ISSN 1678-0701
Número 69, Ano XVIII.
Setembro-Novembro/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias
 
Dinâmicas e recursos pedagógicos

No. 69 - 27/09/2019
FLORESTA AMAZÔNICA: EM PROSA E IMAGENS  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3773 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

Imagens e palavras como recurso pedagógico para sensibilizar, e transformar. “Prepare-se. Respire fundo. Porque as imagens que você está prestes a ver são de tirar o fôlego. Elas mostram toda a beleza e esplendor da Floresta Amazônica”.



FLORESTA AMAZÔNICA: EM PROSA E IMAGENS

Suzana Camargo





Prepare-se. Respire fundo. Porque as imagens que você está prestes a ver são de tirar o fôlego. Elas mostram toda a beleza e esplendor da Floresta Amazônica.

Através do olhar dos fotógrafos João Marcos Rosa, Daniel de Granville, Marcos Amend e Adriano Gambarini, parceiros e colaboradores do Conexão Planeta, através do blog Por Trás das Câmeras, é possível sentir toda a perfeição e equilíbrio deste bioma tão brasileiro, mas que é um símbolo da força brutal da natureza no planeta Terra.

Difícil, entretanto, é traduzir em palavras, aqui neste post, o que as imagens destes talentosos e sensíveis profissionais dizem por si só. Luz, cores, sombras, formatos e volumes são muito mais eloquentes do que quaisquer linhas que posso escrever agora.

A floresta tem estado de pé por séculos. Sob a copa generosa de suas milhares de árvores, o ciclo da vida é dono de seu próprio tempo. Na umidade abafada da mata da Amazônia, um infindável número de seres vivos se reproduzem. Nascem, crescem e morrem. Desde as bactérias mais minúsculas até bichos de dimensões irreais como a sucuri ou a onça-pintada.

Submersos em suas águas caudalosas e mansas, animais marinhos dançam com o movimento das águas. Peixes-bois e ariranhas perpetuam um hábito que o homem das grandes cidades parece ter esquecido: cuidar da própria espécie.

Na imensidão desta selva, a maior área contínua de floresta tropical do planeta, os animais enfrentam os meses da seca e a temporada da chuva. Sabem exatamente o que devem fazer para sobreviver diante dos desmandos incontestáveis do clima. É o senhor do tempo que diz se haverá sol ou tempestade, mas os seres da floresta conseguiram se adaptar à sua vontade e dão lições de perspicácia e inteligência, que até hoje surpreendem o bicho homem.

Há uma única certeza para quem tem o privilégio de pisar na Floresta Amazônia: nela, há uma conexão intrínseca sobre tudo o que repousa nesta terra. Árvores, sementes, frutos, flores e animais estão todos interligados. Se um sofre, todos sofrem.

Por milhares de anos, a Floresta Amazônia tem resistido à cobiça e aos avanços do ser humano sobre ela, e ainda assim, permaneceu imponente e soberana. Mas não vamos falar neste texto sobre a estupidez do desmatamento. Queremos celebrar a vida. Por isso, chega de prosa. Porque a Floresta Amazônia não precisa de palavras. Só imagens. E nosso comprometimento em protegê-la.

E por último, é preciso deixar aqui registrado nosso imenso agradecimento à generosidade destes profissionais que nos brindam com estes maravilhosos registros.



A luz sobre a Floresta Nacional de Carajás – João Marcos Rosa

A beleza da natureza que sempre nos surpreende – João Marcos Rosa

O multicolorido das aves na imagem de Marcos Amend

Tronco de árvore retorcido no meio da Floresta Amazônica – Daniel De Granville

Vida que pulsa dentro da mata – Marcos Amend

Mais uma visão da Floresta Nacional de Carajás  por João Marcos Rosa

Uma das milhões de espécies que habitam a Amazônia – Adriano Gambarini

Boto fotografado por Daniel De Granville

A água que reflete o céu – Marcos Amend

Marcos Amend fotografa o encontro da ave com sua presa no rio

A mata sob o olhar de Adriano Gambarini

A preguiça flagrada por Daniel De Granville