ISSN 1678-0701
Número 68, Ano XVIII.
Junho-Agosto/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
 
Artigos

No. 68 - 11/06/2019
OS BENEFÍCIOS DA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA WENZEL’S APICULTURA EM PICOS – PIAUÍ  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3723 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

OS BENEFÍCIOS DA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA WENZEL’S APICULTURA EM PICOS – PIAUÍ



Neilany Araújo de Sousa1, Francisco Antônio Gonçalves de Carvalho2, Antonia Alikaene de Sá3



1Mestranda em Educação da Anne Sullivan University; docente auxiliar do curso de Administração da Universidade Estadual do Piauí - UESPI (neizinhasousa@hotmail.com)

2Mestrando em Desenvolvimento e Meio Ambiente – UFPI/Prodema/Tropen (tonyogc@hotmail.com)

3Mestranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente – UFPI/Prodema/Tropen (allyknsa@hotmail.com)

RESUMO: Com o crescimento dos mercados consumidores a deterioração ambiental se tornou cada vez mais constante. As empresas representam uma forte ameaça à sobrevivência humana, pelo fato da degradação dos recursos naturais. Diante disso o trabalho aborda a importância e os benefícios de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) nas empresas e procura identificar como promover o desenvolvimento organizacional sem comprometer o meio ambiente e os recursos naturais disponíveis. A pesquisa tem o objetivo geral identificar os benefícios proporcionados pela implantação de um sistema de gestão ambiental na empresa Wenzel’s Apicultura em Picos – PI. Nesta pesquisa, utilizou-se o estudo de caso e a abordagem qualitativa, junto aos funcionários da empresa Wenzel’s Apicultura, utilizando como instrumento questionários semiestruturados. Os resultados demonstram que a empresa não possui um Sistema de Gestão Ambiental instalado, porém está em fase de implantação. Contudo utiliza de programas e práticas ambientais consideradas para alavancar o seu negócio, maximizando a economia e os lucros. Os benefícios obtidos pela utilização dessas ações são a melhoria da imagem da empresa, economia de recursos e o aumento da credibilidade dos clientes.

Palavras-Chave: Gestão Ambiental. Beneficios. Meio Ambiente.

ABSTRACT: With the growth of consumer markets, environmental deterioration has become more and more constant. The companies represent a strong threat to human survival due to the degradation of natural resources. The work addresses the importance and benefits of an Environmental Management System (EMS) in companies and seeks to identify how to promote organizational development without compromising the environment and available natural resources. The research has the general objective to identify the benefits provided by the implementation of an environmental management system in the company Wenzel's Apiculture in Picos - PI. In this research, the case study and the qualitative approach were used, together with the employees of the company Wenzel's Apiculture, using semi-structured questionnaires as a tool. The results demonstrate that the company does not have an Environmental Management System installed, but is in the implementation phase. However, it uses environmental programs and practices considered to leverage your business, maximizing the economy and profits. The benefits of using these actions are improving the company's image, saving resources and increasing the credibility of customers.

Keywords: Environmental Management. Benefits. Environment.



1 INTRODUÇÃO

As transformações globais associadas a alguns movimentos ambientalistas foram determinantes para a conscientização sobre a valorização do meio ambiente. Os impactos gerados pelo desenvolvimento econômico e industrial causaram efeitos nocivos ao meio ambiente gerando significativos problemas, onde surgiu a necessidade de intervenção por parte das autoridades de modo a regular a relação entre o homem e a natureza, buscando minimizar os efeitos prejudiciais que cresciam junto com o desenvolvimento econômico.

O ser humano é hoje o maior responsável pela poluição. Cada vez mais, os recursos vão se tornando escassos, em virtude de sua própria ação, consequência do processo produtivo que, em comparação com a qualidade ambiental, passa danificar muito mais rápido. Diante desse fato compreende-se que a relação entre o ser humano e a natureza condicionou a uma necessidade de se implantar nas organizações um instrumento de gestão ambiental (SIFFERT 2014). A principal função deste sistema é apresentar para as organizações, o que é essencial à preservação dos recursos retirados da natureza, pois somente assim terá grandes benefícios a seu favor.

O Sistema de Gestão Ambiental (SGA) é um setor da organização que controla e gerencia os aspectos ambientais, ajuda na diminuição dos impactos naturais. As empresas que implementam este sistema têm maior qualidade para oferecer na produção dos produtos.

As empresas que buscam a implantação do sistema de gestão ambiental têm como parâmetro a norma ISO 14001 que está contida na norma 14000. São aquelas que buscam certificação e precisam seguir os requisitos específicos que estão contidos na norma, para que, dessa maneira possam cumprir com seus deveres. Essa norma é de adesão voluntária que contém os requisitos para a implantação do SGA em uma empresa, podendo ser aplicada a qualquer tipo ou porte de organização (CAGNIN 2000).

Diante deste cenário, surgiu o seguinte questionamento: Como promover o desenvolvimento organizacional sem comprometer o meio ambiente e os recursos naturais disponíveis? A pesquisa tem como objetivo geral identificar os benefícios proporcionados pela implantação de um Sistema de Gestão Ambiental na empresa Wenzel’s Apicultura, no município de Picos - PI. Para obter respostas ao problema de pesquisa, estabelecemos os seguintes objetivos específicos: a) demonstrar como o Sistema de Gestão Ambiental pode se tornar uma ferramenta gerencial para maximizar a eficiência e eficácia dos serviços; b) apresentar como os benefícios econômicos e ambientais podem ser utilizados como fonte de estratégia competitiva; e c) conhecer o processo de implantação de um SGA, segundo os requisitos da ISO 14001.

O estudo é de grande valia para a sociedade, tendo como alvo as organizações que estão constantemente preocupadas com a melhor forma de colaborar com a diminuição da emissão de poluentes. A implementação e manutenção do Sistema de Gestão Ambiental (SGA) nas organizações é vista como mais uma ferramenta eficaz no combate ao problema existente no setor, facilitando a identificação de boas práticas e representando um instrumento de grande importância para os gestores na tomada de decisões. Este trabalho tem por finalidade mostrar a importância desse sistema, e como este pode se transformar em vantagem competitiva frente aos concorrentes. Seu enfoque principal são os graves problemas que assolam a natureza, pois as empresas também são responsáveis pela proteção do ambiente em que desempenham suas atividades, sendo imprescindível que adotem práticas conscientes de preservação e cuidado com a natureza.

2 AS EMPRESAS E A GESTÃO AMBIENTAL

Nos últimos anos com tantos problemas ambientais que o mundo vem enfrentando, as empresas sentiram-se obrigadas a ter uma maior consciência de suas responsabilidades na preservação do meio ambiente. Com o passar do tempo ocorreram muitas mudanças na relação empresa e a natureza. De acordo com Siffert (2014, p.11):

A partir da década de 60, diante das transformações ambientais causadas pelas atividades realizadas pelo homem, iniciou a situação de descaso com relação às emissões de poluentes. Alguns recursos naturais passaram a ser mais valorizados, evidenciou a preocupação com o aumento da população e consumo, visualizando-se o seu esgotamento futuro.

O ser humano é responsável por ocasionar demasiada poluição ao meio ambiente. Muitas vezes desempenham atividades sem se preocupar com os danos que irão causar a natureza, contribuindo para que sua degradação seja ainda mais agravada, tornando os recursos cada vez mais escassos.

Na década de 70, o autor Siffert (2014, p.12) ressalta que:

Ocorre a primeira manifestação dos governos de todo o mundo, em 1972, a Conferência das Nações Unidas sobre o meio ambiente humano em Estocolmo na Suécia, contou com representantes de 113 países 250 organizações para discutir as consequências da economia sobre o meio ambiente, onde foi definido o conceito de desenvolvimento sustentável.

Este evento ocorreu em prol dos graves problemas ambientais que vem ao longo do tempo ameaçando toda a população mundial. Foi definido então um programa internacional voltado para a conservação dos recursos naturais, com medidas preventivas para evitar desastres para as próximas gerações.

Já a década de 80 foi marcada com o surgimento de leis regulamentadoras das atividades industriais no tocante a poluição. Nos anos 90 houve grande impulso com relação à consciência ambiental na maioria dos países, que aceitaram pagar um preço pela qualidade de vida e para manter limpo o ambiente (SIFFERT, 2014).

Na última década as questões ambientais deixaram de ser vistas como domínio exclusivo dos ecologistas passando a ser de interesse global, as pessoas estão conscientes do quanto esta questão é imprescindível para o desenvolvimento da nação, passando a ser incorporada às preocupações centrais da sociedade (FEROLLA, 1999). A discussão sobre a relação do homem com o meio ambiente se torna cada vez mais forte mundialmente. As empresas são apontadas como as principais agentes na relação de desequilíbrio com a natureza, tanto pela extração dos recursos naturais, quanto por parte dos resíduos jogada no solo.

As organizações vêm se adaptando com o passar do tempo às mudanças que surgem. Atualmente tornou-se uma necessidade vital para o homem a preocupação com a situação alarmante em que se encontra o planeta atualmente, no que diz respeito aos impactos ambientais. As práticas utilizadas pelas empresas para minimizar esse problema acabou gerando vantagem competitiva. A sociedade está ciente e preocupada essa nova realidade em que se encontra o meio ambiente frente a escassez de recursos naturais.

De acordo com Dias (2011 apud CRISPIM, 2013, p.22) “gestão ambiental é a expressão utilizada para se denominar a gestão empresarial que se orienta para evitar, na medida do possível problemas para o meio ambiente”. O objetivo principal da gestão ambiental nas empresas é utilizar práticas e métodos com a finalidade de diminuir ao máximo os impactos ambientais, visando garantir a conservação e preservação da natureza.

As empresas estão cada vez mais preocupadas com as questões ambientais e os problemas gerados ao meio ambiente. A sociedade passou a exigir atuação sustentável e ética das organizações para tornar mínimos os danos na natureza e garantir condições para a sobrevivência das futuras gerações.

Os clientes estão cada dia mais atentos e exigentes em relação ao meio ambiente. No entanto, cada vez mais insere-se a gestão ambiental nas empresas. Afirma Seiffert (2014, p.56) que:

A importância do processo de gestão ambiental na esfera privada reside no fato de que a organização vem se adaptando a condições cada vez, mas exigente quando ao seu desempenho ambiental em virtude de pressões exercida por vários agentes envolvendo no processo de gestão ambiental.

A gestão ambiental está se destacando no meio empresarial devido às empresas utilizarem práticas sustentáveis que proporcionem a satisfação necessária aos clientes sem comprometer o meio ambiente, mostrando que cumprem as leis ambientais impostas. Com isso, as empresas preocupam-se cada vez mais com a natureza. Conforme Donaire (1999, p.23) e suas abordagens demonstra que:

A preocupação de muitas organizações com o problema da poluição tem feito com que elas reavaliem o processo produtivo, buscando a obtenção de tecnologias limpas e o reaproveitamento dos resíduos. Isso tem propiciado vultosas economias, que não teriam sido obtidas se elas não tivessem enfocado este problema.

Os processos produtivos das empresas prejudicam muito o meio ambiente com a retirada indevida de matéria prima. As organizações buscam através das tecnologias diminuir os impactos causados pelas atividades obtendo uma economia de grade escala na utilização de alguns recursos, como água, energia e o material utilizado durante a produção.

3 O PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL DE ACORDO COM A ISO 14000 E 14001

A ISO 14000 é uma série de normas desenvolvidas pelo ISO (International Organizatoin for Standardization) que estabelecem diretrizes sobre a gestão ambiental. As principais normas da série ISO 14000 são:

  • BR ISO 14001: Sistemas de Gestão Ambiental, especificação e diretrizes para uso;

  • NBR ISO14004: Sistemas de Gestão Ambiental, diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio;

  • NBR ISO 14010: Diretrizes para Auditoria Ambiental, princípios gerais;

  • NBR ISO 14011: Procedimentos de Auditoria Ambiental, auditoria de sistemas;

  • NBR ISO 14012: Critérios de qualificação para auditores ambientais;

  • NBR ISO 14020 a 14024: Rótulos e declarações ambientais;

  • NBR ISO 14031: Avaliação de desempenho ambiental, diretrizes;

  • NBR ISO 14040 a 14043: Avaliação do ciclo de vida. (CRUZ 2013, p. 311)

Um regulamento internacional que teve início da década de 1990 denominado de ISO viu a necessidade de desenvolver normas que especificassem a questão ambiental e tivessem como intuito a padronização dos processos de empresas que utilizavam recursos retirados da natureza ou causassem algum dano ao meio ambiente, decorrentes das suas atividades (CRUZ, 2013). Através desse regulamente foi fornecida uma estrutura organizada para que as empresas pudessem promover ações internas para obter a certificação.

A norma pode ser implantada por qualquer tipo de organização, não há restrições, mas necessita-se que busquem a solicitação de documentos necessários em órgão competente. Tanto empresas privadas quanto públicas podem solicitar a certificação, que tem duração de três anos. Após esse período é realizada nova auditoria para comprovar se há condições de continuar o projeto ou necessita de adequações.

As empresas que possuem a certificação podem aumentar o seu valor no mercado, sendo assim seus produtos estarão associados à sua imagem, agregando mais qualidade a estes, além disso, em muitos casos existe ganho econômico, pois passam a reutilizar recursos como água e energia elétrica de forma menos agressiva e isso se reflete na redução dos custos mensais.

A norma ISO 14001 de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é a responsável por regulamentar o sistema de gestão ambiental, e estabelecer os requisitos necessários para a implementação e operação do SGA nas empresas. Seu objetivo principal é promover a elaboração de normas em diversos domínios de atividades. Além disso, pode efetuar a certificação de produtos e sistemas através de vários agentes que ajudam na fiscalização para saber se estão sendo cumpridos os requisitos obrigatórios nas empresas.

A quantidade de empresas que desenvolvem a gestão ambiental com base na norma ISO 14001 no Brasil vem aumentando a cada ano. “A consciência ecológica está abrindo caminhos para o desenvolvimento de novas oportunidades de negócio é, com isso, facilitado à inclusão das empresas brasileiras no mercado internacional” Silva; Medeiros, (2004 apud OLIVEIRA E SERRA, 2010, p. 3).

As certificações dão credibilidade às empresas e destacam-nas no mercado internacional, possibilitando novas oportunidades de negócio. Assim, as empresas obtêm melhoria na imagem perante a sociedade em geral, passando segurança e confiabilidade quanto à qualidade dos produtos, além de maximizar os lucros.

O primeiro passo para a implantação de uma SGA em uma empresa, seria a realização de uma avaliação de todas as atividades da empresa com relação ao meio ambiente com o intuito de descobrir os impactos que está causando ao ambiente.

Segundo a ABNT (2004), há cinco princípios básicos que devem ser seguidos ao implantar um SGA, baseados na norma ISO 14001, são eles:

Política Ambiental: a política ambiental dá um senso global de direção e apresenta os princípios de ação para uma organização, sendo estabelecidas metas relativas ao desempenho e responsabilidade ambiental, contra as quais todas as ações subsequentes serão julgadas.

Planejamento: com base na política ambiental, a organização deve fazer um planejamento com o objetivo de atender aos requisitos estabelecidos.

Implementação e Operação: o processo de implementação e operação do SGA deve ser conduzido de forma a serem atingidos os objetivos e as metas estabelecidas.

Verificação e Ações Corretivas: para que a política ambiental possa ser avaliada, é necessário que sejam desenvolvidos procedimentos para monitorar e medir as principais características das operações e atividades que podem causar um impacto significativo no meio ambiente, ao mesmo tempo em que devem ser estabelecidos os procedimentos referentes às ações corretivas que devem ser tomadas para eliminar as causas reais e potenciais, que poderiam resultar em um impacto no meio ambiente.

Revisão do Gerenciamento: para que o comprometimento com a melhoria contínua possa ser efetivo, a alta administração da organização deve, em intervalos programados, revisar o SGA, de forma a assegurar que este continue adequado e efetivo (BRAGA 2005, p.291).

A política ambiental é a etapa inicial, onde são elaborados os programas, ações coordenadas e normas que visam à proteção da natureza. Posteriormente ocorre o planejamento, etapa em que será colocado em prática tudo o que foi definido na política ambiental.

Já no processo de implantação e operação se executa o que está previsto em sua política, metas e objetivos propondo organização da estrutura organizacional, responsabilidade, treinamento, conscientização e competência, comunicação, documentação do Sistema de Gestão Ambiental, controle operacional, preparação e atendimento a emergências.

Conclui-se com os processos de verificação e ações corretivas para averiguar se a empresa está coerente com o que foi previamente planejado, identificando aspectos não desejáveis e eliminado qualquer impacto negativo. O gerenciamento se efetiva através da auditoria realizada com a administração para analisar e identificar possíveis alterações nos objetivos e metas, na política ambiental com o intuito de revisá-lo constantemente a fim de obter um processo de melhoria contínua.

4 METODOLOGIA

Com o objetivo de identificar os benefícios proporcionados pelo Sistema de Gestão Ambiental na empresa Wenzel’s Apicultura em Picos, os procedimentos metodológicos segundo Andrade (2009), iniciam pela coleta de dados, que se trata da parte mais importante da pesquisa de campo, pois é ela quem facilita o desenvolvimento da análise, e assegura os resultados encontrados.

Na efetivação deste trabalho foi empregada a abordagem qualitativa e quantitativa, tratando-se uma pesquisa exploratória que de acordo com Soares (2003), é desenvolvida com o objetivo de observar fatos diretamente, buscando constatar algum em uma determinada organização sendo um elemento para aumentar sua compreensão e especificar seu funcionamento.

Ainda, de acordo com Gil (1999, p.41):

Estas pesquisas têm como objetivo proporcionar maior familiaridade com o problema, com vistas a torná-lo mais explícito ou a constituir hipóteses. Pode-se dizer que estas pesquisas têm como objetivo principal o aprimoramento de ideias ou a descoberta de intuições. Seu planejamento é, portanto, bastante flexível, de modo que possibilite a consideração dos mais variados aspectos relativos ao fato estudado.

O método adotado foi o estudo de caso, focalizando os benefícios que um SGA proporciona para a empresa. Tal procedimento que foi definido por Acevedo (2010, p. 50) ‘’é uma análise em profundidades de um objetivo ou um grupo de objeto, compreendendo o planejamento, as técnicas de coleta de dados é a abordagem da análise de dados’’ consiste em investigar um assunto diante de um conjunto de métodos predeterminantes.

Na pesquisa de campo os registros foram realizados através da aplicação de questionários com perguntas objetivas e subjetivas, efetivado no mês de maio de 2016 com a duração de um mês pelo o próprio autor com uma comunicação face a face. Foram aplicados a todos os funcionários que trabalham na empresa, seu preenchimento deu-se de forma discreta, não havendo a necessidade da identificação dos colaboradores. O registro das informações foi feito realizando observações, entrevistas e visitas na empresa.

5 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

Os dados colhidos por meio de questionários são discutidos e demonstrados através dos gráficos abaixo:

Gráfico 1 - A empresa possui um Sistema de Gestão Ambiental (SGA)?
Fonte: Elaborado pelos pesquisadores

Conforme o gráfico 1, 25% responderam que sim, porém ainda não certificado pela ISO 14001, 19% dos funcionários afirmam que a empresa não possui a o sistema e 56% que não, mas está em fase de implantação. Esses dados são considerados importantes, pois mostra que devido às grandes mudanças que vem ocorrendo no mercado consumidor, a empresa preza pela qualidade dos produtos e preservação do meio ambiente. Mostra também que há preocupação com os impactos que ela pode causar a natureza.

O SGA pode ser um instrumento de identificação de problemas e solução ambiental baseado na melhoria do meio ambiente, tendo em vista a ocorrência da redução dos custos no interior da organização, crescendo dessa maneira a competitividade e promovendo o acesso aos mercados consumidores. A sua finalidade é desenvolver, praticar, estabelecer, ordenar e verificar as atividades relacionadas ao meio ambiente visando à redução de impactos ao meio ambiente. Além de contribuir com a responsabilidade socioambiental. Sendo que o sistema de gestão ambiental é “a parte de um sistema da gestão de uma organização utilizada para desenvolver e implementar sua política ambiental e para gerenciar seus aspectos ambientais.” (NBR ISO 14001: 2004).

Gráfico 2 - Caso não haja um SGA, a empresa possui algum programa ou prática ambiental?

Fonte: Elaborado pelos pesquisadores

Os resultados obtidos a partir do gráfico 2 mostram que, 81% responderam que a empresa possui SIM programas e práticas ambientais enquanto 19% desconhecem esses programas e práticas, afirmando não possuir. Os dados mostram ainda que a empresa está sempre em busca da melhoria de suas ações com relação ao meio ambiente, buscando minimizar os aspectos inerentes, praticando e inserindo novos programas e ações correntista.

Os colaboradores e o gerente citaram que as práticas mais utilizadas na empresa são: política de redução do consumo de energia e a política de cuidado com os resíduos produzidos. Mencionaram também alguns programas como: Procedimentos e Práticas de Higienização Operacional-PPHO; Boa Prática de Fabricação de Alimentos-BPF e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária-EMBRAPA. Esses programas são responsáveis por acompanhar as ações de prevenção e monitoria das atividades, com o intuito de entregar o plano ambiental da empresa.

Gráfico 3 - Conhecimento da empresa sobre os princípios de Produção Limpa

Fonte: Elaborado pelos pesquisadores

O gráfico 3 diz que, 81% afirmam que a empresa possui conhecimento sobre a produção limpa representando, 19% disseram que não. A análise mostra ainda que os produtos são produzidos com qualidade, para que assim atenda às necessidades de seus clientes e consumidores.

A empresa segundo os dados coletados é consciente do uso da produção limpa, pois sempre a preocupação na hora da produção dos produtos. De acordo com Barbieri (2004, p. 119), a produção mais limpa ou P+L “é uma estratégia ambiental preventiva aplicada aos processos, produtos e serviços para minimizar os impactos sobre o meio ambiente” é uma tática econômica e ambiental com a finalidade de aumentar a eficácia na utilização da matéria prima, tendo o intuito da amenização os resíduos criados.

Com essa definição, Barbieri (2004, p. 120) argumenta que a P+L envolve um processo constituído de uma sequência de prioridades a serem seguidas: “prevenção, redução, reuso e reciclagem, tratamento com recuperação de materiais e energias, tratamento e disposição final”, sendo que sua prioridade é prevenir contra a poluição e reduzir a utilização dos recursos retirado da natureza.

Gráfico 4 - Interação da empresa com algum Órgão Ambiental

Fonte: Elaborado pelos pesquisadores



Neste quesito, no gráfico 4 observou-se que 75% responderam que a empresa possui interação com algum órgão ambiental e 25% disseram que não. Os órgãos ambientais são muito importantes, pois eles que são responsáveis pela proteção a melhoria da qualidade ambiental, pelo controle e fiscalização das atividades produzidas pela empresa.

Os principais órgãos que são integrados na empresa conforme os gerentes são: o ministério agricultura, pecuária e abastecimento-MAPA; departamento de inspeção de produtos de origem animal-DIPOA; Instituto Brasileiro do meio ambiente-IBAMA. Este último mostra que a empresa está em conformidade com as leis ambientais, suas atividades estão sendo aplicadas de forma a não prejudicam a natureza, estando de acordo com o que é permitido por lei.

Gráfico 5 - A empresa possui certificação ISO 14001?

Fonte: Elaborado pelos pesquisadores

Pode-se perceber mediante o gráfico 5 que 81% dos colaboradores constataram que a empresa não possui certificação da ISO 14001, 19% responderam que sim. É fundamental que a empresa venha a se preocupar com essa questão, considerando que este tipo de certificação comprova que os produtos estão sendo produzidos com qualidade e obtém consequentemente mais credibilidade frente ao mercado consumidor.

Segundo a ABNT (2004), a norma ISO 14001 exige certos requisitos para que um sistema de gestão ambiental possa ser implantado em uma organização, sendo necessário desenvolver uma política ambiental para fornecer informações sobre aspectos ambientais, tendo em vista a obtenção de um certificado.

Gráfico 6 - A empresa tem conhecimento dos aspectos ambientais que suas atividades causam ou podem causar?

Fonte: Elaborado pelos pesquisadores

De acordo com os dados coletados, o gráfico 6 25% dos colaboradores asseguram que a empresa tem conhecimento com relação dos impactos ambientas que suas atividades causam ou podem causar, 19% afirmam que não tem conhecimento e 56% responderam que as atividades que são produzidas não há riscos para o meio ambiente. Diante disso, nota-se claramente que o produto que é produzido pela empresa não há risco para o ambiente. Mas existe a necessidade de mostrar os riscos que suas atividades possam gerar com o intuito de obter a melhor forma de se prevenir para que esses problemas não venham a ocorrer.

A NBR ISO 14001/2004 define como aspecto ambiental “elemento das atividades, produtos ou serviços de uma organização que pode interagir com o meio ambiente”, cuja significância é quando uma empresa tem ou pode conter impactos positivos ou negativos na natureza, verificando o potencial das atividades da organização com relação ao meio ambiente.

Tendo em visa que toda matéria-prima que é retirada da natureza tem risco, para o meio ambiente, a degradação ocorre por causa dessas atividades de extração não consciente da natureza.

Gráfico 7 - Controle das fontes que geram poluição do ar

Fonte: Elaborado pelos pesquisadores

O gráfico 7 mostra como os colaboradores avaliam a qualidade do ar no momento do colhimento do mel. As respostas obtidas demonstram que 69% afirmam que há um controle da poluição do ar, enquanto 31% asseguram que não existe esse controle.

Percebe-se então que as atividades produzidas pela empresa têm um controle nas fontes que geram poluição no ar, apesar de serem utilizados alguns processos que de certa forma modifica a qualidade do ar, como a fumaça na hora da retirado do mel para espantar as abelhas. Está utilização não mata a abelha só as afastas por alguns minutos, sendo muito importante para voltarem a produzirem novamente.

A atuação da empresa influencia diretamente na qualidade do ar, as atividades produzidas durante a fabricação dos produtos podem ocasionar uma poluição atmosférica.

Gráfico 8 - Procedimentos ou práticas para reduzir o consumo de produtos líquidos

Fonte: Elaborado pelos pesquisadores

Com relação ao procedimento ou práticas para diminuir o uso dos produtos líquidos, os dados representados pelo gráfico 8 mostram que 81% responderam que há praticas para minimizar o uso desses produtos, 19% falaram que essas práticas não existem.

Como mostra a análise dos dados, a empresa utiliza práticas e procedimentos para a conscientização dos funcionários sobre o uso consciente da água no momento da produção. Santos e Ferreira (2011) afirmam que empresas devem promover ações de recuperação de impactos ambientais causados pelo empreendimento ou causa natural, com o intuito de prevenir a degradação de um componente do meio ou de um sistema ambiental.

Gráfico 9 - A empresa possui uma relação contendo todos os requisitos legais e regulamentares, relacionados ao meio ambiente e pertinente às suas atividades, produtos ou serviços da empresa?

Fonte: Elaborado pelos pesquisadores

Pode-se perceber mediante o gráfico 9 que 69% dos colaboradores consideram que a empresa possui a relação com todos os requisitos legais e regulamentares exigidos, 25% responderam que sim, mas não está disponível a todos que trabalham na organização, 0% afirmam que possuem, mas não é atualizado e 6% relataram não verificam na empresa os devidos requisitos.

Com base nos resultados obtidos, é possível averiguar que a empresa possui como característica predominante requisitos legais e regulamentos para que possa desempenhar suas funções. Nesse sentido, SEBRAE (2004, p.35) dizem que;

A comunidade empresarial se deu conta de que os padrões de produção e consumo corrente são insustentáveis. Ao mesmo tempo entendeu que, para continuarem funcionando, suas empresas terão que integrar, cada vez mais, componentes ambientais as suas estratégias comerciais e seu planejamento de longo prazo.

Observou-se que as empresas estão utilizando a gestão ambiental como estratégia competitiva, pois quanto mais componentes ambientais estão inseridos na organização mais valorizada se ela torna, obtendo uma boa imagem perante toda a sociedade. O gerente geral discorreu que existe uma equipe técnica que é responsável pela aplicação de todos os itens contidos na documentação da empresa, dos programas e a sua eficiência para todos que a integram.

De acordo com a pesquisa feita com o gerente geral da empresa Wenzel’s Apicultura o mesmo afirma que os principiais ganhos com esse sistema são:

A redução de água e energia, reciclagem, venda e aproveitamento da cera da abelha, redução de multas e penalidades. (Gerente)

Mello (2010) colabora nesse sentido quando afirma que a gestão ambiental proporciona à empresa oportunidades de acrescentar valor, podendo obter vantagem competitiva por parte da percepção social, economia de custos ou ganhos adicionais, enquanto abranda as consequências de seus produtos e processos produtivos na natureza.

Em seguida questionou-se sobre quais as razões para a implantação de um sistema de gestão ambiental na empresa.

A redução nos custos de produção, pois trata-se de uma questão de consciência da empresa em preservar a meio ambiente. A empresa é parceira da natureza, pois dependemos dela para sobreviver, como a apicultura é nossa base, temos que incentivar e lutar para que o meio ambiente seja preservado. (Gerente)

Diante as afirmações do gerente, percebe-se que a implantação do sistema de gestão ambiental é uma forma de mostrar que todas as empresas, sejam elas grandes, médias ou pequenas, necessitam empregar políticas ambientais, para preservar os recursos naturais. Entretanto as empresas devem sempre procurar adotar sempre as melhores práticas ambientais no ambiente empresarial, contribuindo assim, para a melhoria da qualidade de vida e garantindo um futuro melhor para as novas gerações.

6 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Através da pesquisa ficou comprovado que a empresa não possui um Sistema de Gestão Ambiental, mas está em fase de implantação. A Wenzel’s Apicultura tem consciência dos impactos ambientais que suas atividades podem causar, buscam utilizar várias estratégias para minimizá-los através de programas e práticas que reduz a utilização da matéria prima, maximizando a economia e os lucros.

Diante dos dados colhidos, constatou-se que ações como uso da produção limpa, prevenção, reuso, reciclagem e uso consciente da água geram benefícios como redução de custos e diminuição de poluentes no ar. A relação que a empresa tem com órgãos ambientais proporciona uma imagem excelente perante a sociedade em geral, isso demonstra que a organização possui todos os documentos e requisitos legais para exercer a atividade, aumentando a credibilidade dos clientes.

Ao término deste trabalho, todas as indagações foram devidamente solucionadas, com grande contribuição da Wenzel’s Apicultura que atenciosamente colocou seu ponto de vista sobre a necessidade de se obter um SGA nas empresas.

Para tanto a pesquisa instiga a continuação da investigação de quantas empresas possuem um sistema de gestão ambiental no município de Picos.



REFERÊNCIAS

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. ISO 14001: Sistemas de Gestão Ambiental - Especificação e Diretrizes para Uso. 2004.

ACEVEDO; Claudia Rosa; NOHARA, Juliana jardon. Monografia no curso de administração: guia completo de conteúdo e forma: inclui normas atualizadas da ABNT, TCC, TG, Trabalho estagio, MBA, dissertação, tese. - 3ed-3. reimpr.- São Paulo; Atlas, 2010.

ANDRADE, Maria Margarida. Introdução a metodologia do trabalho científico. 9ed São Paulo editora atlas 2009.

BRAGA, Benedito et al. Introdução a engenharia ambiental: o desafio do desenvolvimento sustentável. 2. ed. São Paulo: Person Prentice Hall, 2005

BARBIERI, J. C. Gestão Ambiental Empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva, 2004

CAGNIN, Cristiano Hugo et al. Fatores relevantes na implementação de um sistema de gestão ambiental com base Na Norma ISO 14001. 2000.

CRUZ, Tadeu. Sistema, organização e métodos: estudo integrado areento a possesso de negócio sobre organizações e tecnologia da informação. Introdução a gerencia do conteúdo e do conhecimento/ Tadeu cruz-4. ed.- São Paulo:atlas,2013.

DONAIRE, Denis. Gestão Ambiental na Empresa. 2ª Ed. – São Paulo: Atlas, 1999.

FEROLLA, G., ISO 14000 - Desafios para o desenvolvimento tecnológico. Seminário realizado pela ABIPTI. Rio de Janeiro, 02-03 dez, 1999. Mimeografado 2002.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1999.

MELLO, V. S. Vantagens Competitiva da Gestão Ambiental. 2010. 20p. Trabalho de Conclusão (Graduação Ciências Econômicas). Faculdade de Ciências Econômicas. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

OLIVEIRA, Otávio José de; SERRA, José Roberto. Benefícios e dificuldades da gestão ambiental com base na ISO 14001 em empresas industriais de São Paulo. Produção, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 429-438, Sept. 2010. Disponível em: <https://goo.gl/eQW1dg>. Epub Mar 26, 2010. Acesso em 18 de novembro de 2015.

SANTOS, Juliana Vamerlati; FERRIRA, Rodrigo Cornaciani. Planejamento ambiental; curso técnico em meio ambiente. Paraná educação a distância ed1 2011.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS – SEBRAE. Metodologia Sebrae para Implementação de Gestão Ambiental em Micro e Pequenas Empresas. Brasília: Sebrae, 2004a. 113p.

SEIFFER, Maria Elizabete Bernardini. Livro gestão ambiental: instrumento, esferas de ação e educação ambiental. 3ed. ano 2014. São Paulo; atlas, 2014.

SOARES Edivaldo. Metodologia científica; lógica, epistemologia e normas. 1ed. São Paulo atlas 2003.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias