Renunciar ao supérfluo coloca ainda mais em evidência o necessário e o indispensável. - Pierre Rabhi
ISSN 1678-0701 · Volume XXI, Número 81 · Dezembro-Fevereiro 2022/2023
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(4) Dicas e Curiosidades(3) Reflexão(6) Para sensibilizar(2) Dinâmicas e recursos pedagógicos(2) Dúvidas(1) Entrevistas(1) Saber do Fazer(1) Arte e ambiente(1) Divulgação de Eventos(9) O que fazer para melhorar o meio ambiente(1) Sugestões bibliográficas(2) Educação(1) Você sabia que...(1) Plantas medicinais(3) Folclore(1) Ações e projetos inspiradores(3) Gestão Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Do Linear ao Complexo(1) A Natureza Inspira(1) Notícias(16)   |  Números  
Notícias
14/12/2022 (Nº 81) NADA SE CRIA, NADA SE PERDE... - RESÍDUOS DO MERCADO E DA CEANORTE VÃO VIRAR FERTILIZANTE
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4384 
  

NADA SE CRIA, NADA SE PERDE... - RESÍDUOS DO MERCADO E DA CEANORTE VÃO VIRAR FERTILIZANTE







NADA SE CRIA, NADA SE PERDE... - Resíduos do Mercado e da Ceanorte vão virar fertilizante


ASCOM | Texto: Attilio Faggi | Fotos: Fábio Marçal | Secretário de Comunicação: Alessandro Freire



A Prefeitura de Montes Claros irá contratar uma empresa para fazer o tratamento e a disposição final de resíduos sólidos urbanos e resíduos orgânicos oriundos do Mercado Municipal Christo Raeff e da Central de Abastecimento do Norte de Minas (Ceanorte).

A iniciativa atende demanda da Secretaria de Serviços Urbanos e a seleção da empresa será realizada através de pregão eletrônico que acontecerá na próxima segunda-feira, 12, pelo site www.licitacao-e.com.br. Para se ter uma ideia, em 2019, foram coletadas 603 toneladas de resíduos sólidos nas duas unidades. Em 2020, foram 590 toneladas e, em 2021, 535 toneladas. Para os próximos dois anos a previsão é que sejam recolhidas 720 e 864 toneladas, respectivamente.

O tratamento dado aos resíduos orgânicos através do sistema de compostagem promove a sustentabilidade ambiental, uma vez que esse processo contribui para a diminuição do aquecimento global e para a não geração do gás metano, que é um dos principais causadores do efeito estufa. Atualmente, os resíduos orgânicos com potencial de serem transformados em adubo pelo processo de compostagem são enterrados no aterro sanitário da Prefeitura. Com a contratação da empresa, todo o fertilizante que será produzido resultado da transformação dos resíduos orgânicos será encaminhado à Prefeitura.

 

Fonte: NADA SE CRIA, NADA SE PERDE... - Resíduos do Mercado e da Ceanorte vão virar fertilizante (montesclaros.mg.gov.br)

Ilustrações: Silvana Santos