ISSN 1678-0701
Número 67, Ano XVII.
Março-Maio/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Uma crônica, um artigo e algumas histórias!     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Ações e projetos inspiradores

13/03/2019ESCOLA CULTIVA HORTA ORGÂNICA E PRODUZ MAIS DE 20 VARIEDADES DE VERDURAS E PLANTAS, NO AP  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3557 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

ESCOLA CULTIVA HORTA ORGÂNICA E PRODUZ MAIS DE 20 VARIEDADES DE VERDURAS E PLANTAS, NO AP

Produtos estão à venda na Escola Lucimar Amoras Del Castillo, em Macapá.

Por Victor Vidigal, G1 AP — Macapá

Parte da horta construída em escola pública de Macapá — Foto: Victor Vidigal/G1

A Escola Estadual Professor Lucimar Amoras Del Castillo, no bairro Santa Rita, Zona Sul de Macapá, inaugurou uma horta orgânica com uma variedade de legumes, hortaliças e plantas medicinais. Os produtos serão cultivados com apoio dos alunos como forma de diversificar o conteúdo de ensino.

A construção, iniciada em maio do ano passado, foi coordenada pelos pedagogos Maria Assunção Costa e Clóvis Freire. A maior parte do material usado na estrutura horta foi reciclado.

"Foi um período que a escola estava em reforma, aí nós reaproveitamos a madeira que dava para utilizar, reciclamos também pneus, objetos de plástico para fazer os vasos, CD's e uma outra parte da estrutura nós compramos", revelou Maria Assunção.

Dupla de pedagogos responsável por construção da horta orgânica — Foto: Victor Vidigal/G1

Os alimentos colhidos são destinados à merenda da escola, mas também vendidos para funcionários e comunidade. Para Freire, as pessoas preferem comprar com eles porque sabem do cuidado na plantação.

"Eles preferem comprar aqui por a gente ter um cuidado muito grande na plantação. Não usamos agrotóxicos, apenas adubos orgânicos como fertilizantes, o que não gera nenhum mal ao organismo humano", detalhou.

Couve, alface, pimentinha, cariri, quiabo, tomate, chicória, abóbora, coentro, cebolinha, berinjela, acelga e salsa são alguns dos vegetais encontrados na horta escolar.

Plantas medicinais também são cultivadas no local adaptado — Foto: Victor Vidigal/G1



Também é cultivado uma variedade de plantas medicinais como: hortelã, babosa, pariri, manjericão, mastruz, pirarucu e citronela.

Estudante do 7º ano do ensino fundamental, Ana Carolina Uchôa diz entender o espaço como uma forma de melhorar o ambiente escolar e o aprender novos conhecimentos para utilizar em casa.

"Normalmente as escolas não têm isso, então além de contribuir para a nossa escola também contribui para a gente aprender algo novo e pegar o hábito para usar em casa esse aprendizado", contou a aluna.

Como ainda estão de férias, os alunos não tiveram aulas práticas na horta, apenas demonstrativas e teóricas. O espaço deve ser utilizado com maior frequência durante o ano letivo de 2019.

Alunos que estão visitaram o local onde são cultivadas as verduras — Foto: Victor Vidigal/G1

Projeto

A ideia de colocar uma horta orgânica no ambiente escolar partiu do projeto Escola Verde, desenvolvido pela Unidade de Educação Ambiental da Secretaria de Estado da Educação (Seed) em parceria com o Ministério Público Estadual (MPE).

Iniciado em 2017, o projeto abrange atualmente mais de 30 escolas em Macapá, Santana e comunidades rurais da capital. Antes de ser implantado, o corpo docente de cada instituição passou por capacitação com orientação técnica e pedagógica com profissionais do setor ambiental.

Segundo Marcelina Dias, técnica da Unidade de Educação Ambiental da Seed, a ideia partiu da intenção de diferenciar as atividades dos alunos das escolas públicas.

"A gente precisava dar um diferencial nas escolas, fazer com o aluno entendesse a importância dos alimentos, não só na escola mas no ambiente familiar também. A ideia é expandir esse projeto para escolas de todo o Amapá", disse Marcelina.

Alimentos colhidos na horta são usados no café da manhã da escola — Foto: Victor Vidigal/G1

Pneus foram reciclados e servem de vasos na plantação — Foto: Victor Vidigal/G1