A responsabilidade social e a preservação ambiental significa um compromisso com a vida. - João Bosco da Silva
ISSN 1678-0701 · Volume XXI, Número 85 · Dezembro-Fevereiro 2023/2024
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(1) Dicas e Curiosidades(1) Reflexão(9) Para Sensibilizar(2) Dinâmicas e Recursos Pedagógicos(2) Entrevistas(1) Arte e Ambiente(1) Divulgação de Eventos(13) O que fazer para melhorar o meio ambiente(3) Sugestões bibliográficas(3) Educação(1) Você sabia que...(4) Reportagem(2) Educação e temas emergentes(1) Ações e projetos inspiradores(14) Cidadania Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Relatos de Experiências(2) Notícias(17)   |  Números  
Apresentação
15/12/2023 (Nº 85) EDITORIAL DA 85ª EDIÇÃO
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4689 
  

EDITORIAL DA 85ª EDIÇÃO

Muitas vezes nos angustiamos e nos tornamos pessimistas diante alguns acontecimentos, e quando esta angústia nos motiva para fazermos algo, efetivamente - cada um na sua área, no seu campo de atuação, no seu cotidiano - ela passa a ser uma “ferramenta”, ou uma “mola propulsora” para o enfrentamento destas situações adversas.

E é isto o que a revista Educação Ambiental em Ação, no seu 85º exemplar, pretende, mais uma vez, mostrar. Mostrar que as mudanças que queremos ver para um mundo melhor, mais justo, mais fraterno e sustentável, ocorrem através de ações, e que as ações nascem de ideias, de encontros, de discussões, de pesquisas, de observações, de experiências e experimentos, de metodologia e, de muita sensibilidade também.

Encontramos uma frase que nos fez refletir sobre este sentimento: “O pessimismo geral em relação ao futuro guarda estreita relação com o crescente grau de consciência de que a busca do progresso, que se anunciava como vetor da construção de uma utopia de bem-estar e felicidade, revelou-se como ameaça.” (Marcel Bursztyn).  

Que possamos reforçar a esperança a partir de uma mudança de valores e de posturas que nos permitirão usufruir mais das pequenas felicidades da vida, em vez de buscar uma felicidade eterna inalcançável, proclamada nas promessas da mídia que toma conta de nossos desejos, e que na verdade nem são nossos.

A verdadeira felicidade está no saber sentir e agir de forma cautelosa e moderada. Assim, há menos possibilidades de se cometer enganos que provocam injustiças.

Que a nossa revista siga servindo de “Norte”, “Sul”, “Leste”, “Oeste”, como ponto de partida para novas ações e projetos na área da Educação Ambiental e do Meio Ambiente propriamente dito. Que impulsione ações já em andamento, e que juntos possamos seguir acreditando no poder transformador da Educação.

O ano de 2023 nos ensinou muito, e esses aprendizados, em alguns momentos, foram de muito sofrimento diante descobertas e decepções, mas não superam os momentos maravilhosos que tivemos.

Graças a esse aprendizado intenso, passamos a enxergar a vida de forma diferente e nos sentimos mais fortes e mais confiantes ainda de que o mundo não é feito somente de materialidade e do que ele aparenta.

Aprendemos que o nosso maior problema nos relacionamentos, de quaisquer instâncias, são as conclusões precipitadas que temos ao julgar as atitudes dos outros, e que isso é o maior provocador de rupturas que pode existir.

Também aprendemos que a bondade pode ser facilmente confundida com interesse, mas afinal de contas, a bondade não precisa ser explicada aos que têm essa visão errônea, até por que nenhuma palavra seria suficiente para explicá-la àqueles que a definem como troca de favores.

E esse aprendizado vale para confirmar que cada pequena e boa atitude tem o seu valor transformador, e agradecemos a cada um que, conscientemente, busca sensibilizar o mundo sobre o valor maior de todos que é a vida, preservando-a com o cuidado incondicional por amor ao Planeta Terra.

Que este Natal possa ser como um farol que ilumine todos os nossos erros para que se transformem em lições.

Que este Natal possa ser um farol que ilumine todas as boas, grandes, médias e pequenas ações para que elas possam ser replicadas e potencializadas para a transformação desse mundo.

Que este Natal possa ser um farol que ilumine os corações mostrando a cada um a verdadeira essência da vida que está na simplicidade, na bondade e na fraternidade.

Que este Natal possa ser um farol que ilumine as mentes de nossos governantes para priorizarem a educação e a saúde, fortalecendo a cidadania e concretizando a equidade social.

Para que no próximo (ou nos próximos) ano (anos) possamos, conforme Gandhi já dizia, “ser a mudança que queremos ver no mundo”.

A todos um Feliz e Abençoado Natal e um Ano Novo de grandes transformações para um mundo mais fraterno e sustentável, dentro e fora de cada um.

 

Berenice Gehlen Adams e

Equipe da Educação Ambiental em Ação

Edição 85

Dezembro de 2023.

WWW.revistaea.org





Ilustrações: Silvana Santos