ISSN 1678-0701
Número 70, Ano XVIII.
Março-Maio/2020.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Notícias     Para sensibilizar     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Educação     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências
 
Artigos

No. 70 - 20/03/2020
NA ‘TRILHA DA NATUREZA’: UM JOGO DIDÁTICO COMO PROPOSTA PARA O ENSINO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3888 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

NA ‘TRILHA DA NATUREZA’: UM JOGO DIDÁTICO COMO PROPOSTA PARA O ENSINO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Nathália Hernandes Turke1, Hemilyn da Silva Meneguete2; Virgínia Iara de Andrade Maistro3, Oilton José Dias Macieira4, Marinez Meneghello Passos5

1 Universidade Estadual de Londrina. E-mail: nathalia.turke@hotmail.com

2 Faculdade Catuaí Cambé. E-mail: hemilyn_silva@hotmail.com

3 Universidade Estadual de Londrina. E-mail: virginiamaistro@yahoo.com.br

4 Universidade Estadual de Londrina. E-mail: macieira@uel.br

5 Universidade Estadual de Londrina. E-mail: marinezpassos@uel.br



Resumo: Ao refletir sobre a atual degradação do meio ambiente, a escola possui papel fundamental na formação de cidadãos críticos e preocupados com a conservação do meio ambiente, capazes de tomar decisões conscientes. Desta forma, ressalta-se a necessidade e importância de se trabalhar Educação Ambiental em sala de aula. Neste sentido, este trabalho tem como objetivo apresentar o jogo didático de tabuleiro intitulado ‘Trilha da Natureza’, sua estrutura e regras, bem como evidenciar os resultados de sua aplicação nos anos finais do Ensino Fundamental. O jogo foi aplicado em quatro turmas de sexto ano e duas turmas de sétimo ano, na cidade de Londrina, estado do Paraná, Brasil. A utilização deste jogo se mostrou uma ferramenta eficiente de aprendizado e sensibilização ambiental.

Palavras-chave: Jogo de Tabuleiro. Meio Ambiente. Ensino Fundamental. Sensibilização Ambiental.

Abstract: Reflecting on the current degradation of the environment, the school has a fundamental role in the formation of critical citizens concerned with the conservation of the environment, capable of making conscious decisions. Thus, it’s important and necessary to work Environmental Education in the classroom. In this sense, this work aims to present the didactic board game entitled 'Nature Trail', its structure and rules, as well as to show the results of its application in the final years of Elementary School. The game was applied to four sixth-year classes and two seventh-year classes, in the city of Londrina, state of Paraná, Brazil. This game is an efficient tool for learning and environmental sensitivitie.

Keywords: Board game. Environment. Elementary School. Environmental Sensitivitie.

Introdução

Ao refletir sobre a atual degradação do meio ambiente e, levando-se em consideração que as crianças e adolescentes são o futuro do planeta, é necessário que os mesmos desenvolvam valores e atitudes que possibilitem asumir posições conscientes e participativas quanto à conservação e a adequada utilização dos recursos naturais, visando melhoria na qualidade de vida. Desta forma, aponta-se a necessidade de articular o cotidiano da população escolar com a Educação Ambiental.

A Educação Ambiental deve ser vista como um “processo de permanente aprendizagem que valoriza as diversas formas de conhecimento e forma cidadãos com consciência local e planetária” (JACOBI, 2003a, p. 431), tendo como objetivo “sensibilizar a população […] para os problemas ambientais, visando capacitar os individuos a resolverem os problemas atuais e impedir que eles se repitam” (SIQUEIRA; ANTUNES, 2013, p. 185 e 186).

Neste sentido, o educador, como mediador da aprendizagem, indicará ao aluno como construir referenciais ambientais para utilizá-los no desenvolvimento de práticas sociais que visem à conservação da natureza. Assim, a Educação Ambiental é capaz de levar ao “aumento de conhecimentos, mudança de valores e aprimoramento de habilidades, instigando maior integração e harmonia dos indivíduos com o meio ambiente” (PÁDUA; TABANEZ, 1998 apud JACOBI, 2003b, p. 196).

Contudo, ao se trabalhar este tema na escola, faz-se necessário a aplicação de diferentes materiais e recursos didáticos, a fim de direcionar os alunos, além da aprendizagem, para a contextualização com o cotidiano. Por possuir caráter lúdico, a utilização de jogos didáticos ao se mostra uma ferramenta capaz de “fornecer um ambiente agradável, motivador, prazeroso, planejado e enriquecido, que possibilita o aprendizado” (SILVA, 2016, p. 168), favorecendo “o raciocínio, a argumentação, a interação entre alunos e entre professores e alunos” (CAMPOS et al, 2003, p. 59).

Com a utilização do jogo de tabuleiro aqui apresentado, os alunos colocarão em prática comportamentos ambientalmente corretos, “contribuindo para a formação de cidadãos responsáveis” (SILVA, 2016, p. 173) e preocupados com a conservação do meio ambiente.

Diante do exposto, este trabalho tem por objetivo apresentar o jogo didático de tabuleiro intitulado ‘Trilha da Natureza’, sua estrutura e regras, bem como evidenciar os resultados de sua aplicação nos anos finais do Ensino Fundamental.

Procedimentos Metodológicos

A pesquisa foi desenvolvida por meio da confecção e aplicação do jogo didático intitulado ‘Trilha da Natureza’, utilizado como ferramenta de sensibilização ambiental. O jogo foi aplicado para 230 estudantes de quatro turmas de sexto ano e duas turmas de sétimo ano dos anos iniciais do Ensino Fundamental, em duas escolas da rede pública de ensino, na cidade de Londrina, no estado do Paraná, Brasil. Este jogo didático é inédito – foi criado e elaborado pelos autores deste trabalho e consiste em:

Tabuleiro: foi desenvolvido em forma de trilha, com 45 casas, divididas em quatro obstáculos, os quais foram representados pelos símbolos: estrela, coração, losango e nuvem de pensamento, como pode ser visualizado na Figura 1.

Figura 1 – Tabuleiro utilizado no Jogo

Fonte: Adaptado de Borges (2011)

Painel: confeccionado em papel Paraná e colorido com a utilização de cartolina azul, verde e marrom, simulando uma parte do meio ambiente. Para o desenvolvimento do jogo, foram inseridos lixos recicláveis e figuras representando queimadas, desmatamentos e agrotóxicos, simbolizando um ambiente poluído. O painel utilizado pode ser visualizado na Figura 2.

Figura 2 – Painel utilizado no Jogo

Fonte: O próprio autor

Seres vivos, Água e Sol: com o objetivo de os participantes reflorestarem e reabilitarem o meio ambiente simulado no painel, foram confeccionados, em papel EVA, um sol, água para a lagoa, bactérias, árvores, arbustos, flores e animais (abelha, peixe, pássaro, jacaré e onça).

Cartas: foram confeccionadas 55 cartas, divididas em: 15 estrelas, 15 corações, 15 losangos e 10 nuvens de pensamento. As cartas de estrela possuem uma tarefa a ser realizada para acabar com a poluição (retirar os lixos e as imagens de desmatamentos, queimadas e agrotóxicos). As cartas de coração possuem uma tarefa a ser realizada para restaurar o meio ambiente (adicionar o sol, a água ou seres vivos ao meio ambiente). As cartas com losangos são de ‘sorte ou azar’, em que o aluno deve avançar, recuar algumas casas ou ficar alguma/s rodada/s sem jogar. As cartas com nuvens de pensamento contêm pensamentos e curiosidades acerca da conservação do meio ambiente.

É importante destacar que além das tarefas a serem realizadas ao se tirar uma carta de estrela ou coração, todas contém frases de efeito, referente à importância dos seres vivos, de se plantar árvores e flores, não matar os animais, evitar uso de agrotóxicos, queimadas e desmatamentos, não jogar lixo em locais inadequados, separar o lixo em orgânico, reciclável e dejeto, e assim por diante. Além disto, as recompensas e punições ao se tirar as cartas de losango se devem ao fato de o aluno ‘ter feito’ algo benefice para o meio ambiente, como colocar o lixo em local adequadro, fechar a torneira ao escovar os dentes, resgatar animais abandonados, apagar às luzes, ou algo maléfico para o meio ambiente, como abandoner filhotes de animais, matar pássaros por diversão, jogar papel no chão. Alguns exemplos das tarefas podem ser visualizados a seguir:

Estrela: Faça a sua parte, na conservação ambiental. Recicle o lixo, feche a torneira quando estiver escovando os dentes. Somente nós poderemos salvar o mundo. Comece retirando um lixo da floresta.

Coração: É importante plantar flores nos jardins, praças e parques. Também é importante conservar as flores que nascem espontaneamente. Você já aprendeu que as abelhas não sobrevivem em ambientes sem flores, mas elas também são muito prejudicadas quando as flores são de um único tipo. Já pensou em convidar um colega seu para plantarem dois tipos de plantas e ajudar as abelhas?

Losango (exemplo de ‘sorte’): Parabéns! Você jogou a lata de refrigerante no lugar certo. Avance três casas.

Losango (exemplo de ‘azar’): Não! Não acredito que você está pescando só por diversão e soltando os peixes depois. Você sabia que o anzol machuca e eles podem morrer? Volte três casas.

Nuvem de Pensamento: Além do pólen e do néctar oferecido às abelhas, as plantas podem oferecer as raízes, o caule, as folhas, os frutos e até as sementes como alimento para outros animais, inclusive para os humanos. Muitos animais dependem das plantas para sobreviver.



Dados e Peões: cada participante (ou grupo) possui um peão, o qual irá se locomover no tabuleiro conforme o dado for lançado. O dado, os peões e as cartas podem ser visualizadas na Figura 3.

Figura 3 – Dado, peões e catas utilizadas no jogo

Fonte: O próprio autor

Para o desenvolvimento do jogo, os alunos formaram um cículo no centro da sala de aula e dividiram-se em cinco grupos. Durante cada rodada, um estudante se levantava, jogava o dado, se movia nas casas e realizava a tarefa estipulada pela carta. O jogo foi dado como finalizado quando todos os grupos participantes chegaram ao final da trilha, sendo os mesmos classificados entre primeiro e quinto lugares.

Ao final, os alunos foram questionados mediante as seguintes questões: Quais as diferenças observadas entre o ambiente poluído e o ambiente reflorestado?; Qual parece mais bonito, saudável e com melhor qualidade de vida?; O que foi possível aprender com este jogo?

Aplicação do Jogo Didático

No início do jogo, em cima do painel, observava-se um meio ambiente destruído, repleto de lixos, com representações de desmatamentos, queimadas e agrotóxicos. Ao longo do jogo e, de acordo com as cartas, os elementos prejudiciais ao meio ambiente começaram a ser retirados, ao mesmo tempo em que se iniciava a restauração do equilíbrio ecológico, com a reintrodução do sol, água para a lagoa, animais, plantas e bactérias, como pode ser observado na Figura 4.

Ao final, foi possível observar um meio ambiente vasto, bonito, limpo e agradável. As queimadas, desmatamentos e os agrotóxicos foram substituídos por flores, arbustos e árvores; o rio antes seco e poluído recebeu água e diversos peixes e jacarés. O lixo reciclável que estava poluindo foi direcionado ao local adequado, ao mesmo tempo em que animais voltaram a habitar a floresta. O sol voltou a brilhar e a terra pobre em nutrientes ganhou raízes de plantas e bactérias, responsáveis pela decomposição da matéria orgânica.

Figura 4 – Painel representando o ambiente restaurado

Fonte: O próprio autor

Durante a discussão, os alunos mostraram as diferenças existentes entre os dois ambientes, ressaltando que o resultado final ficou bem mais agradável aos olhos, ou seja, apontaram que escolheriam viver no ambiente limpo, reflorestado e com uma gama de diversidade de plantas e animais.

Foi observado a compreensão das questões levantadas nas cartas durante o jogo, como a importância dos animais polinizadores e dos decompositores, reciclagem do lixo e conservação dos recursos naturais.

Considerações Finais

O uso do jogo didático permitiu maior interação entre os alunos. No início, os alunos apresentavam-se competitivos, contudo, conforme foram visualizando a mudança no ambiente, se mostraram curiosos, interessados e entusiasmados, tanto para ganhar o jogo, como para restaurar o meio ambiente. As conversas paralelas observadas enquanto os colegas liam as cartas diminuíram com o desenrolar da atividade, visto que os alunos passaram a se interesar pelas curiosidades apresentadas nas cartas, as quais, em sua maioria, eram desconhecidas.

Ao trabalhar Educação Ambiental de maneira lúdica e divertida, com a utilização deste jogo didático, observou-se aumento do interesse dos alunos, os quais passaram a refletir e questionar sobre o tema proposto. Acredita-se que a utilização deste jogo como recurso didático é capaz de sensibilizar os estudantes com relação à importância de conservar o meio ambiente, além de tornar o ambiente escolar um espaço agradável e propício à aprendizagem.

Espera-se que as informações adquiridas durante o desenvolvimento do jogo didático, e posterior discussão, sensibilizem os alunos, estimulando-os a transmití-las para família, amigos e comunidade em geral. Acredita-se que pequenas atitudes são capazes de alcançar grandes mudanças.

Bibliografia

BORGES, M. Tabuleiro. 2011. Disponível em: https://michelborgesportlio.tumblr.com. Acesso em: 02 Fev. 2020.

CAMPOS, L. M. L; BORTOLOTO, T. M.; FELICIO, A. K. C. A produção de jogos didáticos para o ensino de Ciências e Biologia: uma proposta para favorecer a aprendizagem. Cadernos dos Núcleos de Ensino, São Paulo, p. 35-48, 2003.

JACOBI, P. R. Meio ambiente e educação para a cidadania: o que está em jogo nas grandes cidades? Em SATO, M.; SANTOS, J. E. dos (Ed.). A contribuição da educação ambiental à esperança de pandora. 2 ed. São Carlos: RIMA, 624 p., 2003a.

JACOBI, P. R. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n. 118, p. 189-205, 2003b.

SILVA, A. F. O jogo didático como instrumento para Educação Ambiental nas séries finais do Ensino Fundamental: proposta para trabalhar os temas diversidade da vida nos ambientes e diversidade dos materiais. Revbea, São Paulo, v. 11, n. 5, p. 167-183, 2016.

SIQUEIRA, I. de J.; ANTUNES, A. M. Jogo de trilha “Lixo Urbano”: Educação Ambiental para sensibilização da comunidade escolar. Ensino, Saúde e Ambiente, Niterói, v. 6, n. 3, p. 185-201, 2013.





" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Notícias     Para sensibilizar     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Educação     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências