ISSN 1678-0701
Número 69, Ano XVIII.
Setembro-Novembro/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias
 
Relatos de Experiências

No. 69 - 27/09/2019
A INTERDISCIPLINARIDADE COMO FERRAMENTA PARA VALORIZAR A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS: PERCEPÇÃO DE PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3843 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

A INTERDISCIPLINARIDADE COMO FERRAMENTA PARA VALORIZAR A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS: PERCEPÇÃO DE PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA



SANTOS, Aloma Henrique Ferraz dos.¹

MOL, Marcos Paulo Gomes.²



¹- Especialista em Engenharia Sanitária e Ambiental – PUC Minas; Professora de Geografia do ensino fundamental no município de Contagem - MG.

alomaferraz@hotmail.com

² - Doutor em Saneamento; Professor da especialização em Saneamento e Meio Ambiente da PUC; Pesquisador da Fundação Ezequiel Dias (Funed).

marcos_mol@yahoo.com.br



Resumo

A interdisciplinaridade foi avaliada sob a ótica de professores de uma escola pública localizada em Minas Gerais, visando compreender como ela poderia ser adotada para incentivar a valorização do ensino da educação ambiental (EA) no espaço escolar.

Palavras – Chave:

Educação ambiental; interdisciplinaridade; espaço escolar; meio ambiente.



Abstract

The interdisciplinarity was evaluated from the point of view of teachers working in a public school located in Minas Gerais province (Brazil), aiming to understand how it could be adopted to encourage the valuation of environmental education (EA) teaching in the school.

Key words:

Environmental education; interdisciplinarity; school space; environment.

Introdução

Atualmente, os problemas ambientais levam a discussões cada vez mais frequentes sobre os desafios de sustentabilidade em nosso planeta. Com uma sociedade que consume cada vez mais recursos naturais, existe a necessidade da conscientização de todos os cidadãos sobre a conservação dos recursos naturais e nosso papel para manter esses recursos para as gerações futuras (BARBIERI, 2004; CARVALHO, 2006).

Neste contexto a Educação Ambiental (EA) no ambiente escolar contribui para a divulgação e propagação dessas temáticas, possibilitando uma comunicação que facilita o entendimento de questões ambientais e como elas podem interferir na sociedade (OLIVEIRA et al., 2018; SILVA & SILVA, 2018; SARAIVA, 2018; SANTOS & MOL, 2018).

A interdisciplinaridade pode ser mais facilmente percebida a partir das observações práticas do espaço natural, bem como através de suas relações com o ambiente urbano. Para Raynaut (2004), “pensar o desenvolvimento humano, levando em conta suas implicações no domínio do meio ambiente, traz necessariamente consigo a exigência da interdisciplinaridade”.

Nas escolas, se as temáticas ambientais forem abordadas em diferentes disciplinas escolares, provavelmente possibilitarão aos alunos ter uma ampla visão sobre os diferentes assuntos ambientais. Essa análise contempla os aspectos positivos e negativos das intervenções ambientais, suas causas e consequências. Segundo Bonatto et al. (2012) a interdisciplinaridade deve ser aplicada nas atividades de sala de aula, através da proposição de um tema com abordagens em diferentes disciplinas.

A interdisciplinaridade permite que um tema seja abordado a partir de vários ramos do conhecimento, proporcionando uma compreensão mais ampla sobre o assunto em questão. Bonatto et al. (2012) mostram que na perspectiva escolar, a interdisciplinaridade não tem a pretensão de criar novas disciplinas ou saberes, mas de utilizar os conhecimentos de várias disciplinas para resolver um problema ou compreender um determinado fenômeno sob diferentes pontos de vista.

A interdisciplinaridade possibilita considerar a educação ambiental como um caminho para o entendimento das questões ambientais para públicos de qualquer setor da sociedade. Jacobi (2003) reforça que “a educação ambiental deve ser vista como um processo de permanente aprendizagem que valoriza as diversas formas de conhecimento e forma cidadãos com consciência local e planetária”.

Segundo Gasques et al. (2016), ao se refletir sobre os problemas ambientais atuais, a EA passa a ser uma das estratégias significativas na construção de uma nova mentalidade de desenvolvimento com a utilização sustentável dos recursos naturais, priorizando o crescimento com equidade social e ecológico.

Ao analisar a perspectiva da interdisciplinaridade proposta por Raynaut (2004), nota-se o movimento de “passar de um quadro conceitual geral para uma prática concreta de pesquisa interdisciplinar, que se constituir em um desafio metodológico”. Para o autor a interdisciplinaridade não é decretada, mas deve ser uma construção. Assim, cada disciplina escolar pode contribuir ao sugerir uma análise diferente de cada área da ciência para a compreensão da temática ambiental.

Ao analisar o ensino da EA no ambiente escolar, percebe-se a necessidade de identificar e valorizar trabalhos realizados pelos profissionais da educação que permitam o incentivo e a conscientização dos alunos na preservação do meio ambiente. Neste contexto este artigo apresenta o tema da interdisciplinaridade como uma ferramenta para valorizar a educação ambiental. O objetivo geral deste estudo foi analisar a interdisciplinaridade como ferramenta para contribuição na valorização da educação ambiental nas escolas, a partir da percepção dos professores da Escola Municipal Professor Geraldo Basílio Ramos.



Metodologia

Este trabalho foi elaborado na forma de um estudo de caso realizado na Escola Municipal Geraldo Basílio Ramo, localizada no município de Contagem/MG. Foram aplicados questionários para professores, funcionários e cargos de direção da escola. Para os professores foram dois diferentes tipos de questionários.

O primeiro questionário teve dez questões fechadas sobre a percepção dos professores em relação à importância das aulas de educação ambiental. Também havia perguntas sobre a área de formação, se houve alguma formação voltada para o tema meio ambiente e se o profissional da educação já fez algum projeto voltado para a área ambiental.

Já o segundo questionário aplicado aos professores foi direcionado a saber mais sobre projetos realizados pelos profissionais da educação na escola ligados a área ambiental, buscando assim elementos práticos da interdisciplinaridade no contexto de abordar temas ambientais em várias áreas do conhecimento. Ressalta-se que no segundo questionário foi solicitado aos professores as seguintes informações: nome do projeto realizado na escola; ano(s) de realização do projeto; objeto geral do projeto; justificativa e resultados após a realização do projeto.

Para os demais funcionários foram aplicados questionários com nove perguntas também sobre a percepção deles sobre a importância das aulas de educação ambiental para a formação dos alunos.



Resultados e Discussões

Foram entrevistados 17 professores de diferentes disciplinas e cinco funcionários de diferentes setores da escola. Verificou-se a colaboração de todos os entrevistados ao responder prontamente as questões que foram apresentadas nesta pesquisa através dos questionários.

Os profissionais demonstraram reconhecer a atuação e importância da EA na escola, citando e mencionando participarem dos projetos voltados para área ambiental, desenvolvidos no ambiente escolar.

De acordo com a Figura 1A, quando perguntados sobre como julga as aulas de educação ambiental no objetivo de contribuir para a formação dos alunos, em uma escala de 0 (pouco importante) até 10 (muito importante), 82% dos entrevistados atribui a nota máxima.

Quando questionados sobre a realização de alguma formação na área voltada ao meio ambiente, 81% dos professores da escola afirmaram que não tinham formação específica nesta área. Contudo, mesmo com o pequeno percentual de profissionais que foram capacitados na área ambiental, quando se perguntou sobre o desenvolvimento de algum projeto voltado para a área ambiental, 61% dos professores entrevistados disseram sim, que já desenvolveram algum tipo de projeto voltado para área ambiental. Isso demonstra um importante engajamento dos professores nos projetos de EA. Apesar da maioria dos professores da escola pesquisada não possuírem formação na área ambiental, isso não impediu que grande parte deles desenvolvessem algum tipo de projeto ambiental nas escolas, como indicado na Figura 2.



Figura 1 - Compilado das respostas sobre como julga as aulas de educação ambiental no objetivo de contribuir para a formação dos alunos e se tem alguma formação na área voltada para o meio ambiente.



Figura 2 – Compilado sobre o desenvolvimento de algum projeto voltado para área ambiental na escola.



Outra importante questão foi sobre o potencial da escola para a realização de atividades voltadas para EA. De acordo com a Tabela 1, as respostas mais frequentes dos professores entrevistados foram que o espaço propício para se trabalhar a EA, devido ao espaço com área verde e também devido ao envolvimento dos professores e da direção da escola.

Os participantes desta pesquisa concluem que o espaço da E. M. Professor Geraldo Basílio Ramos é diferenciado para se desenvolver aulas e projetos ambientais, o que incentiva o pensamento de preservação ambiental e o desenvolvimento sustentável. Essa informação converge com a percepção também dos alunos, conforme sugerido por Santos & Mol (2018), que indicaram cerca de 70% das respostas que classificaram a importância da EA como nota sete ou superior, ressaltando o reconhecimento dos alunos sobre a importância do tema ambiental inserido na formação escolar.

Ressalta-se ainda que através da observação dos professores entrevistados, a escola pesquisada estimula também a interdisciplinaridade principalmente na questão ambiental, o que contribui para o ensino e a aprendizagem dos alunos em relação aos temas ambientais, já que várias disciplinas escolares podem mostrar o tema de vários aspectos.

Tabela 1 - Respostas mais frequentes sobre a questão do espaço da Escola Municipal Professor Geraldo Basílio Ramos e seu potencial para aulas voltadas para educação ambiental.

Ordem de mais mencionados

O que acha do espaço da Escola Municipal Professor Geraldo Basílio Ramos e seu potencial para aulas voltadas para educação ambiental?

Respostas mais frequentes dos professores entrevistados

1

Espaço excelente

2

Ambiente próprio para trabalhar a Educação Ambiental

3

Bom espaço com área verde e projetos realizados por professores e direção da escola

4

Espaço de ótima qualidade para Educação Ambiental

5

Propício para desenvolver atividades e projetos ambientais

6

Excelente espaço de aprendizagem e conscientização dos alunos no interesse da educação ambiental

7

Ótimo espaço condizendo com a idéia de preservação e desenvolvimento sustentável



A Tabela 2 indica as respostas sobre a contribuição que o entrevistado entende ser possível oferecer futuramente pra conservação do meio ambiente. Dentre as principais respostas, destaca-se a redução do consumismo e a opção por formas de energia alternativas. Percebe-se que as sugestões indicadas pelos entrevistados demonstram a variedade de atitudes que indivíduos podem adotar para preservar os recursos naturais, com destaque para a economia de água e de energia, reciclagem, coleta seletiva, consumo consciente e projetos voltados para educação ambiental.

Tabela 2 – Principais respostas sobre a contribuição que se pode oferecer futuramente pra preservação do meio ambiente

Ordem de mais mencionados

Qual contribuição se pode fazer futuramente pra conservação do meio ambiente?

Principais respostas dos professores entrevistados

1

Reduzir o consumismo e optar por formas de energia alternativas

2

Reciclar e trabalhar com materiais reciclados nas aulas de arte

3

Preservar e cuidar do meio ambiente

4

Contribuir na formação dos estudantes mais conscientes sobre as questões ambientais e do seu papel na busca da conservação dos recursos naturais.

5

Colaborar com projetos de sustentabilidade ambiental

6

Economizar água e energia

7

Coleta seletiva, reciclagem e redução do lixo doméstico

8

Realização de projetos voltados para a educação ambiental



Já avaliando as respostas dos funcionários, destaca-se a área verde da escola como principal fator que contribui para as ações voltadas para a EA. De acordo com os dados apresentados na Figura 3, 60% dos entrevistados indicaram que a escola contribui no sentido de conscientizar aos alunos sobre a importância de ambiente escolar limpo e preservado. Constatar que os funcionários da escola também percebem a importância das ações de EA é um sinalizador de que a comunidade escolar participa direta ou indiretamente das ações, fortalecendo ainda mais as ações de conscientização.

Figura 3 – Percepção dos funcionários sobre o espaço da escola como fator para contribuir nas atividades de EA.



Educação ambiental e a interdisciplinaridade: projetos desenvolvidos na área ambiental na escola estudada

Os projetos desenvolvidos na E. M. Professor Geraldo Basílio Ramos voltados para questões ambientais demonstram que os profissionais da educação de diferentes áreas da escola têm interesse em desenvolver projetos de EA. Como exemplos de projetos com temas ambientais realizados na escola estudada, citamos: “Produção caseira de sabão”, coordenado pelo Professor de ciências Joseph Godoy; “Sala de aula limpa e organizada: valorização da conservação do ambiente escolar”, coordenado pela Vice-Diretora escolar em 2017, Fabrícia Portela; “Projeto de Educação Ambiental – Guardiões da Biodiversidade – Arborização e jardinagem da Escola Municipal Professor Geraldo Basílio Ramos”, coordenador pelo Professor de Geografia Luis Otávio Morais; “Projeto Jornal da Educação Ambiental”, promovido pelos professores de geografia Aloma Henrique e Alberto Araújo juntamente com outros colaboradores.

A Tabela 3 apresenta um compilado com informações sobre os projetos embasados no contexto da EA desenvolvidos na escola.

Tabela 3 – Informações sobre os projetos de Educação Ambiental desenvolvidos na escola nos últimos anos cuja interdisciplinaridade estava presente.

Título

Justificativa

Resultados alcançados

Produção caseira de sabão

O ser humano tem cada vez mais lixo deteriorando o ambiente, contaminando o solo, rios e lençóis freáticos. Torna-se urgente reduzir esse volume de lixo, promovendo a reciclagem e a reutilização de materiais.

- A aceitação dos alunos foi satisfatória, em sua maioria.

- Os estudantes armazenaram e trouxeram óleo utilizado em frituras, que seria destacado talvez no esgoto ou até mesmo no solo.

- A maioria participou da produção do sabão em todas as etapas do processo.

- A culminância na forma de um projeto de feira de ciências com distribuição de amostras aos visitantes.

Sala de aula limpa e organizada: valorização da conservação do ambiente escolar.

Todos os dias após o término das aulas no turno da manhã, observava-se que no geral, as salas de aulas estavam com as mesas e cadeiras desorganizadas, além de muito lixo no chão das mesmas. Através da situação vivenciada surgiu a necessidade da criação do projeto de conscientização para conservação do ambiente escolar.

Após início do projeto os próprios alunos começaram a ter consciência de atos e observar mais o ambiente ao seu redor. As salas começaram a ficar mais limpas e organizadas e até mesmo o ambiente externo, como pátio, área verde e ambientes comuns da escola ficaram mais bem cuidados.



Observação: O projeto tem a necessidade de ser feito todos os anos para se criar o hábito dos alunos serem participantes da conservação do ambiente no qual estão inseridos.

Projeto de Educação Ambiental - Guardiões da Biodiversidade – Arborização e jardinagem da Escola Municipal Professor Geraldo Basílio Ramos

Toda a infraestrutura externa da escola saiu do projeto, dreno (rio), horta, pomar com árvores frutíferas, horta com legumes e plantas medicinais. Dreno que depois virou um rio com algas, piabas e cascudos. Dois lagos com carpas, piabas, cascudos e quatro tartarugas. Também foram soltos animais como galinhas, patos, coelhos e jabutis. Todos os brinquedos, mesas e bancos saíram do projeto. No surgimento da escola tinha uma ilha de calor que se tornou uma ilha de frescor devido às árvores plantadas e com isso conseguiu outro objetivo que foi o aparecimento de outros animais que chegaram e moram na escola como peixes, anfíbios, aves, répteis, insetos e mamíferos.

O plantio e manutenção de todos os jardins da escola, com cercas vivas que criam um corredor ecológico que impedem a entrada de pessoas que pisam e estragam as plantas, além de proteger os animais que foram soltos na escola.

- Nas aulas de educação ambiental com a participação dos alunos sendo uma aula por semana para cada turma (no total de cinco turmas).

- A contenção da erosão com pedras e plantas em curvas de nível.

- Outro objetivo completado foi à reutilização de restos de móveis quebrados como cadeiras e mesas na construção de placas para colocar os nomes das plantas e também para fazer cercas, suportes para colocar vasos com mudas de plantas. Também carrinhos e latas de lixo antigas viraram vasos de plantas.

- A conservação da biodiversidade da escola com o plantio de mais de mil plantas nativas e também de diferentes espécies.

- A formação de alunos cidadãos com o envolvimento da família, comunidade escolar, vizinhos e do bairro, agindo localmente e influenciando globalmente sobre a preservação ambiental.

- Descrição, ilustração e registros através de listas, nomes, fotos e desenhos da biodiversidade da escola, identificando anfíbios, répteis, aves, peixes e mamíferos.

- Foram colocadas placas educativas com a frase “Preserve a natureza” onde foram feitas cercas de madeira protegendo os jardins e o lago.

- A identificação com as bacias hidrográficas dos ecossistemas da escola e do bairro. Além da preservação das nascentes da escola. Assim o projeto de educação ambiental é de bastante importante para a conscientização dos alunos e comunidade em relação a preservação ao meio ambiente e contribui para conservação da biodiversidade da escola.

Jornal da Educação Ambiental

A Educação Ambiental no processo de conscientização da conservação dos recursos naturais é importante para incentivar práticas sustentáveis seja no âmbito empresarial ou escolar. No caso especifico do espaço escolar, aulas teóricas e práticas de Educação Ambiental propiciam maior envolvimento e compreensão do aluno sobre como as pessoas podem contribuir para conservação dos recursos naturais através práticas como: cuidar das plantas, agricultura orgânica, conservação da fauna e flora, não desperdiçar água e energia, destinação correta dos resíduos, reciclagem, não poluir e promover práticas não degrade o meio ambiente. O jornal escolar direcionado para a educação ambiental permite que se tenha um espaço para abordar diferentes questões sobre o meio ambiente e práticas que levam a sustentabilidade dos recursos naturais. Com a participação dos alunos, professores, direção e comunidade propiciam efetiva valorização de buscar alternativas que possibilitem o bem estar das pessoas através da conservação dos recursos naturais e papel que cada cidadão tem nesse processo.

O projeto “Jornal da Educação Ambiental” contou com a colaboração dos professores já citados, mas também a participação dos professores, alunos e direção da escola.

- Este projeto buscou organizar assuntos relacionados à educação ambiental com a participação de alunos, professores e funcionários

O projeto do jornal da Educação Ambiental buscou também:

- Descrever, ilustrar, documentar e gerar reflexões sobre as questões ambientais feitas por alunos e professores.

- Demonstrar que o espaço da Escola Municipal Geraldo Basílio Ramos tem um diferencial na variedade de fauna e flora, possibilitando aulas práticas e teóricas sobre o tema Educação ambiental.

- Promover a Educação Ambiental através de diferentes maneiras de abordar assuntos ambientais no jornal escolar

- Desenvolver e estimular práticas sustentáveis para conservação do meio ambiente

- Após a confecção e divulgação do jornal da educação ambiental, edição 1 do ano de 2017 na escola e os ótimos resultados de satisfação pelo conteúdo do mesmo pelos leitores, houve a necessidade criar sugestões que a escola poderia adotar caso dessa continuidade ao projeto com a colaboração de outros profissionais da educação e alunos. Algumas sugestões foram:

- Produzir edições bimestrais durante cada ano posteriores sobre as práticas ambientais feitas na escola.

- Promover oficinas mensais para que possibilite os alunos pesquisem e produzirem reportagens, charges, ilustrações e informações relevantes sobre temas ambientais.

- Conscientizar os alunos através de aulas teóricas e práticas semanais ou quinzenais voltados para a educação ambiental onde posteriormente serão divulgadas no jornal

- Promover palestras e debates mensais sobre temas ambientais que serão registrados pelos alunos para os resultados sejam posteriormente divulgadas no jornal da escola.

- Além de uma criação de um a meta inicial é transformar e adaptar o jornal da educação ambiental da Escola Municipal Professor Geraldo Basílio Ramos em um caderno dentro de um jornal produzido pela própria escola voltado para diferentes áreas da conhecimento contemplando projetos, atividades, eventos que ocorrem durante o ano na escola e que tem o desenvolvimento e participação de professores de diferentes disciplinas.



De forma geral, são projetos estruturados e aplicados na escola para ampliar o conhecimento teórico e prático sobre temas ambientais. Assim, tratar as disciplinas escolares através projetos na área ambiental no ambiente escolar é de grande relevância para os alunos. Reforça-se o incentivo ao aprendizado sobre os recursos naturais, resultando em iniciativas como conservar o ambiente escolar, reciclar e evitar descartar indevidamente materiais, plantar árvores, valorizar a biodiversidade.

Ao tratar a importância dos projetos na área ambiental nos ambientais das escolas, deve-se salientar que tais ações contribuem para a conscientização dos alunos, como também de toda comunidade escolar, já que podem ser divulgados em vários formatos. Neste estudo, foram relatadas algumas maneiras de divulgar os resultados dos projetos ambientais, como: feira de ciência, trabalhos apresentados pelos alunos em sala de aula, oficinas, jornal escolar, além das vivências práticas cujo resultado é visível no ambiente escolar.

Os projetos mencionados neste artigo foram desenvolvidos por uma ou mais disciplinas escolares, tendo como abordagem em comum o tema meio ambiente, reforçando a importância da interdisciplinaridade segundo os próprios professores.

De acordo Bonatto et al. (2012), “existem várias formas de realizar atividades ou trabalhos interdisciplinares. Muitos professores do ensino fundamental trabalham de modo interdisciplinar”. Os mesmos autores reforçam a interdisciplinaridade pode ser sugerida por professores que indicam as relações entre o conteúdo de sua disciplina e o de outras, existentes no currículo ou não. Assim, enfatiza-se a importância de cada professor assumir o desenvolvimento de projetos que podem contemplar as temáticas ambientais, favorecendo a formação de uma visão mais ampla sobre o meio ambiente e as diversas áreas do conhecimento. Incentivar a interdisciplinaridade acrescenta uma melhor compreensão do conteúdo estudado.



Considerações Finais

Ao demonstrar a interdisciplinaridade no ambiente escolar através de temas ambientais em diferentes disciplinas escolares e projetos desenvolvidos, sugere-se que tal ação possibilita a formação de alunos mais conscientes e atuantes em relação à questão de preservação do meio ambiente. Atitudes como reaproveitamento de materiais, valorização das plantas e animais, além de conservação do ambiente escolar limpo e organizado, conforme apontado neste estudo, permitiu afirmar que toda a comunidade escolar foi beneficiada pela atuação interdisciplinar adotada na escola.

A postura de cada cidadão faz a diferença na preservação do meio ambiente, seja evitando danos ambientais como os resíduos descartados indevidamente, o desmatamento, a extinção de espécies animais e vegetais, entre outros efeitos negativos. Ao pensar localmente, no bairro em que habita, na comunidade que pertence, o aluno tem a oportunidade de se formar enquanto cidadão atuante, com potencial para contribuir para a sociedade, preservando os recursos naturais não apenas para o presente, mas para as gerações futuras, tendo assim uma visão de sustentabilidade ambiental.



Agradecimentos

Agradecemos a disponibilidade e atenção da direção da Escola Municipal Professor Geraldo Basílio Ramos em possibilitar a realização da pesquisa, através da autorização para aplicação dos questionários no ano de 2017. Agradecemos também aos professores e funcionários da mesma escola pela gentileza em responder aos questionários da pesquisa e também por desenvolverem projetos voltados à área ambiental até o ano de 2017.



Referências

BARBIERI, J. C. A educação ambiental e a gestão ambiental em cursos de graduação em administração: objetivos, desafios e propostas. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro: EBAPE; Editora FGV, v. 38, n. 6, p. 919-946, nov./dez. 2004.

BONATTO, A., Barros, C. R., GEMELI, R. A., LOPES, T. B., & FRISON, M. D. (2012). Interdisciplinaridade no ambiente escolarSeminário de Pesquisa em Educação da Região Sul9, 1-12.Disponível em: http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/2414/501. Acessado em: 19/08/2018.

CARVALHO, Isabel Cristina Moura. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo, Cortez, 2ª. ed., 2006.

GASQUES, Ana Carla Fernandes., OKAWA, C. M. P., DOS SANTOS, J. D., GASQUES, E. G. F., & DELABIO, F. Educação Ambiental: Estudo de caso em dois Colégios Estaduais da cidade de Sarandi (PR). Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), São Paulo, v. 11, n. 5, p. 123-138, 2016. Disponível em: http://www.sbecotur.org.br/revbea/index.php/revbea/article/view/4984/3217. Acessado em 26/10/2018.

JACOBI, Pedro Roberto. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de pesquisa, n. 118, p. 189-205, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/cp/n118/16834.pdf. Acessado em: 19/08/2018.

OLIVEIRA, Neyla Cristiane Rodrigues; SILVA, Elisabeth Regina Alves Cavalcanti; OLIVEIRA, Mayara Danyelle Rodrigues; OLIVEIRA, Francisca Carla Silva; MELO, José Gustavo da Silva. Percepção de estudantes em meio ambiente sobre os problemas ambientais, Alcântara-MA. Revista Educação Ambiental em Ação. Número 64, Ano XVII. Junho-Agosto/2018.

RAYNAUT, Claude. Meio ambiente e desenvolvimento: construindo um novo campo do saber a partir da perspectiva interdisciplinar. Desenvolvimento e meio ambiente, v. 10, 2004. Acessado em 26/12/2018.

SANTOS, Aloma Henrique Ferraz dos; MOL, Marcos Paulo Gomes. Educação ambiental no espaço escolar: percepção e perspectivas na Escola Municipal Professor Geraldo Basílio Ramos, Contagem-MG. Revista Educação Ambiental em Ação, Paraná. Número 65, Ano XVII. Setembro-Novembro/2018.

SARAIVA, Alan Gurgel. Como as escolas em João Pessoa–PB trabalham coma educação ambiental. Revista Educação Ambiental em Ação, Paraná. Número 64, Ano XVII. Junho- Agosto/2018.

SILVA, Roseane Caitano; SILVA, José Geraldo Ferreira. Educação ambiental na EJA: um recorte do currículo capixaba. Revista Educação Ambiental em Ação, Paraná. Número 64, Ano XVII. Junho- Agosto/2018.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias