ISSN 1678-0701
Número 61, Ano XVI.
Setembro-Novembro/2017.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Logística Reversa     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Relatos de Experiências

11/09/2017DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO BIOLÓGICA EM COMUNIDADES RIBEIRINHAS E LITORÂNEAS  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=2905 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO BIOLÓGICA EM COMUNIDADES RIBEIRINHAS E LITORÂNEAS

 

Gil Dutra Furtado1

 

1 Engenheiro Agrônomo/Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Especialista em Psicopedagogia/UNINTER; Mestre em Manejo de Solo e Água/UFPB; Doutor em Psicobiologia/UFRN; Pós-Doutor em Desenvolvimento e Meio Ambiente/UFPB; Professor Colaborador do PRODEMA/UFPB. E-mail: gdfurtado@hotmail.com

 

 

RESUMO.A extensão é um elo que liga a tecnologia adquirida por meio das instituições e as comunidades em geral. Os trabalhos extensionistas desenvolvidos no presente estudo têm sido alcançados através das ações que ocorreram durante os anos de 2011 até o ano de 2014. A pesquisa viabilizou a aproximação das soluções encontradas para os residentes da Praia da Penha, no município de João Pessoa-PB, desenvolvidas e direcionadas para a realidade desta comunidade que foi alvo de muitas ações realizadas.As atividades de ensino foram desenvolvidas através do oferecimento dos componentes curriculares do curso de pós-graduação, onde temos as disciplinas: "Uso de Resíduos na Agricultura", “Bioclimatologia Animal” e “Introdução ao Comportamento Animal” e aplicações de aulas na graduação na disciplina de “Ecologia Aplicada”. Realizam-se orientações e co-orientações acadêmicas com nove alunos mestrandos da pós-graduação e acompanhou-se um aluno até o término das atividades de mestrando; orientação e acompanhamento de atividades com alunos graduandos de vários cursos da UFPB e IFPB.A comunidade mostra-se atualmente mais preparada para enfrentar o atual avanço do meio urbano, que para eles não traz os benefícios esperados, levando-os a distanciar-se das atividades tradicionais (pesca) que vivem e sobrevivem até os dias atuais. Os conhecimentos a eles agregados trazem uma oportunidade para continuarem em suas casas e proporcionarem um futuro com mais qualidade para as suas famílias.

 

 

Palavras-chave: Aquicultura; Extensão; Pós-Graduação; Ração alternativa.

 

 

 

DEVELOPMENT OF BIOLOGICAL PRODUCTION TECHNOLOGIES IN RIPARIAN AND COASTAL COMMUNITIES

 

ABSTRACT. Extension is a link that links technology acquired through institutions and communities in general. The extension work developed in the present study has been achieved through actions that occurred during the years of 2011 to the year 2014. The research enabled the approximation of the solutions found for the residents of Penha Beach, in the municipality of João Pessoa-PB, developed and directed to the reality of this community that has been the purpose of many actions taken. The teaching activities were developed through the offering of curricular components of the post-graduate course, where we have the disciplines: "Use of Residues in Agriculture", "Animal Bioclimatology" and "Introduction to Animal Behavior" and applications of classes in undergraduate discipline of “Applied Ecology”. Academic orientations and co-orientations were carried out with nine master students and a student was accompanied until the end of the master's degree activities; orientation and follow-up activities with undergraduate students from various courses of the UFPB and IFPB. The community is now more prepared to face the current urban development, which does not bring the expected benefits to them, leading them to distance themselves from the traditional activities (fishing) that live and survive to this day. The knowledge they bring brings them an opportunity to stay in their homes and provide a better future for their families.

 

 

Keywords: Aquiculture; Extension; Post-Graduation; Alternative ration.

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

            A extensão é um elo que liga a tecnologia adquirida por meio das instituições e as comunidades em geral. Os trabalhos extensionistas desenvolvidos no presente estudotêm sido alcançados através das ações que ocorreram durante os anos de 2011 até o ano de 2014. A pesquisa viabilizou a aproximação das soluções encontradas para os residentes da Praia da Penha, no município de João Pessoa-PB, desenvolvidas e direcionadas para a realidade desta comunidade que foi alvo de muitas ações realizadas. O ensino sempre permeou todos os instantes destas atividades, favorecendo o aprendizado de estudantes de graduação, acadêmicos da pós-graduação,além de pescadores e comunitários em geral.

            A importância da aquicultura no meio ambiente costeiro do Brasil está relacionada com a valorização do seu potencial de desenvolvimento nos 8.500 Km de costa existentes no país (BARROSO et al., 2007). No entanto o que se observa quanto à situação socioambiental nestas regiões levantam muita inquietação, pois a competição pelo espaço, oriundos das pressões do desenvolvimento urbano, agropecuário, aquícola, industrial e turístico, proporciona mutilações e inibições no funcionamento dos ecossistemas costeiros (MADRID, 2003).

            Ante este contexto é que se desenvolveram as atividades ligadas ao Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD/CAPES), despertando crescente interesse na atuação dos pilares da universidade, que são o ensino, pesquisa e extensão, junto às progressivas ansiedades da comunidade pesqueira da Praia da Penha em desenvolver um sistema integrando variadas modalidades de produção. Tais atividades visam acompanhar e direcionar a açãoantropogênica, que consiste na ação humana na natureza, podendo acarretar alterações substanciais no ecossistema (fauna, flora e clima) de forma a não deteriorá-la (SUPLICY, 2000; BONETTI ET AL. 2000; BELTRAME, 2003).

A aquicultura contribui com mais de 48,4 milhões de toneladas, ou o equivalente a US$ 61,4 bilhões em receitas geradas (LENOCH, 2004).

            A aquicultura é uma atividade que vem crescendo no Brasil e no mundo, mas em muitas situações ainda se restringe à atividade empresarial. Com este projeto, esta atividade foi bem disseminada para a comunidade, mostrando a importância do desenvolvimento das atividades de aquicultura de forma familiar, sustentável, evitando a poluição e outros impactos ambientais causados por este tipo de atividade e buscando o reaproveitamento de resíduos orgânicos que seriam descartados no ambiente, causando graves impactos ambientais.

 

 

 

DESENVOLVIMENTO

 

            O referido pós-doutorado iniciou-se emnovembro de 2011 com desenvolvimento de atividades de ensino, extensão e pesquisa no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente(PRODEMA) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Associação dos Pescadores e Aquicultores da Praia da Penha, município de João Pessoa-PB.

            As atividades de ensino foram desenvolvidas através do oferecimento dos componentes curriculares do curso de pós-graduação, onde temos as disciplinas: "Uso de Resíduos na Agricultura", “Bioclimatologia animal” e “Introdução ao comportamento animal” e aplicações de aulas na graduação na disciplina de Ecologia Aplicada. Realizam-se orientações e co-orientações acadêmicas com nove alunos mestrandos da pós-graduação e acompanhou-se um aluno até o término das atividades de mestrando; orientação e acompanhamento de atividades com alunos graduandos de vários cursos da UFPB e Instituto Federal da Paraíba (IFPB) (um parceiro das atividades) (Figura 01); desenvolveram-se atividades em reuniões de comissões científicas (Figura 02), publicações em revistas, congressos e encontros; desenvolvimento de atividades de coordenação e revisão em periódicos (corpo editorial da revista Gaia Scientia). A comunidade também foi contemplada com o ensino direcionado para as diversas ações que se desenvolveram com o projeto (Figura 03).

 

 

 

 

Figura 01.Atividades de interdisciplinaridade com a participação de pescadores da comunidade, alunos de graduação e pós-graduação, professores de vários departamentos e profissionais da prefeitura e outros parceiros.

 

 

 

 

Figura 02. Apresentação de dados adquiridos a partir dos trabalhos de extensão, pesquisa e ensino durante o PNPD, em congressos e encontros.

 

 

 

 

Figura03.Confecção de cartilhas e materiais didáticos para a transmissão das informações para os pescadores.

 

 

            As atividades de extensão, desenvolvidas na comunidade da Praia da Penha, envolvem alunos da graduação (Figura 04), pós-graduação e membros da comunidade de pescadores(Figura 05), em que estes e seus famílias se beneficiam das técnicas transferidas, que envolveram atividades de produção de fitoplâncton e zooplâncton (Figura 06) mediante a produção de compostagem a partir dos resíduos caseiros dos próprios moradores, técnicas de reprodução e cultivo de caranguejos goiamuns, ostras, peixes ornamentais, camarões (Figura 07) e algas marinhas, objetivando a preservação do meio ambiente e agregação de renda aos mesmos, com produção de produtos orgânicos.

 

 

Figura 04. Orientação de aluno de estagiários de graduação na utilização de laboratórios na avaliação de qualidade de água dos projetos da comunidade.

 

 

 

 

Figura 05.Pescadores da comunidade, alunos de graduação e pós-graduação nas atividades de cultivo aquícola.

 

 

 

 

Figura 06.Produção de fito e zooplâncton de forma orgânica e sustentável para alimentação das criações aquícolas.

 

 

 

 

Figura 07.Orientação de pescadores e alunos da UFPB quanto a técnicas eficientes de criação de camarões em tanques como alternativa de cultivo para a comunidade.

 

 

            Os comunitários e alunos também participaram da confecção de ração doméstica, para o barateamento da produção e garantia de produção orgânica, de boa qualidade (Figura08).

 

 

 

Figura 08.Comunidade da Penha envolvida na confecção de ração alternativa para alimentação na aquicultura da comunidade, junto com professores e alunos de graduação e pós-graduação da UFPB.

 

 

            Esta atividade de produção de recursos pesqueiros é de extrema relevância, porque auxilia a que estas pessoas se tornem independentes do extrativismo, principalmente no período de inverno, em que as idas ao mar são reduzidas. Realizou-se orientação para confecção de um laboratório para acompanhamento das atividades aquícolas desenvolvidas na comunidade; expedições de observação da fauna e flora aquática (de rio e marítima) da região (Figura 09), proporcionando o conhecimento do mesmo e incentivando a conservação e preservação destes pela comunidade ribeirinha e acadêmica. A pesquisa com a confecção de filtros para tratamento biológico dos sistemas de cultivo, com componentes naturais, para ampliar a qualidade das criações realizadas na comunidade, também se aglomera neste projeto (Figura 10).

 

 

 

Figura 09.Expedição técnica para observação e aula prática no meio ambiente.

 

 

 

 

Figura 10.Confecção e teste de filtros biológicos/naturais e outros com objetivo de proteger o meio ambiente, reutilizar materiais disponíveis na comunidade e eficientes.

 

 

            Nas atividades de pesquisa, direcionadas para a comunidades pesqueira, realizaram-se observações e manipulações do ciclo de reprodução e produção de fitoplâncton e zooplâncton, para aperfeiçoamento da produção de compostagem com material oriundo da comunidade, técnicas de reprodução e cultivo de caranguejos goiamuns, ostras (Figura 11), camarões e algas marinhas (Figura 12), sendo alguns destes trabalhos replicados no laboratório da UFPB (LABEA - Laboratório de Ecologia Aquática). Neste aspecto, busca-se associação com demais pesquisadores de áreas afins, para proporcionar o intercâmbio de saberes (Figura 13)e aprimoramento das técnicas e ações competentes de forma interdisciplinar, incluindo com técnicos da EMBRAPA.

 

 

 

 

Figura 11. Produção de ostras orgânicas em tanques como tecnologia de renda alternativa para os pescadores.

 

 

 

 

 

Figura 12.Trabalho de cultivo de algas com a comunidade e a participação dos alunos da UFPB.

 

 

 

 

Figura 13.Visita técnica a criadores e laboratórios de produção de camarões para orientação de pescadores, alunos de graduação e pós-graduação.

 


CONCLUSÃO

 

            A comunidade mostra-se atualmente mais preparada para enfrentar o atual avanço do meio urbano, que para eles não traz os benefícios esperados, levando-os a distanciar-se das atividades tradicionais (pesca) que vivem e sobrevivem até os dias atuais. Os conhecimentos a eles agregados trazem uma oportunidade para continuarem em suas casas e proporcionarem um futuro com mais qualidade para as suas famílias. As técnicas observadas e aplicadas de extensão, proporcionaram aos alunos da universidade melhores oportunidades de transmitir os conhecimentos técnico/científico para os ribeirinhos, proporcionando melhor aprendizado com verdadeiro efeito em suas vidas. A pesquisa que se desenvolveu mostra-se apropriada para as aspirações da comunidade, trazendo a atenção para aspectos que eles desejavam desenvolver, ampliando a aceitação dos trabalhos direcionados para a comunidade. Nota-se que ainda tem muito para se fazer, pois a extensão é uma estrada de mão dupla, em que os ribeirinhos aprendem e proporcionam aos técnicos e envolvidos a oportunidade de ampliar o conhecimento por estarem estreitando as distâncias entre Universidade e comunidade, entre as técnicas e a capacidade dos pescadores de reterem o conhecimento com todos os seus benefícios. Os acadêmicos de graduação e pós-graduação conseguem vivenciar os três pilares do ensino universitário, o ensino, a pesquisa e a extensão, tornando-os mais preparados como profissionais e projetando a própria UFPB na sociedade. O que se semeou nestes três anos é o começo de uma atuação que não pode cessar, ficando o ensejo para a permanência das ações empreitadas até este momento.

            Foi apresentado um maior suporte na área de ensino, tanto na graduação como na pós-graduação, auxiliando os professores das disciplinas de “Transferência de tecnologias para as comunidades” e “Ecologia Aplicada”.     Na pós-graduação, foi ministrada disciplinas de Tópicos Especiais I com temas estudados ao longo da sua formação. Na área de pesquisa, desenvolveram-se projetos de tecnologia ambiental, desenvolvidos pela equipe datutora, no sentido de incentivar a aquicultura familiar e o desenvolvimento sustentável em comunidades litorâneas e ribeirinhas. Essas pesquisas foram desde a produção de alimento vivo, para os organismos aquáticos, até à pesquisa sobre a produção e enriquecimento de rações.

           

 

AGRADECIMENTOS

 

            Agradecemos às facilidades fornecidas pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Laboratório de Ecologia Aquática (LABEA). Agradecemos ao presidente da Associação dos Pescadores e Aquicultores da Praia da Penha, José Paulino (“Zeca”), pelo auxílio durante as pesquisas realizadas. G.D.F. agradece à bolsa de pós-doutorado fornecida pelo Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD/CAPES), em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA/UFPB).Agradecemos ao Aquário Paraíba pelo incentivo científico.

 

 

REFERÊNCIAS

 

 

BARROSO, G.F.; POERSCH, L.H.S.; CAVALLI, R.O. (Orgs.) Sistemas de cultivos aquícolas na zona costeira do Brasil: recursos, tecnologias, aspectos ambientais e sócio-econômicos. Museu Nacional, Rio de Janeiro, 326p., 2007.

 

BELTRAME, E. Aplicação de geotecnologias na seleção de sítios para o cultivo de camarões marinhos e o planejamento da atividade. 2003. 197 f. Tese (Doutorado em Geografia), Programa de Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

 

BONETTI, J.; BELTRAME, E.; SILVA, L.F.; TORRONTEGUY, M.; MARINO, M.V. Estratégias para a avaliação da qualidade da água costeira com vista à implantação de fazenda de cultivo de camarão. Exemplo aplicado ao Sistema Estuarino-Lagunar do Rio Itapocu, SC. In: Simbrag 2000 – XI SIMPOSIO BRASILEIRO DE AQUICULTURA, 2000, Florianópolis. Florianópolis: ABARAQ / ACAq / ABCC, p. 1-11, 2000.

 

MADRID, R.M.M. Planning and regulation: industry and government perspectives. In: JORY, D.E. (Ed.) Responsible aquaculture for a secure future: proceedings of a special session on shrimp farming. Word Aquaculture 2003. The World Aquaculture Society. Baton Rouge, Louisiana, p.31-45, 300p.,2003.

 

LENOCH, R. Avaliação do risco epidemiológico da carcinicultura catarinense usando como modelo a Síndrome de Taura e a doença da mancha branca, 2004. 89f. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologia Ambiental), Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2004.

 

SUPLICY, F. A capacidade de suporte nos cultivos de moluscos. Panorama da Agricultura, v. 10, n. 57, p. 21-24, 2000.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Logística Reversa     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias