ISSN 1678-0701
Número 68, Ano XVIII.
Junho-Agosto/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Relatos de Experiências

11/06/2019SENSIBILIZAÇÃO DA ALTA DIREÇÃO DE UMA EMPRESA DE ELETROELETRÔNICOS VISANDO A IMPLANTAÇÃO DA LOGISTICA REVERSA DE RESÍDUOS: UM ESTUDO DE CASO  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3674 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

SENSIBILIZAÇÃO DA ALTA DIREÇÃO DE UMA EMPRESA DE ELETROELETRÔNICOS VISANDO A IMPLANTAÇÃO DA LOGÍSTICA REVERSA DE RESÍDUOS: UM ESTUDO DE CASO



Josie Arlinda Silva

Graduanda em Engenharia de Produção, em formação - MBA em Gestão da Qualidade integrada ao Meio Ambiente pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC Minas. josieteceng@gmail.com



Marcos Paulo Gomes Mol

Doutor em Saneamento pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), professor contratado pela PUC-MG e pesquisador da Fundação Ezequiel Dias (FUNED) – Belo Horizonte (MG), Brasil.

marcos_mol@yahoo.com.br



RESUMO

A necessidade de criar opções dentro da logística reversa torna-se necessária, uma vez que as empresas entendem que altos custos podem ser cobertos na receita. No estudo de viabilidade apresentado no caso da empresa de eletrônica foi possível identificar que inicialmente é necessário implementar rotas específicas para a cadeia logística reversa que possam trazer benefícios e também ter a necessidade de um custo inicial. As empresas certificadas pela ISO 14001: 2015 possuem uma série de requisitos ambientais a serem cumpridos e facilitam a implementação da logística reversa e a busca por novas tecnologias, controle operacional, monitoramento e medição, e cumprimento dos requisitos ambientais obrigatórios.



Palavras-chave: Logistica Reversa, Processos, Meio Ambiente.



ABSTRACT

The need to create options within reverse logistics becomes necessary as companies understand that high costs can be coated in revenue. In the feasibility study presented in the case of the electronics company it was possible to identify that initially it is necessary to implement specific routes to the reverse logistics chain that can bring benefits and also have the need of an initial cost. Companies certified by ISO 14001: 2015 have a series of environmental requirements to be met and facilitate the implementation of reverse logistics and the search for new technologies, operational control, monitoring and measurement, and compliance with mandatory environmental requirements.



Keywords: Reverse Logistics, Processes, Environment.

INTRODUÇÃO



No mercado brasileiro e internacional atual, a busca incessante por tecnologias de destinação de resíduos e metodologias de gestão está presente no cotidiano das organizações. Adotar métodos inteligentes de gestão na destinação de resíduos oportuniza as empresas a possuírem produtos e serviços mais competitivos e diferenciados em conformidade com os requisitos ambientais e considerando a sustentabilidade financeira e ambiental.

Neste cenário, as mudanças ocorrem em alta velocidade, tornando a mensuração dos resultados no custo de destinação de resíduos e receita gerada pela venda dos resíduos, essencial para os negócios. Dessa forma, os indicadores de desempenho ambiental das empresas têm se tornado uma ferramenta de gestão do meio ambiente voltado para a gestão estratégica do negócio cada vez mais efetiva no universo empresarial. As empresas incentivadas pelas Normas ISO 14000 e preocupadas com a gestão ambiental começaram a reciclar materiais e embalagens descartáveis, tais como: latas de alumínio, garrafas plásticas, caixas de papelão, entre outras, que, por sua vez, passaram a se destacar como matérias-primas e deixaram de ser tratadas como rejeitos. A logística reversa está presente no processo de reciclagem, uma vez que esses materiais retornam a diferentes centros produtivos em forma de matéria-prima. 

Segundo LACERDA (2004), os processos de Logística Reversa têm trazido consideráveis retornos para as empresas. O reaproveitamento de materiais e a economia com embalagens retornáveis têm trazido ganhos que estimulam cada vez mais novas iniciativas e esforços em desenvolvimento e melhoria nos processos de Logística Reversa.

  Dentre as definições de logística reversa, selecionou-se como referência neste trabalho a proposta por STOCK (1992:73): “Logística reversa: em uma perspectiva de logística de negócios, o termo refere-se ao papel da logística no retorno de produtos, redução na fonte, reciclagem, substituição de materiais, reuso de materiais, disposição de resíduos, reforma, reparação e remanufatura”.

Segundo GRIPPI (2001), os resíduos são matéria-prima fora de lugar. A forma com que uma sociedade trata os materiais para descarte atesta seu grau de civilização, o tratamento do lixo doméstico e industrial, alem de ser uma questão com implicações tecnológicas, é antes de tudo uma questão cultural. 

Portanto, a logística reversa permite ações que favorecem a reciclagem dos resíduos sólidos, sendo fundamental a estruturação deste fluxo de logística. É fundamental, porém, que a reciclagem seja percebida em toda sua complexidade, e não apenas como única e inquestionável alternativa. O principal enfoque da reciclagem como instrumento para combate à crise ambiental deve se dar muito menos do ponto de vista da mitigação do esgotamento de recursos, da ecomonia, de energia ou redução de inpactos; seu grande valor está no potencial de sensibilização e mobilização dos indivíduos e coletividades em relação à necessidade de desenvolver uma visão crítica dos processos de produção e consumo.

Segundo Netto (2004), o Brasil é atualmente o país que possui o maior índice de reciclagem de embalagens de alumínio do mundo. De acordo com a Associação Brasileira de Alumínio (ABAL), 87% de todas as latas consumidas no período (cerca de 9 bilhões de unidades) foram reaproveitadas pela indústria, gerando faturamento de R$ 850 milhões e 152 mil empregos diretos e indiretos. A reciclagem proporcionou também economia de 1,7 mil Gigawatts hora/ano, correspondendo a 0,5% de toda a energia gerada no país e suficiente para abastecer a cidade de Campinas, com 1 milhão de habitantes. 

Como exemplo da relevância da logística reversa, tem-se que no ano de 2000 o Brasil reciclou mais de 7,4 bilhões de latas de alumínio, que representa 111 mil toneladas. O material é recolhido e armazenado por uma rede de aproximadamente 2 mil sucateiros, responsáveis por 50% do suprimento de sucata de alumínio à indústria. Outra parte é recolhida por supermercados, escolas, empresas e entidades filantrópicas. O mercado brasileiro de sucata de latas de alumínio movimenta US$ 129 milhões por ano. As latas corresponderam a 82,3 mil das 182 mil toneladas de sucata de alumínio disponíveis para reciclagem em 1999. Com liga metálica mais pura, essa sucata volta em forma de lâminas à produção de latas ou é repassada para fundição de autopeças. Em 1999, o índice foi de 73%. Os números brasileiros superam países industrializados como Inglaterra e Alemanha (Reciclagem,2002).

Apesar de sua recente história, a indústria do plástico é dos setores da economia que mais se desenvolveu nos últimos anos em todo o mundo. No Brasil, produção desse material apresenta números bastantes expressivos:

  • Mais de 6 mil empresas transformadoras de plástico no mercado nacional. 

  • Faturamento global do setor de aproximadamente US$ 5 bilhões/ ano. 

  • Geração de 200 mil empregos diretos.

Diante da realidade do comércio mundial, onde uma das características básicas é o dinamismo, transformando o novo em ultrapassado num espaço de tempo relativamente curto, somado às crescentes exigências dos consumidores, assim como o acirramento da concorrência, a sobrevivência da empresa baseia-se na sua capacidade de atender todas essas exigências sem, no entanto, perder o foco no seu objeto principal, ou seja, na qualidade de seus produtos ou serviços sempre buscando, mais do que a satisfação de seus clientes. 

Com a necessidade de encontrar estratégias eficazes muitas empresas acabaram por absorver uma gama de teorias administrativas que foram surgindo na tentativa de instrumentalizar às empresas para enfrentarem o novo contexto mercadológico, ao ponto de provocarem um desgaste tanto de seu pessoal quanto de seus clientes. Muitas vezes as novas teorias fracassaram por falta de conhecimento ou por pouco comprometimento de todos os setores da empresa. No sucesso comprovado de algumas empresas outras tantas tentaram implantar a logística, no entanto, na falta ou pouco conhecimento sobre os fatores que implicam no processo logístico, recursos foram desperdiçados e o foco principal da empresa foi descaracterizado. 

No caso da logística reversa, verifica-se que diante das ações que visam à preservação do meio ambiente, visando o desenvolvimento sustentável, o planejamento eficiente da mesma tornou-se fundamental não só para as empresas, mas também para a sociedade como um todo. 

Sendo assim, o objetivo desse estudo é criar opções dentro da organização para a logística reversa, que se faz necessário a medida que as empresas entendem que os altos custos podem ser revestidos em receita. No estudo de viabilidade apresentado no case da empresa de eletroeletrônicos foi possível identificar que inicialmente se faz necessário implementação de rotas especificas para cadeia de logística reversa que podem trazer benefícios e também ter a necessidade de um custo inicial. Empresas certificadas pela ISO 14001:2015 tem no seu escopo uma série de requisitos ambientais a serem cumpridos e o que facilita a implementação de logística reversa e a busca por novas tecnologias, controle operacional, monitoramento e medição e compliance com os requisitos ambientais obrigatórios.



METODOLOGIA



A metodologia utilizada foi a pesquisa intervencionista, interação entre teoria e prática, com características de pesquisa-ação participativa em consonância com a exploratória.

Segundo Raupp e Beuren (2006), a pesquisa exploratória proporciona aprofundamento do conteúdo, tornando-o mais claro para uma abordagem satisfatória. Ressalta-se que esse tipo de estudo facilita delimitação do tema pesquisado, definição dos objetivos e hipóteses, além de esclarecer e adquirir informações sobre o assunto a ser investigado. Já a pesquisa participante caracteriza-se pela participação de todos, pesquisadores e pesquisados, promovendo interação, objetividade, possibilidade de aplicação prática e alcance de resultados mais consistentes.

Para os resultados obtidos e respostas acerca do problema apresentado neste projeto, foi desenvolvido um estudo de caso em uma empresa do ramo de manufatura de eletroeletrônicos de grande porte, que terá caráter qualitativo, com ênfase nas avaliações in loco e estudo documental. Para Raupp e Beuren (2006), a pesquisa do tipo estudo de caso caracteriza-se pelo aprofundamento do conhecimento em um caso específico, com possibilidade de verificação in loco proporcionando informações mais detalhadas da pesquisa e auxílio na resolução dos problemas.

Assim sendo, o trabalho transcorreu a partir referencial teórico, visto que os conceitos são utilizados para avaliação das ferramentas aplicadas ao estudo em questão.



RESULTADOS E DISCUSSÕES



O presente estudo foi desenvolvido e implementado em uma empresa de grande porte atuante no ramo de manufatura de eletroeletrônicos situada na cidade de Betim em um complexo industrial com aproximadamente 1200 funcionários, presente em todo o território internacional. A organização oferece diferentes serviços de manufatura de eletroeletrônicos. Sua estrutura organizacional é composta pelos processos manufatura de eletroeletrônicos. Os Processos de engenharia são caracterizados por contemplar atividades relacionadas a manufatura dos produtos com a gestão da organização e orientações estratégicas, baseados nas normas de qualidade da ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015. Os Processos de manufatura estão diretamente relacionados às atividades primárias da cadeia de valor, decorrentes da gestão estratégica. Sendo eles, o Comercial, Engenharia, Manutenção, Operação, Planejamento e Projetos. Esses processos operam com base nos recursos fornecidos pelos processos da organização.

Os Processos de Medição e Apoio são aqueles que dão apoio aos processos de realização, assegurando os recursos necessários, como a Gestão de Contratos, Recursos Humanos e Suprimentos.

Finalizando a estrutura organizacional com os Processos de Interação são aqueles que funcionalmente, interagem com todos os outros processos dentro da organização,sendo auditáveis como um todo. Sendo eles, Administrativo, Financeiro, Jurídico, TI e Departamento Pessoal.

Refletindo sobre o papel dos indicadores de gestão ambiental e representando um processo de autoanálise, entende-se que o acerto na definição dos métodos e tecnologias utilizados para gerenciar a cadeia de geração de resíduos voltados para logística reversa beneficia o desempenho dos processos e resultados da organização. Afinal, não se pode gerenciar o que não é medido. Diante disso, buscou-se responder ao questionamento: a busca por novos métodos e tecnologias para destinação final de resíduos voltados para as premissas da logística reversa de eletroeletrônicos pode gerar maior eficiência dos processos de uma empresa de eletroeletrônicos? Como aplicar essas tecnologias de logística reversa de eletroeletrônicos que trarão resultados estratégicos à empresa visando sustentabilidade e benefícios econômicos.

Com a finalidade de responder à problemática do projeto, traçou-se as seguintes estratégias: analisar rotas de reciclagem de resíduos considerando a engenharia reversa e atendendo aos requisitos normativos da Politica Nacional de Resíduos Sólidos.

Dessa forma, empresas que possuem um processo de Logística Reversa bem gerido tendem a se sobressair no mercado, uma vez que estas podem atender seus clientes de forma melhor e diferenciada de seus concorrentes. Preocupadas com questões ambientais as empresas estão cada vez mais acompanhando o ciclo de vida de seus produtos. Isso se torna cada vez mais claro quando se observa um crescimento considerável no número de empresas que trabalham com reciclagem de materiais. 

A criação e desenvolvimento de novas tecnologias vêm tornando possível o lançamento de produtos no mercado com mais frequência. O fato tem despertado o interesse de consumidores, porém também tem aumentado o descarte inadequado destes produtos, sem o aproveitamento total de sua vida útil. (TOMAZ DEL CORSO DE ASSIS,NIVALDO TADEU MARCUSSO 2015, p.1).

Com a criação de novas tecnologias as empresas têm se preocupado que a destinação de resíduos eletrônicos não seja apenas um custo para organização mas que possa gerar receita possibilitando que além de cumprir todos os requisitos legais obrigatórios alcance a sustentabilidade econômica e ambiental.

Análise do cenário inicial ao estudo de Logística Reversa de EletroEletrônicos



No final de 2018, a alta direção da organização do setor de eletroeletrônico , discutiu sobre o projeto de implantação do Logística Reversa de Eletroeletrônicos considerando o cenário atual da Politica Nacional de resíduos sólidos dentro do Sistemas de Gestão de Meio Ambiente – Requisitos. A partir dessa decisão estratégica, definiu-se o escopo do estudo de viabilidade do projeto. O escopo de projeto determina a “Estudo de Viabilidade da logística Reversa”. Dessa forma, o Sistema de Gestão de Meio Ambiente da organização desenvolveu o estudo de viabilidade considerando todas as áreas da organização e seus clientes. Com isso, adotou-se um modelo estratégico de gestão, no qual foi determinado, a partir dos estudos voltados para os indicadores de destinação de resíduos eletroeletrônicos referido no escopo.



Resultados do diagnóstico do estudo de viabilidade de logística reversa de resíduos eletroeletrônicos no setor da indústria

Antes dos estudos serem realizados não se tinha na base de dados as informações quantitativas da quantidade de resíduos geradas por definição do tipo de resíduos como eletrônicos, componentes, bordas e placas eletrônicas e posterior aos estudos de logística reversa de eletroeletrônicos, foi identificada a necessidade de estabelecer uma robustez nos dados quantitativos referente ao monitoramento, medição, análise e avaliação dos processos de geração de resíduos eletroeletrônicos. Notou-se que não havia informações necessárias a respeito do desempenho dos processos de geração de resíduos e que era essencial o estudo quantitativo do volume de eletroeletrônicos gerados na organização.

Neste momento, verificou-se que durante a viabilidade de criar rotas de destinação de resíduos eletroeletrônicos que os processos foram definidos e mapeados, entretanto, a subjetividade dos resultados proporcionados à empresa era insuficiente para atividades de implementação do projeto. Diante disso, a escolha de incrementar o sistema de logística reversa de eletroeletrônicos foi com o intuito de abranger pontos importantes e decisivos para a organização, refletindo direcionadores de valor estratégico para a gestão do negócio referente a rotas para destinação dos resíduos eletroeletrônicos.

Logo, iniciou-se um trabalho juntamente com a alta direção para o desenvolvimento de indicadores de viabilidade com resultados quantitativos, cujo resultado final foi a uma planilha de gerenciamento compondo diagnóstico da quantidade de resíduos eletrônicos gerados mensalmente a fim de verificar a geração de resíduos eletroeletrônicos da organização. Vale ressaltar que além dos processos presentes no escopo de viabilidade do projeto.

A metodologia aplicada para determinação das novas tecnologias de destinação de resíduos foi através da experiência e conhecimento da alta direção, gerentes, coordenadores e técnicos demais envolvidos do processo, além da utilização da ferramenta de benchmarking em outras organizações, associações e pesquisa na internet.

Benchmarking pode ser definido como sendo o processo de identificação, conhecimento e adaptação de práticas e processos excelentes de organizações, de qualquer lugar do mundo, para ajudar uma organização a melhorar sua performance”. (KARDEC, 2002, p.7).

Durante a implantação desse estudo de viabilidade de logistica reversa, atribuiu-se ao setor de meio ambiente a função de gerenciamento dos estudos das novas tecnologias de mercado. Dessa forma, houve a necessidade de aprofundamento nos estudos, como reformulação da sua sistemática, metodologia, periodicidade, dentre os demais assuntos.

A partir disso, criou-se uma rotina de gestão dividida em dois tipos: reunião trimestral com a Alta direção e setor de Meio Ambiente; e reunião mensal do Fórum de Meio Ambiente composta por todos os responsáveis pelos processos. O mérito dessa iniciativa foi a conscientização e motivação da equipe em busca de melhores resultados.

Ajustada a base dos indicadores, uma planilha de gerenciamento de resíduos foi alimentada com todas as informações setoriais resultando em diagnóstico quantitativo do volume de resíduos eletroeletrônicos. Assim, após atualização dos dados da planilha, é rotineiramente apresentada à Alta Direção.

A base de dados da planilha de monitoramento e medição é feita na razão mensal descrevendo o volume dos resíduos eletrônicos conforme descrito abaixo:

  • Bordas de resíduos eletrônicos

  • Componentes de resíduos eletrônicos

  • Placas eletrônicas

  • Resíduos eletrônicos

A geração mensal de bordas foi em torno de 4 toneladas e 100kg de resíduos eletroeletrônicos. O indicador de gerenciamento de resíduos é utilizado para medir a quantidade de geração de resíduos total incluindo a quantidade específica dos resíduos eletrônicos, sendo a meta atual reciclar 92% de tudo que é gerado na organização estudada no período anual.

A destinação final dos resíduos eletrônicos e através de um fornecedor homologado com todas as licenças específicas para destinação final desse tipo de resíduos eletrônico considerando a perspectiva do ciclo de vida do produto e retorno desse material como matéria prima para o ciclo produtivo.

Propostas de melhorias contínua do processo de gerenciamento de resíduos eletrônicos estão sendo avaliadas através de análises do tipo de material gerado e sua composição química.

Análise dos pontos críticos do estudo da implantação com base no estudo sobre logística reversa de eletroeletrônicos



Como todo processo de implantação é viável realizar uma análise e avaliação das mudanças realizadas, a fim de corrigir os aspectos negativos e propor melhorias para as oportunidades identificadas. Dessa forma, os pontos críticos verificados estão abordados a seguir.

Iniciamos a medição utilizando o diagnóstico do volume de resíduos eletrônicos apenas um indicador setorial com base nos objetivos do meio ambiente, porém em um curto período esse processo adquiriu um número significativo de informações. A preocupação foi notada dentro da organização conforme visão do Francischini (2017), o qual salienta que o excesso de informações pode se tornar um fator negativo, ocasionando perda de foco e perda no gerenciamento do seu processo. Diante dessa situação, análises e discussões com os responsáveis nas reuniões trimestrais sobre o custo do projeto possibilitaram e revisões dos indicadores. Portanto, Segundo LACERDA (2004), os processos de Logística Reversa têm trazido consideráveis retornos para as empresas. O reaproveitamento de materiais e a economia com embalagens retornáveis têm trazido ganhos que estimulam cada vez mais novas iniciativas e esforços em desenvolvimento e melhoria nos processos de Logística reversa.

Atualmente, pode-se perceber o comprometimento da equipe na apuração, análise crítica e entrega dos resultados. A partir do momento em que a medição foi iniciada, notou-se maior domínio e consciência do time com seus processos de gerenciamento de resíduos eletroeletrônico, alcance das metas e identificação de necessidade de melhorias e aplicação de novas tecnologias baseado em processos mecânicos e químicos para destinação desse resíduos. Essa absorção da equipe quanto à importância da medição e monitoramento do processo contribui para execução de um serviço de qualidade e busca pela excelência e da sustentabilidade ambiental

A inserção de novos estudos e indicador de medição do volume de geração de resíduos proporcionou uma nova visão dos gestores em relação ao seu próprio processo. Pontos que eram desconhecidos ou considerados irrelevantes, mas que influenciavam negativamente nos resultados foram proporcionados à análise, tratativas e melhorias conforme necessidade.

A evolução de resultados nesse curto período já se torna perceptível. A exemplo disso a Alta Direção que após as discursões e feedbacks sobre os resultados apresentados na reunião trimestral, promoveu a disponibilidade de recursos para aderência a gestora de logística reversa e infraestrutura para operação mecânica desse tipo de resíduo. Este acompanhamento nas reuniões existe justamente para analisar os dados apresentados e apoiar nas ações a serem tomadas pelos coordenadores e gerentes em prol do crescimento e sustentabilidade ambiental do setor.

Durante a pesquisa foi possível identificar em outros artigos acadêmicos que uma problemática no Brasil para a logística reversa é a falta de incentivos fiscais, o alto custo de logística e poucas opções de empresas para realizar o beneficiamento desse tipo de material.



CONSIDERAÇÕES FINAIS



A implantação da gestão de indicadores ambientais e viabilidade de estudos e classificação dos resíduos possibilita à Alta Direção uma visão geral da organização. Essa visão consolidada durante um período considerável proporciona uma consistência maior nas decisões organizacionais referente aos custos operacionais na destinação de resíduos eletroeletrônicos, se tornando, também, input para o planejamento estratégico anual. Diante da limitação do período, os resultados à longo prazo e as possíveis mudanças realizadas se tornarão assuntos para futuras pesquisas.

Esse foi o método utilizado pela organização a fim de proporcionar a possibilidade de identificação de necessidades de melhorias nos processos de destinação de resíduos ambientais , de forma a viabilizar um direcionamento mais assertivo dos recursos de implementação da logística reversa a serem disponibilizados e implementados

Considerando a importância da logística reversa na organização e os requisitos ambientais obrigatórios a serem atendidos o diagnóstico quantitativo do volume de resíduos eletroeletrônicos utilizado no controle e monitoramento possibilita aos gestores o conhecimento da dinâmica que envolve a necessidade de implementar um sistema de logística reversa e avaliar adequadamente o indicador de desempenho. Conclui-se que o monitoramento e medição dos resíduos eletrônicos se torna instrumento estratégico a partir do momento em que ele fornece subsídios que irão direcionar as mudanças organizacionais, objetivando aplicação das melhores práticas e eficiência dos resultados globais e sustentabilidade ambiental.



REFERÊNCIAS

  1. ANTHONY, R N e GOVINDARAJAN, V, 2001, Sistemas de Controle Gerencial São Paulo: Ed. Atlas

  2. ATKINSON, A A, BANKER, R D, KAPLAN, R S e YOUNG, S M, 2000, Contabilidade Gerencial – São Paulo: Ed. Atlas.

  3. BALLOU, R H., 1985, Business Logistics Management: Planning and control – New Jersey : Prentice-Hall ,

  4. BOWERSOX, D J. et al., 1986, Logistical Management: A systems Integration of phisical distribtion, Manufacturing Support and Materials Procurement – New York : MacMillan

  5. Caldwell, B,. 1999, Reverse Logistics. InformationWeek, 12 de Abril de 1999, in http://www.informationweek.com/729/logistics.htm. Acesso em 6/10/2001

  6. _____ , 1999, The Web Can Reduce Returns. InformationWeek, 12 de Abril de 1999, in http://www.informationweek.com/729/logistic2.htm. Acesso em 6/10/2001



  1. DE BRITO, M P, FLAPPER, S D P e DEKKER, R, 2002, Reverse Logistics: a review of case studies, Econometric Institute Report EI 2002-21, Maio

  2. FLEURY, P F. et. al. 2000, Logística Empresarial : A perspectiva brasileira . São Paulo: Atlas

  3. GOLDSBY, T J e CLOSS, D J, 2000, Using activity-based costing to reengineer the reverse logistics channel, International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, Vol 30, Number 6, pp, 500-514

  4. HORNGREEN, C T, FOSTER, G e DATAR, S M, 2000, CONTABILIDADE DE CUSTOS, 9 ª Ed. Rio de Janeiro: LTC Editora

  5. JOHNSON, M E e PYKE, D F, 1999, Supply Chain Management, Working Paper, The Tuck School of Business, Darmouth College, Hanover, NH

  6. KIM, H. 2001, Manufacturers Profit by Managing Reverse Supply Chains. In http://www.manufacturing.net/index.asp?layout=articlePrint&articleID=CA73190.. Acesso em 14/10/2001.

  7. Krikke, H. 1998, Recovery Strategies and Reverse Logistics Network Design – Holanda: BETA – Institute for Business Engineering and Technology Application.

  8. LACERDA, L. 2002, Logística Reversa - Uma visão sobre os conceitos básicos e as práticas operacionais. In http://www.coppead.ufrj.br/pesquisa/cel/new/fr-rev.htm.. Acesso em 07 de Abril de 2002.

  9. LAMBERT, D M. et. al. 1998, Administração Estratégica da Logística – São Paulo : Vantine Consultoria.

  10. LIMA, M P, 1998, Custos Logísticos – uma Visão Gerencial, Centro de Estudos em Logística – COPPEAD, UFRJ, in http://www.coppead.ufrj.br/pesquisa/cel/new/fr-custo.htm, acesso em 2/5/2003

  11. PORTER, M E, 1985, Competitive Advantage, The Free Press: New York

  12. Quinn, P, 2001, Don’t Get Rear-Ended by Your Own Supply Chain. In http://www.idsystems.com/reader/2001/2001_01/comm0101/index.htm Acesso em 6/10/2001.

  13. REVLOG. Grupo de Estudos de Logística Reversa. 20??, In http://www.fbk.eur.nl/OZ/REVLOG/Introduction.htm,. Acesso em 6/10/2001

  14. Rogers, D S. e Tibben-Lembke, R S. 1999, Going Backwards: Reverse Logistics Trends and Practices. University of Nevada, Reno - Center for Logistics Management, in http://equinox.unr.edu/homepage/logis/reverse.pdf, acesso em 30/09/2001





" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias