ISSN 1678-0701
Número 69, Ano XVIII.
Setembro-Novembro/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias
 
Artigos

No. 69 - 27/09/2019
A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO FUNDAMENTAL COM ÊNFASE NOS RECURSOS HÍDRICOS  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3813 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO FUNDAMENTAL COM ÊNFASE NOS RECURSOS HÍDRICOS



Zilmar Timoteo Soares

Professor orientador da disciplina Educação Ambiental, UEMASUL, .zilmarsoares@bol.com.br

Beatriz Lima de Sousa

Acadêmica do Curso de Especialização em Ciências Ambientais, biadesousa@gmail.com

Mônica Mourão Martins

Acadêmica do Curso de Especialização em Ciências Ambientais, monicamouraom@gmail.com

Sandra Regina da Silva Gomes

Acadêmica do Curso de Especialização em Ciências Ambientais, saa192016@outlook.com





RESUMO

Muito se tem discutido sobre os problemas associados ao meio ambiente, causados pelas ações humanas, partindo disso, compreende-se que é necessário trabalhar a educação ambiental desde o Ensino Fundamental, pois garante a formação de cidadãos responsáveis e motivados a resolver tais infortúnios. O presente artigo teve como objetivo, compreender a percepção dos alunos das primeiras séries, em relação aos conhecimentos de Educação Ambiental com ênfase nos recursos hídricos, levando em consideração o que já conheciam sobre a temática. O trabalho foi realizado na Escola Municipal Tocantins, na cidade de Imperatriz - MA, na turma de 5º ano do Ensino Fundamental. A pesquisa contou com a exposição de imagens, experiência simples, atividades práticas e produção de desenhos. Os objetivos da pesquisa foram alcançados, e provam a relevância de se valorizar a educação ambiental, desde o início da formação do indivíduo, principalmente através de atividades lúdicas.

PALAVRAS–CHAVE: Meio ambiente. Percepção Ambiental. Recursos Hídricos.



ABSTRACT

Much has been discussed about the problems associated with the environment, caused by human actions. Based on this, it is understood that it is necessary to work environmental education from elementary school, because it guarantees the formation of responsible and motivated citizens to solve such misfortunes. The objective of this article was to understand the students' perceptions of the first grades in relation to the knowledge of Environmental Education with emphasis on water resources, taking into account what they already knew about the theme. The work was carried out at the Tocantins Municipal School, in the city of Imperatriz - MA, in the 5th grade class of Elementary School. The research counted on the exhibition of images, simple experience, practical activities and production of drawings. The objectives of the research were reached, and prove the relevance of valuing environmental education, from the beginning of the formation of the individual, mainly through play activities.





1 INTRODUCÃO

A educação promove inúmeros benefícios associados à vida social e pessoal de cada aluno, pois é constituída por assuntos importantes que estão diariamente integrados na sociedade. Contudo é necessário salientar que os alunos precisam diariamente ser informados acerca dos diversos assuntos que fazem parte da nossa sociedade, para que se tornem cidadãos conscientizados e capazes de se posicionar nas diversas situações da vida. No entanto o currículo escolar é uma referência imprescindível que orienta toda a didática do professor(a), em sala de aula, porém o professor(a), deve incluir na sua aula informações pertinentes que são necessárias na construção da subjetividade de cada aluno, e que vão além do que está escrito no currículo escolar. 

Através do conhecimento adquirido o aluno despertará para o universo de cores e formatos que existe ao seu redor, focando sua atenção para o que o professor enfatizou dentro e fora de sala de aula. Um tema muito importante a ser pautado é a importância do meio ambiente e da utilização correta da água na vida de cada um, pois a água é um recurso hídrico que é indispensável para a sobrevivência de todos, e ela está presente no meio ambiente como fator de extrema importância devido a sua influência significativa na preservação das biodiversidades. No entanto através da educação ambiental os alunos passam a obter novos conhecimentos que irão capacitá-los para a construção de uma nova visão do meio ambiente em que vivem. 

Segundo Segura (2001, p.165): Quando a gente fala em educação ambiental pode viajar em muitas coisas, mais a primeira coisa que se passa na cabeça ser humano é o meio ambiente. Ele não é só o meio ambiente físico, quer dizer, o ar, a terra, a água, o solo. É também o ambiente que a gente vive – a escola, a casa, o bairro, a cidade. É o planeta de modo geral. (...) não adianta nada a gente explicar o que é efeito estufa; problemas no buraco da camada de ozônio sem antes os alunos, as pessoas perceberem a importância e a ligação que se tem com o meio ambiente, no geral, no todo e que faz parte deles. A conscientização é muito importante e isso tem a ver com a educação no sentido mais amplo da palavra. (...) conhecimento em termos de consciência (...) A gente só pode primeiro conhecer para depois aprender amar, principalmente, de respeitar o ambiente.

Devido à aceleração constante do ritmo das informações que configuram a sociedade, a educação ambiental é de extrema necessidade para integrar logo nas series de ensino fundamental, uma visão consciente e prudente nas crianças. Devido a globalização, as árvores estão sendo substituídas por grandes edifícios das grandes empresas, shopping, lojas, e inúmeras outras construções presentes no imenso mercado consumidor. Tudo isso dificulta o contato das crianças com a pureza presente na natureza, impossibilitando-as de entender a importância dos fatores ambientais e os problemas que eles enfrentam diariamente. 

Entretanto existem crianças que não possuem nenhum tipo de contato com elementos típicos da natureza, por isso toda informação sobre natureza vai ser algo totalmente desconhecido para esta, sobretudo a questão ambiental deve ser um tema de primordial importância para ser trabalhado nas escolas, juntamente com a criatividade do professor(a) será uma forma diferenciada de informar as crianças sobre o ambiente e seus problemas causados pelas ações humanas, conscientizando as crianças , para que estas se tornem adultas transmissoras do conhecimento que adquiriram na escola, buscando cuidar melhor dos recurso hídricos (SANTOS, 2018)

As instituições de ensino devem estar conscientes da introdução dos fatores ambientais que precisam ser trabalhados com as crianças, sendo temas transversais do currículo escolar, pois a educação ambiental nas escolas contribui para a formação de cidadãos capazes de se comprometer com a defesa da vida atuando na realidade socioambiental. Além de exposição de aulas informativas é importante que as escolas se disponham a trabalhar gestos concretos que introduzam nas crianças formação de valores através de atividades práticas para que elas aprendam a amar, respeitar e praticar ações voltadas à conservação ambiental, (SEGURA, 2001).

O professor deve ser o mediador das questões ambientais e descobrir juntamente com os alunos todo o conhecimento e informações necessárias para que os alunos construam a noção de que o conhecimento é constante, desenvolvendo uma postura crítica diante da realidade ambiental. 

Diante do exposto, este projeto teve como OBJETIVO, compreender a percepção dos alunos do Ensino Fundamental, em relação aos conhecimentos de Educação Ambiental com ênfase nos recursos hídricos, levando em consideração o que os alunos já sabem sobre a temática.



2 A IMPORTÂNCIA DA PRESERVAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

Os corpos de água que perpassam os oceanos, os rios, até passarem pelos lagos, arroios e lagoas existentes no planeta são chamados de recursos hídricos. Nosso planeta Terra é composto por cerca de 97% de água salgada, no entanto seu uso é de tal modo complicado, já que o ser humano utiliza a água doce para seu consumo. A medida que foi-se evoluindo a humanidade, foi aumentando a necessidade do consumo de água. 

Diante disso, percebe-se que o homem é ser dependente da água para sobreviver e para outras finalidades, e é necessário preservar por este recurso natural no nosso meio ambiente, importante tanto para a vida humana como para outras espécies nos ciclos ecológicos da vida. 

Nas últimas décadas a população mundial duplicou, e junto a esse aumento populacional veio a elevação do consumo de água que se multiplicou por sete. Estima-se que no Brasil 80% da sua água doce se encontra na Amazônia e o restante é utilizado para o abastecimento para o consumo de cerca de 95% da população. (ASSIS JC, 1998) 

No princípio, a água era para beber, higiene pessoal, preparar alimentos. O homem evoluiu. Buscou novas maneiras para viver. Sobreviver. Primeiro, a agricultura. Depois, as cidades, as indústrias. Aumentou o consumo de água. Junto aparecem as depredações, o homem começou a fazer mal ao seu bem mais precioso, a água. Assim caminha a humanidade (MORAESA, 2010). 

Um dos principais desafios da sociedade neste século 21, diz respeito a premente necessidade da preservação dos recursos hídricos em qualidade e quantidade, num cenário de aumento populacional e de baixa sustentabilidade dos processos produtivos e do consumo. 

[...]Essas previsões de crescimento populacional e estimativas vinculadas a produção, conservação e distribuição de alimentos consideram que se a população mundial atingir 10 bilhões de habitantes nos próximos 50 anos, teremos 70% dos habitantes do planeta enfrentando deficiências no suprimento de água, repercutindo em cerca de 1,06 bilhões de pessoas que não terão água sequer para alimentação básica (SILVA, 2009, p.1). 

Acredita-se que mais da metade da população mundial viverá em zonas urbanas, desta forma, o rápido crescimento populacional associado a evolução industrial desencadeia graves alterações aos recursos hídricos. Uma alta concentração urbana localizada em regiões costeiras gera consigo poluição elevada por conta de resíduos a nível municipais e industriais, essas agressões associadas com a elevação excessiva de recursos hídricos trazem prejuízo no abastecimento de água doce e vida marítima.

Estima-se que cerca de 80% dos achaques, afecções, doenças, enfermidades, morbos, padecimentos e mais de um terço dos óbitos em países em desenvolvimentos são decorrentes do consumo de água contaminada. Os excrementos humanos e esgotos são de longe as causas mais importantes para a deterioração da qualidade da água em países em desenvolvimento. (AGENDA 21, 1996) 

Os efluentes contêm muitas fusões tóxicas, metais pesados, resíduos industriais e uma multiplicidade de outras substâncias. O fruto da emissão desses produtos pode desencadear problemas sérios. Muito dos metais pesados desencadeiam forte instabilidade no ecossistema, provocando assim efeitos indesejados para os seres humanos. Algum desses metais são capazes de promover alterações no DNA de mamíferos causando assim toxicidade e até câncer. (STEINKELLNER H, 1998) 

Estudos mostram que animais e plantas selvagem atingidos pela poluição de efluentes industriais evidenciam efeitos genotípicos. Foi observado o aumento estatístico de alterações genéticas em plantas que foram coletadas em ambiente poluído comparado com plantas que cresceram em ambiente não poluído. Outros estudos mostram a neoplasia em peixes que habitam regiões com correntes poluídas por industrias, comparados com peixes que habitam em região não poluídas. (HOUK VS, 1992)  

A quantidade de água potável disponível no planeta é de 0,03%, de todo o total de água existente. Isso nos remete um alerta para a economia e cuidado que devemos ter com a água, pois caso contrário não terá água potável para as próximas gerações.

Um dos fatores de que se destaca como desperdício de água, é a perda pelas redes de distribuição da mesma que muitas vezes não chegam nas residências, que se agrava também devido ao mau costume da polução em relação ao uso da água, como: lavar calçadas e carros com água potável, deixar torneiras e chuveiros abertos durante tempo indevido, entre outras situações que geram enorme prejuízo em relação a sustentabilidade. 

 É de suma importância que se deve conscientizar a população quanto a preservação da água, tanto do uso adequado como a não poluição da mesma. É importante que essa conscientização se inicie desde a infância com a educação ambiental envolvendo toda comunidade e família da criança. Assim, terão conhecimento crítico de seus deveres como pessoas para preservar a água e o meio ambiente, proporcionando sustentabilidade.



3 EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PRÁTICA

O projeto foi realizado na Escola Municipal Tocantins, situada na cidade de Imperatriz – MA, tendo como público alvo os alunos da turma de 5° ano do Ensino Fundamental, selecionada com o intuito de fortalecer a consciência ambiental, partindo da temática de preservação da água, desde o fundamental, para que haja um reflexo positivo não só na continuidade de sua formação como aluno, mas também como cidadão.

A estudo foi realizado com 22 alunos do Ensino Fundamental, do turno matutino, com idades de 10 a 11 anos. Para coletar os dados, foi necessária uma conversa com os alunos, para que compreendêssemos o seu contexto, e o que entendiam sobre a temática, no intuito de desde já, conscientizá-los sobre a importância da preservação do meio ambiente, em especial a água, por ser um recurso indispensável à vida humana (Figura 1).

Figura 1 - Introdução à temática, e conversa com os alunos.

Fonte - Autores

Em seguida foi feita a exposição de imagens para que as crianças refletissem sobre a degradação do meio ambiente em virtude da poluição da água, através das ações humanas contrarias a preservação destes recursos naturais, foi abordado também algumas atitudes simples do cotidiano, que podem proporcionar qualidade de vida e valorização da água, com a finalidade de mostrar aos alunos que eles também fazem parte dessa mudança, que é necessária para minimizar o desperdício de água e degradação do meio ambiente (Figura 2).

Figura 2 - Exposição de imagens.

Fonte - Autores

Realizou-se também, uma experiência simples com os seguintes recursos: água, tinta preta, jarra, copo (transparente) e embalagens como: papel, plástico, e materiais orgânicos. Esta foi realizada sob questionamentos antes e depois da mistura, para observar o que eles absorveram durante a realização do projeto (Figura 3).

Figura 3 - Realização da experiência.

Fonte - Autores

As crianças usaram toda sua criatividade, e expuseram em folhas A4 tudo o que aprenderam sobre a importância da preservação do meio ambiente e principalmente da água, ao final da produção, foi realizado um pequeno sorteio, e 6 alunos foram escolhidos, para explicar aos colegas qual a mensagem que ela gostaria de passar em seu desenho (Figura 4).

Figura 4 – Produção dos desenhos.

Fonte - Autores

Com a produção dos desenhos foi possível, aguçar a mente das crianças para a produção, elas colocaram no papel o que compreenderam de forma que elas sentiram prazer em fazê-lo, daí a importância de dinâmicas para tirar o fardo das aulas diárias, levando em consideração que esta turma estava em período de avaliação, a aula especial, não só foi para educa-las sobre o meio ambiente, mas serviu também para aliviar a tensão.

Figura 5 – Desenhos das crianças sorteadas.

Fonte: Aluna do 5º ano do ensino fundamental

Os desenhos são provas claras de que os objetivos do projeto dentro de suas limitações, foram atingidos, a conversa, a exposição de imagens e a experiência realizada mostram também, que a educação ambiental no Ensino Fundamental é de extrema importância, e que com atitudes simples pode-se fazer a diferença.

Por essas razões, vê-se a importância de incluir Meio Ambiente nos currículos escolares como tema transversal, permeando toda prática educacional. É fundamental, na sua abordagem, considerar os aspectos físicos e biológicos e, principalmente, os modos de interação do ser humano com a natureza, por meio de suas relações sociais, do trabalho, da ciência, da arte e da tecnologia. (PCN 1997)

A educação ambiental é de fundamental relevância tendo em vista que são vários os problemas causados pelas ações humanas, e os PCN’s (Parâmetros Curriculares Nacionais), é a base fundamental, que valoriza essa educação dentro das primeiras séries.

É do conhecimento de todos, a necessidade da preservação do meio ambiente e dos recursos hídricos, e para que isso acontecer, o primeiro passo é a educação, educar as crianças para que a conscientização se multiplique a partir das gerações atuais, até as futuras, tendo em vista também, o trabalho dentro e fora da escola.

Sendo assim diante do exposto é importante salientar que todo o processo de experiências e observações promoveram a criatividade das crianças acerca da conscientização do uso e preservação dos recursos hídricos em todas as esferas sociais seja em casa, na escola, na rua, e em possíveis lugares que possam frequentar, o uso adequado da água forma um equilíbrio muito importante em toda a natureza, refletindo melhoras significativas no meio em que vivemos, por exemplo, com a crescente mobilização de todas as pessoas na conservação e preservação da água, os índices de poluição diminuirão e desencadeará novos recursos naturais advindos do meio ambiente.

No entanto as informações abordadas em sala irão promover ações qualitativas no que se refere a mobilização dos alunos na conservação da água como recurso indispensável para nossa sobrevivência. Os organismos vivos e o seu ambiente não vivo estão inseparavelmente inter-relacionados e interagem com o meio ambiente, produzindo fonte de energia, que automaticamente é transferida para toda fauna e flora.

Ultimamente surgem novos casos de exploração dos recursos da natureza como fonte restrita de aumentar o capital, com isso surgem inúmeros questionamentos em relação as informações debatidas em sala de aula, pois o recurso hídrico é de suma necessidade para a sobrevivência de toda humanidade, pois aprendendo a valorizar o recurso, as crianças desenvolverão procedimentos que servirão para preservar o meio ambiente em que vivem para as próximas gerações.

O ensino deve ser acompanhado de ações mobilizadoras que possibilita aos alunos um saber prático de acordo com o que está sendo trabalhado em sala de aula, com isso a ressignificação do que a criança possui em mente faz toda a diferença, pois o que ela já sabe assumirá novo posicionamento diante do que ela vivencia e produz na escola, com isso a intensificação da prática como recurso principal na didática do professor, propiciará momentos únicos na vida de seus alunos.

O professor deve estar atento em sala de aula, pois cada aluno manifesta seu aprendizado de forma diferente, e diante da conscientização da preservação dos recursos hídricos, poderão ter ideias recorrentes do tema em questão, produzindo métodos de conservação que poderão ser construídos em sala de aula, e depois disso, os próprios alunos sentirão o desejo de divulgar dentro e fora da escola tudo que descobriram e aprenderam.

A escola deve promover atividades que incluam todos os alunos, como passeios ao ar livre, aproveitando as vivências ambientais que o ambiente proporciona, a criança se motivará a aprender mais sobre o tema, incentivando os outros colegas. Sobretudo ter o professor como mediador de todo o conhecimento promove o sentimento de capacidade e segurança no aluno. O objetivo desta pesquisa foi alcançado, e é prova de que a educação ambiental no ensino fundamental com ênfase nos recursos hídricos se faz necessária em sala de aula.



4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este trabalho teve como foco principal, compreender a percepção dos alunos das primeiras series, em relação ao meio ambiente e os recursos hídricos, a partir de uma prática em sala de aula, feita na Escola Municipal Tocantins, levando em consideração os documentos oficiais como os PCN’s, que trata deste assunto nos temas transversais. Visto que as condições do planeta não estão boas, por conta das ações humanas, é relevante tratar deste assunto em sala.

A educação ambiental ainda é pouco trabalhada no contexto escolar, no entanto, é um tema inovador, em sala tornou-se prazeroso, pois foi trabalhado de uma forma diferenciada, a experiência com a água, concretizou o que foi passado na teoria, e os alunos tiveram a oportunidade de passar para o papel, tudo o que eles aprenderam, o objetivo principal foi alcançado, concluiu-se a partir de observações e questionamentos, antes, durante e depois da aula.

Trabalhar com este tema no ensino fundamental é importante, visto que, visa também dar melhores condições de vida, as futuras gerações, e deveria de fato, deixar de ser um tema transversal e passar a ser disciplina nos currículos escolares, para dar ênfase ao tema, levando as pessoas a darem mais importância, e torna-los futuramente, adultos conscientes de sua responsabilidade com o planeta.



REFERÊNCIAS

ASSIS, J. C. Água sob Medida. Secretaria do Meio Ambiente da Bahia, 1998.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente, Agenda 21, Rio de Janeiro, em 1992.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais - Meio Ambiente. Brasília: MEC/SEF, 1997.

HOUK, V. S. The genotoxicity of industrial wastes and effluents. Mutat Res. 1992 Aug; 277(2):91-138

MORAESA, Danielle S. L; Berenice Q. J. Degradação de recursos hídricos e seus efeitos sobre a saúde humana. Google Acadêmico-Scielo. 2002. 

SANTOS, Thayanna Marina Medeiros. et al. Recursos hídricos: problemas ambientais e a importância da educação e percepção ambiental. Revista Educação Ambiental em Ação-Novo Hamburgo-RS, v.5, n. 2, 18/09/2018. 

SEGURA, Denise de S. Baena. Educação Ambiental na escola pública: da curiosidade ingênua à consciência crítica. São Paulo: Annablume: Fapesp, 2001.214p.

SILVA, Raimundo Thiago Lima da. Educação Ambiental para o não desperdício da águaRevista Educação Ambiental em Ação-Novo Hamburgo-RS, v.5, n. 2, 03/09/2018.

STEEIEKELLNER T. C. Educação Ambiental Para Crianças, Ática editora, São Paulo 1998.





" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias