Renunciar ao supérfluo coloca ainda mais em evidência o necessário e o indispensável. - Pierre Rabhi
ISSN 1678-0701 · Volume XXI, Número 81 · Dezembro-Fevereiro 2022/2023
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(4) Dicas e Curiosidades(3) Reflexão(6) Para sensibilizar(2) Dinâmicas e recursos pedagógicos(2) Dúvidas(1) Entrevistas(1) Saber do Fazer(1) Arte e ambiente(1) Divulgação de Eventos(9) O que fazer para melhorar o meio ambiente(1) Sugestões bibliográficas(2) Educação(1) Você sabia que...(1) Plantas medicinais(3) Folclore(1) Ações e projetos inspiradores(3) Gestão Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Do Linear ao Complexo(1) A Natureza Inspira(1) Notícias(16)   |  Números  
Dicas e Curiosidades
14/12/2022 (Nº 81) ECODESIGN: POR QUE ELE É TÃO IMPORTANTE?
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4381 
  

ECODESIGN: POR QUE ELE É TÃO IMPORTANTE?

80% dos impactos ambientais podem ser previstos na fase de projeto dos produtos

 

Comprar, usar e descartar. Essa prática, conhecida como economia linear, vem perdendo força à medida que os hábitos mais conscientes crescem em meio aos consumidores. Uma peça-chave para essa transformação acontecer é o ecodesign.

O principal objetivo é desenvolver produtos pensando na sustentabilidade em todo o ciclo de uso, reduzindo o impacto ambiental e, ao mesmo tempo, manter aspectos importantes para o consumo. Essa é uma das bases da economia circular.



Um estudo da Diretiva de Ecodesign da União Europeia apontou que 80% dos impactos ambientais de um produto podem ser determinados na etapa de projeto. O ecodesign também permite a diminuição de custos, o aumento da qualidade e o desenvolvimento da inovação na indústria.

Enquanto tem bambu, tem... escova de dente!

OralClear fabricava escovas de dente de plástico quando decidiu puxar o freio de mão e dar meia volta para um caminho mais sustentável. Baseada nos preceitos de ecodesign, a empresa, sediada em Goiânia (GO), mudou a matéria prima para o bambu.

Foi necessário adaptar as máquinas, reprojetar as escovas, buscar novos fornecedores. No primeiro momento, os insumos vinham da China.

Forma1

Depois, com a ideia de ser uma empresa sustentável 100% brasileira, iniciamos o projeto de usar bambu nacional. Hoje, somos a primeira indústria Brasileira na fabricação de escovas de bambu.”, relata Natany Silva, gerente comercial da OralClear.

Forma2

O bambu usado pela empresa é cultivado em Moji das Cruzes (SP).



Além de versátil, o bambu é flexível e leve, se dá bem em diversos solos, não precisa ser replantado e cresce muito rápido

Após o desafio de criar uma escova ecológica, a próxima missão foi resolver a embalagem. “Os recipientes das escovas, em sua grande maioria, são de plástico. Inovamos para produzir embalagens de papel”, relata.

Picture 9



Inovação a serviço da sustentabilidade

O mesmo conceito motivou a Suzano a desenvolver produtos com um ciclo de vida de menor impacto ao meio ambiente. Tanto o produto quanto o processo de fabricação têm esse objetivo.

O Greenpack Suzano é um papel flexível para embalagens feito para substituir o plástico, que por vezes tem muitas camadas, dificultando sua reciclagem.

A novidade oferece uma alternativa aos materiais de fontes fósseis. Então, além de ter insumos de fontes renováveis, ainda é reciclável, compostável AND biodegradável. Ele está presente em itens de perfumaria e beleza, feitos a partir de uma parceria com o Grupo Boticário, além de itens de higiene e limpeza que podem ser encontrados no mercado, como a linha Mimmo Eco Pack, nova embalagem do papel higiênico Mimmo Folha Dupla e os absorventes Sempre Livre Eco.



A tecnologia Greenpack, papel flexível para embalagens, já está no mercado

Outra iniciativa da Suzano é o Bluecup Bio, um papel cartão com revestimento biodegradável que pode ser usado para bebidas e alimentos, substituindo o plástico tradicional. As embalagens fizeram parte da última edição do Rock in Rio, em 2022, em parceria com iFood, que recebeu um público de 700 mil pessoas nos sete dias do festival.



Tecnologia permite alimentos em embalagens zero plástico e biodegradáveis, feitas a partir de matéria prima de fonte renovável

Essa ideia cola!

A empresa Avery Dennison, dedicada a soluções gráficas, materiais funcionais e de etiquetagem, criou o programa AD Circular, cujo objetivo é minimizar o desperdício em toda a cadeia de rótulos.

Para isso, eles aplicaram o ecodesign em toda a cadeia produtiva, utilizando matérias-primas de fontes responsáveis, com uso de tecnologias que demandam menos materiais, introduzindo compostos recicláveis na fabricação de novos produtos e sempre mantendo em mente o reaproveitamento nos processos de fabricação.

São atitudes que envolvem todos os parceiros da empresa, de fornecedores a clientes, em prol da economia circular.

Forma3

A cada nova embalagem desenvolvida, existe uma janela de oportunidade para evoluir em um item que traga mais em termos de sustentabilidade. Mas para que ela aconteça de verdade é preciso que toda a cadeia esteja envolvida. Por isso, além de utilizarmos matérias-primas de origem certificada, reaproveitamos itens recicláveis que promovam uma real economia circular de ponta a ponta”, destaca Keyse Ramalho Marques, gerente de desenvolvimento de novos negócios da Avery Dennison.

Forma4

 



Programa AD Circular minimiza o desperdício em toda a cadeia de rótulos para ser reaproveitada pela própria empresa consumidora das soluções

A meta da empresa é, até 2030, ter 95% da operação livres de aterros, 80% dos resíduos reutilizados, e, até 2025, que 70% da sua cadeia acesse a reciclagem.

O futuro depende do que fazemos hoje. Para apoiar nossos clientes e comunidades, estamos usando os princípios do ecodesign para orientar o desenvolvimento de cada novo produto e nos ajudar a tornar cada um deles mais sustentável de maneira social e não apenas visual. Embora exija esforço e pesquisa intensos, acreditamos que esse processo traz benefícios que experimentaremos nos próximos anos, tanto como empresa, quanto como cidadãos do mundo”, conclui Keyse.

Editoria:
• Sustentabilidade

Por: Judith Aragão

Revisão: Ariadne Sakkis

Arte: Juliana Bezerra


Da 
Agência de Notícias da Indústria

Fonte: https://noticias.portaldaindustria.com.br





Ilustrações: Silvana Santos