Esses sistemas se deslocam de acordo com a estação do ano, principalmente inverno e verão, como são dispersores de ar, não ocorre a formação de nuvens em seu centro. “Esse sistema de alta pressão vem persistindo na região, proporcionando um tempo seco, um céu com poucas nuvens e sem chuva. Devido a insistência dele, é causada uma área de bloqueio, ou seja, impedindo que as frentes frias cheguem até a Europa, consequentemente ocorre a elevação da temperatura”, afirma Carla.

Toda essa situação, de acordo com especialistas, irá se repetir ao longo dos próximos anos e pode, a longo prazo, causar problemas à população. Os países europeus não possuem estrutura para aguentar o calor intenso, por exemplo, metrôs e ônibus não têm ar condicionado, além disso, a população é composta por um grande número de idosos, que não estão acostumados com o calor e mudanças drásticas de temperatura.

No futuro, de acordo com Carla Suelânia, a população poderá sofrer com desidratação, insolação e, em alguns casos, a morte será inevitável. “São necessárias medidas urgentes, para que os danos e emissão de poluentes sejam reduzidos, visando o futuro do planeta”.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394



Fonte: Calor extremo na Europa e os efeitos do aquecimento global (ecodebate.com.br)



Ilustrações: Silvana Santos