ISSN 1678-0701
Número 66, Ano XVII.
Dezembro/2018-Fevereiro/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Práticas de Educação Ambiental

04/12/2018
DESVENDANDO LENDAS E MITOS SOBRE OS MORCEGOS  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3471 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">


DESVENDANDO LENDAS E MITOS SOBRE OS MORCEGOS

Luciana de Moraes Costa

Pós-doutoranda FAPERJ/CAPES, Laboratório de Ecologia de Mamíferos, UERJ.

2a Secretária da Sociedade Brasileira para o Estudo de Quirópteros (SBEQ)

E-mail: costalucianam@gmail.com



Valdir Lamim-Guedes

Doutorando em Educação FEUSP; Professor no Centro Universitário Senac-Santo Amaro (São Paulo-SP).

e-mail: lamimguedes@gmail.com

Resumo: Os morcegos apresentam comportamentos que fazem com que sejam objetos de repúdio e receio. Porém, o que algumas pessoas não sabem é que os morcegos são importantes para o nosso ecossistema. Podemos desmistificar os morcegos, realizando ações de Educação Ambiental. Apresentarei aqui um jogo para desmistificar lendas e mitos que envolvem os morcegos. O objetivo é fornecer condições para o conhecimento e preservação dos morcegos.

Palavras-chave: Educação Ambiental; Jogo; Prática educativa.

Introdução

Os morcegos são os únicos mamíferos com capacidade real de voar e essa característica denominou seu grupo, Ordem Chiroptera, que significa mãos transformadas em asas (REIS et al., 2007). O hábito crepuscular e noturno, o fato de algumas espécies repousarem de cabeça para baixo e o hábito alimentar (três espécies são hematófagas) (REIS et al., 2007), podem ser comportamentos que fazem com que sejam objetos de repúdio (ANDRIGUETTO; CUNHA, 2004; BRUNO; KRAEMER, 2010; MARQUES et al., 2011). No Brasil existe associação dos morcegos com vampiros, bruxarias e azar (REIS et al., 2007; SILVA et al., 2013), fazendo com que estes animais sejam malvistos e perseguidos. É importante destacar que os morcegos são protegidos por lei e caçar, perseguir ou destruir é crime, conforme a Lei Federal nº 9.605/1998 (BRASIL, 1998).

O que algumas pessoas não sabem é que os morcegos são importantes para o nosso ecossistema. Eles são diversos e, atualmente, são descritas mais de 1.300 espécies de morcegos no mundo e 178 espécies no Brasil (NOGUEIRA et al., 2014), que são distribuídas em nove famílias com diferentes hábitos alimentares. As espécies frugívoras têm importante papel na dispersão de sementes, as nectarívoras são importantes pois são responsáveis pela polinização de diversas plantas, os insetívoros controlam os insetos, os carnívoros ajudam no controle populacional de vertebrados e os hematófagos, que se alimentam de sangue (KUNZ et al., 2011).

Conhecidos como morcegos vampiros as três espécies que se alimentam de sangue são Desmodus rotundus, Diaemus youngii e Diphylla ecaudata. As duas últimas espécies, apesar da ampla distribuição geográfica, são mais raras (REIS et al., 2017) e a principal fonte de alimento é o sangue de aves, podendo eventualmente se alimentar de sangue de mamíferos (UIEDA, 1994; BOBROWIEC et al., 2015; ITO et al., 2016).

A falta do conhecimento sobre a importância dos morcegos, dificulta a realização de estratégias de preservação desses animais. Levar o conhecimento para as crianças, assim como para outros públicos, ajuda na preservação atual e futura dessas espécies que são importantes para nós. Para isso podemos desmistificar os morcegos, realizando trabalho de Educação Ambiental (SCAVRONI et al., 2008), pois esta é importante para sanar a dificuldade em elaborar estratégias de preservação (SCARDUA, 2009).

Nome do Jogo

Verdadeiro ou Falso – Conhecendo os morcegos.

Objetivo

Com este jogo busca-se desmistificar lendas e mitos que envolvem os morcegos, animais pouco conhecidos pela população. O objetivo é fornecer condições para o conhecimento e preservação dos morcegos.

Temática

Ecologia, Mastozoologia.

Proposta do Jogo

Desmistificar os morcegos, mostrando que são importantes para o nosso ecossistema. O jogo ajudará na preservação desses animais.

Público alvo

Crianças de diferentes idades. Porém é mais indicado para crianças com mais de 7 anos e jovens.

Metodologia

Primeiramente reuniu-se informações sobre lendas e mitos que envolvem os morcegos. Juntando essas informações com o conhecimento da biologia dos morcegos, criei o jogo aqui apresentado.

Para a realização desse jogo é necessário ter em mão as perguntas e respostas. Uma pessoa faz a pergunta e as crianças anotam em um papel se é verdadeiro ou falso. Pode participar quantas crianças quiserem. Ganha quem acertar mais perguntas. As frases estão abaixo:

- Os morcegos são os únicos mamíferos com capacidade de voar. (verdadeiro)

Os morcegos, são mamíferos pertencentes a ordem Chiroptera. Em grego, “Cheir” quer dizer mão e “Pteron” asa (Cheir + Pteron = Chiroptera). São os únicos mamíferos com capacidade real de voar.

- Os morcegos são ratos velhos. (falso)

Os morcegos não são ratos. Eles pertencem à Ordem Chiroptera e em número de espécies é o segundo maior grupo de mamíferos no mundo, ficando atrás apenas dos Roedores (Ordem Rodentia).

- Os morcegos insetívoros ajudam no controle de insetos como mosquitos e baratas. (verdadeiro)

Os insetívoros são aqueles que se alimentam de moscas, mosquitos, mariposas, cigarras, besouros, gafanhotos, baratas, entre outros. Podem ser úteis no combate de mosquitos vetores de doenças como a dengue, zika e chikungunya transmitida pelo Aedes aegypti, assim como a malária, transmitida pelo Anopheles.

- Os morcegos são pragas. (falso)

Os morcegos não são pragas. Na verdade, os insetívoros podem comer insetos e ajudar a manter sob controle pragas que destroem plantações.

- Os morcegos nectarívoros ajudam na polinização de flores. (verdadeiro)

Os morcegos nectarívoros se alimentam de néctar e são conhecidos como morcego beija-flor. Eles têm um papel importante na reprodução de várias plantas como os cactos e algumas outras plantas, como a do Agave que é utilizada na produção da Tequila. No Brasil, o pequi é uma das plantas polinizadas por estes animais. A polinização por morcegos ocorre em cerca de 530 espécies de angiospermas em todo o mundo.

- Os morcegos são cegos. (falso)

Eles enxergam e a visão é perfeitamente adaptada aos ambientes com pouca luminosidade. Mas, além disso, usam o sistema de ecolocalização para a comunicação, alarmes, acasalamento e agressão. Esse tipo de orientação é importante para morcegos que vivem em florestas fechadas, para insetívoros que caçam pequenos insetos em pleno voo, para os piscívoros que pescam através da detecção das ondas formadas pelos pequenos peixes de superfície.

- Os morcegos frugívoros ajudam na dispersão de sementes. (verdadeiro)

Os morcegos frugívoros se alimentam de frutas e são importantes para a regeneração e manutenção dos ecossistemas, pois participam da dispersão de sementes de muitas plantas. A chegada das sementes, via chuva de sementes, em sítios favoráveis à germinação representa a principal fonte de regeneração para a maioria das espécies que ocupam o interior das florestas tropicais.

- Os morcegos enrolam em nosso cabelo. (falso)

Eles não enrolam no cabelo. O sistema de ecolocalização e sua capacidade de voo permitem evitar os humanos e outros obstáculos.

- Os morcegos carnívoros ajudam no controle de populações de animais. (verdadeiro)

Os carnívoros se alimentam de pequenos vertebrados, como peixes, anfíbios, répteis, aves, roedores, marsupiais, e até mesmo outros morcegos. No entanto, os morcegos não são canibais, já que eles não se alimentam de indivíduos da mesma espécie.

- Os morcegos são sujos. (falso)

Eles limpam regularmente a pelagem e corpo como fazem os gatos e outros mamíferos.

- Apenas três espécies de morcegos se alimentam de sangue. (verdadeiro)

Dentre as mais de 1.300 espécies de morcegos existentes no mundo, apenas três espécies são conhecidas como hematófagas, ou seja, que se alimentam exclusivamente de sangue. Essas três espécies ocorrem apenas no continente americano. Desmodus rotundus se alimenta de sangue de aves e mamíferos e apresenta uma ampla variedade de presas, sendo bastante abundante. Diaemus youngi e Diphylla ecaudata se alimentam preferencialmente de sangue de aves e são mais raras.

- Os filhotes de morcegos são gerados em ovos. (falso)

Os morcegos são mamíferos e os filhotes são gerados dentro do útero de suas mães, sendo um filhote por vez, mas, raramente, ocorre parto de gêmeos. As mães podem voar com os filhotes agarrados em seu corpo. Apresentam longa gestação se comparados a animais de mesmo porte, variando de 3 a 7 meses. A maior gestação é observada no morcego hematófago.

- Existe mais de 170 espécies de morcegos no Brasil. (verdadeiro)

A ordem Chiroptera compreende cerca de 20% da diversidade de mamíferos do planeta, sendo a segunda ordem mais diversa de mamíferos, perdendo apenas para a ordem Rodentia (roedores). Só não é encontrado nos polos e em algumas ilhas distantes do continente. No território brasileiro existe uma alta diversidade de morcegos, cerca de 180 espécies.

- Os morcegos não são importantes para o mundo. (falso)

Devido a sua alta diversidade e abundância, desempenham importante papel ecológico para o nosso ecossistema. Os morcegos apresentam uma variada gama de hábitos alimentares

Considerações finais

É importante que o educador ambiental busque diferentes maneiras para as ações pedagógicas para a conscientização ambiental. Os jogos didáticos ajudam nessa busca, tornando o processo de ensino-aprendizagem mais prazeroso e interativo entre alunos e professores.

Eu aconselho que os professores falem do conteúdo relacionado aos morcegos antes de oferecerem esse jogo aos alunos. Sendo assim eu sugiro que o professor convide pesquisadores que estejam envolvidos em projetos de extensão para dar uma aula palestra sobre o assunto.

Com o jogo “Verdadeiro ou Falso – Conhecendo os morcegos”, espero que as crianças conheçam mais os morcegos e que as lendas e mitos que os cercam sejam desmistificados. As imagens são importantes ferramentas para o aprendizado e alguns sites divulgam boas fotos e informações sobre os morcegos como:

Referências

ANDRIGUETTO; A.C.; CUNHA, A.M.O. O papel do ensino na desconstrução de mitos e crendices sobre morcegos. Revista eletrônica do mestrado em educação ambiental, v. 12, p. 123-134, 2004.

BOBROWIEC, P.E.D.; LEMES, M.R.; GRIBEL, R. Prey preference of the common vampire bat (Desmodus rotundus, Chiroptera) using molecular analysis. Journal of Mammalogy, v. 96, p. 54–63, 2015.

BRASIL. Lei nº 9.605, 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9605.htm> Acesso em: 12.out.2018.

BRUNO, M.; KRAEMER, B.M. Percepções de estudantes da 6ª série (7º ano) do “Ensino Fundamental” em uma Escola Pública de Belo Horizonte, MG sobre os Morcegos: Uma Abordagem Etnozoológica. Revista Científica do Departamento de Ciências Biológicas, Ambientais e da Saúde, v. 3, n. 2, p. 45-50, 2010.

ITO, F.; BERNARD, E.; TORRES, R.A. What is for dinner? First report of human blood in the diet of the hairy-legged vampire bat Diphylla ecaudata. Acta Chiropterologica, v. 18, n. 2, p. 509–515, 2016.

KUNZ, T.H.; BRAUN DE TORREZ, E.; BAUER, D.; LOBOVA, T.; FLEMING, T.H. Ecosystem services provided by bats. Annals of the New York Academy of Sciences, v. 1223, n. 1, p. 1-38, 2011.

MARQUES, M.A.; ORTÊNCIO FILHO, H.; MAGALHÃES JÚNIOR, C.A.O. Percepção de agricultores acerca da importância dos morcegos na manutenção da mata ciliar. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 26, n. 1, p. 113-124, 2011.

NOGUEIRA, M.R.; LIMA, I.P.; MORATELLI, R.; TAVARES, V.C.; GREGORIN, R.; PERACCHI, A.L. Checklist of Brazilian bats, with comments on original records. Check List, v. 10, n. 4, p. 808- 821, 2014.

REIS, N.R; PERACCHI, A.L.; PEDRO, W.A.; LIMA, I.P. Morcegos do Brasil. Londrina: Eduel, p. 253, 2007.

REIS, N.R.; PERACCHI, A.L.; BATISTA, C. B.; LIMA, I. P. História Natural dos Morcegos Brasileiros: chave de identificação de espécies. Technical Books Livraria LTDA. Rio de Janeiro, Brasil. 2017.

SCARDUA, V.M. 2009. Crianças e meio ambiente: a importância da educação ambiental na educação infantil. Facevv, Vila Velha, n. 57.

SCAVRONI, J.; PALEARI, L. M.; UIEDA, W. Morcegos: Realidade e fantasia na concepção de crianças de área rural e urbana de Botucatu, SP. Simbio-Logias, v. 1, p. 34, 2008.

SILVA, S.G.; MANFRINATO, M.H.V.; ANACLETO, T.C.D.A.S. Morcegos: Percepção dos alunos do ensino fundamental 3º e 4º ciclos e práticas de educação ambiental. Ciências e Educação, v. 19, n. 4, p. 859877, 2013.

UIEDA, W. 1994. Comportamento alimentar de morcegos hematófagos ao atacar aves, caprinos e suínos, em condições de cativeiro. Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil, 178 pp.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias