ISSN 1678-0701
Número 67, Ano XVII.
Março-Maio/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Uma crônica, um artigo e algumas histórias!     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Artigos

13/03/2019PROJETO HORTA NA ESCOLA: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE A HORTA IMPLANTADA NA UMEF MARINA BARCELLOS SILVEIRA, VILA VELHA/ES  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3609 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">



PROJETO HORTA NA ESCOLA: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE A HORTA IMPLANTADA NA UMEF MARINA BARCELLOS SILVEIRA, VILA VELHA/ES



SANDRA NOELIA DA SILVA SOUZA1

ARIANA CRISTINA MOURA NAZARIO1

CATHARINI ANDREATTA QUEMELLI1

JOSÉ GERALDO FERREIRA DA SILVA2



1Alunas do Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Educação

Sandra: Título acadêmico: Mestranda em Ciência, Tecnologia e Educação. Faculdade Vale do Cricaré, Endereço: R. Humberto Almeida Franklin, 01, Bairro Universitário. São Mateus - ES, CEP 29933-415. Email: sandransc@hotmail.com

Ariana: Título acadêmico: Mestranda em Ciência, Tecnologia e Educação. Faculdade Vale do Cricaré, Endereço: R. Humberto Almeida Franklin, 01, Bairro Universitário.São Mateus - ES, CEP 29933-415. Email: ariana_nazario@hotmail.com

Catharini: Título acadêmico: Mestranda em Ciência, Tecnologia e Educação. Faculdade Vale do Cricaré, Endereço: R. Humberto Almeida Franklin, 01, Bairro Universitário. São Mateus - ES, CEP 29933-415. Email: cquemelli86@gmail.com

2Orientador: Título acadêmico: Dr. em Engenharia Agrícola pela Faculdade Federal de Viçosa. Faculdade Vale do Cricaré, Endereço: R. Humberto Almeida Franklin, 01, Bairro Universitário. São Mateus - ES, CEP 29933-415. Email: j.geraldo@incaper.es.gov.br

RESUMO:

Introdução: A aprendizagem dos alunos está diretamente ligada à sua alimentação. O Governo Federal criou o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) que tem como premissa fornecer aos estudantes da educação pública nutrição adequada e permanente no âmbito escolar. Nesse contexto, a instalação de uma horta na escola permite não só o trabalho da educação alimentar, como também admite a educação ambiental e valores culturais. Objetivo: Avaliar a percepção dos alunos do 4º ano da UMEF Marina Barcellos Silveira, no município de Vila Velha, quanto à horta implantada na escola. Metodologia: Estudo descritivo, quali-quantitativo, por meio de questionário aplicado a 20 alunos do 4º ano escolar da UMEF Marina Barcellos Silveira. Resultados: 75% dos entrevistados não possuem horta em casa, mas 95% deles consomem hortaliças. Todos afirmaram querer outras variedades na horta. Discussão: Os resultados demonstram que a horta motiva os alunos a se alimentarem melhor. Conclusão: Esse trabalho comprovou a influência positiva que uma horta implantada na escola pode ter sobre os alunos que dela participam. Os alunos do 4º ano da UMEF Marina Barcellos Silveira melhoraram seus hábitos alimentares e reconheceram como a merenda ficou melhor após a implantação da horta no ambiente.

Palavras-chave: Horta na escola, Hábitos alimentares.



ABSTRACT:

Introduction: Students' learning is directly linked to their eating habits. The Federal Government created the National School Feeding Program (PNAE), whose premise is to provide students of public education with adequate and permanent nutrition at school. In this context, the installation of a vegetable garden at school allows not only the work of food education, but also admits environmental education and cultural values. Objective: To evaluate the perception of the students of the 4th year of the UMEF Marina Barcellos Silveira, in the municipality of Vila Velha, regarding the vegetable garden implanted in the school. Methodology: Descriptive, qualitative and quantitative study, by means of a questionnaire applied to 20 students from the 4th year of UMEF Marina Barcellos Silveira. Results: 75% of the interviewees do not have a home garden, but 95% of them consume vegetables. Everyone claimed to want other varieties in the garden. Discussion: The results show that the garden encourages students to eat better. Conclusion: This work proved the positive influence that a garden implanted in the school can have on the students who participate in it. The students of the 4th year of UMEF Marina Barcellos Silveira improved their eating habits and recognized how the lunch was better after the establishment of the garden in the environment.

Keywords: Vegetable garden in school, Eating habits.



1. INTRODUÇÃO



A aprendizagem dos alunos está diretamente ligada à sua alimentação, não somente na escola, mas também sua nutrição como um todo. Devido às condições financeiras, nem sempre a criança consegue em casa o necessário, cabendo à escola complementar com os alimentos pertinentes. A desnutrição está intimamente ligada ao desenvolvimento intelectual (KEHL, 2016).

Pensando na necessidade alimentar dos alunos, o Governo Federal criou o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) que tem como premissa fornecer aos estudantes da educação pública, desde a educação infantil até o ensino médio, contemplando, também, a Educação de Jovens e Adultos, nutrição adequada e permanente no âmbito escolar. Apesar de existir desde a década de 40, passou por várias mudanças ao longo dos anos, se convertendo, atualmente, em repasse de recursos aos estados e municípios para compra dos alimentos e incentiva a agricultura familiar e o respeito aos hábitos regionais (BRASIL, 1994).

O ato alimentar na escola vai além da nutrição corporal: perpassa a questão social, institui e reforça laços, estabelece vínculos culturais, sendo, ainda, oportunidade para a educação alimentar em sala de aula (GREENWOOD & FONSECA, 2018).

Nesse contexto, a instalação de uma horta na escola permite não só o trabalho da educação alimentar, como também admite a educação ambiental e valores culturais, sendo uma facilitadora dos temas transversais, principalmente meio ambiente e saúde, possibilitando, ainda, o aprendizado em ambiente diferenciado (OLIVEIRA et al, 2018).

Oliveira et al (2018) trazem ainda que:

(...) a horta escolar permite a relação entre educação alimentar, ambiental e valores sociais, possibilitando a interação dos sujeitos envolvidos, proporcionando uma sociedade sustentável através de atividades voltadas diretamente para a educação e suas diversas faces.

A Educação Ambiental deve ser trabalhada na escola como um tema transversal, trazendo ao aluno o aprendizado sobre questões ambientais com questões práticas e rotineiras. A Lei Federal nº 9.795 de 1999 (BRASIL, 1999 - Política Nacional de Educação Ambiental – PNEA) traz em seu artigo 1º:

Entendem-se por educação ambiental os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade.

Assim, a implantação de uma horta na escola contribui para o trabalho de educação ambiental na escola e ainda fornece alimentação saudável aos estudantes, gerando impactos positivos para os envolvidos (BARROSO et al, 2018).

Ferreira (2017) reforça essa ideia, lembrando que uma horta na escola incentiva o consumo de hortaliças, muitas vezes rejeitadas pelas crianças, além de ser recurso pedagógico importante para o processo ensino-aprendizagem.

O objetivo geral desse trabalho é avaliar a percepção dos alunos do 4º ano da UMEF Marina Barcellos Silveira, no município de Vila Velha/ES, quanto à horta implantada na escola. Os objetivos específicos são:

- Analisar o consumo de hortaliças pelos alunos.

- Avaliar a influência da horta nos padrões de consumo dos alunos.

Esse trabalho se justifica pela importância em conhecer os hábitos alimentares e a influência da implantação de uma horta em um ambiente escolar.

2. METODOLOGIA

O município de Vila Velha fica na região Metropolitana de Vitória, no Espírito Santo. Possui uma população, segundo o censo de 2010, de 414.586, com uma densidade demográfica de 1935,19 hab/km². Em 2010, cerca de 87% da população entre 6 e 17 anos de idade frequentavam a escola regularmente (ATLAS BRASIL, 2018).

O bairro Araçás, em Vila Velha, possui 5.351 habitantes segundo o censo de 2010, sendo uma população particularmente jovem, ou seja, em idade escolar (IBGE, 2010). Antes da construção das casas no local, havia uma reserva natural com lagoas, brejos e muitos pés de araçás, o que justifica o nome do bairro (IJSN, 2009).

O município de Vila Velha, por meio do setor de Educação Ambiental, que é coordenado por Giselle Soncin Simião, de sua Secretaria de Meio Ambiente (SEMED), tendo como responsável técnico o professor José Carlos Fernandes Soares, e em parceria com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Produção Rural (INCAPER), promove a implantação e desenvolvimento do projeto Horta na Escola em suas unidades de ensino desde 2013. Com apoio técnico, é feita a escolha do local, compra do material e implantação na escola interessada. Esse projeto tem por objetivo melhorar o componente nutricional dos alunos por meio do plantio sustentável e utilização da colheita na merenda dos alunos, além de ser um complemento ao trabalho do professor que ali pode desenvolver um trabalho pedagógico diferenciado e dinâmico (PREFEITURA DE VILA VELHA, 2018).

A Unidade Municipal de Ensino Fundamental (UMEF) Marina Barcellos Silveira é uma escola pública do bairro Araçás que atende às crianças de 6 a 14 anos de idade, ou seja, do 1º ao 9º anos, nos turnos matutino e vespertino. Com cerca de 12.000m2, possui área suficiente para implantação de uma horta escolar, sendo esta uma atividade difundida na comunidade, já mostrada em reportagens locais (PREFEITURA DE VILA VELHA, 2013 E 2018). De acordo com a Diretora da unidade, srª Roseliene Mary Z. Vionet, a ideia de implantação de uma horta na escola surgiu em 2013, sendo revitalizada em 2015 com o apoio de toda a equipe pedagógica. Na horta da escola são plantados cebolinha, coentro, alface lisa e crespa, jiló, couve, tomate, tomate cereja, maxixe e mostarda. Além disso, há no local um pomar com 12 espécies de árvores frutíferas, sendo 3 tipos de laranja, 3 tipos de limão, 3 tipos de mexerica, pitanga, acerola e jabuticaba.

Esse estudo descritivo, quali-quantitativo (Markoni & Lakatos, 2003), foi feito por meio de questionário (Anexo 1) aplicado a 20 alunos do 4º ano escolar da UMEF Marina Barcellos Silveira, de Vila Velha, em 27 de julho de 2018.

3. RESULTADOS



A figura 1 mostra a localização do bairro Araçás (marcador vermelho) e da UMEF escola Marina Barcellos Silveira (marcador azul).