A primeira lei da ecologia é que tudo está ligado a todo o resto. (Barry Commoner)
ISSN 1678-0701 · Volume XX, Número 75 · Junho-Agosto/2021
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(8) Notícias(4) Dicas e Curiosidades(1) Reflexão(4) Para sensibilizar(1) Dúvidas(3) Entrevistas(1) Arte e ambiente(1) Educação(1) Você sabia que...(1) Sementes(1) Ações e projetos inspiradores(1) Cidadania Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Relatos de Experiências(14)   |  Números  
Artigos
19/03/2021 (Nº 73) ANÁLISE DE INDICADORES AMBIENTAIS DE SIMULADORES DE DIREÇÃO: UMA FERRAMENTA DE TREINAMENTO PARA SEGURANÇA NO TRÂNSITO E A CORRELAÇÃO ENTRE EMISSÃO DE GÁS CARBÔNICO E CONSUMO DE COMBUSTÍVEL
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4068 
  

ANÁLISE DE INDICADORES AMBIENTAIS DE SIMULADORES DE DIREÇÃO: UMA FERRAMENTA DE TREINAMENTO PARA SEGURANÇA NO TRÂNSITO E A CORRELAÇÃO ENTRE EMISSÃO DE GÁS CARBÔNICO E CONSUMO DE COMBUSTÍVEL


ANALYSIS OF ENVIRONMENTAL INDICATORS OF DIRECTION SIMULATORS: A TRAINING TOOL FOR TRAFFIC SAFETY AND THE CORRELATION BETWEEN CARBONIC GAS EMISSION AND FUEL CONSUMPTION



Claudine Lucy Schamne1, Marcio Teixeira Oliveira2, Samuel Carvalho de Aragão3. Suellen Moreira de Oliveira4

1 Especialista em Educação Profissional, Científica e Tecnológica (EPCT), SEST/SENAT, Três Lagoas- MS, e-mail: claudinelucy03@gmail.com

2 Doutor em Ciências da Informação, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul – IFMS, Campus Três Lagoas- MS, e-mail: marcio.oliveira@ifms.edu.br

3 Doutor em Ciência Animal, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará – IFPA, e-mail: samuelaragao@mec.gov.br

4 Doutora em Administração, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul – IFMS, Campus Três Lagoas- MS, e-mail: suellen.oliveira@ifms.edu.br



RESUMO



O simulador de direção veicular é um equipamento com características semelhantes ao veículo utilizado no transporte de passageiros. A prática simulada no equipamento faz parte do treinamento de motoristas profissionais. Os resultados das capacitações aumentam a segurança no trânsito, reduzem o consumo de combustível e gases lançados na atmosfera. O objetivo deste trabalho foi analisar os indicadores ambientais de direção por meio da correlação entre emissão de gás carbônico e consumo de combustível em simuladores de direção. Foram selecionados 22 estudantes entre janeiro e novembro de 2019, regularmente matriculados em cursos da unidade do SEST/SENAT de Três Lagoas (MS). Foram apresentadas na pesquisa, informações dos indicadores de consumo de combustível (média, desvio padrão, maior e menor coeficiente de variação %), bem como a análise estatística (modelo de regressão linear) para verificar a correlação entre consumo médio de combustível e emissões de poluentes CO2 em cada um dos cursos. Ao término das análises estatísticas, verificou-se que os números obtidos com o uso do método de regressão linear foram satisfatórios, pois em nenhum dos resultados houve correlação negativa ou ausência de correlação entre as variáveis. As análises resultaram entre forte positiva e positiva moderada.



Palavras-chave: Simulador de direção veicular. Emissão de poluentes. Transporte coletivo de passageiros. Segurança no trânsito.



ABSTRACT



The vehicle driving simulator is a device with similar characteristics to the vehicle used to transport passengers. The simulated practice on the equipment is part of the training of professional drivers. The training results increase traffic safety, reduce the consumption of fuel and gases released into the atmosphere. The objective of this work was to analyze the environmental indicators of direction through the correlation between carbon dioxide emission and fuel consumption in driving simulators. Twenty-two students were selected between January and November 2019, regularly enrolled in courses at the SEST SENAT unit in Três Lagoas (MS). Information on fuel consumption indicators (mean, standard deviation, highest, lowest Coefficient of variation%) was presented in the survey, as well as statistical analysis (linear regression model) to verify the correlation between average fuel consumption and CO2 pollutant emissions. in each of the courses. At the end of the statistical analysis, it was found that using the linear regression method, the numbers obtained were satisfactory, since in none of the results was there a negative correlation or no correlation between the variables. The analyzes resulted between strong positive and moderate positive.



Keywords: Vehicle steering simulator. Pollutant emission. Collective passenger transport. Traffic safety.



1 INTRODUÇÃO



Segundo as estatísticas do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a frota de ônibus circulante no país, em dezembro de 2019, era de 647.376 veículos do tipo ônibus e de 412.046 do tipo micro-ônibus. A cidade de Três Lagoas, no estado de Mato Grosso do Sul, possui 248 micro-ônibus e 429 ônibus que realizam como principal atividade o transporte diário de funcionários, do tipo fretamento, para as indústrias da cidade.

A utilização do simulador de direção é uma tecnologia inovadora e de grande valia em nossa região. A prática simulada no equipamento faz parte do treinamento de motoristas profissionais e dá aos condutores experiência para enfrentar as diversas situações que podem ocorrer no trânsito – como condições adversas de tempo, via, trânsito, problemas e especificidades no veículo, entre outras. Logo, é possível testar e adequar as reações do condutor para situações específicas. Os resultados desses treinamentos aumentam a segurança no trânsito, ao mesmo tempo que reduzem o consumo de combustível, a emissão de gases na atmosfera e os gastos com manutenção e custos operacionais do transporte.

O setor de transporte no Brasil possui uma participação de 22,8% nas emissões de dióxido de carbono (CO2) do país, sendo que 89,9% das emissões desse setor (ou 20,5% das emissões do Brasil) advêm do modal rodoviário. Esse panorama indica a necessidade de ações voltadas à descarbonização desse segmento, que emite níveis expressivos de gases de efeito estufa (GEE) e poluentes na atmosfera, o que contribui para o agravamento do aquecimento global e gera efeitos nocivos à saúde pública. Esse cenário se deve ao consumo intenso de combustíveis pelo transporte rodoviário, em especial os de origem fóssil (CNT, 2019).

Diariamente, em todo o mundo, um grande número de pessoas envolve-se em acidentes de trânsito. O número de veículos é cada vez maior e a infraestrutura das vias, em sua grande maioria, não é adequada a este crescimento. O comportamento dos motoristas também é uma das principais razões para a ocorrência de acidentes.

O Relatório Mundial sobre a Situação da Segurança no Trânsito (2018) reúne informações de diversos países e apresenta um panorama da situação mundial sobre o tema. Esses números são a ferramenta oficial para monitorar a Década de Ação para a Segurança no Trânsito lançada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2011, por meio da qual governos em todo o mundo se comprometeram a adotar medidas e políticas públicas de prevenção aos acidentes de trânsito, no período de 2011 a 2020.

Segundo este relatório, aproximadamente 1,35 milhão de pessoas morrem a cada ano em decorrência de acidentes no trânsito; entre 20 e 50 milhões de pessoas sofrem lesões não fatais; os acidentes de trânsito custam à maioria dos países cerca de 3% de seu produto interno bruto (PIB); mais da metade de todas as mortes no trânsito ocorre entre pedestres, ciclistas e motociclistas; as lesões ocorridas no trânsito são a principal causa de morte entre crianças e jovens de cinco a 29 anos.

De acordo com a pesquisa da revista da Confederação Nacional do Trânsito (CNT, 2019) sobre as estatísticas de acidentes de trânsito no Brasil, são registradas cerca de 14 mortes por dia nas rodovias federais. As análises mostram que os veículos pesados não estão presentes na maioria das ocorrências: mais de 60% dos acidentes envolvem carros de passeio; em mais de 40%, há motocicletas; os caminhões estão envolvidos em cerca de 20% dos acidentes. Apesar disso, sabemos que ocorrências envolvendo caminhões trazem riscos maiores devido às características e ao porte desse tipo de veículo.

Conforme referências da CNT, o diesel derivado de petróleo destaca-se como a principal fonte de energia utilizada no modal rodoviário, representando 45,3% do seu consumo energético, seguido da gasolina (27,6%) e do etanol (20,1%). Ressalta-se, ainda, que os combustíveis fósseis, não renováveis e poluentes, correspondem a mais de 75% do consumo de energia no transporte rodoviário nacional (CNT, 2019).

O objetivo deste trabalho foi analisar os indicadores ambientais de direção por meio da correlação entre emissão de gás carbônico e consumo de combustível em simuladores de direção.



2 METODOLOGIA



A pesquisa foi desenvolvida na unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) situada no município de Três Lagoas (MS). Foram coletados aspectos estatísticos de alunos regularmente matriculados em cursos no simulador de direção. No total, foram selecionados todos os 22 estudantes que realizaram treinamentos no equipamento entre janeiro e novembro de 2019 – motoristas maiores de 21 anos e que possuem Carteira Nacional de Habilitação Profissional nas categorias C, D ou E. A prática no equipamento faz parte do treinamento de motoristas de cargas e de passageiros e dá, aos alunos, experiência para enfrentar desafios reais da profissão. O levantamento estatístico foi distribuído nos seguintes cursos de aperfeiçoamento:

  • Segurança no Transporte de Passageiros – Módulo Passageiro;

  • Condução Antecipatória Econômica - Módulo Passageiro;

  • Condução Antecipatória Segura - Módulo Passageiro;

  • Condução em Situações de Risco sob Condições Diversas – Módulo Passageiro;

  • Normas de Condução e Legislação de Passageiros – Módulo Passageiro;

  • Uso de Sistemas de Tecnologias Embarcadas no Veículo - Módulo Passageiro.



2.1 SIMULADOR DE DIREÇÃO



Os simuladores de direção oferecem uma experiência de alta imersão e simulação da realidade, com três telas de 75 polegadas para o condutor e uma quarta tela para acompanhamento dos observadores.

O simulador possui uma cabine similar à de um veículo real, com comandos reais que favorecem a proximidade com as funcionalidades dos veículos, chamada de posto do condutor (PC), conforme a figura 1.



Figura 1 – Posto do condutor

Fonte: Pro Simulador (SENAT, 2020).


Na figura 2, demonstramos alguns dos comandos utilizados pelo aluno durante as simulações, como volante, freio retarder, alavanca de câmbio manual, seleção de luzes, chave de ignição, botões de abertura e fechamento das portas, freio de estacionamento e pedais.


Figura 2 – Comandos do posto do condutor

Fonte: Pro Simulador (SENAT, 2020).



No painel de indicadores (figura 3), o condutor possui todas as informações como num veículo real: velocímetro, conta-giros do motor, indicador de marcha engrenada, indicador de luzes, entre outros.


Figura 3 – Painel de indicadores do posto do condutor

Fonte: Pro Simulador (SENAT, 2020).



O posto do instrutor (PI) é o local ocupado pelo instrutor encarregado de controlar o desempenho da simulação, que contém os recursos necessários para intervir na aula em tempo real. Com uma câmera instalada dentro da cabine do simulador, o instrutor consegue monitorar o aluno; com o uso de fones de ouvido e microfone, o instrutor também pode orientá-lo.



Figura 4 – Posto do instrutor de treinamento