ISSN 1678-0701
Número 67, Ano XVII.
Março-Maio/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Uma crônica, um artigo e algumas histórias!     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Artigos

13/03/2019AVALIAÇÃO DO IMPACTO NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) EM UM MUNICÍPIO DO NORDESTE DE MINAS GERAIS  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3622 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

AVALIAÇÃO DO IMPACTO NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) EM UM MUNICÍPIO DO NORDESTE DE MINAS GERAIS

Priscila Garcia Marques1

Patrícia Brandão Amorim2

Geraldo Moreira Alves3

Manuela Barcelos Martins4

Sara Castilholi Tiradentes Ramalho5

Sebastião Ricardo Machado Meireles6

Daniel Rodrigues Silva7

¹ Doutoranda e Mestre em Geografia pela PUCMG; Graduada em Admistração; Coordenadora Geral e do curso de Administração do UNEC E-mail: priscilagarcia@hotmail.com

2 Doutoranda em Saúde Pública pela Universidad Americana - Paraguai; Mestre em Meio Ambiente e Sustentabilidade – UNEC; Graduada em Fisioterapia (UNEC); E-mail: brandaoamorim@hotmail.com

3 Mestrando em Ciência, Tecnologia e Educação pela Faculdade Vale do Cricaré; Graduado em Educação Física E-mail: gmoreira752@gmail.com

4 Mestrando em Ciência, Tecnologia e Educação pela Faculdade Vale do Cricaré; Graduado em Nutrição E-mail: manu-nutri@hotmail.com

5 Mestrando em Ciência, Tecnologia e Educação pela Faculdade Vale do Cricaré; Graduado em Enfermagem E-mail: saracastilholi@gmail.com

6 Doutorando e Mestre em Geografia pela PUCMG; Graduada em Geografia E-mail: srmm@hotmail.com

7 Doutor e Mestre em Ciências Farmacêuticas – Graduado em Farmácia-Bioquímica, Enfermagem, Biomedicina Coordenador do Curso de Farmácia do Centro Universitário de Caratinga – UNEC – Unidade de Nanuque (MG) Orientador do Mestrado em Ciência, Tecnologia e Educação pela Faculdade Vale do Cricaré; E-mail: danfarma@bol.com.br

RESUMO



A geração de resíduos sólidos urbanos tem sido um problema crescente para a sociedade moderna. Na cidade de Nanuque/MG, a discussão relacionada aos resíduos sólidos tem se ampliado nos meios popular, acadêmico e político devido às dificuldades de se encontrar formas de tratamento e destinação que possam aprimorar a atual disposição no aterro controlado existente no município. Diante disso, o presente estudo tem como objetivo conhecer as características gravimétricas dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) de quatro bairros da cidade de Nanuque/MG, destacando suas peculiaridades, para, enfim, propor ações de gerenciamento público. A metodologia utilizada teve como base os dados gravimétricos disponibilizados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Nanuque/MG (SEMA) referente ao ano de 2015. Considera-se que, dos resíduos produzidos em Nanuque/MG, 86% são passíveis de processo de tratamento, sendo 51% através de compostagem da matéria orgânica e 35% por processo de reciclagem de plástico, papel, vidro e metais, permitindo um cenário promissor desde que se pratiquem ações mitigadoras.

Palavras-chave: Resíduos Sólidos Urbanos (RSU); Meio Ambiente; Composição gravimétrica; Município de Nanuque/MG.

ABSTRACT

The generation of urban waste has been a growing problem for modern society. In the city of Nanuque / MG, students should have access to the main social, academic and educational media to deal with conflict and destination situations. Therefore, the present study aims to know the gravimetric characteristics of the Urban Solid Waste (RSU) of four dancers from the city of Nanuque / MG, highlighting their peculiarities, in order to propose public management actions. The methodology used was the gravimetric data base of the Municipal Environment Secretariat of Nanquim / MG (SEMA) for the year 2015. It is considered, the means of treatment of the losses in Nanuque / MG, 86% can be processed treatment. , being 51% based on organic matter and 35% by recycling process of plastic, paper, glass and metals, allowing a promising scenario provided that mitigating actions are taken.

Keywords: Urban Solid Waste (RSU); Environment; Gravimetric composition; Municipality of Nanuque / MG.

1 INTRODUÇÃO:

Desde a Revolução Industrial, a população das cidades, sobretudo dos centros urbanos, vem crescendo progressivamente. Contudo, a partir da segunda metade do século XX, observa-se um surto populacional desenfreado e não planejado. Isso, a princípio, deve-se a dois motivos: o êxodo rural e o crescimento demográfico, ambos diretamente ligados à configuração das cidades dos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento.

No Brasil, o processo de urbanização das cidades intensificou-se a partir da década de 1960, como reflexo do programa de metas proposto pelo, então presidente, Juscelino Kubistchek (1956-1961). Como em diversas cidades dos países de 3º mundo, impulsionadas pelo desenvolvimento econômico, as cidades brasileiras cresceram desordenadamente, originando “vários desafios a serem enfrentados pelo planejamento e desenho urbano, não apenas no âmbito físico das cidades, mas também em seus aspectos de regulamentação social, política, econômica e ambiental” (PELLIZZARO e HARDT, 2006, p.4).

Tal crescimento, em simbiose com o consumo, provoca vários problemas e impactos ambientais, como é o casodo lixo, “(...) porém, a humanidade ainda não tinha percebido que o volumoso lixo que produzia podia ser um problema para o meio ambiente” (SCARLATO e PONTIM, 1992, p.7-8), uma vez que as cidades, em sua maioria, foram construídas sem planejamento. Dentre esses problemas, destaca-se o aumento considerável da produção de resíduos sólidos urbanos (RSU) e, mais, o que fazer com eles.

Diante dessa problemática ambiental, surge a proposta de trabalhar a geração de resíduos sólidos urbanos e sua disposição (se é separado, reciclado, despejado em aterros sanitários ou a céu aberto, incinerado ou submetido à compostagem, etc) na cidade de Nanuque-MG.

A discussão sobre como gerenciar os resíduos sólidos urbanos, desde sua coleta até seu destino final e/ou possível reaproveitamento, tem aumentado na cidade de Nanuque/MG, inclusive, permeando as camadas mais populares da sociedade. Contudo, seu gerenciamento é complexo, sobretudo por três motivos: 1° - a escassez de área de deposição de resíduos causada pela ocupação e valorização de áreas urbanas; 2° - os altos custos sociais no gerenciamento de resíduos; e 3° problemas de saneamento público e contaminação ambiental. (JOHN, 2000).

A preocupação com o meio ambiente e a busca por ações mitigadoras para os impactos ambientais causados pela ação antrópica, como é caso da produção dos resíduos sólidos, surge somente na segunda metade do século XX. O primeiro movimento relevante foi a realização da Primeira Conferência Mundial do Desenvolvimento e Meio Ambiente, em Estocolmo, no ano de 1972, onde se debateu sobre os problemas ambientais e, ao mesmo tempo, como equacionar tais problemas, como observa-se no item 4 da Declaração Sobre o Meio Ambiente:

(...) os países em desenvolvimento devem dirigir seus esforços para o desenvolvimento, tendo presente suas prioridades e a necessidade de salvaguardar e melhorar o meio ambiente. Com o mesmo fim, os países industrializados devem esforçar-se para reduzir a distância que os separa dos países em desenvolvimento. Nos países industrializados, os problemas ambientais estão geralmente relacionados com a industrialização e o desenvolvimento tecnológico (MENDONÇA, 2002, p.49).

Ainda no item 5 da mesma declaração:

O crescimento natural da população coloca continuamente, problemas relativos à preservação do meio ambiente, e devem-se adotar as normas e medidas apropriadas para enfrentar esses problemas. De todas as coisas do mundo, os seres humanos são a mais valiosa. Eles são os que promovem o progresso social, criam riqueza social, desenvolvem a ciência e a tecnologia e, com seu árduo trabalho, transformam continuamente o meio ambiente humano. Com o progresso social e os avanços da produção, da ciência e da tecnologia, a capacidade do homem de melhorar o meio ambiente aumenta a cada dia que passa (MENDONÇA, 2002, p.49).

É evidente, nos itens citados acima, que o desenvolvimento econômico deve acontecer resguardando o meio ambiente e que o homem tem capacidade para melhorá-lo. Tal pressuposto foi o motivador para o estudo realizado em Nanuque/MG, considerando o potencial da cidade para planejar um desenvolvimento sustentável.

Dessa forma, o objetivo da presente pesquisa é conhecer as características gravimétricas dos Resíduos Sólidos Urbanos de quatro bairros da cidade de Nanuque/MG, destacando suas peculiaridades, para, enfim, propor ações de gerenciamento público.

2 LOCALIZAÇÃO DA ÁREA DE ESTUDO

O município de Nanuque – MG está localizado a 17º 49’ 12’’ de latitude sul e 40º 20’ 30’’ de longitude oeste. Sua área territorial é de 1.517.941 km², e sua população está estimada em 41.808 habitantes (IBGE, 2016), configurando-o, assim, como o segundo maior município da Mesorregião do Vale do Mucuri.

Conforme mapa de localização, Nanuque/MG se projeta além de sua microrregião, pois o município faz parte da tríplice fronteira, com o Norte do estado do Espírito Santo (aproximadamente 12 km) e com o Sul do estado da Bahia (aproximadamente a 25 km), onde se tem um intercâmbio cultural, social e político pela proximidade com os outros dois estados (PREFEITURA MUNICIPAL DE NANUQUE, 2015).

O município tem forte vocação agropecuária. Paralelamente, a industrialização, o comércio e o setor de prestação de serviços apresentam índices de crescimento superiores à média de cidades da região. Economicamente, dispõe de comércio; prestações de serviços; indústrias, como as destilarias de álcool e produção de açúcar; presença da indústria de grande porte, como a Suzano Papel e Celulose e empresas de laticínios e alambiques, além de várias indústrias de cosméticos e produtos.



3 METODOLOGIA

O presente estudo está inserido em uma abordagem qualitativa e descritiva, no qual realizou-se o tratamento dos dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Nanuque/MG (SEMA), referente à composição gravimétrica dos resíduos sólidos urbanos provenientes da coleta convencional do município.

Para efeito de caracterização da destinação/disposição potencial dos resíduos sólidos urbanos, para o presente estudo, considerou-se as seguintes categorias e exemplos:

1) Compostagem: Resto de comida (restos alimentares, cascas de legumes e frutas) e Poda (flores, podas de árvores, grama);

2) Reciclagem: Plástico (sacos, sacolas, embalagens de refrigerantes, água e leite, recipientes de produtos de limpeza, esponjas, isopor, utensílios de cozinha, látex, sacos de ráfia), Papel e Papelão (caixas, revistas, jornais, cartões, papel, pratos, cadernos, livros, pastas, embalagens longa vida), Vidro (copos, garrafas de bebidas, pratos, espelho, embalagens de produtos de limpeza, embalagens de produtos de beleza, embalagens de produtos alimentícios), Metal ferroso (palha de aço, alfinetes, agulhas, embalagens de produtos alimentícios) e Metal não-ferroso (latas de bebidas, restos de cobre, restos de chumbo, fiação elétrica);

3) Co-processamento: Pedra, Terra, Louça e Cerâmica (latas de bebidas, restos de cobre, restos de chumbo, fiação elétrica), Madeira (caixas, tábuas, palitos de fósforo, palitos de picolé, tampas, móveis, lenha), Couro e Borracha (bolsas de couro, mochilas, sapatos, tapetes, luvas látex, cintos, balões) e Têxtil (aparas, roupas, panos de limpeza, pedaços de tecido, bolsas de pano);

4) Logística reversa/Aterro sanitário ou outra destinação/disposição: Contaminante biológico (papel higiênico, cotonetes, algodão, curativos, gases e panos com sangue, fraldas descartáveis, absorventes higiênicos, seringas, lâminas de barbear, cabelos, pêlos, embalagens de anestésicos, luvas), Contaminante químico (pilhas, baterias, medicamentos, lâmpadas, inseticidas, raticida, colas em geral, cosméticos, vidros de esmaltes, embalagens de produtos químicos, latas de óleo de motor, latas com tintas, embalagens pressurizadas, canetas com carga, papel carbono, filme fotográfico), Equipamento eletroeletrônico (Computadores, laptops, celulares, rádios, liquidificadores, mouses, teclados) e Diversos (velas de cera, restos de sabão e sabonete, carvão, giz, pontas de cigarro, rolhas, cartões de crédito, lápis de cera, embalagens metalizadas, sacos de aspirador de pó, lixas e outros materiais de difícil identificação).

Acerca da composição gravimétrica, que é o diagnóstico dos resíduos sólidos, foi utilizada a análise de quatro amostragens da cidade de Nanuque, abrangendo bairros com características distintas, pelo nível de renda: Amostra 1 – bairro residencial com baixo poder aquisitivo típico; Amostra 2 – bairro residencial com médio e alto poder aquisitivo típico; Amostra 3 – bairro comercial típico e Amostra 4 – distrito. Tais amostras compõem, respectivamente, os bairros Zarur, Vila Nova, Centro e Gabriel Passos (distrito).

Para analisar os resultados, utilizaram-se tabelas, evidenciando os seguintes atributos: destinação/disposição potencial; categoria; exemplos; percentual e tipo de destinação final/disposição atual. Uma tabela evidenciando a descrição da média da composição gravimétrica na cidade de Nanuque/MG e outra sobre a composição gravimétrica dos resíduos gerados na cidade de Nanuque/MG, comparando, portanto, os dados apresentados nas tabelas.

4 Resultados E DISCUSSÕES



A coleta dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) do município de Nanuque/MG é feita por intermédio de empresa terceirizada e os resíduos são destinados a um aterro controlado.

Para Boscov (2008), os aterros controlados, embora não evitem a poluição ambiental, representam uma situação mais favorável do ponto de vista sanitário em relação aos lixões, por restringirem o acesso de catadores, a proliferação de vetores (insetos e roedores) e o espalhamento do material no entorno. O aterro controlado seria uma modalidade de disposição de resíduos, muito frágil e, assim, questionável como forma adequada de tratamento de resíduos. Devido a sua estrutura de engenharia, são inferiores aos aterros sanitários e causam problemas ambientais, tais como contaminação do ar, do solo e das águas subterrâneas (SOUZA, 2005).

Neste contexto, é pertinente informar que, além de a destinação dos RSU, disponível no município, não ser totalmente adequada, a quantidade exacerbada de resíduos sólidos urbanos gerados deve ser considerada como um agravamento do problema da destinação final dos RSU e, consequentemente, dos riscos de impactos ambientais.

Ao analisar a quantidade de resíduos sólidos urbanos coletados diariamente na cidade de Nanuqueno ano de 2015, segundo dados da UNICON Construção e Urbanização Ltda. (empresa terceirizada responsável pela coleta desses resíduos desde abril de 2014), chega-se ao númerode 29 toneladas em média, variando conforme a época do ano e dias da semana, não coincidindo, assim, com os dados fornecidos pela Secretaria de Meio Ambiente do Município de Nanuque/MG, cuja previsão seria de uma geração média de 42 toneladas de lixo por dia, com produção per capita de 1,06 kg/hab/dia. Mesmo que a geração per capita da cidade seja inferior à média da região sudeste em 2013 (figura1), percebe-se, comisso, que ainda existe uma grande quantidade de RSU, gerada pela população, sem destinação ao aterro controlado do município, ou seja, descarte dos resíduos sem qualquer cuidado, com destinação inadequada ao disposto no momento.

Os moldes de consumo adotados pela maioria das sociedades modernas estão provocando um aumento contínuo e exagerado na quantidade de resíduos produzidos, o que faz com que os RSU sejam, portanto, um dos maiores problemas ambientais da atualidade. (BAHIA, 2003).

Segundo De Melo et al. (2009) apud Parizeau, Maclaren e Chanty (2006), no gerenciamento de resíduos sólidos urbanos, é necessário conhecer as características dos resíduos gerados pela população. O conhecimento da compo­sição destes resíduos é importante para um melhor planejamento da gestão, consideração de investimentos em coleta, tratamento, disposição fi­nal e desenvolvimento de programas de gestão.

A caracterização gravimétrica dos RSU demonstrou que a fração quantitativamente mais significativa está constituída de matéria orgânica (restos de alimentos), em todas as amostras, demonstrando o alto índice de desperdício de alimentos. (Tabela 1)

TABELA 1 - COMPOSIÇÃO GRAVIMÉTRICA RSU– NANUQUE/MG (2015)

(COMPARATIVO ENTRE AS AMOSTRAS)

Destinação/ disposição POTENCIAL

Categoria

Exemplos

Amostra 1

Amostra 2

Amostra 3

Amostra4

(%) Peso *

(%) Peso *

(%) Peso *

(%) Peso *

Compostagem

Resto de comida

Restos alimentares, cascas de legumes e frutas

55,44

52,90

40,24

52,04

Poda

Flores, podas de árvores, grama

0,00

0,00

0,00

4,22

Reciclagem

Plástico

Sacos, sacolas, embalagens de refrigerantes, água e leite, recipientes de produtos de limpeza, esponjas, isopor, utensílios de cozinha, látex, sacos de ráfia

12,39

16,58

20,15

13,25

Papel e papelão

Caixas, revistas, jornais, cartões, papel, pratos, cadernos, livros, pastas, embalagens longa vida

10,41

15,81

23,93

12,82

Vidro

Copos, garrafas de bebidas, pratos, espelho, embalagens de produtos de limpeza, embalagens de produtos de beleza, embalagens de produtos alimentícios

1,98

0,92

2,72

0,58

Metal ferroso

Palha de aço, alfinetes, agulhas, embalagens de produtos alimentícios

0,09

0,12

5,83

0,14

Metal não-ferroso

Latas de bebidas, restos de cobre, restos de chumbo, fiação elétrica

0,05

0,08

0,24

0,05

Co-processamento

Pedra, terra, louça e cerâmica

Vasos de flores, pratos, xícaras, restos de construção, terra, tijolos, cascalho, pedras decorativas

2,03

0,00

0,00

0,00

Madeira

Caixas, tábuas, palitos de fósforo, palitos de picolé, tampas, móveis, lenha

0,00

0,00

0,00

0,00

Couro e borracha

Bolsas de couro, mochilas, sapatos, tapetes, luvas latéx, cintos, balões

0,71

0,00

0,24

0,00

Têxtil

Aparas, roupas, panos de limpeza, pedaços de tecido, bolsas de pano

4,43

3,62

1,21

2,93

Logística reversa/ Aterro sanitário ou outra destinação/ disposição

Contaminante biológico

Papel higiênico, cotonetes, algodão, curativos, gases e panos com sangue, fraldas descartáveis, absorventes higiênicos, seringas, lâminas de barbear, cabelos, pêlos, embalagens de anestésicos, luvas

11,78

8,46

4,03

11,67

Contaminante químico

Pilhas, baterias, medicamentos, lâmpadas, inseticidas, raticida, colas em geral, cosméticos, vidros de esmaltes, embalagens de produtos químicos, latas de óleo de motor, latas com tintas, embalagens pressurizadas, canetas com carga, papel carbono, filme fotográfico

0,09

0,08

0,00

1,54

Equipamento eletroeletrônico

Computadores, laptops, celulares, rádios, liquidificadores, mouses, teclados

0,00

0,00

0,78

0,05

Diversos

Velas de cera, restos de sabão e sabonete, carvão, giz, pontas de cigarro, rolhas, cartões de crédito, lápis de cera, embalagens metalizadas, sacos de aspirador de pó, lixas e outros materiais de difícil identificação

0,61

1,42

0,63

0,72

Total

100

100

100

100

*Peso total por amostra considerado para o cálculo da porcentagem: (Amostra1: 212,30Kg /Amostra 2: 259,90 kg /Amostra 3: 206 kg /Amostra 4: 208,30 kg)


Legenda:

Amostra 1 - Bairro residencial com baixo poder aquisitivo típico: Zarur

Amostra 2 - Bairro residencial com médio a alto poder aquisitivo típico: Vila Nova

Amostra 3 - Bairro comercial típico: Centro

Amostra 4 - Distrito: Vila Gabriel Passos

Fonte: SEMA – Nanuque-MG

Na amostra 3 (centro comercial), observa-se a predominância de materiais que podem ser reciclados ou reutilizados, como plástico, papel, vidro e metais, que somados, chegam a 52,86% do peso total coletado na amostra. Dentre os recicláveis, um dos componentes mais expressivos é o plástico, com representatividade maior que o papel na maioria das amostras, confirmando, desta forma, uma tendência na troca de embalagens de papel por invólucros plásticos, que são posteriormente utilizados pelos moradores para acondicionar os RSU das suas residências.

Observando o Gráfico 1, verifica-se que os resultados da análise dos dados referentes à composição gravimétrica dos RSD possibilitaram conferir que, nos setores com o predomínio de famílias com maior poder aquisitivo e centro comercial, onde existe um melhor grau instrucional (amostras 2 e 3), ocorre uma maior incidência de material com potencial reciclável (plástico, papel, papelão, vidro etc.). De modo análogo, nos setores mais periféricos, onde a maioria das famílias possui uma baixa renda familiar e um menor nível de escolaridade, observa-se a predominância de matéria orgânica.

Fonte: Autores

Os gráficos 2 e 3 apresentam a média da composição gravimétrica no município de Nanuque/MG, por categoria e por destinação dos resíduos:

Fonte: Autores



Fonte: Autores

Os resíduos sólidos urbanos no município de Nanuque/MG é uma questão que deve ser considerada como prioridade na gestão pública, visando a minimizar possíveis prejuízos e contribuir para uma melhor qualidade de vida da população e sustentabilidade ambiental.

Aliás, assim como na maioria das cidades brasileiras, no município não há previsão da segregação dos resíduos na fonte, o que acarreta um volume maior de resíduos encaminhados ao aterro. É comum observar hábitos de disposição final inadequados de lixo, onde os materiais sem utilidade amontoam-se indiscriminada e desordenadamente, muitas vezes em locais indevidos como lotes baldios, margens de estradas, fundos de vale e margens de lagos e rios (MUCELLIN e BELLINI, 2008).

ALGUMAS AÇÕES MITIGADORAS

Diante dos resultados, apresentar-se-á três propostas de ações para gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos no município de Nanuque/MG, com o intuito de mitigar os impactos ambientais causados por estes.

De imediato, torna-se necessária uma ação direcionada para a educação ambiental para os cidadãos, tendo em vista que o ser humano é o principal gerador dos resíduos, de forma geral. Palestras e cartilhas produzidas pela Secretaria de Meio Ambiente Municipal sobre a temática ambiental é uma estratégia válida e viável economicamente.

Outra proposta de ação é o desenvolvimento da coleta seletiva de forma eficaz. Uma ação que deve ser trabalhada a curto, médio e em longo prazo e articulada por meio de intervenção da prefeitura municipal, uma vez que,

A administração pública municipal tem a responsabilidade de gerenciar os resíduos sólidos, desde a sua coleta até a sua disposição final, que deve ser ambientalmente segura. O lixo produzido e não coletado é disposto de maneira irregular nas ruas, em rios, córregos e terrenos vazios, e tem efeitos tais como assoreamento de rios e córregos, entupimento de bueiros com consequente aumento de enchentes nas épocas de chuva, além da destruição de áreas verdes, mau cheiro, proliferação de moscas, baratas e ratos, todos com graves consequências diretas ou indiretas para a saúde pública. (JACOBI e BESEN, 2001, pág.136)

Assim, a secretaria de obras, responsável pelo serviço de saneamento urbano, mobilizará a população, por intermédio de campanhas em escolas e nas ruas, com intuito de conscientizar o cidadão sobre a importância da separação do lixo domiciliar, para que possibilite a coleta seletiva de forma eficiente. Desta forma, ao ser coletado, o material reciclável terá destinação própria para o reaproveitamento. Então, para que a reciclagem, atividade fim da coleta seletiva, possa acontecer, a prefeitura, em parceria com associações de catadores, capacitará esses, para que manuseiem o material recolhido de forma segura, garantindo-lhes condições de trabalho dignas, além da execução de um trabalho de qualidade, que possibilite o reaproveitamento dos resíduos sólidos conforme previsto pela legislação.

A propósito, atualmente, o município dispõe de uma iniciativa de coleta seletiva, através da ASCANUK – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Nanuque, mas vale notar que a fração reciclável indica uma porção considerável, o que justifica a realização das ações mitigadoras aqui propostas. Isso, porque, os resíduos recicláveis possuem valor agregado, os quais, com auxílio do poder público podem ser responsáveis por maior distribuição de renda para a população.

Neste contexto, e segundo Magera (2003), tradicionalmente no Brasil, as atividades de catação e separação de materiais recicláveis têm sido realizadas, principalmente, pelo trabalho de catadores em condições precárias de trabalho nas ruas, nos lixões, aterros e unidade de triagem, motivados pela necessidade de sobrevivência em uma realidade de miséria e exclusão social.

Por último, devido ao grande número de resíduos gerados na cidade de Nanuque-MG serem de materiais orgânicos, a compostagem seria um destino aconselhável, pois reaproveitaria os restos orgânicos produzindo adubo, por exemplo, gerando emprego, devido à mão de obra necessária, além de evitar a poluição do meio ambiente através dos gases emitidos pelo material em decomposição.

4 CONCLUSÃO

Com o aumento dos centros urbanos e a consequente explosão populacional, intensificada a partir do século XIX, a geração de resíduos sólidos, de forma geral, vem crescendo significativamente. Torna-se, então, cada vez mais necessário procurar vias para amenizar esse problema.

O exemplo apresentado nos dados gravimétricos dos resíduos sólidos do município de Nanuque/MG demonstra que a quantidade exacerbada dos mesmos e a sua destinação preocupam a população da cidade. Considera-se, então,que dos resíduos produzidos em Nanuque/MG, 86% são passíveis de processo de tratamento, sendo 51% através de compostagem da matéria orgânica e 35% por processo de reciclagem de plástico, papel, vidro e metais, permitindo um cenário promissor desde que se pratique ações mitigadoras.

Por fim, foram apresentadas três ações mitigadoras a serem aplicadas num projeto de gerenciamento municipal dos resíduos sólidos. Neles, o desenvolvimento sustentável aparece como a solução mais cabível e que vem sendo utilizada em vários países, inclusive, no Brasil. Desenvolvimento econômico e preservação do meio ambiente podem conviver.

REFERÊNCIAS

  1. ABRELPE, 2013, PANORAMA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL, Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Disponível em: < http://www.abrelpe.org.br/Panorama/panorama2013.pdf >. Acesso 08 de outubro, 2016.

  2. ANJOS, Carla Cristina Portela Carvalho dos Anjos.Importância das redes sociais nos fluxos migratórios: aplicação de sistemas multi-agente. Dissertação, 2009. Faculdade de Economia da Universidade do Porto FEP. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10216/53855> Acesso em 24 novembro 2015,as 15h34min.

  3. BAHIA, V.E. Estudo hidrogeológico da área localizada entre o depósito de lixo metropolitano de Belém (Aura) e o lago Água Preta. Universidade Federal do Pará, Belém. Dissertação de Mestrado em Geologia e Geoquímica. 117p. 2003.

  4. BOSCOV, M.E.G., Geotecnia Ambiental, São Paulo: Oficina de textos, 2008.

  5. CENSO DEMOGRÁFICO 2010. Resultados Gerais da Amostra: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Rio de Janeiro: p. 1 - 239, 2010.

  6. DE MELO, Lucas Araújo; SAUTTER, Klaus Dieter; JANISSEK, Paulo Roberto. Estudo de cenários para o gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos de Curitiba. EngSanitAmbient, v. 14, n. 4, p. 551-558, 2009.

  7. IBGE, 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: <http://7a12.ibge.gov.br/vamos-conhecer-o-brasil/nosso-povo/migracao-e-deslocamento.html> Acesso em 24 novembro 2015, as 12h55min.

  8. JACOBI, Roberto Pedro; BESEN, Gina Rizpah. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. ESTUDOS AVANÇADOS 25 (71), 2011.

  9. JOHN, V. M; ANGULO, S.C; AGOPYAN, V. Sobre a necessidade de metodologia de pesquisa e desenvolvimento para reciclagem. PCC - Departamento Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica. EP USP. Disponível: <http://www.ichs.ufop.br/cadernosdehistoria/download/CadernosDeHistoria-0414.pdf>;

  10. MAGERA, M. Os Empresários do Lixo: um paradoxo da modernidade. Campinas, SP:Átomo. 2003.

  11. MENDONÇA, Francisco de Assis. Geografia e Meio Ambiente. 6.ed São Paulo: Editora Contexto., 2002.

  12. MINC, C. Ecologia e cidadania. 2a ed. São Paulo: Moderna.

  13. MUCELIN, C. A.; BELLINI, M. Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ambiente urbano. Revista Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 20, p 111-124, 2008.

  14. PELLIZZARO, Patrícia Costa; HARDT, Letícia Peret Antunes. Efetividade do Planejamento Urbano e Regional: a Cidade Planejada e a Cidade Real. III Encontro da ANPPAS 23 a 26 de maio de 2006 Brasília – DF. Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana – PPGTU. Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR.

  15. PREFEITURA MUNICIPAL DE NANUQUE (2015). Conheça Nanuque. Site Institucional. Disponível em: <http://www.nanuque.mg.gov.br/novo_site/index.php?nivel=1&exibir=secoes&ID=5> Acesso em 21 Setembro de 2016, as 23h45min.

  16. SCARLATO, Francisco Capuano; PONTIM, Joel Arnaldo. Do nicho ao lixo, Ambiente, Sociedade e Educação. São Paulo: Atual, 1992.

  17. SOUZA, J.A, Destinação final de resíduos sólidos, Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v.26 n.224, p.14-20, 2005a.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Uma crônica, um artigo e algumas histórias!     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias