ISSN 1678-0701
Número 66, Ano XVII.
Dezembro/2018-Fevereiro/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Dinâmicas e recursos pedagógicos

04/12/2018
DINÂMICA DO DESAFIO DIGITAL  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3467 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

DINÂMICA DO DESAFIO DIGITAL

Bere Adams

A Educação Ambiental é uma ação pedagógica que se aprimora a cada dia, na mesma medida em que isto se trata de uma urgência, e tenta se implementar como prática educacional legitimada pela Lei 9.795/99, de forma diária, interdisciplinar, a ser aplicada em todos os níveis de ensino – por esta razão, muitos (na sua maioria) especialistas não a compreendem como uma disciplina, mas sim, como uma nova forma de educar, que leva em conta todos os processos que envolvem as inter-relações inseridas no sistema da vida terrestre. Necessariamente, deve ser levado em conta, também, a utilização tanto de recursos e equipamentos naturais, como recursos didáticos e tecnológicos, lembrando que a palavra “recursos” é aqui aplicada como “material e espaço do aprender”.

Pensando nisto, busca-se apresentar uma dinâmica de grupo de Educação Ambiental que envolva a utilização de aparelhos celulares. Através de atividades de pesquisa e atividades lúdicas que desafiem os participantes (que devem ter mais de 12 anos) para aprofundarem experiência e conhecimento através dos aparelhos eletrônicos. A experiência pode ser inesquecível, o que significa aprendizagem. Conforme aponta Alfero Mendes Neto, que é professor de Geografia e trabalha com Tecnologia Educacional, as

[...] novas metodologias de ensino podem ser criadas utilizando os dispositivos móveis como o celular pois ele já faz parte do cotidiano dos alunos. Quando pensamos em metodologias de ensino baseadas no uso dos recursos tecnológicos, percebemos que o ato de ensinar e aprender ganha novos significados: a aprendizagem não se restringe mais ao espaço físico da escola, mas se estende para outros ambientes distantes da sala de aula. O uso dos recursos digitais possibilita uma maior interação nos processos de comunicação e uma relação professor-aluno mais aberta e significativa, fazendo com que a aula transcenda os limites do espaço físico (MENDES NETO, 2017, s/p.)

Devido às leis que regulamentam a proibição do uso do celular em alguns espaços educacionais, as atividades, neste caso, podem ser desenvolvidas em períodos extraclasse, a partir de mini curso, oficina, encontro, viabilizando esta prática sem desrespeito as leis aplicadas em determinadas escolas.

Esta atividade também é indicada para níveis do Ensino Médio e Superior, lembrando que a dinâmica pode ser replicada, adaptando-a a diferentes temas e contextos.

Algumas das atividades propostas como desafio foram realizadas com excelentes resultados em uma jornada pedagógica realizada na Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, com um grupo de alunos de pós-graduação em Educação Ambiental (USP/São Carlos), porém, o uso do celular restringiu-se a apenas uma das atividades. Conforme Adams (2015),

Foi uma das mais surpreendentes atividades que já realizei, pela forma como fui tocada e como as atividades tocaram este grupo de alunos, tão especiais e empenhados, em um dos meses de janeiro mais quentes dos últimos tempos. (ADAMS, 2015, p. 75)

As atividades propostas como desafio, nesta dinâmica, focam a sensibilização, promovendo mobilização e transformação. Para sensibilizar, quanto mais sentidos estiverem envolvidos nas propostas metodológicas educacionais, mais significativas serão as experiências. Embora se faça uso da tecnologia, neste caso, ela aqui é apenas um recurso para elevar a potência das atividades presenciais. O que se objetiva com esta dinâmica é promover uma experiência que torne a aprendizagem significativa e que, de alguma forma, transforme atitudes e incentive o desenvolvimento mais crítico acerca do que estamos fazendo com o planeta.

Acreditem, ainda tem gente que não separa o seu lixo! Há muito o que aprender, há muito o que ensinar, todos juntos, para podermos transformar as nossas ações.

Dinâmica do Desafio Digital

Para facilitar o compartilhamento dos resultados dos desafios, indica-se criar, antes do início da dinâmica, um grupo - incluindo todos os participantes - em algum aplicativo de compartilhamento. Depois de finalizada a dinâmica, todos decidem se o grupo fica ativo ou se será extinto.

A dinâmica é desenvolvida em 5 grupos, com o uso de celular.

Cada grupo receberá um envelope contendo as tarefas a serem desenvolvidas.

A dinâmica tem um formato de jogo, parecido a uma gincana, com atividades (que constam nos envelopes) que deverão ser realizadas dentro de um determinado tempo estipulado pelo monitor (sugere-se 2h).

Ao final, cada grupo apresenta os resultados das suas atividades para o grande grupo e compartilha estes resultados na rede criada para servir de ambiente virtual para a dinâmica.

Desenvolvimento



Materiais que participantes deverão levar:

Solicitar previamente que participantes levem:

- um objeto pequeno qualquer (cola, borracha, tesoura, moeda, lápis, ...);

- uma embalagem vazia, de um produto qualquer;

- uma pequena quantidade de elementos naturais secos (galhos, folhas, flores, pedrinhas...);

Materiais providenciados pelo monitor:

- 5 envelopes contendo a relação das atividades e um poema.

Tempo: Aproximadamente 2 h.

Passo a passo:

1 – Formação de 5 grupos

2 – Escolha dos responsáveis do grupo: redator - que registra na forma escrita os resultados para cada questão resolvida. O tempo da execução também terá que ser registrado; coordenador - que cuidará do tempo e do andamento do trabalho em grupo; e um relator - que apresentará os resultados do desafio ao grande grupo, no final da atividade

3 – Distribuição de envelopes contendo as atividades a serem realizadas pelo grupo.

4 – Após explicações sobre o funcionamento da dinâmica, inicia-se a atividade.

5 – O monitor decide onde os grupos permanecerão para realizar a atividade e fica circulando entre eles acompanhando o desenvolvimento da atividade e esclarecendo dúvidas.

6 – Ao final, o monitor vai sorteando os grupos para que cada um apresente os resultados das atividades realizadas.

7 – Compartilhar os resultados no grupo virtual criado para a dinâmica – relatos, fotos, vídeos, matérias.

8 – Fechamento - Avaliação da atividade em bate-papo com todos que quiserem manifestar as suas impressões, positivas e negativas, para que a dinâmica possa ser aprimorada. Uma avaliação escrita também poderá ser postada ao grupo virtual, a fim de verificar se o celular pode ser uma boa ferramenta didática.

9 – Se for da vontade do monitor, elaborar um pequeno relato sobre como foi a aplicação da dinâmica para este ser publicado nas próximas edições da revista Educação Ambiental em Ação. O relato deverá ser remetido para bereadams@gmail.com

Conteúdo a ser impresso e colocado nos envelopes:

Desafios:

A – Cada participante do grupo deverá mostrar aos demais o objeto que escolheu levar e falará sobre o porquê da escolha e sobre a utilidade do objeto. Após os objetos serem apresentados, o grupo deverá escolher um deles (por grau de importância e utilidade) para realizar pesquisa na Internet sobre a história do objeto escolhido, como foi feito, quais materiais compõem o objeto, sua importância, quais os prováveis impactos que a sua produção provoca no meio ambiente, etc. Para finalizar esta tarefa, o grupo deverá criar um texto apresentando os resultados da pesquisa sobre o objeto selecionado. (Tempo: 20 minutos)

B – Cada participante do grupo deverá apresentar a sua embalagem. Nesta tarefa, o importante é verificar a origem do produto – Cidade/Estado. Em seguida, traçar uma rota no Google Maps, desde a cidade de origem dos produtos até o local onde a dinâmica está sendo realizada. Isto deverá ser feito para cada embalagem, a fim de verificar e registrar qual é o produto que foi produzido no local mais próximo, qual o produto que veio do local mais distante, e registrar estas quilometragens. Em seguida, debater sobre a importância da atividade, sobre o que ela tem a ver com meio ambiente ou educação ambiental e registrar resumidamente as opiniões que serão apresentadas juntamente com os dados obtidos sobre as distâncias dos produtos. (Tempo: 15 minutos)

C – Cada participante inicia esta atividade apresentando ao grupo os seus materiais naturais trazidos, explicando de onde eles foram tirados. Utilizando todos estes objetos naturais, o grupo fará montagens sobre a mesa - ou no chão, procurando expressar artisticamente alguma ideia a partir destes elementos. Pode ser em formato de mandala ou formato livre. Fazer diversas montagens, fotografar cada uma delas e escolher a que o grupo considera mais criativa para deixar montada para que todos possam observar, antes de encerrar a dinâmica (recolher cada um os seus materiais somente após a dinâmica ser concluída). Compartilhar com os grupos as fotos das montagens. (Tempo: 20 minutos)

D – Explorar, de forma criativa, uma maneira de apresentar o poema que se encontra neste envelope. Gravar um vídeo e compartilhar no grupo virtual. (Tempo: 30 minutos)



E – Pesquisar notícias ou matérias sobre boas ações ambientais, quer sejam individuais ou coletivas, selecionar uma delas, debater sobre o assunto entre os membros do grupo e gravar um vídeo de um minuto apresentando, de forma criativa, um resumo desta notícia selecionada. Compartilhar no grupo virtual. (Tempo: 30 minutos)

Para finalizar a dinâmica, o monitor solicita que cada grupo apresente os resultados dos desafios A, B e C, ao grande grupo. Após estas apresentações, os participantes terão um tempo para assistirem aos vídeos. Fechar a atividade com um bate-papo sobre o que sentiram e perceberam com os vídeos e avaliar os aspectos positivos e negativos da dinâmica. Enquanto conversam, podem ficar circulando, apreciando as mandalas ou montagens livres feitas com os elementos naturais que ficaram expostas.

A todos uma boa dinâmica!

Anexo

(O monitor deverá colocar 1 destes poemas – ou utilizar outros de sua escolha - em cada envelope)



Grupo 1 - As Sementes de Vicente



Fazia dias que não chovia

Vicente olhava para suas sementes

Plantadas no canteiro recém feito

Na terra fofa, ainda dormentes



De regador, Vicente aguava

Todos os dias um pouquinho

O novo canteiro da sua nova casa

E pouco a pouco despertavam

As pequenas mudas

De chás, temperos e flores

Um canteiro que certamente

Teria muitas cores



Só que Vicente foi viajar

E rezava para chover

Pois suas mudinhas

Não poderia regar

Dez dias se passaram

Sem uma gota de chuva

Até Vicente retornar

Triste porque sabia

O que iria encontrar



Para sua surpresa

De longe pode avistar

Suas mudas verdes e fortes

Parecendo lhe esperar

Não conteve a emoção

Abaixou-se para cumprimentar

Suas pequenas plantinhas

Uma a uma, belas e fortes



Foi quando notou

Pingos de umidade no chão

Que iam direto a um outro portão

Olhou para a casa ao lado

E viu por detrás da cortina

O olhar encabulado

Do seu novo vizinho

Que sem dizer uma palavra

Levantou um regador

Fez sinal de positivo

E sumiu da janela



E daquele canteiro, por causa da água

Além de germinarem sementes

Germinou também

Uma nova amizade

Entre o vizinho e Vicente





Grupo 2 - Das flores perfumes e sabores



Em pensar que cada fruta

Foi um dia uma flor

Fico aqui a imaginar

De onde vem tanto sabor



Frutas grandes e pequenas

Foram flores perfumadas

Que com ajuda das abelhas

Foram logo fecundadas



Uma das flores mais lindas

É a flor do maracujá

E nas floridas laranjeiras

Fazem ninhos os sabiás



Das flores nascem sabores

Mas algumas são somente flores

Para enfeitar, dar sementes e espalhar

Os mais diversos odores



É assim que a natureza

Faz uma grande integração

Entre animais e plantas

Há uma grande relação



Grupo 3 - Finalmente Primavera



Quando ouço tantos cantos

De pássaros a voar

E sinto tanto perfume

Das flores pelo ar

Posso saber

Disto estou certa

É a primavera a chegar

Ela chega de mansinho

Para tristeza do inverno

Que sai bem de fininho

Dando lugar à primavera

Para que ela possa

Encantar a mãe Terra

Primavera que encanta

Dos mais velhos as crianças

Embala sonhos e almas

Ao som de mil cantorias

Que dançam com a brisa

Calma e perfumada

Dos bailados coloridos

Das flores rosas

Cravos, jasmins

E margaridas

Chegou a Primavera

Com todos os seus encantos

Que reinará alguns meses

Para fazer brotar

Novas esperanças

Em todos os seres da Terra





Grupo 4 - Vida de Minhoca



Minhoca, minhoquinha, minhocão

Como você faz

Para perfurar o chão?

Vai furando, vai comendo

Tudo o que vem pela frente

Mesmo que nem tenha dentes



Galhos, folhas e até cascas

Transformando tudo em húmus

E o solo enriquecendo

Pra germinar muitas sementes

Deixando a terra fofa e macia

Úmida, fresca e sadia



Minhoca, minhoquinha, minhocão

Que vive dentro do chão

Como é a sua casa?

Você vive na escuridão?



Certo dia vi uma minhoca

Saindo da sua toca

Ficou pulando e se rolando

Até que de repente

Vejo um passarinho

Que chega apressadinho



Ele a pegou com seu seu bico

Ele a levou para o seu ninho

Para alimentar seus filhotes

Com amor e com carinho

E lá se foi a minhoca

Pra barriga vazia

Dos famintos filhotinhos

Do apressado passarinho





Grupo 5 - A praça da flor



Há muito tempo atrás

Na rua onde vovó mora

Existia uma grande praça

Onde tem um prédio agora



Vovó conta muito feliz e animada

Que lá naquela linda praça

Havia uma flor encantada

Só de olharem para ela

As pessoas riam

E se enchiam de graça



Então todos do bairro descobriram

Que para a tristeza espantar

Bastava um passeio na praça

Até a flor da graça encontrar



Mas o tempo foi passando

E a cidade foi mudando

A praça ficou esquecida

Foi desativada

E uma loja lá foi construída



Mas vovó que é muito esperta

Guardou de recordação

Várias pétalas da flor

No seu livro de oração



Sempre que sente tristeza

Ela abre aquele livro

E em poucos instantes

Abre seu lindo sorriso

O sorriso da praça

Da flor cheia de graça



Referência dos poemas:

Adams, Berenice Gehlen. Coletânea de práticas para educação ambiental: para professores da educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental. Novo Hamburgo: Apoema Cultura Ambiental, 2011. 81p.

Referências:

Adams, Berenice Gehlen. Pela trilha da sensibilidade. Novo Hamburgo: Apoema Cultura Ambiental, 2015. 128 p.

MENDES NETO, Alfero. O uso do celular como recurso pedagógico. Infogeekie. Acesso em: 22/11/2018. Disponível em: <http://info.geekie.com.br/uso-celular/>







" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias