ISSN 1678-0701
Número 61, Ano XVI.
Setembro-Novembro/2017.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Logística Reversa     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Relatos de Experiências

11/09/2017VIVÊNCIAS NO ENSINO DE BIOLOGIA EM ESCOLA PÚBLICA NO LITORAL NORTE DO ESTADO DA PARAÍBA, BRASIL  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=2888 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

VIVÊNCIAS NO ENSINO DE BIOLOGIA EM ESCOLA PÚBLICA NO LITORAL NORTE DO ESTADO DA PARAÍBA, BRASIL

 

José Marcelino de Lima Silva1; Jurandi Mendes de Oliveira2; Maria José dos Santos3; Deivid Almeida da Costa4; Dimítri de Araújo Costa5; Gil Dutra Furtado6

 

1Licenciado emCiências Biológicas/Universidade Vale do Acaraú (UNAVIDA-UVA). Especialista em Educação Ambiental/Instituto de Educação Superior da Paraíba (IESP). E-mail: jmarcelinopescador@hotmail.com

 

2Licenciado em Ciências Biológicas/UNAVIDA-UVA.

 

3Licenciada em Ciências Biológicas/UNAVIDA-UVA. E-mail:mariajose_pb20@hotmail.com

 

4Bacharel em Ciências Biológicas/Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Mestre em Agronomia/Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); Doutor em Botânica/UFRPE. E-mail: costa.deivid@gmail.com

 

5Bacharel e Licenciado em Ciências Biológicas/UFPB; Mestre em Ecologia e Monitoramento Ambiental/UFPB; Doutorando em Desenvolvimento e Meio Ambiente/UFPB. E-mail: costa.researcher@yahoo.com.br

 

6Engenheiro Agrônomo/UFPB; Especialista em Psicopedagogia/UNINTER; Mestre em Manejo de Solo e Água/UFPB; Doutor em Psicobiologia/UFRN; Pós-Doutor em Desenvolvimento e Meio Ambiente/UFPB; Professor Colaborador do PRODEMA/UFPB. E-mail: gdfurtado@hotmail.com

 

 

RESUMO. O trabalho relata a experiência vivida por um grupo de graduandos do Curso de Biologia, nas salas de aulas de uma escola estadual da Paraíba, situada na zona urbana da microrregião do litoral norte, cujo objetivo maior é avaliar a atividade da prática de ensino, sua problemática, bem como as limitações encontradas pelo conjunto docente-discente da escola. Também faz-se um breve apanhado histórico do ensino da Biologia e a sua interdisciplinaridade, para assim obter uma visão mais ampla e buscar soluções segundo a realidade social local. A equipe de trabalho deslocou-se para tal escola de modo a conhecer in loco as dificuldades e os êxitos do ensino da disciplina Biologia nesta comunidade.

 

Palavras-chave: Aprendizagem, Professores, Sala de aula.

 

 

EXPERIENCES IN THE TEACHING OF BIOLOGY IN A PUBLIC SCHOOL IN THE NORTHERN COAST OF THE STATE OF PARAÍBA, brazil

 

ABSTRACT. The paper reports the experience lived by a group of undergraduates Biology course in the classrooms of a state school of Paraíba, located in the urban area of micro-region of the north coast, whose main objective is to evaluate the activity of teaching practice, their problems and limitations encountered by teacher-student school set. It also makes a brief historical overview of biology teaching and its interdisciplinary, in order to obtain a broader view and look for solutions according to local social reality. The team moved to such a school in order to know in situ the difficulties and successes of the teaching of biology discipline in this community.

 

Keywords: Learning, Teachers, Classroom.

 

 

INTRODUÇÃO

 

Aqui descrevemos a experiência vivida através do estágio supervisionado na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Severino Félix de Brito, situada na zona urbana do município de Itapororoca, na microrregião do litoral norte do Estado da Paraíba. Tal empreitada teve por objetivo, avaliar a capacidade do professorando na atividade prática em sala de aula.

            Assim, abordamos o assunto acerca dos desafios da prática de ensino da Biologia, com a finalidade de mostrar as dificuldades, e ainda sugerir soluções para melhorias sensíveis dessas dificuldades que cotidianamente se apresentam nas diferentes situações enfrentadas no meio educacional, tanto nas aulas práticas, quanto as teóricas.

Consideramos que estudar biologia é descobrir maneiras de se organizar, evoluir para um estágio mais avançado do conhecimento formal, que está visto pelo simples olhar, e também tornar-se conhecedor com objetivo específico, que é o de proporcionar maneiras e métodos esclarecedores acerca do ensino de biologia.

Esse grande valor que atribuímos a essa disciplina, dar-se por se tratar de uma Ciência abrangente, que estuda os ecossistemas e explica os diversos funcionamentos dos seres vivos, os fenômenos a eles ligados, sua origem, comportamentos e modificações diversas.

Abordar um pouco da história de como surgiu o ensino de biologia é necessário, pois irá cada vez mais confirmar a importância dos trabalhos realizados, por curiosos que durante muito tempo mantiveram a esperança de que algum dia seus trabalhos de pesquisas e resultados seriam divulgados.

Podemos observar que foram abordados diversos desafios, e que também foram identificadas dentro desses desafios algumas soluções simples que uma vez aplicadas minimizariam em parte os problemas. Embora conscientes de que sempre existirão dificuldades tanto em sala de aula como na questão do método de ensino da disciplina, vamos nos apegar aos estudos feitos pelos cientistas tanto da educação quanto da área da Ciência Biológica para  indicar os caminhos para superação dessas dificuldades, como assim fizeram todos os professores que nos prepararam para a maravilhosa missão de ensinar. 

 

 

O ENSINO DE BIOLOGIA

 

O crescimento e a expansão do ensino de biologia são percebidos por todos, que, direto ou indiretamente, participam da difusão e do esclarecimento de metodologias utilizadas na aplicação deste ensino, com o objetivo de proporcionar aos discentes realizar pesquisas, buscando soluções e entendimento acerca do que acontece ao seu redor. Desde uma simples contaminação efetuada por picada de um mosquito, ou até mesmo uma alta infecção. É preciso que os estudantes desenvolvam a capacidade de construir novos saberes a partir dos problemas que vivenciarão.

Tal crescimento vem sendo atribuído aos diversos meios, que contribuem para a melhoria da qualidade do ensino em biologia, levando os docentes a reflexão para cada vez mais adquirir conhecimento. A nossa formação vai compreender a função de “facilitador” de conhecimento, com visão crítica, aberta e democrática, respeitando o nosso aluno como cidadão. Assim, com o objetivo de repassar o conhecimento, proporcionando ao educando um interesse mais aguçado, pois este conscientiza-se de que ao possuir conhecimento, ao se esclarecer, ao interagir com o seu grupo e com o seu meio através do processo de ensino-aprendizagem da Biologia, ele também se torna conhecedor e portanto a tarefa de superação de alguns obstáculos torna-se mais fácil.  

             Muitos são os fundamentos relacionados ao ensino da Biologia, disciplina que durante anos foi chamado de Ciências Naturais. Para maior esclarecimento faz-se necessário uma breve definição, que nos facilitará a visão de que são conceitos distintos.

 

 

CIÊNCIAS NATURAIS

 

São responsáveis por estudar a natureza, englobam todas as disciplinas científicas que se dedicam ao estudo da natureza. Citamos aqui, dezesseis Ciências e seus breves conceitos:

 

 

Ciências Sociais                                            

 

Tem como objetivo estudar o comportamento humano, a maneira como o homem se relaciona entre si e o seu comportamento em sociedade.

Nessa área estão inclusas a Antropologia, o Direito, a História, a Psicologia, a Sociologia, a Filosofia Social, a Economia Social, a Política Social, o Direito Social.

 

 

Biologia

           

Ciência que estuda a vida e os organismos vivos, sua estrutura, crescimento, funcionamento, reprodução, origem, evolução, distribuição em seu habitat e fora dele, bem como suas relações entre si e com o ambiente. Também se preocupa em estudar várias outras ciências especializadas, como, a ecologia, bioquímica, genética, medicina, a zoologia e a botânica.

 

 

Física

 

Muitas são as definições com relação à Física, uma delas esta baseada na História de Galileu Galilei, Isaac Newton e Albert Einstein, que ficou definido:

Física é uma ciência fundamental que se desenvolve com base em teorias e experimentos. Fazem parte das principais teorias da Física: a mecânica clássica (descrição do movimento de objetos), a mecânica quântica (determinação de medidas de grandezas), a relatividade (relações do espaço-tempo e a gravidade) e o eletromagnetismo (estudo da eletricidade e magnetismo).

 

 

Química

 

A ciência que se dedica ao estudo da matéria, levando em conta a sua composição, as reações e as transformações, a Química se divide em sete áreas principais. São elas:

 

a)Bioquímica - Química Biológica: estuda os processos, reações e interações químicas nos organismos vivos.

b)Físico-química -  Química Física: disciplina que combina as ciências de Física e Química para estudar as propriedades físicas e químicas da matéria. Englobam outras disciplinas importantes como a cinética química, a mecânica quântica, a espectroscopia e a eletroquímica, a termodinâmica química e a termoquímica.

c)Química analítica - Ramo da Química que analisa amostras de material para identificação da composição química e estrutura.

d)Química Mineral– Área da Química que estuda os metais e suas combinações.

e)Química Orgânica - Ramo da Química que compreende o estudo de todos os compostos do carbono, analisando a estrutura, as propriedades, a composição e as reações químicas.

f)Química Inorgânica - Ramo da Química que estuda as propriedades e as reações dos compostos inorgânicos - ácido, bases, sais e óxidos.

g)Química Nuclear - Radioatividade: estuda os fenômenos materiais e energéticos que acontecem no núcleo dos átomos.

 

 

Geologia

 

                 Ciência que estuda e analisa a forma interna e externa do globo terrestre. Encarrega-se ainda de analisar cuidadosamente as matérias que formam o globo, bem como o seu respectivo mecanismo de formação.

Também procura evidenciar as alterações que as matérias têm sofrido desde o seu começo até o atual estado da sua justa posição. Também dentro da geologia destingiu-se várias disciplinas.

 

 

Geologia Estrutural

 

                  É aquela que estuda as estruturas da crosta terrestre. Deste modo, analisa a relação entre as diversas rochas que a constitui.

 

 

Geologia Histórica

 

                 Encarregada de estudar as transformações da Terra, desde a sua origem até o mundo contemporâneo. Para facilitar as pesquisas, os geólogos realizaram divisões cronológicas como eras, períodos e idades, entre outras.

 

 

Geologia Econômica

 

Interessa-se pelo estudo das rochas em busca de riquezas minerais que possam ser exploradas pelo homem. Quando a Geologia acha depósitos, é iniciada a exploração mineral.

 

 

Astronomia

 

Ciência que estuda todos os corpos celestes do Universo. Como corpos celestes, entendem-se os planetas, estrelas, cometas, asteroides, nebulosas, galáxias e etc.Com essas definições podemos concluir quão grande é a diferença que há entre ciências naturais e biologia e até que, se concretize que biologia é uma das grandes ramificações da área de ciências naturais, nestes termos concordaremos que biologia não e o mesmo que ciências naturais.

 

 

COMO SURGIU O ENSINO DE BIOLOGIA?

 

Abordar historicamente o ensino da Biologia, não significa contar ou demonstrar a origem de como as coisas verdadeiramente tiveram início, mas verificar a experiência humana examinada e estudada numa contínua construção do conhecer com base nas informações obtidas a partir de referências daqueles que, tiveram a curiosidade de ver, olhar, e observar tudo ao seu redor, com o objetivo de distinguir o funcionamento daquilo que era observado.

Histórias apresentadas em sala de aula, a partir de recursos como o livro didático, são caracterizadas como pseudo-histórias já que não estimulam uma visão ampla do processo de formação do conhecimento científico, podendo até, proporcionar a formulação de conceitos errados quanto aos assuntos trabalhados.

Entender a história e a veracidade dos fatos não são tarefas fáceis, mas com perseverança, especulações e insistência podemos compreender algumas manifestações,causadas naturalmente ou de alguma forma influenciada a acontecer.

      A História é marcada por grandes avanços científicos. É por isso que tomamos conhecimento da origem e surgimento de novas descobertas principalmente na área cientifica.

E a melhor maneira de fazer História é quando os professores, pesquisadores e estudantes em geral se unem e procuram evidenciar desde o passado até os tempos atuais com o objetivo de procurar explicar da forma mais clara, mais objetiva, as dificuldades e facilidades encontradas durante o processo do fazer história, pois transmitir numa linguagem esclarecedora, à origem daquilo que se pretende conhecer e explicar fica complicado, às vezes, impossível durante a execução dos trabalhos.

            Adquirir conhecimentos acerca dos acontecimentos passados,e repassá-los foi a melhor solução, que de maneira geral, pesquisadores contribuíram juntando informações de acontecimentos e experiências passadas comprovadas, como se fosse um quebra-cabeças e dando forma, pois ao juntá-las possibilitou a criação e formação de uma história, ferramenta que seria usada posteriormente, com o objetivo de formar especialistas na área multidisciplinar como é o caso das Ciências Naturais ou Biologia.

            Por isso faz-se necessário apresentar artigos, que narram os acontecimentos de como tudo foi sendo processado e elaborado, e esse processo fez a história, enaltecendo os importantes trabalhos realizados por estudiosos que mantiveram o otimismo com o objetivo de esclarecer com raciocínio cientifico e lógico. Importantes trabalhos, como é o caso de fragmentos dos artigos encontrados na internet que relatam através de das pesquisas publicadas.

A Biologia, a Física e a Química, nem sempre foi objeto de ensino nas escolas.

O espaço conquistado por essas ciências no ensino formal (e informal) seria, segundo Rosa (2005), consequência do status que adquiriram principalmente no último século, em função dos avanços e importantes invenções proporcionadas pelo seu desenvolvimento, provocando mudanças de mentalidades e práticas sociais. Segundo Canavarro (1999 apud Rosa p. 89) a inserção do ensino de ciências na escola deu-se no início do século XIX quando então o sistema educacional centrava-se principalmente no estudo das Línguas Clássicas e da Matemática, de modo semelhante aos métodos escolásticos da idade média. De acordo com Layton (1973 apud Rosa p. 89) já naquela época as diferentes visões de ciência dividiam opiniões. Havia os que defendiam uma ciência que ajudasse na resolução de problemas práticos do dia a dia. Outros enfocavam a ciência acadêmica, defendendo a ideia de que o ensino de ciências ajudaria no recrutamento dos futuros cientistas.

E de acordo com o Prof. Dr. Nelio Bizzo em “Um Pouco de História Brasileira das Ciências Biológicas no Brasil”, o excerto do documento diz que:

 

“A história do ensino de biologia no Brasil está ligada, por um lado, à tradição jesuítica e, por outro, à influência portuguesa. Nesse sentido, a chegada de Domenico Agostino Vandelli em Portugal em 1764, proveniente de Pádua, constitui marco decisivo. Especialmente contratado pelo Marquês de Pombal para participar de ampla reforma educacional que se seguiria logo após a expulsão dos jesuítas, ele fez os estudos de história natural entrar na ordem do dia. Ele indicou o pupilo Alexandre Rodrigues Ferreira, que aqui aportou em 1783 para empreender uma viagem filosófica, que seria mais extensa até mesmo que a de Humbolt e Bonpland (1799-1803), de Spix eMartius (1817-1820) e de Agassiz (1865-1866), dado que durou de 1783 a 1791.” (BIZZO, p. 148).

 

Nesses relatos já podemos deduzir que o domínio da ciência não é privilegio de especialistas, mas um instrumento para o exercício da cidadania, atentos a isso são reunidos esforços para movimentar informações trazendo situações com aplicabilidade e responsabilidade, pois acredita- se que, utilizando uma linguagem fluente e agradável poderá fornecer as informações necessárias para a construção de uma história.

 

 

DESAFIOS DO ENSINO DE BIOLOGIA

 

            Como o próprio nome define nos termos gregos “bios” (vida) e “logos” (estudo) cujo significado literal é “estudo da vida”. Grosso modoé: Dificuldades e superação em compreender o funcionamento da vida.

            “São notórias as condições problemáticas enfrentadas no âmbito educacional no Brasil”,conforme Silva (2011).

            O professor de Biologia deve superar obstáculos, pois se vê diante de muitas estruturas e situações que o impedem de proporcionar um ensinamento digno aos discentes, esta disciplina precisa ser aplicada de maneira que leve o estudioso a ficar bem esclarecido acerca dos assuntos voltados para o conhecimento cientifico, problemas de infraestrutura, sem condições nenhuma de aplicabilidade educacional, um número muito grande de alunos não consegue compreender os conteúdos estudados. Isto resulta na ineficiência da aprendizagem dos conhecimentos biológicos e, consequentemente, na deficiência do aprendizado com base no conhecimento científico.

            Existe muitas estruturas laboratoriais sem a menor condição de funcionamento, que impedem a realização de alguns experimentos simples, pois a aula pratica é de fundamental importância para a aprendizagem biológica dos alunos.

            “A comunidade científica reconhece o laboratório como um contexto que facilita a interação entre os alunos” segundo Figueroa (2002).

            Embora seja desestimulante também perceber e acreditar num país que se diz democrático e organizado ainda existe jovem que saem de suas casas para a escola sem uma alimentação adequada, com o organismo fragilizado, com sono, cansados e tristes impedindo-os de obterem um bom aprendizado na escola. E de acordo com Cunha(2014):

                                  

                                 “Os hábitos alimentares de um indivíduo refletem sua imagem, não só o corpo, mas também a mente que se desenvolve de acordo com a sua alimentação, por esse motivo é de extrema importância ter uma alimentação saudável e adequada com cada fase do desenvolvimento humano, para cada fase da vida, a alimentação tem uma importância diferente, mas é essencial em todas elas” (COSTA, 2014, p. 9).

 

Portanto fica evidente que muitos dos discentes que estão presentes na sala de aula ainda não estão preparados e capacitados para um bom entendimento com relação aos diversos temas e palavras que lhes serão apresentadas no decorrer do ano letivo na disciplina de biologia, principalmente os que participam de estruturas e órgãos menos favorecidos, onde partes destes alunos não sabem ler, nem escrever.

            Só resta ao professor uma saída, buscar uma solução rápida diante da situação complicada que exige agilidade e eficiência urgente.

            Nos tempos atuais,já existe uma série de instrumentos disponíveis que ajudam na solução temporária para docentes,até definitiva quando se falar de sala de aula e discentes, e de acordo com Nunes (2009) em “O professor e as novas tecnologias”:

 

”A sociedade contemporânea vem apresentando diversas formas de conduzir o ensino sistematizado. As inovações tecnológicas exigem do profissional docente constante aperfeiçoamento, principalmente em termos da inserção dos recursos tecnológicos aplicados ao ensino. Logo, entende-se que é necessário haver professores capacitados e qualificados para inserir na sua prática educativa recursos que auxiliem a aprendizagem do aluno” (NUNES, p. 12).

 

             Muitos desses instrumentos já estão disponíveis com os próprios alunos e podem ser utilizados dentro da própria sala de aula. O celular, por exemplo, é um desses instrumentos. O qual poderá ser utilizado de forma conjunta onde o que conhece o instrumento em uso, ensinará aquele que não tem, ou o possui, mas não sabe utilizá-lo. Este tipo de solução ajuda também na socialização.

 

 

EVASÃO ESCOLAR

 

            Historicamente, a evasão e a reprovação escolar têm feito parte de debates e reflexões no âmbito da educação pública brasileira. Ainda é um tema que ocupa espaço relevante no que se refere às políticas públicas. Na legislação brasileira tem-se referência à responsabilidade da família e do Estado no dever de orientar a criança em seu percurso sócio educacional. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) nº 9.394/96 diz, em seu art. 2º, que “a educação, dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais da solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho” (BRASIL, LDB nº 9.394/1996). Fornari (2010).

 

“A evasão e reprovação escolar aparecem no cenário educacional como um problema significativo, pois suas consequências levam os indivíduos ao que se chama “exclusão”, ou seja, é também um problema social. As leis garantem o direito à educação. Ocorre que há um grande distanciamento entre estas e a prática social”(FORNARI, 2010, p. 112).

 

O medo de ser reprovado ainda é um dos maiores causadores de evasão escolar, quando o aluno recebe o resultado parcial das notas e elas apontam para uma eminente reprovação.

            Outra causa é a falta de motivação para ficar na escola e outro motivo deve estar ligado a interesses diversos, como o de ter seus próprios recursos financeiros.E segundo Mendonça(2014):

 

“Atualmente, a evasão escolar se apresenta como um fenômeno crescente em nossa realidade educacional, a qual afeta principalmente as escolas públicas. Os registros obtidos em várias pesquisas, utilizados aqui como suporte documental e teórico, apontam inúmeras causas para a incidência do referido problema. Dentre os quais, podemos elencar: a necessidade de entrar no campo de trabalho para ajudar no sustento da família, a gravidez na adolescência, o envolvimento com uma série de problemas externos como drogas e brigas de gangues” (MENDONÇA, 2014, p. 6)

 

 

            Fato esteconstatado por nós, pela equipe de graduandos e pelos professores que nos acompanharam, a partir de diálogos informais com alguns jovens entre doze e quinze anos de escolas que estão sob o domínio do estado ou município da grande João Pessoa, Paraíba.

 

 

AULA PRÁTICA COMO SOLUÇÃO

 

Devido o professor possuir muita influência no processo educacional, convém ao docente analisar, estruturar e administrar metodologias que envolvam os discentes na aplicabilidade daquilo que viram e ouviram durante as aulas teóricas procurando os recursos que dispõem o espaço físico educacional. Conforme Luneta(1991):

“As aulas práticas podem ajudar no desenvolvimento de conceitos científicos, além de permitir que os estudantes aprendam como abordar objetivamente o seu mundo e como desenvolver soluções para problemas complexos.”

 

                                                    

UTILIZAÇÃO DE TEMAS TRANSVERSAIS

 

            Os Parâmetros Curriculares Nacionais indicam como objetivos do ensino fundamental que os alunos sejam capazes de:

• compreender a cidadania como participação social e política, assim como exercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando, no dia-a-dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito;

• posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais, utilizando o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas;

• conhecer características fundamentais do Brasil nas dimensões sociais, materiais e culturais como meio para construir progressivamente a noção de identidade nacional e pessoal e o sentimento de pertinência ao país;

 • conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais;

• perceber-se integrante, dependente e agente transformador do ambiente, identificando seus elementos e as interações entre eles, contribuindo ativamente para a melhoria do meio ambiente (Brasília: MEC/SEF, 1997).

 

São de fundamental importância os temas transversais, pois contribui para a formação do aluno aumentando seu interesse por outras disciplinas, alternativas como essa pode levar o aluno a se interessar mais pela matemática, pelo português entre outras disciplinas, as que têm mostrado deficiências constantes aos discentes de nível médio. 

 

 

CONTEÚDOS ABSTRATOS

 

            Segundo Aurélio (2016):“Substantivos abstratos, são aqueles que designam ações, qualidades ou estados, e que não têm existência própria, existem apenas na concepção da mente”. Por exemplo: bondade, beleza, justiça, amor, raiva, etc.

E falar em sala de aula e explicar algo que não se pode provar materialmente sua existência não é fácil, mas falar a partir de reações provocada por sentimentos oriundos de uma experiência vivida e superada e o melhor caminho, mas os discentes gostam de sonhar e aproveitar esses momentos é de fundamental importância aplicando metodologias diferentes e conforme Nagem et al. (2001): “O desenvolvimento de metodologias inovadoras vem ao encontro do atendimento às necessidades do aprendiz como ser único, singular, diferente, que recorre a diferentes estratégias de aprendizagem e exibe diferentes habilidades” (NAGEM et al., 2001, p. 92).

 

 

GLOBALIZAÇÃO

 

Como a Biologia foi influenciada e influencia o processo da globalização?

 

            Desde o final do século XX tornou-se conhecedor o termo globalização que quer dizer, grosso modo, a definição do termo é: maneira de deixar conhecedor o desconhecido para o mundo; e conforme Ribeiro (2006).

 

“Impulsionados por uma onda de modernidade trazida pela globalização, nos início dos anos 80 - quando começou a era do computador, a troca de informações em tempo real, o relacionamento a cabo entre empresas, a internet, outras facilidades tecnológicas e de telecomunicações, e com a queda das barreiras comerciais – todos os segmentos de nossa sociedade precisaram se adaptar rapidamente à nova ordem social: a possibilidade de interação dos mercados econômicos com um sistema de comunicação mais rápido e  a simultaneidade das operações financeiras contribuiu para uma nova onda de progresso e modernidade” (RIBEIRO, 2006)

 

             Com isso beneficiou-se entre tantos, a disciplina de biologia, como em um passe de mágica, tornou conhecidos trabalhos de profissionais de todas as áreas e esse compartilhamento de informações facilitou o entendimento e a compreensão de muitas experiências vividas na pratica, fazendo com que muitos obstáculos e dificuldades fossem superados com relação ao ensino de biologia em todas as áreas, isso proporcionou grandes benefícios a todos os que de uma forma geral dedicam parte de sua vida no aperfeiçoamento dos discentes, os docentes. De acordo com Ribeiro (2006).

 

“A globalização traz na sua essência a padronização de informações, influenciando a sociedade a interagir de forma favorável aos interesses do sistema essencialmente capitalista emanado de outras sociedades econômica e tecnologicamente mais desenvolvidas. Desta forma, a cultura social se transforma, alterando-se os valores referenciais das comunidades” (RIBEIRO, 2006).

 

            No começo foi meio complicado (é o que acontece em toda experiência), mas com o passar dos tempos verificou-se que era bom e que deveria se tornar obrigatória a informatização, no principio beneficiaria uma parte e depois todos os demais, fez-se necessário a utilização de mecanismos existentes e disponíveis no mercado e depois seriam apresentadas outras maneiras de utilização desses meios com mais praticidade de fácil entendimento e manuseio, mas mesmo assim causou um grande impacto nas economias de muito e até de países menos favorecidos.

            Com as informações compartilhadas verificou-se que os pensamentos e as ideias eram um só, que a ciência natural deveria se chamar biologia, pois esse termo abrangeria uma serie de disciplina que já estavam envolvidos com os seres vivos enquadrando-as em uma única área, porém o termo biologia é diferente do termo ciências naturais. E que na biologia está envolvido todos os tipos de adaptação dos seres vivos sejam eles dos meios naturais ou artificiais, e na ciência natural não, entende-se como o próprio nome e escrito está relacionado ao natural às coisas que acontece naturalmente sem interferência humana. Com a praticidade que é hoje dos meios de comunicação, a área da biologia tornou-se uma “caixa de pandora”, ou seja, uma área do conhecimento até então desconhecido que começou a ser explorado, tanto para armazenar como para partilhar com todos aqueles que de alguma forma querem esclarecer ou serem esclarecidos sobre algum assunto relacionado aos seres vivos, sejam eles macroscópicos ou microscópicos, com essa visão podemos perceber a maneira e a forma como a biologia tem influenciado no processo da globalização. 

 

 

DESENVOLVIMENTO DE ESTAGIO SUPERVISIONADO

 

HISTÓRICO DA ESCOLA

 

            Até 1985, os alunos do município de Itapororoca tinham que se deslocar para os municípios circunvizinhos a fim de frequentar o atual ensino fundamental II e o Ensino Médio. As autoridades locais, ouvindo os apelos da população a partir da necessidade de se construir uma escola própria que atendesse a demanda de estudantes e os anseios da comunidade em geral, se conscientizaram e agiram iniciando a construção do prédio escolar em março de 1985. A doação do terreno ficou por conta da prefeitura municipal na pessoa do prefeito José Felix de Brito, que em parceria com o governo do Estado construíram em um ano a escola tão sonhada pela população itapororoquense.

            Sendo assim, a inauguração oficial do prédio foi no dia 21 de março de 1986, na ainda gestão do saudoso prefeito “Zé Felix”, como era conhecido por seus munícipes. Na ocasião houve um coquetel onde estiveram presentes o então governador do Estado Sr. Wilson Braga, o qual era amigo particular do prefeito, acompanhado de sua esposa a Sra. Lucia Braga, como também demais autoridades locais, senadores e deputados elite e populares itapororoquenses.

            Além da inauguração e do clima festivo, um fato inédito marcou esse dia na pacata Itapororoca, o1° pouso de um helicóptero, o qual trazia logicamente o senhor e a senhora Braga. Fato curioso que atraiu bastante atenção causando burburinhos e expectativas.

            Assim quefoi inaugurada, a escola já começou suas aulas, porém, só funcionava no turno da noite e as turmas eram bastante resumidas. Embora o número de alunos fosse pequeno, já havia turmas concluintes tanto do ensino fundamental como no Médio.

            Não demorou muito para que nossa escola se transformasse em uma satisfação para a população. A aprovação na qualidade das aulas e nas atividades letivas foi um sucesso, assim como nos mais variados eventos proporcionados pela mesma.

            As aulas sempre apresentaram motivação e inovação, responsáveis por plantar na população de Itapororoca uma vontade de mudança e melhoria na condição de vida.

            Enfim, sempre sabemos que o caminho para combater o atraso e as deficiências sociais e formar cidadãos críticos e independentes é através da educação, por isso há vinte e seis anos, nossa escola se empenha em oferecer uma educação de qualidade digna aos nossos jovens munícipes, os quais juntos com toda a comunidade escolar, professores, funcionários e direção, todos fazem parte deste prédio muito mais que uma escola, forma uma família que luta por melhores condições de vida e autonomia.

 

           

DIAGNOSE DO CAMPO DE ESTÁGIO

           

A escola está estabelecida na Rua 07 de setembro, Bairro dos Estudantes, município de Itapororoca, estado da Paraíba, com coordenadas geográficas 06°49’50.8” S e 35°14’38.9” W (figura01).

 

 

 

P1000356

 

Figura01.Entrada principal da E.E.E.F.M. Severino Félix de Brito.

 

 

Para acontecer a prática educativa na escola acima mencionada, foi necessário um oficio expedido pela UNAVIDA, o qual foi apresentado à diretora da escola a Profa. Divânia Célia de Brito, que concedeu a autorização.Os funcionários recepcionaram os pesquisadores do presente trabalho, e os alunos se mostraram bastantes interessados com o que iria acontecer tanto durante as apresentações das aulas teóricas como nas aulas práticas.   

A referida instituição de ensino está instalada em um prédio bem conservado, tendo sido reformado no ano de 2010, com as seguintes características:

 

Ø  08 salas de aula.

Ø  Sala de professores.

Ø  Sala de secretaria.

Ø  Biblioteca.

Ø  Laboratório de informática.

Ø  Sala de direção.

Ø  Almoxarifado.

Ø  02 dispensas.

Ø  Cantina

Ø  Sanitários para alunos sendo, um com acessibilidade.

Ø  Residência do ocupante da zeladoria.

Ø  Pequeno pátio coberto ginásio de esporte coberto. 

Ø  Áreas livres.

 

            A maioria das salas é ampla(figura02A)as conservações do espaço físico em geral são boas, graças ao trabalho de conscientização de alunos e comunidade visando à preservação do prédio escolar.(figura02 B).

 

 

aeb.jpg

Figura 02. (A) Sala de aula e (B) espaço físico da escola.

 

 

            Vale ressaltar, infelizmente, que nem sempre há recursos financeiros para todas as intervenções e reparos necessários.

Para o momento e o dia que estivemos na entidade educativa sua estrutura é boa, possui dependências que ajudam e protegem a comunidade escolar durante sua entrada e saída da entidade escolar (figura 03).

 

aeb2.jpg

 

Figura 03. (A)Área de acesso da escola,(B) alunos do turno da manhã pertencentes recebendo seu lanche, na área do pátio.

 

 

São24 turmas de biologia08 por turno, comum total de quatro docentes, sendo dois efetivos e dois contratados.

            Quanto à estrutura, física ocupada e qualidade dos serviços são bons, figuras 02 e03, pois conseguem manter uma excelente organização e sempre procuram estar adaptados com a sociedade que a eles são apresentados.

            Possui um pátio coberto onde fica localizada cantina e é oferecida a merenda para alunos visitantes e professores(figura 03 B).

            A administração é formada por uma diretora e uma vice-diretora,a supervisão acontece através do programa de governo estadual SISMÉDIO.Não há atendimento psicológico na escola.

            A escola também exige dos professores planejamento de curso individual bimestralmente, e quanto a formação dos professores, um é mestre e os demais sãograduados.Os discentes não dispõemde livros de biologia.

            A secretaria está bem localizada(figura 04 A), possui boa organização, ambiente interno amplo, (figura 04B) não possui secretário, no entanto,possui funcionários que desempenham esta função.            Na secretaria, está localizada a sala da direção(figura 04C), sala dos professores, (figura 04 D) serviços de xerox, (figura 04 C), e atendem as exigências proporcionadas pelos alunos e funcionários.

 

 

abcd.jpg

 

Figura 04. (A, B, C, D) Secretaria (C), entrada para sala da diretoria, (B) e sala dos professores (D).

 

 

            A escola possui laboratório de informática (figura05), sala usada para diversas atividades, e.g. vídeo aulas e exibição de filmes e documentários.

 

 

Descrição: C:\Users\Betania\Pictures\2016-08-24 001\P1000329.JPG

 

Figura 05. Área interna do laboratório de informática.

 

 

            A biblioteca (figura06A) possui funcionamento adequado e satisfatório, tanto paraa realização das suas pesquisas, como para esclarecimento de dúvidas com os funcionários que ali se encontram.

            A escola possui cantina (figura 6B) e refeitório, apresentando-se um local bem higienizado. 

 

 

abhigiene.jpg

Figura 06. (A) Biblioteca e (B) cantina da escola.

 

 

A escola realiza uma feira de ciências, que abre as suas portas para a participação da comunidade de um modo geral, com realização de culminâncias por todos os discentes ao longo do ano.

            Portaria e serviços gerais atendem satisfatoriamente as condições de estabelecimento educacional.

            A recreação acontece de forma bem tranquila e participativa, a entidade educacional possui um ginásio poliesportivo coberto (figura07).

 

abginasio.jpg

Figura 07. (A) Entrada para o ginásio poliesportivo e (B) espaço físico interno do ginásio com proteção.

 

 

PERFIL DO PROFESSOR COLABORADOR E SUA PRÁTICA DOCENTE

 

            A professora Cristiane da Costa Santos é graduada em Licenciatura em Biologia e Especialista em Ciências Ambientais. Atua como professora há 12 anos,anteriormente foi professora de matemática e ciências.Ela escolheu o curso de biologia por opção e curiosidade, além de ter sido uma das disciplinas que mais gostava no ensino médio.Segundo a professora, a biologia é uma disciplina de extrema importância e está diretamente relacionada ao entendimento da vida e ser professor de biologia e muito importante, pois os demais conhecimentos relacionados à vida e sua importância estão ligados a esta disciplina. Ensinar conceitos científicos são importantes para o entendimento da vida, conhecer suas características, o meio ambiente, sua importância para a manutenção dá vida na terra; entre outros objetivos a mais.

            Diante da inúmera oportunidade de melhorias profissionais a professora tentaria conciliar as duas atividades, mas não deixaria de lecionar porque gosta muito do que faz e pretende ingressar num mestrado para posteriormente ser professora universitária.

 

 

PRÁTICAS DOCENTES AVALIADAS PELOS COLEGAS DE ESTÁGIO

 

            Os pesquisadores foram levados pela professora Maria José para as turmas de 1º, 2° e 3° ano(figura 08)e foram apresentados aos discentes pelos próprios docentes da instituição educadora, que se encontrava em sala de aula.

Tivemos já, nestes momentos, a responsabilidade de proporcionar um interesse maior ao alunado, fazendo com que, permanecessem na escola até o final da aula-palestra, que foi ministrada pelos professorandos, tanto para os alunos do turno da manhã, como para os alunos do turno da tarde. Dando continuidade referente ao que professores e funcionários já haviam comentado, que não seria uma simples aula, haveria uma apresentação prática, seria uma aula palestra com o objetivo de proporcionar aos discentes certo esclarecimento acerca da importância da biologia e o exercício de ouvir para aprender, pois é através dos conhecimentos adquiridos que se tem condições de entender o funcionamento do mundo ao seu redor, essas informações que seria  passada  são de grande valia e  necessária para a comunidade escolar, pois  profissionais que trabalham na área biológica iram mostrar na prática como são realizados alguns experimentos.

 

 

 

Figura 08. Apresentação dos professorandos em sala de aula.

 

 

Foi realizado um experimento relacionado à água e seus contaminantes e o segundo experimento voltado para alguns parasitas bastante frequentes nas águas desta região.

            Para início das aulas-palestra fez-se necessário uma breve apresentação, tanto no turno da manhã, como no turno da tarde, apresentação está realizada pela professora de biologia Cristiane.

            Antes e durante cada apresentação, os professorandos Marcelino e Maria José preparavam o material das apresentações (figura09).Durante cada apresentação,procurava-se sempre manter o foco relacionado ao tema referente às aulas e ao tema da palestra, como também usar metodologias que se adaptassem ao conjunto de realidades que a comunidade estava sendo exposta procurando não fugir do tema da palestra e das aulas: a água, sua importância e parasitas (temas transversais).

 

abcmaterial.jpg

 

Figura 09.Preparação do material para exibição durante a aula-palestra.

 

 

Descrição: C:\Users\30464927404\Documents\escola itapororoca imagens\P1000387.JPG

 

Figura 10. Alunos no pátio da escola, Severino Felix de Brito assistindo aula palestra no turno da manhã com o tema: água, sua importância e contaminantes.

 

 

Descrição: C:\Users\30464927404\Documents\escola itapororoca imagens\P1000396.JPG

 

Figura 11. Professorando Marcelino no exercício de sua atividade docente para todos os professores, e alunos do 1°, 2º, e 3º da escola.

 

 

 

Figura 12.  Alunos do turno da tarde no momento de reflexão do tema apresentado durante a palestra.

 

 

            O professorando José Marcelino de lima Silva (figura 11) ministrou aula-palestra em partes dos turnos manhã e tarde (figuras 10 e 12). Aulas corridas no 1°, 2°, e 3° ano da escola estadual.No 1° ano foi apresentado o tema organização celular. Os professorando mostraram domínio do conteúdo tanto do tema de palestra como no tema das aulas e fez ótima explanação, interagindo com os alunos e fazendo comparações do cotidiano, tornando a aula e palestra bastante dinâmica e muito interessante, também avaliou o conhecimento dos alunos durante palestra e aula, esclarecendo as dúvidas quando indagadas.

            No 2° e 3º ano momento da apresentação dos professorandos, para os alunos. Manteve a mesma postura de comportamento em exercício de sua atividade docente, tema, material genético o comando da vida. No 3° ano foi apresentado o tema classificação dos seres vivos e manteve sua postura de educador.

            O professorando Jurandi Mendes dos Santos ministrou suas aulas no 1°, 2°, 3° ano na escola. No 1°ano abordou o tema organização celular com participação dos professores Marcelino e Maria José, usados como estratégia colaboradora e estarem mais seguros diante do público, manteve bom envolvimento com os alunos e apresentou segurança do assunto.

            No 2° ano apresentou o tema organização do material genético, mostrou mais tranquilidade, mas manteve a mesma postura e estratégia que usou no 1° ano.

            No 3° ano o tema apresentado foi classificação dos seres vivos, continuo com a mesma estratégia usada no 1° e 2° ano.

A professora Maria José já é educadora da instituição. Apresentou aula no 1°, 2°, e 3° ano, no 1° ano o tema da aula foi organização celular, no 2° material genético o comando da vida e no 3° ano a classificação dos seres vivos.

A diretora, juntamente com todos os professorandos e duas funcionarias que estiveram presentes todo o tempo na preparação do equipamento eletro eletronico que muito contribuio para o exito de nossos trabalhos até o final (figura 13).

 

 

Descrição: C:\Users\30464927404\Documents\escola itapororoca imagens\P1000404.JPG

 

Figura 13. Exibindo lado direito a diretora geral da instituição de ensino a Sra. Divânia Selia de Brito, professorandos e demais colaboradores no encerramento das atividades.

 

 

AUTO-AVALIAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE

 

            Seguem abaixo os nossos depoimentos pessoais.

 

Como tudo pela primeira vez e algo novo e deixa qualquer iniciante um pouco preocupado e nervoso, procurei manter a postura de tranquilo, pois estava a começar um sonho de minha vida ser educador e estava diante não só de uma turma, mas de todas as turmas e professores desta entidade educacional, que esperavam ansiosos por aquele momento.

            O estagio supervisionado em forma de aula-palestra era uma novidade e aula pratica dessa maneira mais ainda.

            Entendi naquele momento quanto me foi importante estar atento as aulas de minha formação, estava aprendendo na minha pratica algo novo, e quanto foi necessário na atualidade o que aprendi, fez-me lembrar de todos os professores da universidade aberta UVA que passaram pela turma 222 o qual se dedicaram bastante para práticas de suas aulas, o que falaram com referência ao segundo, terceiro, quarto etc. plano de aula.

            Considerando-me naquele momento professor, fato constatado por causa da forma que os discentes se manifestaram e os meus próprios colegas de sala de aula durante a apresentação dos seminários, ficavam satisfeitos com a apresentação entendiam e compreendiam o tema apresentado. Prossegui a aula palestra com bastante dedicação e entusiasmo.

 

            Um ponto negativo que pude verificar e a falta de interesse e dedicação por parte de alunos que se mantêm desatentos dentro e fora da sala de aula. Um ponto bastante positivo foi à forma como a maior parte dos discentes e docentes se mantiveram atento naquele momento novo. E pude verificar na pratica quanto e importante certos momentos durante a atividade educacional.

José Marcelino de Lima Silva

 

 

            “Poder seauto-avaliar ainda é complicado, porque a atividade docente exige muita dinâmica e decisões rápidas, há momentos em que me considero capacitado e outros não,por causa do medo de falar em público, más agora obtive êxito, com ajuda de Deus e dos meus companheiros da turma 222, em especial, Marcelino e Maria José que me fizeram acreditar que poderia ser capaz e superei o medo. Quanto aos pontos negativos e positivos faço minhas as palavras que escreveu o colega Marcelino.

Jurandi Mendes de Oliveira.

 

 

Como professora, lecionando hoje a disciplina de Ciências de 6º ao 9º Ano no município de Itapororoca- PB, com formação acadêmica em Licenciatura curta em Estudos Sociais e Licenciatura Plena em Pedagogia, compreendi a necessidade de um aprendizado mais amplo e contextualizado que propicie ao alunado uma significação real dos conteúdos para sua atuação cidadã na sociedade e no trabalho, compreendendo que as Ciências em geral, é um conjunto de conhecimentos que se modifica ao longo dos tempos e não estão definitivamente estabelecidos.

O curso de Biologia me proporcionou um domínio cada vez maior sobre a natureza do conhecimento com responsabilidade, desenvolvendo um pensamento lógico e espírito crítico de forma responsável, de modo a contribuir para a melhoria das condições ambientais, da saúde e das condições gerais de vida de toda a sociedade e do planeta.

Maria José dos Santos

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A escolha por esta instituição, está relacionada a um conjunto de condições que foram viáveis como o curso ser oferecidos apenas aos sábados e o valor da mensalidade ser bastante acessível. As instalações da UVA que se encontram localizadas nas dependências do IESP, são satisfatórias, possui uma ótima localização, facilitando o acesso para os discentes e docentes, possui ótima estrutura e com recursos multimídias, salas climatizadas, banheiros amplos, laboratórios, possui também em suas dependências lanchonetes em sua área interna, facilitando a vida dos discentes que não precisam se deslocar para outro local com o objetivo de fazer suas refeições. Logo que cheguei a essa entidade educacional fui bem acolhido, tanto pelos funcionários como pelos professores, que sempre se mostraram solícitos e esclarecedores em nossas dificuldades. Sempre que precisei de alguma informação e ajuda sobre o curso, fui prontamente atendido. A área que mais me identifiquei foi Botânica, por achar interessante que através do estudo dos vegetais em especial à célula vegetal, podemos determinar a nossa forma de vida, o nosso comportamento e as características que poderemos ter individualmente por causa da organização como se apresenta a célula vegetal, um espelho para a vida e como essas características são importantes para o dia a dia. As áreas que pior identifiquei até o momento não consigo saber porque todas estão interligadas de uma forma ou de outra, temos que saber e compreender as características e o funcionamento geral de tudo para melhor nos situarmos. Este curso teve uma grande importância para minha vida pessoal e profissional, pois veio a somar, me trazendo mais conhecimento e entendimento de situações do dia a dia. Ao concluir essa etapa de minha formação, hoje tenho outra visão do que significa a vida e estar presente em sala de aula. Pois ser professor não é uma tarefa fácil, embora pratiquemos essa profissão a vida toda. Com relação ao estágio, pude colocar em prática o que aprendi em sala de aula, e ao observar a maneira e a forma como os professores exerciam suas atividades, aprendi a adequar a realidade a qual poderia estar inserido e serviu como base para minha pratica docente. Concluo esta etapa de minha vida mais seguro e confiante em mim mesmo, certo de que todos os esforços praticados por mim e meus educadores não serão em vão. O estágio supervisionado deu-me a certeza e a confirmação acerca do que os colegas em sala de aula, meus familiares e colegas de trabalho diziam, que deveria ser Professor por causa da minha forma de procurar entender e facilitar o entendimento do outro.

José Marcelino de Lima Silva

 

Ao escolher esta instituição educacional deu-se a princípio pelas aulas que seriam aos sábados, e a escolha pela disciplina biologia foi mais por que depois eu veria a possibilidade de transferência para área de Educação Física, mas desisti da área de educação física e continuei na disciplina de biologia, pois cada vez mais me fascinava a maneira e forma como era passado os ensinamentos pelos docentes disciplinas relacionada a biologia. Resolvi que deveria aprender mais desse curso maravilhoso, a vida, o Meio Ambiente, as formas como as coisas acontecem, em fim tudo que abrange a vida e seus estudos científicos. Desta vez consegui ir para o estágio supervisionado e foi surpreendentea ajuda dos colegas Maria José e Marcelino. As  instalações da UVA que se encontram localizadas nas dependências do IESP, são satisfatórias, possui uma ótima localização, facilitando o acesso para os discentes e docentes, possui ótima estrutura e com recursos multimídias, salas climatizadas, banheiros amplos, laboratórios, possui também em suas dependências lanchonetes em sua área interna, facilitando a vida dos discentes que não precisam se deslocar para outro local com o objetivo de fazer suas refeições. As relações estabelecidas em sala de aula desta vez contribuíram ao máximo para o meu êxito obrigado a todos.

Jurandi Mendes de Oliveira

 

Ao escolher esta instituição, inclui um conjunto amplo de condições que foram viáveis como a possibilidade do curso ser oferecidos apenas aos sábados e o valor da mensalidade ser bastante acessível.As instalações da UVA que se encontram localizadas nas dependências do IESP, são satisfatórias, possui uma ótima localização, facilitando o acesso para os discentes e docentes, possui ótima estrutura e com recursos multimídias, salas climatizadas, banheiros amplos, laboratórios, possui também em suas dependências lanchonetes em sua área interna, facilitando a vida dos discentes que não precisam se deslocar para outro local com o objetivo de fazer suas refeições. Cursei Pedagogia no ano de 2004 na extensão da cidade de Mamanguape na mesma universidade e condições estabelecidas. A minha grande dificuldade é em relação a distância pois moro na cidade de Guarabira-PB e enfrentei alguns desafios relacionados ao percurso, no entanto valeu a pena cada esforço pois, como forma de aprimorar meus conhecimentos também pude fazer novos amigos de forma que compreendi a complexidade do mundo com condições necessárias para viver dignamente e desenvolver possibilidades pessoais e profissionais, aumentando os valores que me permitem compreender o mundo fortalecendo as bases para continuar progredindo ao longo dos anos desenvolvendo habilidades e estímulo ao surgimento de novas aptidões essenciais ao desenvolvimento de uma sociedade contemporânea. O homem é aquilo que ele decide ser. Tendo em vista que o seu conhecimento faz parte da estrutura racional, uma vez que seu universo de conhecimento é abrangente, compreendi a necessidade de aprimorar meus conhecimentos e optei em fazer o curso de Biologia. Como na maioria das profissões, o professor se vale de uma diversidade de saberes advindo de diferentes áreas. Ele precisará, em sua prática, dos saberes da disciplina que ministra, dos saberes pedagógicos, dos saberes de sua formação profissional e dos saberes de sua experiência adquiridos no trabalho cotidiano.

Maria José dos Santos

 

 

REFERÊNCIAS

 

BIZZO,Um Pouco de História Brasileira das Ciências Biológicas no Brasil. <Disponível em: portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/07Biologia.pdf>. Acesso em: 24 de abril 2016.

 

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

 

CUNHA,A importância de uma alimentação adequada na educação infantil. Disponível em:<http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/3507/1/MD_ENSCIE_IV_2014_57.pdf>  Acesso em: 17 de abril 2016.

 

DICIONÁRIO AURÉLIO, 2016. Disponível em: <https://dicionariodoaurelio.com/substantivo> , Acesso em: 19 de  maio 2016.

 

FIGUEIROA, ALCINA, Atividades laboratoriais e educação em ciências.Disponível em:<http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/7997?locale=es>, Acesso em: 24 de abril 2016.

 

FORNARI, L. T. Reflexões acerca da reprovação e evasão escolar e os determinantes do capital. Revista Espaço Pedagógico, v. 17, n. 1, 2012.

 

KONDER. O Ensino de Ciências no Brasil: um breve resgate histórico In: CHASSOT, A. e Oliveira, J. R. (org). Ciência, ética e cultura na educação. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 1998, p. 25..

 

NUNES, M de J.O professor e as novas tecnologias,2009. p. 92, Monografia.Universidade do Estado da Bahia. Salvador, BA.

 

NAGEM, R. L.; FIGUEROA, A. M. S.; CARVALHO, E. M. de. Metodologia de Ensino com Analogias: um estudo sobre a classificação dos animais. Revista Iberoamericana de Educación, p. 1-8, 2003.

 

RIBEIRO, A. C. E.A globalização e seus efeitos no ensino.Disponível em:<http://www.portalbrasil.net/2006/colunas/administracao/agosto_16.htm>. Acesso em:  24 de abril 2016.

 

SILVA, F. S. S. da; MORAIS, L. J. Ol.; CUNHA, I. P. R. Dificuldades dos professores de Biologia em ministrar aulas práticas em escolas públicas e privadas do município de Imperatriz (MA). Revista Uni, v. 1, n. 1, p. 135-149, 2011.

 

WALDHELM, M. C. V. Como aprendeu ciências na educação básica quem hoje produz ciência. Rio de Janeiro, PUC/RJ.(Tese Dout.). Geologia no Ensino Secundário português: contributos da Associação Portuguesa de Geólogos. Lisboa: Revista Geonovas, v. 21, p. 75-86, 2007.

 

 

 

 

 

ANEXO - Ofício de Estagio, Fichas de Diagnose da Escola, Perfil do Colaborador, Observação de Aulas do Colaborador, Observação de Aulas do Colega de Estágio, Frequência e Avaliação do Estágio Supervisionado pelo Professor Colaborador.

 

 

UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ

Reconhecida pela portaria N° 821/MEC – D. O. C. de 01.06.1994

UNIVERSIDADE ABERTA VIDA – UNAVIDA

CURSO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA

 

 

 

 

Ilmo(a) Sr(a) Diretor(a)

 

Os Alunos______________________________________________________________

                 ______________________________________________________________________
                 ______________________________________________________________________

 

 

            Regularmente matriculados no Curso de Licenciatura Específica em Biologia da Universidade Estadual Vale do Acaraú / Universidade Aberta Vida, precisam cumprir um pré-requisito importante para concluir tal nível de graduação. Trata-se de um estágio em uma unidade de ensino, inclusive com exercício de docência. Este estágio faz parte das exigências das disciplinas Estágio Supervisionado e Prática de Ensino de Biologia. Neste sentido, o reconhecimento e assinatura desta declaração oficializarão o Estágio Curricular dos Professorandos a ser executado na presente instituição sob vossa permissão.

            Desde já agradecemos a oportunidade e aceitação.

 

 

                                                                                              João Pessoa, ___/___/___.

 

 

 

 

______________________________________

MsC. Estevam Araujo

Prof. Orientador da Disciplina

 

 

 

_______________________________________

Diretor(a) da Instituição de Estágio

 

 

UNIVERSIDADE ABERTA VIDA – UNAVIDA / UVA

LICENCIATURA EM BIOLOGIA

DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO / PRÁTICA DE ENSINO DE BIOLOGIA

CARGA HORÁRIA: 60 HORAS / CRÉDITOS 04

PROFESSOR: Deivid Almeida da Costa

NOME DO ESTAGIÁRIO:________________________________________________

PROFESSOR COLABORADOR:___________________________________________

 

DIAGNOSE DO CAMPO DE ESTÁGIO (Ficha 1)

(aplicar aos três segmentos: administração, professor, aluno)

 

- Estágio de Observação

 

Estabelecimento:_________________________________________________________

 

1. Estrutura física (salas de aula, secretaria, biblioteca, instalações sanitárias, áreas de recreação, cantina, móveis, carteiras).

Ótima (  ) Boa (  ) Regular (   ) Insuficiente (   ).

 Obs.:__________________________________________________________________________________________________________________

2. Número de salas de aula: (   ) suficiente (   ) insuficiente _______________________

 

3. Número de alunos por sala: (   ) suficiente (   ) excedente ______________________

 

4. Número de turmas de Biologia: ___________________________________________

 

5.Número de docentes:______ Efetivos:_________ Não efetivos:_____________

 

5.1. Número de docentes: (  ) suficiente (   ) insuficiente. Obs.: ____________________

____________________________________________________________________________________________________

 

6. Estrutura, acesso e qualidade dos serviços:

 

6.1.Administração:_________________________________________________________________________________________________

6.2.Supervisão:____________________________________________________________________________________________________

6.3. Orientação e atendimento psicológico____________________________________________

________________________________________________________________________________________________________________

 

.6.4.Secretaria:______________________________________________________________________________________________

 

6.5.Biblioteca:__________________________________________________________________

_______________________________________________

6.6. Cantina e serviço de  xerox:__________________________­­­­__________________

_________________________________________________________________________

6.7. Portaria e Serviços gerais:______________________________________________

________________________________________________________________________________________________________________

6.8.Recreação:____________________________________________________________________________________________________

 

7. Recursos didáticos (suficiente ou não): ________________________________________________________________________________________________________

 

7.1. Acesso: (   ) bom (   ) regular (   ) insuficiente. Obs.:___________________________________________

 

7.2. Todos os alunos têm livro de Biologia: (   ) sim (   ) não. _____________________

 

7.3. Laboratórios:

- Informática: (   ) sim (   ) não. Freqüência de utilização:________________________

 

- Biologia: (   ) sim (   ) não. Freqüência de utilização: ___________________________

 

 

8. A escola promove feiras culturais ou de ciência? Se sim, especificar. Se não, por que? ______________________________________________________________________________________

9. A escola exige dos professores planejamento de curso individual? ______________________________________________________________________________________

- Se sim, responda:

 

9.1. Anualmente (   ); Semestralmente (   ); Bimestralmente (   ). _____________________________________________________________________________________

10. Formação dos professores:

- Percentual de graduados:_______________________________________________

- Percentual de mestres:_________________________________________________

- Percentual de doutores:__________________________________________________

- Percentual sem qualificação na área de atuação:______________________________

 

11. Comentários e observações:_____________________________________________

____________________________________________________________________________________________

                                                                         _________________________________                                                                                                             Professorando

                                                                                  Local / Data:__________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PERFIL DO PROFESSOR(A) DE BIOLOGIA (Ficha 2)

(professores de Biologia da Escola)

 

- Formação acadêmica e Experiência profissional:________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________

 

- Motivo de escolha do curso e satisfação:______________________________________________

__________________________________________________________________________________________________________

 

- Quais os seus conceitos para:

 

Biologia?________________________________________________________________________________________________________________

Profissão professor?______________________________________________________________

_____________________________________________________________________________________________________________________

 

- Em sua opinião, quais os objetivos do Ensino de Biologia?_______________________________

______________________________________________________________________________________________________________________

 

- Hoje, diante de outra oportunidade profissional, você deixaria de ser professor? Por que?________
_______________________________________________________________________________________________________________________

- Quais são suas expectativas futuras diante desta profissão?_______________________________

________________________________________________________________________________________________________________________

Professorando

 

                                                                       Local / Data:______________________

UNIVERSIDADE ABERTA VIDA – UNAVIDA / UVA

LICENCIATURA EM BIOLOGIA

DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO / PRÁTICA DE ENSINO DE BIOLOGIA

CARGA HORÁRIA: 60 HORAS / CRÉDITOS 04

PROFESSOR: Deivid Almeida da Costa

PROFESSORANDO:___________________________________________________

 

OBSERVAÇÃO DE ATIVIDADE DOCENTE (Ficha 3)

 

- Estágio de observação

- Esta ficha  ficará a cargo do estagiário responder ao observar a aula ministrada pelo professor.

ESCOLA:______________________________________________________________

 

PROFESSORCOLABORADOR:___________________________________________

TURNO:_____ SÉRIE/TURMA:______ DATA:___/___/___. HORÁRIO:__________

 

1.ASSUNTO:___________________________________________________________

 

2.RECURSOS:_______________________________________________________________

3.ESTRATÉGIAS:_________________________________________________________________

4. MATERIAL DIDÁTICO______________________________________________________

 

5. DESENVOLTURA DO PROFESSOR (liderança, autonomia, organização e condução do processo):___________________________________________________

______________________________________________________________________

______________________________________________________________________

 

5. REAÇÃO DISCENTE (interesse, participação,iniciativa):______________________

___________________________________________________________________________________

 

6. AVALIAÇÃO: SIM (  ) NÃO (  ). Em caso afirmativo, relatar e comentar. _________________________________________________________________________________________

 

7.OBSERVAÇÕES:____________________________________________________________________________                                              _______________________________________________

                                                                                              Professorando

                                                                       Local / Data:_________________________

UVA – UNAVIDA – UNIVERSIDADE ABERTA VIDA

LICENCIATURA EM BIOLOGIA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DE BIOLOGIA

PROF. Deivid Almeida da Costa

OBSERVAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PRÁTICA DOCENTE (Ficha 4)

 

Professorando(a) observador(a):____________________________________________________

Professorando(a) observado(a):_____________________________________________________

Escola:___________________________________________________________ data:___/___/___

            (  ) Pública     (  ) Privada

 

Conteúdo/Tema: _________________________________________________________________

 

Série:__ Turno:__ Professor(a) licenciado(a) em Biologia: ( )sim ( )não ( )cursando

 

Habilidades docentes: atribuir os seguintes conceitos: insuficiente (I); regular (R); bom (B); muito bom (MB); ótimo (O). Justifica-los:

COMENTÁRIOS E JUSTIFICATIVAS

1. Autonomia em conhecimento: _______

 

2. Habilidades comunicativa e relacional:____

 

 

 

 

 

3. Metodologia:

 

3.1. Estratégias de vinculação dos conhecimentos apresentados com o cotidiano, com a vida do aprendiz __________________

3.2. Adequação de recursos:______________

3.3. Utilização e exploração satisfatória dos recursos:________________________________

3.4. Procedimentos:_______________________

3.5. Envolvimento e participação:___________

 

 

 

4. Avaliação: (  ) Processual  (  ) Estanque, dos conteúdos apenas (  ) inexistente

 

4.1. Sujeitos: (  ) professor apenas

                       (  ) alunos e professor

OBSERVAÇÕES E COMENTÁRIOS

 

 

 

 

5. Conclusões gerais e sugestões ou recomendações às possíveis distorções:

____________________________________________________________________

____________________________________________________________________

 

UVA – UNAVIDA – UNIVERSIDADE ABERTA VIDA

LICENCIATURA EM BIOLOGIA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DE BIOLOGIA

PROF. Deivid Almeida da Costa

 

 

OBSERVAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PRÁTICA DOCENTE (Ficha 5)

 

- Esta ficha ficará a cargo do(a) professor(a) colaborador(a) preencher. Ele(a) contribuirá com o processo de avaliação do estagiário em seu campo de estágio.

 

Professorando(a) observado(a):_____________________________________________________

Professor(a) colaborador(a):_______________________________________________________

 

Escola:___________________________________________________________ data:___/___/___

            (  ) Pública     (  ) Privada     Série:____ Turno:_______

 

Conteúdo/Tema: _________________________________________________________________

 

Atribuir uma nota de 0 a 10 para cada um dos itens apresentados a seguir

 

DESEMPENHO

  Nota

1. Desenvolve o trabalho de administração da aula em tempo previsto.

 

2. Demonstra conhecimento e segurança em relação ao conteúdo da aula.

 

3. Apresenta boa postura, seriedade e ao mesmo tempo uma relação de reciprocidade com os alunos, levando-os ao interesse e a participação.

 

4. Utiliza materiais didáticos condizentes com o assunto-aula, explorando-os bem.

 

5. Segue uma seqüência didática lógica na apresentação dos conteúdos

 

6. Relaciona os conhecimentos da aula com o cotidiano, levando o aluno a compreender a sua função prática,

finalidades e sentido de aprendizagem

 

                                    Média =

 

 

Comentários:_________________________________________________________________

 

                                                                                              Professor(a) colaborador(a)

 

 

UVA – UNAVIDA – UNIVERSIDADE ABERTA VIDA

LICENCIATURA EM BIOLOGIA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DE BIOLOGIA

PROF. Deivid Almeida da Costa

 

REGISTRO DE FREQUÊNCIA DO ESTAGIÁRIO (Ficha 6)

 

Professorando(a):________________________________________________________________

 

Escola:___________________________________________________________ data:___/___/___

(  ) Pública  (  ) Privada                                                     Séries:_____________ Turnos:________

 

Professor(a) colaborador(a):_______________________________________________________

 

Período do estágio:___/___/____ a ___/___/___.

 

DATA

HORA

INICIAL

HORA FINAL

SÉRIE

ATIVIDADE DESENVOLVIDA

Assinatura do(a) professorando(a)

Assinatura prof. Colaborador(a)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Observações:________________________________________________________________________



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Logística Reversa     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias