ISSN 1678-0701
Número 71, Ano XIX.
Junho-Agosto/2020.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Notícias     Para sensibilizar     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Sementes     Gestão Ambiental     O Eco das Vozes     Relatos de Experiências
 
Relatos de Experiências

No. 71 - 08/06/2020
APLICAÇÃO DE METODOLOGIA PARA AFERIR A CONCENTRAÇÃO DE FORMALDEÍDO NO LABORATÓRIO DE ANATOMIA HUMANA DA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3941 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

APLICAÇÃO DE METODOLOGIA PARA AFERIR A CONCENTRAÇÃO DE FORMALDEÍDO NO LABORATÓRIO DE ANATOMIA HUMANA DA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU



Nicolau Cardoso Neto¹

Ailton Cardoso²

André Freitas³

Flávia Keller Alves⁴

Renato de Amorim Gomes⁵

Lara Paim Socas John André⁶



¹ Doutor em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), Mestre em Engenharia Ambiental pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Mestre em Ciência Jurídica pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI). Especialista em Direito Ambiental pela Fundação Boiteux (Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC). Docente do quadro efetivo da FURB. Pesquisador do Grupo de Pesquisa Direitos Fundamentais, Cidadania e Justiça, na linha de pesquisa Sustentabilidade Socioambiental, Ecocomplexidade, Políticas Sanitárias e Ambientais. Advogado. Docente extensionista do projeto H2CO – Repensando o ciclo de vida do formaldeído. e-mail: ncardoso@furb.br.

² Mestre em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Graduado em Química - Bacharelado pela FURB. Químico da FURB, atuando na área da pesquisa e gerenciamento de laboratórios. Coordenador do projeto H2CO - Repensando o ciclo de vida do formaldeído. e-mail: ailton@furb.br.

³ Graduado em Engenharia Química pela FURB. Engenheiro Químico da FURB, atuando na área da pesquisa e gerenciamento de laboratórios. Representante legal da FURB perante órgão externos (Polícia Federal, IBAMA, Exército, CONAMA, IMA, ANVISA e Vigilância Municipal). Extensionista no projeto H2CO - Repensando o ciclo de vida do formaldeído. e-mail: andref@furb.br.

Doutoranda em Desenvolvimento Regional e Mestre em Administração pela FURB. Especialista em Gestão Ambiental com ênfase em organizações produtivas pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) e Especialista em Gestão Universitária pela FURB. Servidora de carreira administrativa na FURB, lotada no Sistema de Gestão Ambiental. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Núcleo de Ecossocioeconomia (NEcos) – Universidade Federal do Paraná (UFPR/PR), na linha da Ecossocioeconomia das Organizações. Extensionista no Projeto H2CO - Repensando o ciclo de vida do formaldeído. E-mail: flavia@furb.br.

Graduando em Licenciatura em Química (FURB). Técnico em Têxtil (SENAI). Técnico de Laboratório - Química Têxtil na FURB. Extensionista no Projeto H2CO - Repensando o ciclo de vida do formaldeído. E-mail: renatoamorim@furb.br.

Graduanda em Medicina Veterinária na FURB. Bolsista extensionista do projeto H2CO – Repensando o ciclo de vida do formaldeído. E-mail: ljohn@furb.br.





RESUMO

O objetivo do presente estudo foi reduzir possíveis riscos ambientais decorrentes da utilização do formaldeído nos banhos das peças anatômicas do Laboratório de Anatomia Humana (LAH) da Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), conforme protocolos formulados pelo Sistema de Gestão Ambiental (SGA) da Universidade. Para isso, foi aplicada metodologia para controlar a concentração do gás formaldeído (H2CO) nas soluções que conservam as peças anatômicas do referido laboratório. A manutenção da concentração de formol nos banhos tende a reduzir impacto ambiental à medida que se reduz o volume (litros/ano) descartado deste resíduo, potencialmente tóxico, uma vez que prolonga a vida útil da solução. Consequentemente, a redução deste resíduo gera dupla economia: de um lado, com o custo do descarte propriamente dito e, por outro, com a redução na compra de insumos para elaboração de nova solução de conservação. A partir da importação de um kit da empresa norte americana HACH, cuja finalidade é aferir a concentração de H2CO em soluções e, após a tradução do texto orientativo, cujo original é inglês, e, como resultado, foi elaborado um Procedimento Operacional Padrão (POP) para a implementação da metodologia pelos profissionais nos laboratórios da FURB e, até mesmo, por outras instituições. Foram testadas amostras, comparando os resultados do kit HACH e por cromatografia, método confiável para utilizar de parâmetro, onde foi aferida segurança de 98% com a aplicação do kit. Atestada a segurança da metodologia desenvolvida para aplicabilidade nos laboratórios, foi dado início a implementação da técnica na rotina laboratorial.



Palavras-chave: Sistema de Gestão Ambiental; metodologia; formaldeído; laboratório de anatomia humana; conservação de peças anatômicas.



ABSTRACT

The aim of the present study is to reduce possible environmental risks resulting from the use of formaldehyde in the baths of anatomical pieces of the Human Anatomy Laboratory of FURB (HAL), according to protocols formulated by the Environmental Management System (EMS) from Universidade Regional de Blumenau – FURB. In this way, it is intended to define a methodology to control the concentration of this gas (formaldehyde – H2CO) in the solutions that store the anatomical parts of the LAH, reducing the volume (liters / year) and potentially toxic material disposed of in a landfill, besides generating savings. Consequently, the reduction of this waste generates double savings: on the one hand, with the cost of disposal itself and, on the other, with the reduction in the purchase of inputs for the elaboration of a new conservation solution. For this, a kit from the company HACH was imported, which has the purpose of measuring the concentration of H2CO in solutions. After the translation of the text from English, a Standard Operating Procedure (SOP) was elaborated so that the methodology can be implemented by any professional in FURB laboratories and even by others. Samples were tested by comparing the results of the HACH kit, and, by chromatography, a reliable method to use the parameter, where it was possible to measure 98% safety with the application of the HACH kit. Therefore, the safety for applicability of the methodology developed in the laboratories was verified and the implementation of the technique was initiated in the laboratory routine.

Keywords: environmental management system; methodology; formaldehyde; human anatomy laboratory; conservation of anatomical parts.



INTRODUÇÃO

A Lei nº 12.305/10 instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que dispõe sobre as diretrizes relativas à gestão integrada e ao gerenciamento de resíduos sólidos, abarcados os perigosos, às responsabilidades dos geradores e do poder público. No inciso V do artigo 7º é definido como objetivo a redução do volume e da periculosidade dos resíduos perigosos. De acordo com a Lei, são considerados resíduos perigosos “aqueles que, em razão de suas características de inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade, patogenicidade, carcinogenicidade, teratogenicidade e mutagenicidade, apresentam significativo risco à saúde pública ou à qualidade ambiental”, considerando normas que definam tais parâmetros. (BRASIL, 2019)

Todos os entes que gerem resíduos perigosos estão sujeitos à elaboração de um plano de gerenciamento. Neste contexto, a Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), em 2001, implantou o Programa de Gestão de Resíduos Perigosos (PGRP), o qual tem como objetivos “minimizar os impactos ambientais causados pelo descarte dos resíduos classificados como perigosos e melhorar a qualidade de vida dos alunos e servidores da Universidade, em todos os setores que manipulam ou geram resíduos perigosos”. (Zanella, 2004)

Com o intuito de reduzir impacto ambiental decorrente do descarte das soluções de conservação de peças anatômicas do Laboratório de Anatomia Humana (LAH) da FURB, a Comissão do Meio Ambiente (CMA) e Sistema de Gestão Ambiental (SGA), em parceria com os técnicos do referido laboratório e por meio do projeto de extensão universitária “H2CO – Repensando o ciclo de vida do formaldeído”, vem testando metodologia de aferição da concentração de formaldeído nas soluções de conservação das peças anatômicas, o que possibilita, além da manutenção da solução, o prolongamento de sua vida útil e, por consequência, redução significativa no quantitativo deste resíduo descartado pela Universidade.

O presente estudo almejou estabelecer um processo de gestão da qualidade da solução de conservação das peças anatômicas, o qual poderá, com os resultados alcançados, ser replicado a outros laboratórios. Essa metodologia possibilitará inovação tecnológica aos laboratórios e à Universidade, com benefícios ambientais e econômicos.

Apesar de ser um assunto técnico, este artigo acaba ressaltando a necessidade de realização de gestão ambiental e destaca, sobretudo, a necessidade de atuação das pessoas. Pois sem a participação e interesse destes em realizar os processos de controle e gestão, não é possível ter resultados positivos, nem mesmo determinar a qualidade dos processos.



LOCAL DA PESQUISA

O projeto de extensão “H2CO – Repensando o ciclo de vida do formaldeído”, proposto pela Comissão do Meio Ambiente (CMA) e Sistema de Gestão Ambiental (SGA) da FURB, foi executado no Laboratório de Anatomia Humana (LAH). O projeto mirou prolongar a vida útil da solução de conservação de peças anatômicas, com o escopo de controlar o quantitativo descartado desta solução, uma vez que este deve ser ambientalmente adequado, tendo em vista os possíveis impactos ambientais decorrentes da sua má administração.

O H2CO é potencialmente tóxico e carcinogênico, segundo a Divisão de Toxicologia Humana e Saúde Ambiental (2017). No entanto, apesar de ser um material agressivo à saúde, se utilizado de forma incorreta, é um dos melhores métodos para conservação de peças anatômicas (LIMBERGER, 2011). E de acordo com BOUWMAN et al (2018, p. 35), dentre os cursos de medicina ofertados no estado de Santa Catarina, “a FURB é a única universidade que apresenta a prática de dissecção de cadáveres humanos na ementa curricular da disciplina de anatomia humana”. Segundo os autores, trata-se de um diferencial oferecido pelo curso de medicina da Universidade, pois capacita os estudantes à “identificarem e descreverem anatomicamente estruturas e regiões do corpo humano, estabelecerem as devidas correlações funcionais, identificarem as relações entre órgãos, aprenderem a estratigrafia, a verificação de variações anatômicas”, sem contar que esta metodologia, permite aos alunos tomar conhecimento do correto manejo dos instrumentos utilizados para a realização de dissecação.

Ressalta-se que o LAH utiliza formaldeído para a preparação dos banhos de formol, em vista da necessidade de manutenção da qualidade dos corpos e das peças anatômicas que são e serão utilizadas nas atividades de ensino, pesquisa, extensão e projetos realizados no laboratório. O descarte da solução tem elevado custo para a Universidade, o qual pode ser economizado com a aplicação de metodologia de monitoramento da concentração de formaldeído e sua manutenção para parâmetros aceitáveis.

A proposta metodológica consistiu na utilização de um kit, criado pela empresa Norte Americana HACH, para aferição da concentração de formaldeído presente em solução. Primeiramente, foi realizado o estudo sobre a seguridade desta metodologia. Feito isso, o próximo passo foi realizar a tradução do idioma inglês, consequentemente, esta tradução foi base para a descrição da metodologia, cuja implementação no LAH se deu em forma de Procedimento Operacional Padrão (POP), o qual deve ser seguido pelos monitores, professores e técnicos do referido laboratório.

O projeto piloto se deu no LAH da FURB, localizado no campus 1, podendo ser, posteriormente, estendido aos demais laboratórios que utilizem soluções de formaldeído, tais como o Laboratório de Anatomia Veterinária, de Botânica, Genética e outros. O processamento das amostras foi realizado no Laboratório de Engenharia Química, no campus 2, devido à estrutura necessária para a fase de testes. Cabe considerar que o kit pode ser levado para diferentes espaços para uso cotidiano, seja no LAH ou em outros laboratórios, pois é transportável.



MÉTODO DE AVALIAÇÃO

Pela falta de metodologia institucionalizada no LAH para manutenção da concentração de formaldeído nas soluções de conservação das peças anatômicas, foi possível constatar que, na prática, a qualidade das soluções se definia por meio da visualização de crescimento fúngico, fator que ocorria quando a concentração de formaldeído estava muito abaixo do adequado. Assim, devido à contaminação fúngica, as soluções eram descartadas, os tanques e peças limpos e higienizados, e preparada nova solução. Além de gerar custo para o descarte dos banhos de formol, há que se considerar as despesas com a aquisição de formaldeído, com o tempo de trabalho dos técnicos, com os materiais de limpeza para higienização das cubas e das peças anatômicas.

Com a aquisição do kit HACH, foi definido um Procedimento Operacional Padrão (POP), de fácil compreensão e aplicação, com imagens explicativas e linguagem acessível. O referido POP descreve como utilizar o equipamento e, também, como interpretar os resultados.

O Kit contém os componentes apresentados na Imagem 01: conta-gotas plástico descartável, água tipo I (classificação ASTM), cortador, óculos de proteção, frasco de mistura, sachê reagente, solução indicadora de timoftaleína e frasco contendo solução de ácido sulfúrico.

Imagem 01 – Kit para aferir a concentração

de formaldeído HACH.

Fonte: Dos autores.



Com o intuito de conferir a precisão de resultados do kit da HACH, foram coletadas amostras das cubas e tanques do LAH e de uma solução padrão de formaldeído, as quais foram testadas quanto a concentração de formaldeído pelo kit e pela técnica de cromatografia líquida. Após a realização de dois testes com as amostras utilizando o kit (Imagem 02) e seguindo o POP estabelecido, os resultados foram comparados com os da cromatografia, conferindo exatidão de 98% ao kit HACH.



Imagem 02 – Primeiro teste realizado com amostras

obtidas do Laboratório de Anatomia Humana-FURB

Fonte: Dos autores.





Com a seguridade da metodologia conferida, o estudo passou a realizar os testes com as amostras do LAH. Cada amostra, num total de 12, foi testada de acordo com o POP e verificado que todas as concentrações de formaldeído estavam abaixo da necessária para garantir a qualidade de conservação das peças (Imagens 03 e 04).



Fonte: Dos autores.



Após a realização dos testes para a implementação na rotina do LAH por seus técnicos ou monitores, iniciou-se um estudo para verificar uma forma de filtrar o líquido das soluções, visando a retirada de matéria orgânica originária das peças anatômicas. Para tanto, ficou definido o uso de filtro de celulose, tendo em vista a relação custo-benefício deste material, pois apresenta baixo valor para compra e resultados satisfatórios quanto à vida útil. Após a leitura com o aparelho de turbidez (Imagem 05), verificou-se que a utilização do filtro provocou a diminuição de material particulado em suspensão na solução.



Imagem 05 – Equipamento utilizado para aferir a

turbidez anteriormente e posteriormente à filtração.

Fonte: Dos autores.





RESULTADOS E DISCUSSÃO

Para conferência da precisão da metodologia da HACH, foram realizados ensaios utilizando uma amostra preparada com formaldeído/branco, de concentração de formaldeído conhecida, então, foi realizada a comparação dos resultados obtidos pelo Kit e por cromatografia. Primeiramente, foi realizado teste com o kit, de acordo com o POP elaborado e, em seguida, a mesma amostra foi testada pelo laboratório de Engenharia Química da FURB, por cromatografia. Tais resultados apontaram uma precisão de 0,98, ou seja: o ensaio realizado com o kit resultou 98% preciso, demonstrando que o mesmo pode ser utilizado com segurança e confiabilidade, conforme apresentado no Gráfico 01.

Gráfico 01 – Ensaios Kit x Cromatografia

Fonte: Dos autores.



Na sequência, foi dado início aos testes das soluções do LAH, cujas amostras foram coletadas pelos técnicos do laboratório, de todas as cubas e tanques, e encaminhadas ao campus 2, para que os ensaios fossem realizados pela bolsista do projeto, com auxílio e supervisão do coordenador do projeto. Das análises, a equipe estruturou os resultados na Tabela 01.

O número de gotas utilizadas para transformar a solução de azul (devido à presença do indicador timoftaleína) em transparente, foi usado na fórmula do POP descritivo a fim de obter os teores de formaldeído em porcentagem.

A Tabela 01 evidencia que os resultados nas amostras da Cuba 01 e 04 foram inconclusivas, possivelmente pelo excesso de matéria orgânica presente, entre outras substâncias. A amostra 02 foi retirada da bombona de formol utilizada para fazer novas soluções, ou seja, ainda não utilizada nos banhos de formol, sendo a única dentro do parâmetro ideal. Já as amostras 03, 05, 06, 07, 08, 09 e 11 apresentaram concentração abaixo do necessário para manutenção da qualidade das peças.

Após elaboração de uma tabela comparando todos os resultados obtidos a partir da coleta e realização dos ensaios, foi possível observar que praticamente todas as amostras estavam com teores de formaldeído abaixo do valor considerado ideal para a manutenção das peças anatômicas, de aproximadamente 3,5%.

Tabela 01 – Resultados obtidos na prática de avaliação da concentração de formaldeído utilizando o Kit HACH.

Amostra

Quantidade de gotas

%

Cuba móvel (01)

4 gotas

x 0,5 = 2%

Formol bombona (02)

25 gotas

x 0,5 = 12,5%

Caixa 78 (03)

4 gotas

x 0,5 = 2%

Balde 05 (04)

3 gotas

x 0,5= 1,5%

Cuba 03 (05)

4 gotas

x 0,5 = 2%

Cuba 02 (06)

3 gotas

x 0,05= 0,15%

Bombona descarte (07)

9 gotas

x 0,05= 0,45%

Caixa 42 (08)

9 gotas

x 0,5 = 3,5%

Caixa 16 (09)

5 gotas

x 0,5 = 2,5%

Cuba 01 (10)

Coloração leitosa

Coloração leitosa

Cuba 05 (11)

6 gotas

x 0,5 = 3%

Cuba 04 (12)

Coloração leitosa

Coloração leitosa

Fonte: Organizado pelos autores.



Terminada a etapa de análise da quantidade de formol nas amostras, o estudo realizou teste em equipamento para aferir a turbidez da solução, foi escolhido, para tanto, uma das soluções aleatoriamente. Este teste apontou turbidez de 4.82NTU, denotando que havia uma quantia considerável de partículas em suspenção no líquido (Imagem 06).

Após quantificar a turbidez inicial, foi realizado um teste de filtração com um filtro de celulose C40 faixa branca, o qual apresentou como ideal: visível retenção do material particulado. Após a filtração foi novamente realizado teste de turbidez, que apresentou grande redução nas partículas suspensas na amostra, chegando ao resultado de 1.25 NTU (Imagem 07).



Fonte: Dos autores.



CONSIDERAÇÕES FINAIS

O projeto possibilitou a aferição de uma metodologia inovadora, evidenciando a eficácia do método de controle de concentração de formaldeído, tendo em vista a veracidade dos resultados comparados à cromatografia. Assim, o método pode ser replicado para outros laboratórios que utilizem as soluções contendo formaldeído, pois os fatores segurança, aplicabilidade e custo/benefício resultaram positivos.

O presente estudo comprovou que é possível prolongar a vida útil das soluções de conservação de peças anatômicas com monitoramento sistemático da concentração de formaldeído nos banhos e as devidas correções, bem como com a filtração de partículas. Tais ações inibem o crescimento de fungos, melhorando o ambiente de trabalho dos técnicos, monitores e estudantes dos diversos cursos que frequentam o laboratório, bem como garantindo a qualidade dos corpos e peças anatômicas depositados no LAH e dos processos realizados no laboratório.

Neste sentido, vale a pena ressaltar que a implementação da nova metodologia somente se concretizará com a aceitação das pessoas que trabalham no local, a partir de formação continuada e educação ambiental, por meio da qual fique demonstrada a importância e a necessidade de aplicação dos controles e do novo Procedimento Operacional Padrão (POP), além de controle e supervisão.

Para além da preservação ambiental, considerando o volume de resíduo que deixa de ser descartado, resultados do projeto são importantes no que tange a redução de despesas, haja visto que o resíduo tem custo para ser transportado e destinado para aterro industrial, como perigoso. Restou evidente que a gestão ambiental de uma instituição deve ocorrer para além dos processos tradicionais, principalmente naqueles que podem gerar impactos ambientais significativos, como os resíduos perigosos e da saúde. A efetividade na gestão de resíduos perigosos ocorre, na organização, quando os envolvidos em sua geração se comprometem com a realização de controles e monitoramento e, para tanto, é preciso revisão constante de processos e procedimentos.

Os resultados alcançados pelo estudo reforçam a necessidade de aplicação de gestão ambiental nas instituições, em especial nas universidades, pois nestas são realizadas práticas de ensino, pesquisa e extensão, que poderão servir de referência para os novos profissionais a serem inseridos no mercado de trabalho. A aplicação do aprendizado universitário nos espaços profissionais suscita ganhos para toda a sociedade.

Deste estudo, fica a sugestão para a aplicação da metodologia por outros laboratórios, sejam da FURB ou externos, privados ou públicos. Assim, seria possível aferir a metodologia em outros espaços, podendo haver uma troca de conhecimentos e resultados.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BOUWMAN, Christine; AMORIM, Anne Pasta de; CERIOLI, Alan França; MOREIRA, Bruna da Silva. Prática de dissecção durante as aulas de anatomia humana nos cursos de medicina de Santa Catarina - um diferencial da Universidade Regional de Blumenau MIPE. Mostra Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2018. p.35. Disponível em: <http://www.furb.br/web/upl/arquivos/201810111729560.Ensino.pdf?20200228110214> Acesso em 28 de fev. de 2020.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010, Política Nacional de Resíduos Sólidos, Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 03 de agosto de 2010. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm> Acesso em 28 de fev. de 2020.

CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE - CONAMA. Resolução Nº 358, de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Brasília, DF, 2005. Disponível em: <http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=462> Acesso em 28 de fev. de 2020.

DIVISÃO DE TOXICOLOGIA HUMANA E SAÚDE AMBIENTAL. Ficha de Informação Toxicológica – Formaldeído. Maio, 2017.

LIMBERGER, Daniela Cristina Haas. Processos de recuperação, reuso e destinação do formol em laboratório de anatomia. Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS, 2011.

ZANELLA, Geovani. Programa de gestão de resíduos perigosos. Cartilha Educativa. Blumenau: FURB-COMA, 2004. Disponível em: <http://www.furb.br/web/upl/arquivos/201509161401520.cartilha_residuos_perigosos_furb.pdf?20200228105941> Acesso em 28 de fev. de 2020.





" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Notícias     Para sensibilizar     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Sementes     Gestão Ambiental     O Eco das Vozes     Relatos de Experiências