ISSN 1678-0701
Número 60, Ano XVI.
Junho/Agosto/2017.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Educação Ambiental e Comunicação     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias
Ações e projetos inspiradores

04/06/2017PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL JANDAIA SOL ORIENTA ESTUDANTES SOBRE O TRÁFICO DE ANIMAIS  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=2785 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL JANDAIA SOL ORIENTA ESTUDANTES SOBRE O TRÁFICO DE ANIMAIS

 

Projeto tem como objetivo conscientizar crianças no combater ao tráfico de animais silvestres e preservar a natureza

Da Redação do Portal AZ23 de Maio de 2017, 07:59

O prefeito Firmino Filho, em companhia do Superintendente do IBAMA, dos secretários municipais do Meio Ambiente e da Educação, diretores e professores e alunos abriu jornada de consciência ambiental nas escolas da Prefeitura de Teresina com o lançamento do Projeto Jandaia do Sol, ave símbolo de Teresina. O Projeto de Educação Ambiental, Jandaia Sol, tem como objetivo conscientizar crianças no combater ao tráfico de animais silvestres e preservar a natureza, foi lançado na manhã desta segunda-feira (22), no Centro de Formação Professor Odilon Nunes, com a participação de estudantes e professores das escolas da Prefeitura e autoridades envolvidas na execução do projeto.

Com a participação efetiva de dez Escolas Municipais, contemplando 7.100 alunos na faixa etária de 7 a 12 anos, o foco será o combate ao tráfico de animais silvestres e suas zoonoses. Das dez escolas selecionadas, oito estão situadas na zona Norte, considerando que essa é a região onde existe a maior quantidade de parques ambientais e áreas verdes da cidade. As outras duas são da região Leste e Sul de Teresina.

De autoria da Superintendência do Ibama no Piauí, o projeto será realizado em parceria com município, por meio das pastas de Educação e Meio Ambiente, e consiste em habilitar professores da Rede Pública de Ensino de Teresina para atuarem como difusores e multiplicadores nas ações de conscientização, fundamentais ao combate do tráfico de animais silvestres e à prevenção das principais doenças transmitidas por estes animais ao homem. Os educadores contarão com um material didático, composto por gibis, vídeos, cd, chapéus de EVA e joguinhos educativos para sensibilizar seus alunos em sala de aula.

O Projeto esta sendo executado em três momentos, o primeiro foi à capacitação de professores e diretores das escolas municipais que estão envolvidas. No segundo momento o projeto será trabalhado com os estudantes onde os profissionais da educação irão abordar o tema de maneira clara e compreensiva com as crianças. Após todo o estudo será escolhido os melhores materiais produzidos pelos alunos para ser transformado em uma revista com as mais variadas ideias de atividades pedagógicas relacionadas ao meio ambiente, além da apresentação e premiações dos melhores trabalhos.

No mês de junho, representantes do IBAMA visitarão as escolas com palestras sobre o tráfico de animais, fornecendo conteúdo para a reflexão e produção dos estudantes. O médico veterinário Fabiano Pessoa que é analista ambiental do Núcleo de Educação Ambiental do Ibama, explica que os matérias a serem trabalhados aborda o tema de maneira clara e compreensiva. “O tráfico de animais silvestres causa prejuízos difíceis de mensurar. Então a proposta é massificar essas informações, que, ao longo de 10 anos o Ibama Piauí vem construindo, através de materiais didáticos, focando sobre a prevenção do tráfico de animais silvestres e as suas zoonoses. São materiais educativos onde os professores e coordenadores pedagógicos, com esse conteúdo terão a possibilidade de sensibilizar e mudar a concepção da criança com relação a ter um animal silvestre preso. A intenção é criar uma geração de teresinenses que amem os animais silvestres em liberdade”, explica o analista ambiental.

De acordo a secretária executiva da Secretaria Municipal de Educação (Semec), Irene Lustosa, a pauta ambiental é fundamental na formação integral dos alunos, ganhando maiores proporções com os periódicos. “A ideia é essa, difundir as ações, conscientizar, levar o discurso da sustentabilidade para a família dos alunos e chegar até a comunidade, atingindo um grande número de pessoas”, comenta. Para ela, o aluno engajado é um agente transformador. “Todos os projetos de educação ambiental fortalecem o trabalho que vem sendo realizado nas escolas. As crianças e os jovens têm o poder de influenciar positivamente no meio em que vivem, por isso fazemos questão de nos envolver nessas importantes iniciativas”, conclui.

Para Socorro Rodrigues, coordenadora pedagógica da Escola Municipal Eurípedes de Aguiar é preciso desconstruir a ideia, de que, quem ama um animal, precisa prendê-lo em uma gaiola. “Precisamos desfazer essa ideia de quem ama um animal deve prendê-lo em uma gaiola. Nós não temos fiscais para coibir cada pessoa que faz isso, mas podemos tentar mudar essa realidade através da educação, através dos professores trabalhando isso em sala de aula”, disse.

O chefe do executivo municipal considera que essa temática do meio ambiental é essencial, ainda mais quando é voltada para as crianças. “Essa é uma temática fundamental e que precisa ser cada vez mais incorporada nas escolas, daí a importância desse projeto. As questões ligadas ao meio ambiente fazem parte dos desafios da cidade, porque é sobre qualidade de vida”, destacou Firmino Filho.

Projeto inclui prêmios para alunos e publicação de livro

Todas as intervenções pedagógicas nas escolas pelos professores com o material didático do projeto devem balizar os alunos a produzirem redações e desenhos referentes a essa temática ambiental.

Ao final do projeto, serão selecionadas três redações e três desenhos. Os seis alunos autores desses trabalhos serão premiados com tablets.

Os demais trabalhos dos participantes devem ser utilizados pela escola para realização de exposições, dos quais também serão selecionados 60 para serem publicados no livro Jandaia Sol, ave que dá nome ao projeto através de um decreto municipal de 1999.

A previsão é que o projeto seja executado entre os meses de abril e outubro. O lançamento do livro deve acontecer dia 04 de outubro, Dia Mundial de Proteção aos Animais.

 

Fonte: https://www.portalaz.com.br/noticia/geral/396429/projeto-de-educacao-ambiental-jandaia-sol-orienta-estudantes-sobre-o-trafico-d

 



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Educação Ambiental e Comunicação     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências     Notícias