Renunciar ao supérfluo coloca ainda mais em evidência o necessário e o indispensável. - Pierre Rabhi
ISSN 1678-0701 · Volume XXI, Número 81 · Dezembro-Fevereiro 2022/2023
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(4) Dicas e Curiosidades(3) Reflexão(6) Para sensibilizar(2) Dinâmicas e recursos pedagógicos(2) Dúvidas(1) Entrevistas(1) Saber do Fazer(1) Arte e ambiente(1) Divulgação de Eventos(9) O que fazer para melhorar o meio ambiente(1) Sugestões bibliográficas(2) Educação(1) Você sabia que...(1) Plantas medicinais(3) Folclore(1) Ações e projetos inspiradores(3) Gestão Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Do Linear ao Complexo(1) A Natureza Inspira(1) Notícias(16)   |  Números  
Ações e projetos inspiradores
14/12/2022 (Nº 81) PREFEITURA LANÇA PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A REDE MUNICIPAL DE ENSINO
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4419 
  

PREFEITURA LANÇA PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A REDE MUNICIPAL DE ENSINO

Objetivo é ampliar a conscientização sobre os cuidados com o meio ambiente entre estudantes e comunidade escolar

O ano letivo de 2022 está com boas novidades na rede municipal de ensino. Nesta quarta-feira (9), o prefeito Odelmo Leão lançou o programa de Educação Ambiental para a rede municipal de ensino. O evento de lançamento, realizado no auditório do Centro Administrativo Municipal, contou também com a participação do vice-governador de Minas Gerais, Paulo Brant. Na ocasião, o chefe do executivo assinou um decreto municipal que institui a Política e o Sistema Municipal de Educação Ambiental (PMEA e SISMEA).

O prefeito enfatizou a importância de trabalhar as questões ambientais dentro das salas de aulas. “Não é possível pensar em educação escolar sem a Educação Ambiental. A qualidade de vida dos estudantes, pais, profissionais da educação e de toda uma comunidade está ligada na melhoria do meio ambiente. A Educação Ambiental muda atitudes, hábitos, mostrando que cada pessoa é responsável por proteger o meio ambiente”, disse Odelmo Leão.

Para o vice-governador de Minas Gerais, cada vez mais a preocupação ambiental está implícita nas pessoas. “Ninguém vai deixar de reconhecer que o futuro do nosso planeta passa pela nossa atitude daqui pra frente”, pontuou Paulo.

A partir deste ano letivo, a Secretaria Municipal de Educação sistematizará a discussão sobre as questões ambientais por meio do programa Educação Ambiental. O tema sempre foi abordado no processo de ensino e aprendizagem, mas foi organizado com a definição de Eixos Temáticos que todas as escolas trabalharão, aprofundando as questões ambientais ao longo de todo o ano escolar. Os temas serão “A Água”, “Fauna e flora silvestre e urbanização”, “Mudanças climáticas” e “Resíduos sólidos”.

Para a secretária da pasta, Tania Toledo, a aplicação da Educação Ambiental é essencial no processo educativo. “O professor diante dos estudantes é uma ferramenta poderosa de ação e de contribuição na evolução da cidadania de cada um. Ampliar o olhar para o meio ambiente, discutir a sustentabilidade, o cuidado com o lixo, a água, o solo, tudo isso eleva o conhecimento, a intelectualidade e afina cada estudante como cidadão, melhorando a realidade ambiental ao seu redor”.

A expectativa é que seja criada uma identidade para a educação ambiental no município, desenvolvida em toda a rede municipal de ensino. Desta forma, haverá uma maior conscientização dos estudantes e da comunidade escolar para o desenvolvimento deuma cultura de respeito à vida e ao meio ambiente de forma individual e coletiva. Os trabalhos serão feitos em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos e o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae).

Educação Ambiental nas escolas

Nos primeiros meses de 2022, os professores introduzirão a Educação Ambiental com os estudantes, por meio de uma temática geral, “Autoconhecimento e meio ambiente”, seguindo a dinâmica definida em cada etapa de ensino. A Educação Ambiental será desenvolvida em todas as etapas de ensino, contemplando a educação infantil, o ensino fundamental, a Educação de Jovens e Adultos (EJA) e o Programa Municipal de Alfabetização de Jovens e Adultos (Pmaja).

Na educação infantil, a abordagem será feita pelos campos de experiências, já previstos no currículo, durante o dia a dia. Do primeiro ao quinto ano e no Pmaja, o programa será abordado pelos professores regentes, assegurando uma hora/aula semanal. Do sexto ao nono ano, serão quatro horas/aulas mensais, somando-se aos componentes curriculares de Ciências da Natureza (duas horas/aulas mensais) e Geografia (duas horas/aulas mensais). Na EJA, serão duas horas/aulas mensais, que serão incrementadas aos componentes curriculares de Ciências da Natureza (uma hora/aula mensal) e Geografia (uma hora/aula mensal).

Educação Ambiental no Brasil

A Educação Ambiental (EA) é mencionada na legislação brasileira, em específico no artigo 225 da Constituição Federal e regulamentada pela Política Nacional de Educação Ambiental (PRONEA), do Ministério da Educação. O trabalho com a Educação Ambiental é citado ainda no documento da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), em sua introdução, como um tema que afeta a vida humana em diferentes escalas de abrangência, desde a local, até a mais distante global.

Fonte: https://www.uberlandia.mg.gov.br/2022/03/09/prefeito-odelmo-leao-lanca-projeto-de-educacao-ambiental-para-a-rede-municipal-de-ensino/

Ilustrações: Silvana Santos