A responsabilidade social e a preservação ambiental significa um compromisso com a vida. - João Bosco da Silva
ISSN 1678-0701 · Volume XXI, Número 85 · Dezembro-Fevereiro 2023/2024
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(1) Dicas e Curiosidades(1) Reflexão(9) Para Sensibilizar(2) Dinâmicas e Recursos Pedagógicos(2) Entrevistas(1) Arte e Ambiente(1) Divulgação de Eventos(13) O que fazer para melhorar o meio ambiente(3) Sugestões bibliográficas(3) Educação(1) Você sabia que...(4) Reportagem(2) Educação e temas emergentes(1) Ações e projetos inspiradores(14) Cidadania Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Relatos de Experiências(2) Notícias(17)   |  Números  
Divulgação de Eventos
15/12/2023 (Nº 85) CIBELE VIEIRA, DO CORREIO, VENCE PRÊMIO FEAC DE JORNALISMO
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4665 
  

CIBELE VIEIRA, DO CORREIO, VENCE PRÊMIO FEAC DE JORNALISMO

Reportagem ‘Esperança é cultivada em horta suspensa do Progen’ foi selecionada como a melhor na categoria Mídia Impressa

Da Redação

02/12/2023

Além da reportagem vencedora de Cibele Vieira, outras duas publicadas no Correio Popular foram finalistas, produzidas por Isadora Stentzler e Israel Julio Moreira (Alessandro Torres)

A jornalista do Correio Popular, Cibele Vieira, foi a vencedora da 23ª edição do Prêmio FEAC de Jornalismo, na categoria Mídia Impressa, com a reportagem "Esperança é cultivada em horta suspensa do Progen", a respeito de um projeto de educação e recuperação ambiental no Bairro Satélite Íris feito pelo Projeto Gente Nova (Progen). A matéria foi publicada em 21 de janeiro deste ano. A premiação aconteceu na noite de sexta-feira (1) e, neste, ano abordou iniciativas que transformam territórios, com o objetivo de destacar e valorizar ações que têm impacto social positivo em regiões de Campinas.

Mostrar esses trabalhos silenciosos, que acontecem de maneira anônima pela cidade, é uma parte importante da nossa responsabilidade como jornalistas. Em uma cidade tão cosmopolita e tecnológica como Campinas ainda há muita miséria e realidades difíceis, com falta de recursos e de informações, entretanto são contextos que vem sendo alterados por pessoas despretensiosas, muitas sem estudo e, na maioria das vezes, sem apoio financeiro, mas que se dedicam a mudar a realidade local com um trabalho abnegado e essencial”, disse Cibele. 

A reportagem ganhadora na categoria “Mídia Impressa” falou sobre uma ação de educação e recuperação ambiental executada pelo Projeto Gente Nova (Alessandro Torres)

Para a jornalista, as reportagens que concorreram ao Prêmio FEAC mostram e valorizam exemplos, como o do Projeto Gente Nova, abordado pela vencedora, revelando que sempre há espaço para o trabalho voluntário e para o compartilhamento de saberes, mesmo em terrenos tão áridos. “Ao evidenciar os projetos, essas reportagens também instigam o poder público e as entidades a voltarem os olhares para essa população marginalizada que também tem sonhos e direito de viver com dignidade”, disse, acrescentando “um agradecimento ao Correio Popular por abrir espaço para as causas sociais e ambientais e, em especial, à Feac por reconhecer o trabalho profissional dos jornalistas”. 

Dos 14 finalistas do 23ª edição do Prêmio Feac de Jornalismo, três eram profissionais que tiveram as reportagens finalistas veiculadas no Correio Popular. Além de Cibele, concorreram ao prêmio na categoria Mídia Impressa Isadora Stentzler, com a matéria "De pequena horta à agrofloresta que alimenta 100 famílias em Campinas", sobre o trabalho comunitário no combate à fome de famílias da comunidade Menino Chorão, publicada em 22 de outubro de 2022, e Israel Julio Moreira, autor da matéria "LBV desperta a consciência ambiental em crianças e jovens", que abordou o trabalho de educação ambiental da organização Legião da Boa Vontade (LBV), reportagem publicada em 17 de junho deste ano.

De acordo com a Federação das Entidades Assistenciais de Campinas (FEAC), participaram da premiação 43 jornalistas com 58 produções inscritas (alguns profissionais inscreveram mais de uma reportagem). O total de trabalhos jornalísticos inscritos superou o da última edição da premiação, em 2019, que teve 54 produções.

Profissionais da mídia compareceram para prestigiar os concorrentes na cerimônia ocorrida na sexta à noite (Alessandro Torres)

"Ao escolher o tema, nossa intenção era dar visibilidade a projetos, pessoas e grupos que se dedicam a transformar realidades", disse Camila Mazin, líder do Núcleo de Comunicação da Fundação FEAC na ocasião da divulgação dos finalistas. A edição de 2023 conta com a parceria da Fundação Educar DPaschoal, que é uma grande incentivadora do Prêmio FEAC de Jornalismo.

O prêmio para o vencedor de cada uma das cinco categorias (Televisão, On-Line, Mídia Impressa e Rádio) foi de R$ 5 mil. Para a categoria Produto Universitário, a premiação foi de R$ 3 mil. "Ficamos muito felizes em ver projetos importantes, apoiados pela FEAC, sendo apresentados para o mundo. E foi muito bom conhecer outros projetos de tamanho impacto social em Campinas. A solidariedade e a transformação social são muito fortes em nosso município e não podemos deixar que isso se perca", completou Camila Mazin.

Fonte: Cibele Vieira, do Correio, vence Prêmio FEAC de Jornalismo (rac.com.br)

Ilustrações: Silvana Santos