ISSN 1678-0701
Número 72 (volume 19, série 3)
Setembro-Novembro/2020
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Notícias     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Entrevistas     Saber do Fazer     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Educação     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     O Eco das Vozes     Relatos de Experiências
 
Artigos

No. 72 - 03/09/2020
COMPARTILHANDO SABERES E EXPERIÊNCIAS: COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS AGROECOLÓGICOS EM FEIRA LIVRE DA AGRICULTURA FAMILIAR DE ALDEIAS ALTAS-MA  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4023 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

COMPARTILHANDO SABERES E EXPERIÊNCIAS: COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS AGROECOLÓGICOS EM FEIRA LIVRE DA AGRICULTURA FAMILIAR DE ALDEIAS ALTAS-MA



Talytha Ravenna de Melo Souza¹, Lorenna Kamila de Melo Souza², Valéria Melo Costa³, Adeval Alexandre Cavalcante Neto⁴, Thiago Coelho Silveira5, Daniel Fernandes Rodrigues Barroso6



¹ Universidade Federal do Ceará, departamento de pós-graduação, Fortaleza - Brasil. E-mail: taly_raven@hotmail.com;

² Instituto Federal do Maranhão- IFMA Campus Codó, departamento de Ensino, Aldeias Altas – Brasil; Email:lorennakamila@hotmail.com;

³ Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, Departamento de Ensino, Balsas - Brasil; Email:lerinhamelo@hotmail.com;

Doutor em Engenharia e Ciência de Alimentos (UNESP). Professor do Instituto Federal do Maranhão (IFMA). Líder do Grupo de Pesquisa em Desenvolvimento Rural, Ambiental e Social (GDAS/IFMA). E-mail:adeval@ifma.edu.br.

Doutor em História (UNISINOS). Professor do Instituto Federal do Maranhão (IFMA). Membro do Grupo de Pesquisa em Desenvolvimento Rural, Ambiental e Social (GDAS/IFMA). E-mail: thiago.silveira@ifma.edu.br.

6 Mestre em Ciências Ambientais (UFPA). Professor do Instituto Federal do Maranhão (IFMA). Membro do Grupo de Pesquisa em Desenvolvimento Rural, Ambiental e Social (GDAS/IFMA). E-mail: daniel.rodrigues@ifma.edu.br





RESUMO

A feira da agricultura familiar é de suma importância para o desenvolvimento do pequeno agricultor. Buscou-se com essa pesquisa obter informações sobre a comercialização de produtos agroecológicos na feira livre da agricultura familiar de Aldeias Altas - MA, por meio da coleta de dados com 20 produtores beneficiados com o programa da Feira da Agricultura Familiar. A pesquisa apresenta dados sobre o gênero, os produtos mais vendidos, valor médio arrecado por feirante, quantidade de sobra por feira e o destino da sobra. Dentre os resultados alcançados, destaca-se que 80% dos feirantes são do gênero feminino, 54% contém apenas o ensino fundamental incompleto, estão na faixa etária entre 30 e 65 anos e apresentam como os produtos mais vendidos os ovos caipiras, coentro com cebolinha, puba, pimenta, farinha, macaxeira e azeite. Os produtos não comercializados são retornados aos feirantes que utilizam para a sua alimentação ou revendem em programas governais como o PAA e o PNAE.

Palavras-chave: feirantes, agricultura familiar, produtor, comercialização.



ABSTRACT

The family farming fair is very importance for the development of small farmers. This research sought to obtain information about the commercialization of agroecological products at the free market for family farming in Aldeias Altas-MA, through the collection of data with 20 producers who benefited from the Family Farming Fair program. The survey presents data about the genre, the most sold products, the average value collected per marketer, the amount of leftover per fair and the destination of the leftover. Among the results achieved, it is noteworthy that 80% of the marketers are female, 54% contain only incomplete elementary education, the marketers are in the age group between 30 and 65 years old and have as the best-selling products: free-range eggs, coriander with chives , puba, pepper, flour, cassava and olive oil. Unmarketed products are returned to marketers who use them for food or resell them in government programs such as PAA and PNAE.

Keywords: marketers, family farming, producer, commercialization.

INTRODUÇÃO

A agricultura familiar tem grande importância econômica e social, sendo uma motivadora de políticas públicas (OLIVEIRA; RIBEIRO, 2002). A produção da agricultura familiar é bastante diversificada, contrariando a agricultura convencional que é normalmente em monocultivo, buscando assim o equilíbrio com o uso dos recursos naturais atuando ativamente no processo de transição para uma agricultura sustentável (TOMASETTO et al., 2009).

O uso de práticas agroecológicas e sustentáveis estão entrelaçadas, proporcionando baixo impacto ambiental e redução de custo energéticos, pois os produtores se adaptam às tecnologias locais desenvolvidas (SANTOS; CHALUB-MARTINS, 2012). Aponta-se, assim, a importância da educação não formal, a qual se caracteriza por ocorre fora dos muros da escola. Gohn (2014) destaca que essas aprendizagens ocorrem em espaços coletivos como podemos perceber no caso das feiras da agricultura familiar.

Os agricultores familiares produzem a maior parte dos seus alimentos para a sua subsistência, sendo o excedente comercializado em feiras livres e no mercado local. Os seus produtos são perecíveis e por não possuírem uma estrutura de armazenamento capaz de conservá-los, precisam vender na primeira oportunidade para não perder a produção (BRASIL, 2010).

A feira é um local que influencia na melhoria de vida das pessoas, tanto por gerar renda familiar, como por trazer novas ideias e ser um espaço de socialização, carregado de narrativas e símbolos sociais. Neste ambiente, circulam as informações sobre as condições de trabalho, organização, consumo, origem, destino dos produtos potenciais de comercialização e nível de satisfação (ÂNGULO, 2003).

As feiras livres se apresentam como uma ação estratégica de promoção do desenvolvimento rural (PECCINI et al., 2015), ao mesmo tempo em que podem ser caracterizadas como espaços de educação não formal na medida em que nela ocorrem um universo de trocas simbólicas, de saberes e experiências, promovendo uma aprendizagem pela vivência de mundo e pelo compartilhamento de modos de produzir sem agredir o meio ambiente. Oliveira e Dias (2017) apontam para o fato de que a educação não formal se dá no cotidiano das comunidades, de forma que podemos perceber nas feiras essa característica.

A feira da agricultura familiar do estado do Maranhão é realizada pelo Sistema SAF (Secretaria de Agricultura Familiar), juntamente com o MAIS IDH (Programa Estadual), a AGERP (Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão) e a Secretaria Municipal de Agricultura que prestam assistência técnica ao pequeno produtor que produz para o sustento de sua família e, além disso, oferece estrutura para comercialização do excedente oportunizando qualidade de vida e dignidade a esses agricultores, através da feirinha da agricultura familiar (MARANHÃO, 2018).

Portanto, a feira da agricultura familiar é de suma importância para o desenvolvimento do pequeno agricultor familiar, para a circulação de ideias e para o compartilhamento de experiências de sucesso. Assim, este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa desenvolvida para avaliar o sistema de comercialização dos principais produtos dispostos na feira da agricultura familiar de Aldeias Altas - MA.

Dessa forma, intentamos contribuir para a educação ambiental por meio da propagação de experiências agrícolas que encontram na sustentabilidade ambiental um dos seus principais pilares.



METODOLOGIA

A pesquisa foi realizada no município de Aldeias Altas - MA, que fica localizado na Mesorregião Leste Maranhense, na Microrregião de Coelho Neto (Figura 1), possuindo uma área de 1.942 km e uma população estimada de 26.302 habitantes (IBGE, 2019). O município Limita-se ao Norte com os municípios de Coelho Neto e Afonso Cunha, ao Sul com os municípios de Caxias e Codó, a Leste com o município de Caxias e a Oeste com o município de Codó (BRASIL, 2011).



Figura 1: Mapa de localização do município de Aldeias Altas, MA.

Fonte: Brasil (2011).



Buscando alcançar o objetivo da pesquisa, elaborou-se questionários e entrevistas, seguindo as orientações presentes em Gil (2008) e Marcones e Lakatos (2001). A pesquisa de campo com a coleta dos dados e registro digital por meio de fotos ocorreu na Feira da Agricultura Familiar de Aldeias Altas - MA, no dia 10 de julho de 2019, na parte da manhã. Os dados foram coletados no início e no final da feira, permitindo obter informações sobre gênero, faixa etária, grau de escolaridade, produtos agroecológicos mais vendidos, o valor médio arrecadado por feirante e o destino das sobras.

Os sujeitos da pesquisa foram produtores rurais, que se enquadram como agricultores familiares que produziam e comercializavam seus produtos de forma agroecológica e sustentável, degradando o mínimo possível o meio ambiente. As feiras ocorriam mensalmente (Figura 2), em um ponto estratégico na rua Aniceto Pereira, próximo à praça Gonçalves Dias, local de grande circulação de pessoas. Neste contexto, a população pesquisada consistiu em todos os produtores rurais que comercializavam seus produtos agroecológicos na feira, perfazendo um total de 20 (vinte) agricultores familiares.