ISSN 1678-0701
Número 61, Ano XVI.
Setembro-Novembro/2017.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Logística Reversa     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Entrevistas

11/09/2017
ENTREVISTA COM BELA GIL PARA A 61ª EDIÇÃO DA REVISTA VIRTUAL EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM AÇÃO   
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=2823 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

ENTREVISTA COM BELA GIL PARA A 61ª EDIÇÃO DA REVISTA VIRTUAL EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM AÇÃO

Por Bere Adams

Bela Gil_Divulgação_Créditos Pedro Serrão (2).JPG

Fotografia: Pedro Serrão


Apresentação: A entrevistada desta edição é a apresentadora e Chef de Cozinha Natural Bela Gil. Além de apresentadora da GNT, ela desenvolve e apoia muitos projetos, ministra aulas de culinária e palestras em todo o Brasil. Ela tem uma grande preocupação com a saúde e o meio ambiente através de uma alimentação que faça bem às pessoas e, consequentemente, ao planeta. Embora a sua agenda esteja sempre lotada, Bela nos concedeu esta rica entrevista que trata do assunto que ela vem abordando em suas palestras atualmente, e que tem tudo a ver com uma proposta de Educação Ambiental que pretende integrar ser humano e ambiente numa relação consciente e sustentável: Transformar o mundo através da alimentação.

Bere Adams – Bela Gil, é um imenso prazer tê-la como entrevistada da 61ª edição da Educação Ambiental em Ação. Embora muitas pessoas não façam esta associação, educação e alimentação deveriam andar juntas para melhorar a qualidade de vida, não somente das pessoas como, também, de todo o ambiente. O que você pensa sobre isto?

Bela Gil Sim, a alimentação saudável vai muito além de um prato. Ela precisa trazer saúde pra gente, mas também pra própria terra, pros produtores e pro meio ambiente. Quando temos ciência do que estamos ingerindo, como aquele alimento foi plantado (tipo de agricultura), se é orgânico, convencional ou transgênico, acabamos entendendo o nosso impacto na sociedade e no meio ambiente e assim escolhemos melhor os ingredientes do nosso prato.

Bere Adams – Todos nós já sabemos que precisamos mudar, e muito, as nossas atitudes para melhorarmos as condições ambientais planetárias. A sua “bandeira” alerta que é possível mudar o mundo a partir de uma alimentação saudável. O que você indica ser essencial para as pessoas iniciarem este processo de mudança de mundo a partir da alimentação?

Bela Gil O Brasil é um país em que uma boa parte da sua economia é baseada na agricultura, no agronegócio, na pecuária e isso tem um impacto ambiental e social muito grande. São produções baseadas em monoculturas e têm um impacto enorme na biodiversidade, um impacto enorme na fertilidade, na fertilização da terra, então a gente, cada vez mais, entra em um ciclo vicioso. A gente vai precisando de mais agrotóxicos, a gente vai precisando inventar sementes transgênicas. É uma produção insustentável. Essa produção tem que mudar, esse olhar tem que mudar. Nós temos que entender que precisamos ser aliados da terra, temos que tratar bem a terra para que ela nos devolva. A natureza é muito generosa. Se nós a tratamos bem ela nos devolve em abundância. Primeiro de tudo é mudar política e maneira de produção. Eu acredito que uma das chaves para a democratização da comida saudável e limpa, da comida orgânica, agroecológica é a gente mudar primeiro a política de produção de comida no Brasil.

O consumo tem que mudar também. As pessoas consomem muita carne. Só 25% da população consome quantidade de legumes e frutas recomendadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde). As pessoas consomem muitos produtos processados, uma quantidade absurda de açúcar, então tudo isso tem que mudar pra que a gente consiga uma melhora na produção de orgânicos, pra que a gente consiga democratizar o seu acesso.  

Escolher comer comida de verdade, de preferência Orgânica, é um bem que fazemos para a saúde, pros produtores, pra terra e pra economia. Acredito que a mudança só chegará na mesa das pessoas através de muita informação e conhecimento. 

Bere Adams – Em uma época em que os alimentos industrializados são “despejados” de diversas formas sobre a população mundial, como poderíamos incentivar a alimentação saudável para crianças, a partir da educação?

Acho que o melhor caminho pra uma boa educação alimentar que permeie a vida inteira é o exemplo e a prática do comer bem em casa. Ensinar aos pequenos que muitos produtos alimentícios, principalmente aqueles que passam em anúncios na televisão, rádio, outdoor, são maléficos à nossa saúde, se consumidos em excesso e com frequência. A educação e o conhecimento são importantes, mas não são suficientes para incentivar os filhos a terem uma boa alimentação. Então, acho fundamental estabelecer algumas regras em relação à alimentação, pelo menos, em casa e durante a semana.

Quase 1/3 das nossas crianças, por exemplo, estão com sobrepeso e muitas já obesas com outras doenças crônicas relacionadas à obesidade. As crianças são resistentes aquilo que não são acostumadas, ou não conhecem. Crianças que crescem num ambiente com alimentação saudável têm muito mais facilidade de aceitar do que aquelas criadas com junk food (comida rica em calorias e de baixa qualidade nutritiva).

 

E para ajudar as famílias nessa busca por uma alimentação mais saudável, seguem algumas dicas: preparar mais refeições em casa, congelar potes de feijão, sopas e legumes, congelar frutas que podem virar sorvetes e vitaminas para o lanche, lavar os vegetais assim que chegarem da feira, antes de guardar na geladeira, tirar 1 ou 2 dias na semana para preparar uma boa porção de arroz, feijão e purês que podem ser guardados na geladeira e servir de base para criar outras receitas durante a semana.  

 

Acho que o segredo pra ter uma alimentação mais saudável é a gente começar a priorizar mesmo os alimentos que vêm mais perto da natureza. Começar a descascar mais e desembrulhar menos. Ir mais à feira e menos ao supermercado. É voltar a olhar o ato de cozinhar como uma tarefa doméstica saudável. Esses pontos são importantes, porque a gente acaba priorizando a saúde não só nossa, mas do meio ambiente também. Acho que dá pra você comer bem investindo em alimentos menos processados.

 

Bere Adams – Bela, parabéns e gratidão pelo seu belíssimo e importante trabalho. Agradecemos pela sua generosidade em compartilhar, com todos os que acessam a nossa revista, algumas ideias, informações e dicas muito legais que certamente farão a diferença. Muito obrigada!

 

Bere Adams e equipe da revista Educação Ambiental em Ação.

 

bereebela.jpg

 

 

Bere Adams e Bela Gil – Palestra Mudando o mundo pela alimentação - no Centro Universitário Feevale – Novo Hamburgo/RS



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Logística Reversa     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias