ISSN 1678-0701
Número 69, Ano XVIII.
Setembro-Novembro/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias
 
Relatos de Experiências

No. 69 - 27/09/2019
CURSOS DE SOFTWARES LIVRES COMO FERRAMENTA DE APOIO AO ENSINO  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3865 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

CURSOS DE SOFTWARES LIVRES COMO FERRAMENTA DE APOIO AO ENSINO

Maria Alice de Lira Borges1, Karina Francine Romão Caldas2, Hernande Pereira da Silva3

1Mestranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal de Pernambuco

2Graduada em Gestão Ambiental, Instituto Federal de Pernambuco

3 Docente e pesquisador, Instituto Federal de Pernambuco e Universidade Federal Rural de Pernambuco





  1. RESUMO

O monitoramento e acompanhamento do meio ambiente e suas relações é de suma importância para tomadas de decisões e as geotecnologias são grandes aliadas nesse aspecto. Atualmente os softwares livres (gratuitos) vêm se firmando como alternativas em relação aos softwares comerciais, considerando principalmente os custos para aquisição deste último. Este artigo traz uma proposta metodológica para disseminação de cursos de softwares livres. Podendo assim, habilitar pessoas no uso de softwares livres resultando em facilitar o acesso ao processo de formação e de qualificação profissional ampliando as oportunidades de inserção no mercado de trabalho. Dessa forma, os usuários podem utilizar ferramentas tecnológicas que permitam ações transformadoras de como encontrar soluções para problemas de ordem ambiental, social, econômica e tecnológica.

Palavras-chave: educação, geoprocessamento , meio ambiente.



  1. ABSTRACT

Monitoring the environment and its relationships is of paramount importance for decision making and geotechnologies are great allies in this regard. Currently, free software (free) has been established as alternatives in relation to commercial software, considering mainly the costs for the acquisition of the latter. This article presents a methodological proposal for the dissemination of free software courses. Thus, enabling people in the use of free software resulting in easier access to the process of training and professional qualification expanding the opportunities to enter the labor market. Thus, users can use technological tools that enable transformative actions on how to find solutions to environmental, social, economic and technological problems.

Keywords: education, geoprocessing , environment.





  1. INTRODUÇÃO

Os softwares livres vêm se firmando como alternativas em relação aos softwares comerciais (softwares de licença de uso que necessitam de pagamento anualmente) para uso de geotecnologias em várias áreas de aplicação, como meio ambiente, saúde, planejamento urbano, agroecologia, geografia, turismo, dentre outras aplicações.

Já os chamados softwares proprietários (que não são livres) estão cada vez menos sendo adquiridos para a área educacional pelas escolas, sejam elas particulares ou públicas. Tal questão se deve principalmente ao seu alto custo (Alexandrini, 2010).

Considerando a relação custo x benefício, os softwares livres se destacam em relação aos softwares comerciais, uma vez que, a licença de um software comercial de geotecnologia custa em torno de R$ 5.000 a R$ 10.000 por ano. Desta forma, os softwares livres se tornam uma alternativa para aqueles usuários que não possuem condições financeiras para a aquisição de um software comercial.

A alternativa que surge e que está sendo discutida é o uso dos softwares livres para a área da educação, como ferramenta de apoio ao ensino (PAZINI, 2005). Grande parte dos softwares livres possui uma interface gráfica que não implementa todas as suas potencialidades, porém, para o usuário comum, geralmente é a interface genérica, ou seja, aquela que apresenta as funções básicas como salvar, copiar, colar, recortar, criar tabelas, armazenar dados, cruzar dados, etc.

De fato, esta interface é a que será mais utilizada. Grande parte dos softwares livres possui uma interface gráfica que não implementa todas as suas potencialidades, porém, para o usuário comum, geralmente é a interface genérica, ou seja, aquela que apresenta as funções básicas.

Dessa forma, para atender esta demanda tecnológica, apresenta-se a atividade extensionista através da oferta de cursos de capacitação de softwares livres para a comunidade acadêmico-científica das unidades acadêmicas do IFPE e externa, que teve por objetivo aliar o geoprocessamento com a educação ambiental.





  1. METODOLOGIA



Para a realização dos cursos foi necessário que anteriormente as pesquisadoras obtivessem um treinamento mais profundo sobre os softwares, para depois montar o material didático base que utilizaram durante as aulas.

Concomitantemente foram realizadas reuniões para realizar o planejamento das aulas, que ficaram definidas entre aulas expositivas (30%) e práticas (70%).

Depois foi necessário entrar em contato com as instituições onde seriam ministrados os cursos para resolver questões administrativas a respeito da ministração do curso e para identificar o público alvo de cada instituição para realizar a aquisição de imagens de aerofotogrametria e/ou de satélite de acordo com a área de conhecimento dos participantes.

Os materiais utilizados durante as aulas foram um notebook, os computadores disponibilizados pela instituição onde o curso foi ministrado, a apostila desenvolvida no projeto e imagens de aerofotogrametria e/ou de satélite livres.

Inicialmente foi realizada a instalação do software livre Quantum GIS nos computadores disponibilizados por cada Unidade Acadêmica para o curso. Em seguida realizado a apresentação do software e suas aplicações nas diversas áreas do conhecimento.

A partir daí, foi ministrado os conteúdos previstos para o curso:

  • Introdução

  • Conceitos básicos

  • Principais ferramentas do software

  • Utilização das ferramentas do software

  • Aplicação do software em áreas específicas do conhecimento

  • Resultados da aplicação em relação ao perfil de cada participante

  • Produção de mapas.



No final de cada curso foi distribuído o material didático, em meio digital, produzido especificamente para o curso. Cabe ressaltar, que se optou por trabalhar com grupos pequenos de discentes para que pudesse obter uma melhor atenção aos participantes.









  1. RESULTADOS

Através do curso foi possível atender um total de 113 participantes durante o ano, de cursos técnicos, graduação e pós-graduação, que foram descritos abaixo:

Primeiro Semestre (53 participantes)

Grupo I: 9 participantes

Mestrandos e Doutorandos do Programa de Pós-graduação de Engenharia Agrícola da UFRPE


Grupo II: 17 participantes

Graduandos do Curso Tecnológico em Gestão Ambiental do IFPE campus Recife.

Grupo III: 17 participantes

Graduandos do Curso Tecnológico em Gestão Ambiental do IFPE campus Recife.


Grupo IV: 10 participantes

Alunos do curso Técnico em Meio Ambiente do IFPE campus Cabo de Santo Agostinho.


Segundo Semestre (60 participantes)

Grupo I: 24 participantes

Graduandos do Curso Tecnológico em Gestão Ambiental do IFPE campus Recife.

Grupo II: 24 participantes

Graduandos do Curso Tecnológico em Gestão Ambiental do IFPE campus Recife.

Grupo III: 12 participantes

Participantes do XII ENEGeA (Encontro Nacional de Estudantes de Gestão Ambiental acontecido no IFPE campus Recife.




O projeto visou qualificar os alunos em uma ferramenta de amplo uso, que poderia ser utilizada pelo participante durante sua futura atuação profissional, na solução de problemas e geração de produtos/serviços.



Por se tratar de um software com elevado número de funcionalidades (aproximadamente 300 funções), o caráter multidisciplinar está explícito, uma vez que o software pode ser aplicado nas diversas áreas do conhecimento, tais como meio ambiente, saúde, planejamento urbano, agroecologia, geografia, turismo, etc.

Com a ministração da aula sendo feita por extensionistas trouxe a possibilidade de os estudantes desmistificarem o modo tradicional de educação onde existe uma hierarquia a ser seguida e a necessidade de uma figura central (professor).

Além disso, foi possível realizar uma troca de saberes durantes as ministrações, onde os participantes trouxeram experiencias em relação as suas realidades e os que possuíam algumas noções na área de geoprocessamento também tiveram espaço para trazer suas contribuições.

Durante o processo foi possível compreender os obstáculos que impediam o fácil aprendizado dos alunos. Em sua maioria foi representado como maior queixa o fato da metodologia abordada em cursos de software e seguido da falta de detalhes voltados para área em que os participantes estavam inseridos.

Em alguns momentos foi necessário iniciar o curso trazendo noções básicas de computação, visto que alguns participantes não possuíam uma familiaridade com o mesmo. E com isso, o curso também trouxe o acesso à informação, tornando acessível para os participantes.

Por fim, foi possível também modificar conjuntamente a realidade e visão tanto dos participantes através da metodologia abordada nos cursos e seus resultados, quanto das ministrantes que puderam ter a experiencia de uma educação não bancária.





  1. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O curso visa à habilitação dos participantes inscritos no acesso à tecnologia e na utilização de uma nova ferramenta tecnológica a ser utilizada na área acadêmico-profissional, promovendo assim a difusão do conhecimento e na abertura de novas oportunidades e possibilidades no mercado de trabalho.

Habilitar pessoas no uso de softwares livres resulta em facilitar o acesso ao processo de formação e de qualificação profissional ampliando as oportunidades de inserção no mercado de trabalho. Dessa forma, os usuários utilizam ferramentas tecnológicas que permitam ações transformadoras de como encontrar soluções para problemas de ordem social, econômica, ambiental e tecnológica.

As esferas governamentais, através de suas instituições públicas, sempre que possível, têm procurado facilitar o acesso à tecnologia implementando ações que não exijam recursos financeiros por parte da população.

O curso proposto permite ao participante fortalecer sua relação com a Sociedade pela interação que o mesmo terá com a utilização dessa ferramenta tecnológica na busca de soluções, acumulando experiência acadêmica à sua formação profissional.





5.REFERÊNCIAS



ALEXANDRINI, F. et. al. Software livre educacional. In: VII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 7, 2010, Rio de Janeiro, Anais... Rio de Janeiro, 2010 p. 545559

PAZINI, D. L. G.; MONTANHA, E. P. Geoprocessamento no ensino fundamental: utilizando SIG no ensino de geografia para alunos de 5.a a 8.a série. In: XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 12, 2005, Goiânia, Anais... São José dos Campos: INPE, 2005. Artigos, p.1329 – 1336.





" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias