ISSN 1678-0701
Número 59, Ano XV.
Março-Maio/2017.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias
Relatos de Experiências

10/03/2017
RELATO DE EXPERIÊNCIA: A FORMAÇÃO DE EDUCADORES AMBIENTAIS NA DISCIPLINA ELEMENTOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EM UM PROGRAMA DE MESTRADO EM ENSINO DE CIÊNCIAS  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=2673 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

 

A FORMAÇÃO DE EDUCADORES AMBIENTAIS NA DISCIPLINA ELEMENTOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EM UM PROGRAMA DE MESTRADO EM ENSINO DE CIÊNCIAS

Carlos Eduardo Fortes Gonzalez

 

 

Resumo

Este estudo abordaa capacitação docenterelativaà Educação ambiental por meio do Desenvolvimento Sustentável em um Mestrado em Ensino de Ciências. Os resultados confirmam que é conveniente haver uma matéria de Educação para o meio ambientecorrelacionada aos conceitos de Desenvolvimento Sustentável. 

 

Palavras Chave:Educação Ambiental; dimensão ambiental; Capacitação.

 

INTRODUÇÃO

 

A formação de educadores ambientais é uma temática notoriamente complexa (GUIMARÃES, 2004), dada a própria subjetividade do que é a EA - Educação Ambiental e a heterogeneidade de modos sociais e culturais de ação em relação aosprocessoseducacionaisambientais (LOUREIRO, 2004).

A capacitação de professores na Educação ambiental é um aspecto legal, em virtude da legislação atinente a esta dimensão educativa, a PNEA - Política Nacional de Educação Ambiental. Em distintos pontos, o marco jurídico maior da EA reforça oimperativo da capacitação docente para a Educação Ambiental nos vários níveis e modalidades da Educação formal (BRASIL, 1999). Isto significa afirmar que todos os educadores são também educadores ambientais, independentemente de que estejam conscienciosos ou não desta empreitada.

Tal dever professoral de educar para o meio ambiente decorre do fato de que a Educação Ambiental é uma dimensão educativa; assim sendo, é intrínseca à Educação formal, devendo estar presente em todos os currículos e, por conseguinte, se desdobrar em projetos pedagógicos e nas ações de ensino e aprendizagem em todos os níveis e modais da Educação formal.

Um dos setores de interação das argumentações socioambientais de modo permeável nas estruturas curriculares se dá na Educação superior, inclusive nos níveis de pós-graduação, como no Mestrado. A Lei da Política Nacional de Educação Ambiental permite a criação da disciplina em cursos de pós-graduação (BRASIL, 1999).

Lastreado neste aparato legal é que o PPGFCET – Programa de Formação Científica, Educacional e Tecnológica da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná, CampusCuritiba) proporciona as unidades curriculares optativas de Meio Ambiente e Educação, bem como a deElementos de Desenvolvimento Sustentável (UTFPR, 2016). É um Programa de Mestrado no Ensino de Ciências onde são ofertadas as disciplinas recém-mencionadas com o intuito de possibilitar o aprofundamento nesta dimensão educacional, o universo socioambiental no ensino superior.

 

METODOLOGIA

 

A observação participante (Relato de experiência) foi utilizada como procedimento metodológico para a elaboração do presente estudo. Pode ser conceituada comoa descrição de uma dada experiência com a qual o estudioso conviveue que possa contribuir de forma relevante para determinado objeto de estudo ou campo do conhecimento (GIL, 2008). Deste modo, tal encaminhamento investigativo se adequa com o objetivo de apresentar e analisar a respeito da formação de educadores ambientais em determinada esfera do processo de ensino – aprendizagem; no caso em tela, em um Programa de Mestrado de Ensino de Ciências.

 

A UNIDADE CURRICULAR DE ELEMENTOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO MESTRADO

 

Além dos estudos dos conteúdos didático-pedagógicos referentes aoDesenvolvimento Sustentável, por se tratar de um Mestrado em Ensino de Ciências que objetiva a formação científica, educacional e tecnológica dos professoresdiscentes do Programa (alunos no Programa e profissionais da Educação no mundo do trabalho), estes estudantes elaboram trabalhos acadêmicos que versam sobre o grande tema do Desenvolvimento Sustentável. Tais artigoscientíficos permitem aos alunos concretizar a tríade Ensino, Pesquisa e Extensão na Educação Ambiental por meio do Desenvolvimento Sustentável, pois estas produções, usualmente, vêm a ser publicadas em eventos científicos e acadêmicos, bem como em revistas científicas.

A aceitação dos trabalhos em eventos e revistas científico-acadêmicas evidencia a boa qualidade das produções científicas do alunado, o que significa a compreensão e o aprendizadoda Educação Ambiental por meio do Desenvolvimento Sustentável para estes estudantes de Mestrado e docentes em atividade. Deste modo, cria-se um círculo virtuoso onde a Educação superior, no cumprimento da missão de Ensino, Pesquisa e Extensão dialoga com a Educação básica por meio da Educação Ambiental a partir de Elementos de Desenvolvimento Sustentável.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A PNEA prevê a possibilidade da inserção de unidade curricularconcernente aos aspectos metodológicos da Educação Ambiental em certos casos, onde se fizerem necessários os estudos aprofundados destas questões (BRASIL, 1999). Certamente, é o caso de um curso de Mestrado em Ensino de Ciências, para o avanço na capacitação destes docentes no que se refere ao trabalho correlacionado às dimensões ambientais da Educação para o Desenvolvimento Sustentável nas suas respectivas áreas de atuação.

 

REFERÊNCIAS                                             

 

BRASIL. Congresso Nacional. Lei n. ° 9795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre Educação Ambiental, institui a política nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília: Imprensa Nacional, 1999.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

GUIMARÃES, Mauro. A formação dos educadores ambientais. Campinas, SP: Papirus, 2004.

LOUREIRO, Carlos F. Trajetórias e Fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2004.

UTFPR - UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Catálogo dos Cursos Superiores de Graduação e Pós-graduação do Campus de Curitiba. Curitiba: UTFPR, 2016.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias