ISSN 1678-0701
Número 68, Ano XVIII.
Junho-Agosto/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Relatos de Experiências

11/06/2019APICULTURA COMO INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO SUPERIOR  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3679 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

APICULTURA COMO INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO SUPERIOR

Mateus Gonçalves Silva¹*; Alesia Alves de Sousa2; Maria Eveline de Lucena Nascimento3; Maria Evelaine de Lucena Nascimento4; Maria Cândida de Almeida Mariz Dantas5



1Mestrando em Sistemas Agroindustriais pela Universidade Federal de Campina Grande, Campus Pombal; *Matheus.goncalves2102@gmail.com

2Graduanda em Agronomia pela Universidade Federal de Campina Grande, Campus Pombal PB, alesia.alves02@gmail.com

3Graduada em Agroecologia pelo Instituto Federal da Paraíba, Campus Sousa; evelinenascimento0407@gmail.com

4Mestranda em Ciência Animal pela Universidade Federal de Campina Grande, Campus Patos PB, evelaineveter@gmail.com

5Professora Doutoranda em Agronomia, Instituto Federal da Paraíba, Campus Sousa, candidamariz@yahoo.com.br



RESUMO: A medida que as abelhas fornecem serviços de polinização que proporcionam a preservação e a existência de diversas espécies vegetais, garantem aos seus criadores, renda extra através da comercialização do mel e de outros produtos. Diante disso a apicultura tem se destacado como atividade propulsora do desenvolvimento sustentável, bem como instrumento de conscientização a respeito da educação ambiental e sustentabilidade, conceitos imprescindíveis para formação do ser humano enquanto profissional e cidadão que respeita o limite de consumo dos recursos naturais. Contudo o objetivo do trabalho foi avaliar a percepção de alunos graduandos em diferentes cursos das ciências agrárias, a respeito da atividade apícola e sua importância no contexto da educação ambiental. Foram aplicados 60 questionários semiestruturados com questões de múltipla escolha, sobre o assunto para alunos de diferentes cursos na área. Os discentes demonstraram grande interesse na atividade apícola, e com base nos dados coletados foi visto que os mesmos conseguem vislumbrar a importância da apicultura para a manutenção do meio ambiente e para a melhoria na qualidade de vida das famílias de agricultores, no entanto, se faz necessário a implantação de mais mecanismos de inserção da apicultura como instrumento de educação no ensino superior para esses alunos.



PALAVRAS-CHAVE: Criação de abelhas; educação, conscientização ambiental; sustentabilidade.



ABSTRACT: As bees provide pollination services that provide for the preservation and existence of several plant species, they guarantee their creators extra income through the commercialization of honey and other products. In view of this, beekeeping has stood out as a propulsive activity for sustainable development, as well as an awareness tool regarding environmental education and sustainability, essential concepts for training the human being as a professional and citizen that respects the limit of consumption of natural resources. However, the objective of this work was to evaluate the perception of undergraduate students in different courses in the agricultural sciences, regarding the beekeeping activity and its importance in the context of environmental education. Sixty semistructured questionnaires were applied with multiple choice questions on the subject for students from different courses in the area. The students showed great interest in the beekeeping activity, and based on the data collected it was seen that they can see the importance of beekeeping for the maintenance of the environment and for the improvement in the quality of life of the families of farmers, however, it is done It is necessary to establish more mechanisms for the insertion of beekeeping as an instrument of education in higher education for these students.



KEY WORDS: Bees breeding; education, environmental awareness; sustainability.



INTRODUÇÃO

Conforme Spazziani (2013), a EA tem apresentado, entre muitas contribuições, a necessidade da reunião de saberes e propor uma nova maneira de fazer ciência e rever a desgastada relação da humanidade e o seu entorno natural. No entanto no campo das Ciências Agrárias a Extensão Rural surge com o intuito de estender o conhecimento gerado na academia para a zona rural, mediante isto, é imprescindível tratar de educação ambiental de forma contextualizada no ensino superior, e uma forma ideal para melhor compreensão é relacionando os temas à prática, como por exemplo retratando-se a Apicultura como mecanismo propulsor de dinâmica ambiental.

A apicultura vem se destacando cada vez mais no âmbito do desenvolvimento sustentável aliado a educação ambiental. É uma atividade agropecuária imprescindível na geração de renda para agricultores familiares da região nordeste do Brasil, contribuindo positivamente para o desenvolvimento da agricultura familiar. Atualmente, segundo dados do IBGE (2017) o estado da Paraíba produz cerca de 156.438 quilogramas de mel de abelha contribuindo significativamente para o efetivo nacional, o qual está acima de 400 mil quilogramas.

Esta atividade também é consideravelmente responsável pela preservação vegetal de muitas espécies de plantas nativas, exóticas, bem como de importante destaque no aumento da produtividade de culturais agrícolas. Assim pode-se afirmar que a atividade apícola compõe-se dentro dos três pilares da sustentabilidade, o social e econômico com diminuição do êxodo rural, geração de renda e consequentemente melhores condições de vida, além do ambiental com a preservação de espécies vegetais e animais que destas dependem.

Conforme Graeff (2011), a apicultura no Brasil teve início em 1839, e desde os primórdios, a atividade vem se intensificando com geração de empregos e comercialização de produtos e subprodutos como mel, própolis, geleia real, pólen, cera entre outros. É a atividade agropecuária mais sustentável e grande aliada na preservação ambiental, a mesma transforma o apicultor em ecologista prático, agindo diretamente no aumento de abelhas que promovem a polinização de plantas de diversos ecossistemas e agroecossistemas.

Contudo, diante das ocorrentes consequências ambientais e tratando-se de uma atividade inserida principalmente na agricultura, relacionada as ciências agrárias e ambientais, tem-se a necessidade de abordar a temática em cursos superiores da área, afim de profissionalizar esses futuros atuantes acerca da importância ambiental da apicultura. Portanto, o trabalho teve por objetivo, avaliar a percepção de alunos graduandos em diferentes cursos das ciências agrárias, a respeito da atividade apícola e sua importância para o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável, visto que a mesma pode ser identificada como instrumento de conscientização a respeito da educação ambiental e sustentabilidade, conceitos estes imprescindíveis para formação do ser humano enquanto profissional e cidadão que respeita o limite de consumo dos recursos naturais.



MATERIAL E MÉTODOS

A pesquisa em foco, teve caráter de estudo de caso, de abordagem quali-quantitativa. Para coleta dos dados foram realizadas entrevistas com aplicação de 60 questionários semiestruturados com questões de múltipla escolha, sobre o assunto para alunos de diferentes cursos na área, no Instituto Federal da Paraíba, Campus Sousa, Universidade Federal de Campina Grande, Campus Pombal e da Universidade Federal da Paraíba Virtual, Polo Pombal. Os resultados foram tabulados no programa Excel 2010 e confeccionados gráficos em porcentagem e alguns em quantidades de participantes por resposta nas questões que poderiam marcar mais de uma opção, afim de melhor averiguar as respostas dos participantes.



RESULTADOS E DISCUSSÃO

De todas as ciências que conhecemos, a ciência agrária se constitui em conhecimentos que estão diretamente ligados ao binômio homem-natureza, pois foi através de práticas agropecuárias que o homem passou a domesticar plantas e animais para produção de alimentos (SPAZZIANI, 2013). Porém com o desenvolvimento do aparato técnico científico, desencadeado pela revolução verde, como transgênicos, agrotóxicos e fertilizantes químicos, promoveram grande extrativismo e produção agrícola em larga escala, que vêm causando diversos problemas socioambientais. Portanto a partir da compreensão de que a Ciência gerava verdade absoluta, nos permitia a ideia de uma dominação absoluta da natureza. No entanto, esta compreensão está em pleno declínio (GLIESSMAN, 2001). A emergência do campo da Educação Ambiental (EA) tem promovido discussões importantes sobre a relação homem-natureza estabelecida nos últimos três séculos (VASCONCELLOS et al., 2009).

Com relação ao perfil dos entrevistados os resultados expressaram que 62% foram do sexo feminino e 38% masculino. As classes de faixa etária predominantes foram de 17 a 20 e 21 a 24 anos, representadas por 43% e 40% respectivamente, os demais apresentaram idade acima de 25 anos. Os dados referentes ao perfil dos entrevistados estão representados na Figura 1. Quanto a área de atuação em que os estudantes estavam inseridos foram distribuídas entre os cursos de Agronomia (30%), Medicina Veterinária (30%), Agroecologia (20%), Engenharia Ambiental (18%) e Ciências agrárias (2%) demonstrados na Figura 2.

Figura 1. Relação percentual de sexo e idade dos entrevistados, IFPB Campus Sousa 2018

Fonte: Elaborado pelos autores



Figura 2. Representação percentual dos cursos de graduação aos quais os entrevistados são vinculados.

Fonte: Elaborado pelos autores



No tocante aos conhecimentos sobre a apicultura, (49) dos entrevistados responderam que trata-se de atividade que gera renda e pode ser praticada em consolidação com a agricultura, e (42), atividade que contribui com o equilíbrio da biodiversidade (Figura 3). Acerca da importância da apicultura para preservação ambiental, 98% afirmaram que a relação é imprescindível para manutenção do ecossistema (Figura 4). Conforme Silva et al. (2018), a criação de abelhas além de ser uma atividade de grande importância social, econômica e cultural, é também grande aliada a preservação ambiental de diversas espécies vegetais nativas e cultiváveis, incluindo as culturas agrícolas, que por sua vez com ação polinizadora das abelhas, produzem maiores e melhores frutos.



Figura 3. Respostas dos participantes acerca dos conhecimentos sobre apicultura.

*Respostas em quantidade de pessoas, visto que poderia ser escolhida mais de uma alternativa para caracterizar a atividade apícola.

Fonte: Elaborado pelos autores



Figura 4. Porcentagem de respostas dos participantes sobre a relação da apicultura com a preservação ambiental.

Fonte: Elaborado pelos autores



No que concerne a cooperação da apicultura para melhoria na qualidade de vida da família produtora, a maior parte dos participantes (56), respondeu que auxilia na renda familiar, e (28) destacaram importância na alimentação. (Figura 5). Conforme Silva et al. (2018), em sua pesquisa sobre composição econômica pela apicultura na renda de agricultores da cidade de aparecida, os apicultores entrevistados responderam que a apicultura representa cerca de 25 a 50% da renda familiar, demonstrando que a atividade realmente desencadeia uma renda extra para essas famílias. E Sobre a relação das abelhas com o meio ambiente, grande parte dos alunos participantes (51), consideram que elas fornecem serviços de polinização. (Figura 6).



Figura 5. Conhecimentos dos participantes sobre a contribuição da atividade apícola na qualidade de vida de famílias rurais produtoras.

*Respostas em quantidade de pessoas, visto que poderia ser escolhida mais de uma alternativa.

Fonte: Elaborado pelos autores



Figura 6. Informações sobre o conhecimento dos estudantes a respeito dos serviços ambientais das abelhas.



*Respostas em quantidade de pessoas, visto que poderia ser escolhida mais de uma alternativa.

Fonte: Elaborado pelos autores



De acordo com a experiência na atividade apícola pelos participantes, 80% afirmaram não ter nenhuma experiência com a atividade apícola e os demais 20% atestaram que pagaram a disciplina de Apicultura na graduação. (Figura 7). Sobre a temática educação ambiental, todos enfatizaram que trata-se do compromisso em proteger e melhorar o ecossistema. (Figura 8).



Figura 7. Representação percentual da relação com experiência sobre apicultura, o que se entende por educação ambiental.

Figura 8. Representação do que os participantes entendem por EA.

*Respostas em quantidade de pessoas, visto que poderia ser escolhida mais de uma alternativa.

Fonte: Elaborado pelos autores

CONCLUSÃO

Conclui-se que os estudantes conseguem vislumbrar a importância da apicultura para a manutenção do meio ambiente e para a melhoria na qualidade de vida das famílias de agricultores, no entanto, se faz necessário a implantação de mais mecanismos de inserção da apicultura como instrumento de educação no ensino superior para esses alunos.



REFERÊNCIAS



GLIESSMAN, Stephen R. Agroecologia: Processos ecológicos em agricultura sustentável. Segunda Edição. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2001.

GRAEFF, I. A apicultura como instrumento de educação ambiental no contexto social, econômico e ambiental. Monografia de especialização, Universidade Federal de Santa Maria, 59p. 2011. Disponível em: <https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/1982/Graeff_Iracema.pdf?sequence=1>. Acesso em 3 de abril de 2019.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em :<https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pb/panorama>. Acesso em 10 de abril de 2019.

SILVA, M. G.; DANTAS, M. C. A. M.; MOREIRA, J. N.; ANDRADE, W. C.; GOMES, M. S. Perfil dos criadores de Apis mellifera no município de Aparecida, Paraíba. ACTA Apicola Brasilica - ISSN 2358-2375 - (Pombal - PB) v. 06, n.1 p.01 - 05, 2018.

SPAZZIANI, M. L. Inovação curricular e educação ambiental nos cursos de agroecologia ou com ênfase. In: Anais do VII EPEA- Encontro Pesquisa em Educação Ambiental, Rio Claro SP, 2013.

VASCONCELLOS, H. S.R., SPAZZIANI, M. L., GUERRA, A.F.S., FIGUEIREDO, J. B. A. Espaços educativos impulsionadores da educação ambiental. Cadernos Cedes, v.77, p.29-48, 2009.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias