ISSN 1678-0701
Número 59, Ano XV.
Março-Maio/2017.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias
Artigos

10/03/2017EDUCAÇÃO AMBIENTAL E BIOMONITORAMENTO AQUÁTICO PARA REDUZIÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS NO RIACHO LAMEGO: AÇÕES NA ESCOLA ARLINDO FERNANDES DE OLIVEIRA, RESIDENCIAL EUGÊNIO COUTINHO.  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=2664 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E BIOMONITORAMENTO AQUÁTICO PARA REDUZIÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS NO RIACHO LAMEGO: AÇÕES NA ESCOLA ARLINDO FERNANDES DE OLIVEIRA, RESIDENCIAL EUGÊNIO COUTINHO.

Anny Mykaelly de Sousa¹, Edvania da Conceição Sarmento², Livía da Silva Gaspar dos Santos³, Lourhana dos Santos Oliveira 4, Daniel Silas Veras dos Santos5.

1,4 - Graduandas do curso licenciatura em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão- IFMA campus Caxias.

2 – Aluna do curso de pós-graduação pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão- IFMA campus Caxias.

3– Graduanda do curso bacharel em Zootecnia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão- IFMA campus Caxias.

5- Professor EBTT Biologia/ Meio Ambiente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão campus Caxias.

Email: Anny.mykaelly@acad.ifma.edu.br

RESUMO

O meio ambiente em si abriga todas as formas de vida, sendo assim o mesmo deve ser preservado por todos. Em rios e riachos os impactos são degradantes, então, faz-se necessário o uso de biomonitoramento com insetos aquáticos como objeto de estudo com os alunos da escola Arlindo F. de Oliveira em Caxias- MA.

Palavras-Chaves: Degradação; Interdisciplinaridade; Poluição; Sustentabilidade.

ABSTRACT

The environment in itself shelters all life forms, so the same must be preserved by all. In rivers and streams the impacts are degrading, so it is necessary to use biomonitoring with aquatic insects as an object of study with the students of the Arlindo F. de Oliveira school in Caxias, MA.

 

Keywords: Degradation; Interdisciplinarity; Pollution; Sustainability.

1.            INTRODUÇÃO

 

O nível de perda de integridade de habitat tem como a presença de compostos xenobióticos nos ecossistemas aquáticos vem aumentando de forma alarmante como resultado da atividade antrópica sobre o meio ambiente. Tal fato tem contribuído para a redução da qualidade ambiental, bem como para o comprometimento da saúde dos seres vivos que habitam esses ecossistemas (ARIAS et al., 2007). Devido ao fato de os ecossistemas serem importantes ferramentas na manutenção da biodiversidade, garantindo a sobrevivência e perpetuação das espécies, a perda de identidade do ambiente proporciona débito de diversidade biológica (WINK; GUEDES; FAGUNDES; ROVEDDER, 2005).

Nos ambientes aquáticos, muitas espécies são sensíveis as alterações ambientais, o que permite que os conhecimentos sobre essas espécies em seus habitats naturais possam ser utilizados para a elaboração de diagnóstico sobre as condições de determinados ambientes, ou o nível de impacto que este pode ter sofrido; especialmente no que se refere aos insetos aquáticos (LOPES, CARVALHO, SANTOS, AZEVEDO, 2016).

Fato esse descrito na Teoria de Nicho, o qual postula que as espécies possuem requerimentos ecológicos diferenciados, descritos como tolerâncias a fatores bióticos e abióticos que formam um espaço multidimensional denominado nicho (CARVALHO, 2011). E essa teoria busca explicar a dinamicidade das comunidades ecológicas, fator esse que contribui na diversidade da vida aquática, que depende das condições presentes no habitat.

No biomonitoramento aquático são utilizados os macroinvertebrados bentônicos que são classificados quanto à sua tolerância as mudanças na qualidade da água e podem ser encontrados em ecossistemas aquáticos naturais, alterados e/ou impactados (ELLER et al., 2007).

A questão ambiental, mesmo com toda a sua complexidade, precisa ser estudada, posta em discussão, para que possíveis instrumentos de solução sejam criados. De empreendimentos tecnológicos a métodos de educação em sala de aula, qualquer iniciativa que some esforços na tentativa de minimizar ou impedir impactos ambientais é válida e urgente (BASTOS et al., 2016

A educação ambiental no Ensino Fundamental se revela de extrema importância, pois se sabe que apenas a implementação de mecanismos de avaliação e de recuperação da qualidade das águas não são suficientes para a manutenção dos sistemas hídricos. A sensibilização das crianças que comporão as próximas gerações é, portanto, de extrema importância para a construção de um futuro sustentável e a formação de uma população crítica em torno de questões e problemas ambientais (SILVA et al., 2009).

Portanto, o presente trabalho teve por objetivo sensibilizar os discentes da escola Arlindo Fernandes de Oliveira sobre os impactos sobre a integridade de habitat através do biomonitoramento com insetos aquáticos.

 

2.            METODOLOGIA

O projeto foi realizado com os alunos de três turmas do nível fundamental do 4º, 5º e 6º ano do período da tarde da escola Arlindo Fernandes de Oliveira localizada no residencial Eugênio Coutinho, em Caxias-Maranhão. Esse local foi escolhido devido ao fato de ter uma nascente de um rio naquele bairro e a mesma está totalmente degradada pelas ações dos próprios discentes daquele bairro e dos moradores.

Em sala de aula a exposição sobre o tema foi feita por meio de aulas expositivas com os discentes, onde foi exposto assuntos relacionados ao meio ambiente, a atual situação do riacho Lamego e a utilização dos insetos como bioindicadores ambientais, foi  desenvolvido um minicurso artístico com os alunos, onde foi feito um mural ambiental com desenhos da atual situação do riacho e dos insetos que monitoram o riacho Lamego, atividades lúdicas também foram feitas em sala de aula com o apoio de jogos educativos que visaram mostrar através do mesmo a importância de preserva os rios, riachos e o meio ambiente como um todo, foram usados como estratégia metodológica um Dominó educativo, quebra cabeça e jogo da memória, onde os alunos puderem desenvolver suas capacidades perceptivas quanto ao conhecimento dos insetos e mostrar por meio dos desenhos o que eles gostariam de ver na realidade, que é um ambiente natural, limpo e saudável.

E por fim foi aplicado em sala um questionário educativo para avaliar o desempenho e conhecimento dos alunos, além de visitas aos locais dos mananciais para que os alunos pudessem ver de perto a atual situação do riacho Lamego e onde foi feito também demonstrações de como se realizar coletas e no laboratório identificação dos insetos aquáticos.

E através das visitas aos mananciais foram realizadas coletas de insetos no riacho Lamego com o intuito de apresentar aos alunos os insetos estudados em sala de aula integrando teoria com a prática e apresentar por meio dos resultados das coletas o impacto ambiental que o riacho sofreu e o efeito do mesmo os insetos aquáticos.

Para a realização de coletas foi necessário dividir o local em um transecto de 50 metros divididos em 10 segmentos, coletando num período de 5min em cada ponto e coletando principalmente no substrato e nas raízes de plantas, utilizando como material rapiché e pinça para coletar e em seguida fazer o sacrifício dos insetos em laboratório, colocando-os em álcool 70 e por fim fazer a classificação visualizando-os na Lupa e utilizando chaves taxonômicas.

 

3.            RESULTADOS E DISCUSSÃO

Como atividade de campo, foi realizado coletas para obtermos as amostras dos insetos aquáticos, essas coletas foram feitas no riacho Lamego e através dos insetos bioindicadores verificou-se a qualidade do ambiente que circunda o riacho, foram realizadas duas coletas, uma no dia da visita ao riacho no dia 10 de Outubro e a outra após essa visita no dia 25 de Novembro de 2016.

Essa proposta serviu para que os alunos passassem a entender, desde cedo, que precisam cuidar e preservar do meio ambiente por que o futuro depende do equilíbrio entre homem e natureza e do uso racional dos recursos naturais. O ambiente onde o ser humano habita deve estar em equilíbrio com o lugar onde se vive. E assim, o educador, deve ensinar ao discente, da forma mais simples possível, os elementos necessários ao aprendizado das questões ambientais, (MEDEIROS et al., 2011).

Pois acredita-se que Educação Ambiental quando trabalhada no ensino formal de forma lúdica, através de dinâmicas, jogos e atividades que extrapolem o ambiente escolar, seja um caminho estimulador e enriquecedor para se atingir uma totalidade no processo de aprender e, consequentemente, na mudança de posturas em relação ao ambiente, (SANTOS, 2006).

Por tanto atividades como essas nas escolas contribui para a formação de cidadãos conscientes, aptos para decidirem e atuarem na realidade socioambiental de um modo comprometido com a vida e com o bem-estar. Para isso, é importante que, mais do que informações e conceitos, a escola se disponha a trabalhar com atitudes, com formação de valores e com mais ações práticas do que teóricas para que o aluno possa aprender a amar, respeitar e praticar ações voltadas à conservação ambiental, (MEDEIROS et al., 2011).

O trabalho trouxe mais qualidade de vida aos elementos da escola, como também possibilitou o exercício da cidadania através da preservação e conservação do meio ambiente local promovida via ação humana, (ALVES; COLESANTI, 2006).

FONTE: SOUSA, A.M.

 
Figura 1, (A, B e C) – Realização da primeira Coleta no dia da visita ao Riacho Lamego.

 

Com o resultado das coletas, foi feito a identificação dos insetos para reconhecimento das espécies e os dados encontrados podem servir como informações para os agentes ambientais e pessoas que estão à frente das secretárias de educação e meio ambiente do município de Caxias para que os mesmos possam conhecer a atual situação do riacho Lamego e que eles possam entra com ações que visem cuidar e preservar a área que foi degradada , evitando dessa forma que a população devaste os recursos naturais que o riacho oferece e além disso esse material ainda serve como estudo para as próximas gerações que irão atuar nessa área, por esse motivo destaca-se importância deste trabalho.

A utilização desses indicadores ecológicos tem sido uma grande área de atuação da pesquisa aplicada em Ecologia, e listas de propriedades de bons indicadores que existem na literatura, (CALLISTO; MORENO, 2006). Pois foi somente através da utilização desses indicadores ecológicos que foi possível observar os impactos que o riacho Lamego sofreu em detrimento das ações dos moradores do residencial Eugênio Coutinho e por meio da presença desses insetos e do biomonitoramento que eles realizam , revelar para os discentes e a comunidade local o resultado de suas ações sobre o meio ambiente e promover por meio dessas ações a sensibilização com os discentes e professores e assim os mesmos repassarem tais informações para os pais dos alunos e outros.

Pois é através da sensibilização ambiental no ambiente escolar, que os alunos poderão entrar em contato com a temática ambiental e as principais discussões que estão sendo realizadas por meio de inúmeros estudos relacionados aos questionamentos de ordem global, regional e local interligando com a práxis ambiental, necessária nos dias atuais, (SANTOS et al., 2011).

Figura 2 – Identificação e apresentação dos insetos aos alunos.

FONTE: SOUSA, A.M.

 
 

 


FONTE: SOUSA, A.M.

 
 

 


Figura 3 - Realização da segunda coleta.

 

FONTE: SOUSA, A.M.

 
Figura 4 (A, B e C) – Insetos encontrados durante as coletas, A- Naucoridae, B- Belostomatidae e C – Odonata.

 

 

Com os dados obtidos por meio das análises da coleta, foram encontrados espécies das famílias Belostomatidae (Baratas d´água), Naucoridae e Odonatas. Além disso as análises são usadas para gerar e testar hipóteses sobre os possíveis fatores que influenciam na estrutura da comunidade de rios, e também modelar as respostas da biota às mudanças naturais e antropogênicas no ambiente, (SILVEIRA, 2004), e tais alterações estão relacionadas as ações do homem sobre o meio ambiente, por isso estimular o exercício pleno e consciente da cidadania, tornando a sociedade mais justa e sustentável é o principal objetivo da educação ambiental, (ARAÚJO;JUNIOR, 2007).

Alcançando desta forma os objetivos deste trabalho que foi o de encontra por meio das coletas os insetos que são indicadores ecológicos e usá-los no biomonitoramento do riacho Lamego, analisar as alterações ocorridas no habitat desses insetos e verificar essas alterações sobre os insetos.

FONTE: SOUSA, A.M.

 

C

 

Figura 5 (A, B e C) – Realização de aulas expositivas e minicurso artístico em sala de aula com os alunos.

Na figura 5 A foram realizadas atividades lúdicas com aplicação de jogos interativos, entre eles, quebra cabeça, dominó ambiental e um jogo da memória promovendo por meio dessa atividade o conhecimento sobre o meio ambientes, insetos e os demais animais que sofrem com os impactos ambientais e um momento de diversão e interação.

Na figura 5 B e C foi realizado em sala um minicurso artístico, em que os alunos puderam apresentar por meio dos desenhos suas capacidades motora, artística e intelectual, demonstrando por meio do desenho o que eles gostariam de ver em um mundo melhor através da natureza presente em sua volta.

E é por meio de atividades como essas que proporcionam aos discentes ações e atividades que valorizem e estimulem a criatividade, a experimentação e a interdisciplinaridade; aumentando a autoestima e promovendo ações que estimulem o aumento da participação de jovens de todos os segmentos às áreas de ciências exatas e naturais, e que possam valorizar aspectos culturais e humanísticos da ciência. (LOPES et al., 2016).

E por meio das práticas realizadas com os alunos, foi observado no decorrer das atividades uma maior interação e participação por parte dos mesmos em conhecer mais sobre os insetos, pois antes não havia um conhecimento expandido sobre essa área e com a aplicação do projeto houve um maior esclarecimento sobre o estudo do biomonitoramento com o uso de insetos aquáticos e da importância de se cuidar do meio ambiente de forma sustentável.

Com a aplicação do questionário sobre o meio ambiente e seus componentes, foi realizado com as três turmas do ensino fundamental o que no total contemplou 85 alunos e foi possível analisar através do gráfico que 17 alunos relataram a importância dos insetos como bioindicadores ambientais e 3 alunos relataram que além dos insetos serem importantes para o meio ambiente eles servem para deixar o ambiente mais bonito( No caso as Odonatas), e 65 alunos relataram também que a poluição da água é uma preocupação de todos e que se todos colaborarem para obterem um ambiente limpo e saudável obteremos sucesso garantido.

 

4.            CONCLUSÃO

 

O riacho Lamego foi degradado por ações antrópicas do ser humano sobre o meio ambiente, entre elas deposição de lixo, principalmente sobre o manancial do riacho Lamego que fica localizado no residencial Eugênio Coutinho. Através do projeto desenvolvido com os alunos foi trabalhado dentro de sala de aula ações sobre os problemas ambientais, os fatores que degradaram o manancial do riacho Lamego, a importância do uso dos insetos aquáticos no biomonitoramento e atividades que tiveram como proposta desenvolver um senso crítico a respeito dos problemas ambientais que afetam o meio ambiente.

E através deste projeto os alunos e professores puderam conhecer os principais tipos de insetos encontrados no riacho Lamego, suas funções e sua importância no biomonitoramento daquele local, proporcionando para a sociedade dados e informações seguidas das alterações que atingiram o riacho Lamego e os organismos que nele se encontram.

E com a aplicação das atividades pode-se perceber uma maior participação e interação dos discentes em conhecer mais sobre os insetos, no que diz respeito a sua forma de vida, sua composição, como vivem e no que eles podem influenciar no meio ambiente.

Mas só foi a partir da realização do questionário que percebeu-se o quanto o aprendizado foi adquirido pelos alunos, pois os mesmos responderam as questões com um entendimento mais amadurecido, destacando a importância de se cuidar e preservar o meio ambiente, da importância dos insetos para o meio aquático e da consciência ecológica que todos devem ter, pois no primeiro contato em que os bolsistas tiveram com os alunos, os mesmos relataram não ter conhecimento sobre os insetos aquáticos e da importância da educação ambiental para a sociedade, já após a aplicação do projeto o conhecimento dos discentes mudaram exatamente como mostrado no resultado do questionário.

REFERÊNCIAS

 

ALVES, A.L.; COLESANTI, M.T.M. A importância da educação ambiental e sua prática na escola como meio de exercício da cidadania. Disponível em: http://www.ifcursos.com.br/sistema/admin/arquivos/18-40-00-3878-14402-1-pb%3B%3B.pdf. Acesso em 14 de Dezembro de 2016.

ARIAS, A.R.L.; BUSS, D.F.; ALBUQUERQUE, C.; INÁCIO, A.F.; FREIRE, M.M.; EGLER, M.; MUGNAI, R.; BASPTISTA, D.F. Utilização de bioindicadores na avaliação de impacto e no monitoramento da contaminação de rios e córregos por agrotóxicos. Revista ciência e saúde coletiva. RJ, v.12, n (1) p.61-72, 2007.

ARAÚJO, B.G.P.; JUNIOR, E.F.O. Abordagem dos impactos socioambientais no riacho limeira – Riachão do Dantas/SE. Revista Eletrônica da faculdade José Augusto Vieira. Dantas- SE, n. 7, p. 1-16, 2012.

BASTOS, P.C.R.R.; PALHA, M.D.C.; FONSECA, M.J.C.F.; SILVA, A.S.C.Etnozoologia e educação ambiental para escolas da Amazônia: experimentação de indicadores quantitativos. Revista trabalho, educação e saúde. RJ. v.14 n.3, 2016.

 

CALLISTO, M.; MORENO, P. Bioindicadores como ferramenta para o manejo, gestão e conservação ambiental. 11º simpósio sul de gestão e conservação ambiental. Erechim, RS, p. 206-223, 2006.

 

CARVALHO, A.E. A teoria neutra da biodiversidade explica o padrão de abundância relativa dos invertebrados sésseis no costão rochoso? Curso de pós-graduação em ecologia, universidade de São Paulo. SP, p.1-4, 2011.

 

ELLER, A.P.R.; DANTAS, C.; CASTRO, D.M.P.; FRANÇA, J.S.; ROCHA, K.; PAIVA, L.T.; CALLISTO, M.; FERREIRA, W.R. Macroinvertebrados Bentônicos Bioindicadores de Qualidade de água no Biomonitoramento da Bacia do Rio das Velhas. Programa de biomonitoramento da bacia do Rio das Velhas, Minas Gerais, p. 1-8, 2007.

 

JÚNIOR, S.B.; SATO, M. Educação ambiental e etnoconhecimento: parceiros para a conservação da diversidade de aves pantaneiras. Revista ambiente e educação. RS. v.11, p. 125- 137, 2006.

 

LOPES, P.G.; VARVALHO, Y.L.L.; SANTOS, C.A.S.A. Os insetos aquáticos na divulgação e conservação do meio ambiente em escolas do ensino fundamental. Revista educação ambiental em ação. Caxias-MA, p.1-1, 2016.

 

MEDEIROS, A.B.; MENDONÇA, M.J.S.L.; SOUSA, G.L.; OLIVEIRA, I.P. A Importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos, Montes Belos, v. 4, n. 1, p. 1-17, 2011.

 

MINATTI-FERREIRA, D. D.; BEAUMORD, A. C. Adequação de um protocolo de avaliação rápida de integridade ambiental para ecossistemas de rios e riachos: aspectos físicos. Itajaí- SC. Revista Saúde e Ambiente / Health and Environmental Journal, v 7, n.1, p.39-47. 2006.

 

SANTOS, L.M.M. A importância de práticas de ensino criativas na educação ambiental. Trabelho apresentado no VII Enpec, Florianópolis. SC. p.1-9, 2006.

 

SANTOS et al. Proposta de educação ambiental a partir da sensibilização ambiental realizada no encontro dos rios Itapecuru e Alpercatas no município de Colinas – MA. Disponível em: http://www.sbpcnet.org.br/livro/63ra/arquivos/jovem/81proeducamb.pdf. Acesso em 14 de dezembro de 2016.

SILVA, F.L.; RODRIGUES, P.F.M.; TALAMONI, F.L.B.; RUIZ, S.S.; ANDREO, M.; BUENO, S.F.; BOCHINI, G.L. Bioindicadores da qualidade da água: subsídios para um projeto de educação ambiental no jardim botânico municipal de Bauru, SP. Revista ciência e extensão. SP. v.5, n.1, p.94, 2009.

SILVEIRA, M.P. Aplicação de biomonitoramento para avaliação da qualidade da água em Rios. Embrapa Meio Ambiente, Documentos 36. Jaguariúna, SP. p.1-68, 2004.

WINK, C.; GUEDES, J.V.C.; FAGUNDES, C.K.; ROVEDDER, A.P. Insetos edáficos como indicador da qualidade ambiental. Revista de ciências Agroveterinárias, Lages. Santa Maria, RS, v.4, n. 1, p. 60-75, 2005.

 

 


 



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias