ISSN 1678-0701
Número 72, Ano XIX.
Setembro-Novembro/2020.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Notícias     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Entrevistas     Saber do Fazer     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Educação     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     O Eco das Vozes     Relatos de Experiências
 
Relatos de Experiências

No. 72 - 03/09/2020
PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS PÚBLICAS NA ZONA RURAL DE RUSSAS-CE  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=4018 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS PÚBLICAS NA ZONA RURAL DE RUSSAS-CE





Francisca Sandra Sousa Alves1

Germana Costa Paixão2

Jones Baroni Ferreira de Menezes3*





1 Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Ceará/Universidade Aberta do Brasil.

2 Coordenadora do curso de Ciências Biológicas a distância da Universidade Estadual do Ceará/Universidade Aberta do Brasil.

3 Professor formador do Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Ceará/Universidade Aberta do Brasil.



* - Autor correspondente: Universidade Estadual do Ceará. Av. Dr. Silas Munguba, 1700 - Campus do Itaperi. Fortaleza, CE - CEP: 60.714.903 E-mail: jones.baroni@uece.br





Resumo

A educação ambiental tem o papel essencial de sensibilizar sobre os problemas ambientais enfrentados pela natureza, sendo assim a escola torna-se um local propício para socializar os conhecimentos, tentando desta forma criar um pensamento crítico, reflexivo e racional a respeito dos impactos ambientais gerados ao planeta, através da ação do homem. Desta maneira, é objetivo desse trabalho investigar como a educação ambiental é trabalhada nas escolas públicas do distrito de Flores, município de Russas-Ce. A pesquisa, de caráter exploratório e de abordagem mista, foi realizada no período de fevereiro a maio de 2018, sendo os dados coletados através da aplicação de um questionário aos professores das escolas públicas, municipais e estadual do distrito de Flores/Russas-CE. Assim, observou-se que os professores são conhecedores dos problemas ambientais presentes na comunidade, e os danos que os mesmos causam, tanto ao meio ambiente como a saúde, indicando as fábricas de cerâmicas como um dos principais fatores causadores desses problemas ambientais. Ademais, inserem o assunto em sua prática pedagógica, utilizando diversidade de recursos pedagógicos e de forma transversal e interdisciplinar. Assim, observou-se a presença e importância das atividades de educação ambiental no ambiente escolar, sensibilizando e promovendo possíveis propagadores das informações.

Palavras-chaves: Educação Formal. Discentes. Sensibilização.



Abstract

Environmental education has the essential role of raising awareness about the environmental problems faced by nature, so the school becomes a conducive place for socializing knowledge, thus trying to create critical, reflective and rational thinking about the environmental impacts generated by the environment. planet through the action of man. Thus, it is the objective of this work to investigate how environmental education is worked in the public schools of Flores district, Russas-Ce. The research, exploratory and mixed approach, was conducted from February to May 2018, and the data collected through the application of a questionnaire to teachers of public, municipal and state schools in the district of Flores / Russas-CE. Thus, it was observed that teachers are aware of the environmental problems present in the community, and the damage that they cause, both the environment and health, indicating ceramic factories as one of the main factors causing these environmental problems. Moreover, they insert the subject in their pedagogical practice, using diversity of pedagogical resources and in a transversal and interdisciplinary way. Thus, it was observed the presence and importance of environmental education activities in the school environment, sensitizing and promoting possible information propagators.

Key words: Formal education. Students. Sensitization.





1 INTRODUÇÃO



Os impactos ambientais vêm crescendo consideravelmente, deixando a população mundial em alerta, no sentido do esgotamento de alguns recursos naturais, entre esses impactos pode ser citado a crise hídrica, pois alguns países que até então eram considerados abundantes nesse recurso natural, hoje sofrem com a escassez de água (GUIMARÃES, 2016). Ademais, o desmatamento, as queimadas, a produção exagerada de lixo e o agravamento da poluição do ar contribui para o desgaste do meio ambiente e esgotamento dos recursos naturais.

Na localidade escolhida para a realização da pesquisa desse trabalho, as industrias de cerâmicas exercem uma grande importância no setor econômico, pois sua mão de obra requer uma grande quantidade de pessoas trabalhando, e isso por sua vez geram muitos empregos, promovendo assim a principal fonte de renda para muitas famílias (AMORIM et al, 2017). Contudo, percebem-se fortes impactos ambientais e doenças no sistema respiratório, promovendo assim, danos à saúde da população de forma geral, conforme estudos de Moreira et al (2014).

Desse modo, Santos e Barreto (2016) salientam a necessidade de (re)pensar a atividade ceramista como uma forma de desenvolvimento sustentável, reduzindo os impactos ambientais que são causados no meio ambiental e garantindo o desenvolvimento tanto socioeconômico como no setor produtivo. A aplicação de metodologias sustentáveis torna as relações comerciais das cerâmicas bem mais viáveis, tendo em vista a possibilidade de introduzir sustentabilidade nos processos produtivos em conjunto com leis ambientalistas, diminuindo desta forma os impactos ambientais causados pelas cerâmicas.

Inserida nessa circunstância, é que a educação ambiental tornou-se um tema muito importante mundialmente, formas de amenizar os impactos ambientais gerados pelo homem na natureza. Ainda mais, quando realizadas no espaço escolar, já que nele objetiva-se formar cidadãos com senso critico capazes de compreender as problemáticas ambientais que acontecem no mundo, em sua região ou localidade onde residem, podendo assim, sensibilizar-se para os cuidados necessários e tão importantes ao meio ambiente através de processos de educação ambiental.

De acordo com Arruda; Marques e Reis (2017) é muito importante que a educação ambiental seja entendida na sua dimensão teórica, porém faz-se necessário que a mesma seja vivida na prática, desta maneira os professores são capazes de conduzir os alunos para um envolvimento maior com os problemas ambientais, a educação ambiental possui um potencial muito grande e quando ensinada de maneira correta pode alcançar dimensões socioeconômicas e ambientais.

Para Santos e colaboradores (2017) é necessário introduzir nas aulas, métodos e práticas pedagógicas que instruam o aluno para a vida social, e também construtiva, por isso faz interessante e necessário o envolvimento dos alunos com a educação ambiental de forma lúdica, instigando assim uma posição critica sobre a preservação e cuidados com o meio ambiente, promovendo reflexões sobre o ambiente em que vivem.

Diante desse contexto, objetivamos investigar o processo educativo para o meio ambiente nas escolas públicas localizadas no distrito de Flores, vinculado ao município de Russas/CE

2 METODOLOGIA

Este trabalho configura-se como descritivo, de abordagem qualitativa, realizada no município de Russas que está localizado no vale do Jaguaribe, distante 165 km da capital cearense, Fortaleza.

Nele há 4 escolas estaduais de Ensino Médio, sendo três de ensino regular e uma de ensino profissionalizante. Uma destas escolas não se localiza na zona urbana da cidade, situando-se no distrito de Flores, distante 18 quilômetros da sede do município. Além dessa, a localidade dispõe de duas escolas municipais que ofertam o Ensino Infantil e Fundamental I e II.

Nesse contexto, a pesquisa foi realizada junto a 34 professores do ensino fundamental e médio das escolas públicas localizadas no distrito de Flores, no município de Russas-CE. Destes, 18 eram do sexo masculino e 16 do sexo feminino, tendo idade variando entre 25 e 53 anos. Quanto aos aspectos profissionais, inicialmente no que tange à formação, observamos que 20 docentes possuem nível superior completo, 17 são especialistas, 3 possuem mestrado e 14 não responderam o questionamento. Já no tocante ao tempo de magistério, 40% não responderam o tempo de exercício no magistério, contundo, observamos uma variação entre professores recém-ingressos 7 (20,6%) até os que já possuem mais de 20 anos de sala de aula (15%).

Durante os meses iniciais de 2018, foram aplicados questionários, contendo de 10 questões objetivas e discursivas, versando sobre o ensino da temática do meio ambiente nas escolas. Após coletado os dados, os mesmos foram tabulados em planilha eletrônica do Microsoft Excel®, e então, apresentados em tabelas e gráficos e seus achados comparados com os descritos na literatura.

A pesquisa foi realizada baseando-se eticamente na resolução 510/2016, que regulamenta as pesquisas envolvendo seres humanos na área das ciências humanas e sociais.



3 RESULTADOS E DISCUSSÃO

Inicialmente, foi realizado o questionamento sobre a temática “importância da educação para o meio ambiente” ser inserido no ambiente escolar, sendo observado que, por unanimidade, os professores afirmaram da necessidade da inserção dessa temática na escola, principalmente no que se refere a necessidade de sensibilização para com os cuidados que precisamos ter com a nossa morada. Conforme as falas a seguir:

Estamos vivendo a era do consumo e da produção excessiva, sem muitas vezes se preocupar com o fim da matéria prima ou reposição da mesma no meio ambiente, orientar os alunos sobre isso é uma forma de tentarmos amenizar muitos dos nossos problemas ambientais. (PROFESSOR 1).

Vários problemas ambientais têm causado muitos danos a natureza, e geralmente são decorrentes da ação inadequada do homem. Portanto, a educação ambiental na escola pode ser um estimulo para conscientização ambiental. (PROFESSOR 16)

Por que diz respeito a sua relação com o meio em que vive. Isso inclui tudo a sua volta, inclusive pessoas. (PROFESSOR 26)

Diante do observado, fica claro que a educação ambiental tem uma grande importância na preservação dos recursos naturais. Desde a década de 70 percebe-se o aumento, na preocupação voltada para o meio ambiente, devido o aumento populacional e a necessidade de condições de vida natural para a própria existência humana, pois fatores, como a escassez dos recursos naturais a contaminação e degradação dos ecossistemas contribui diretamente para uma má qualidade de vida futura, e a educação ambiental entra nesse cenário com o papel importante de criar um modelo de cidadania. (GALVÃO; MAGALHÃES JUNIOR, 2016).

Diante desse cenário de positividade nas ações educativas para o meio ambiente, o próximo questionamento deu-se através da existência de atividades de sensibilização que a escola realiza em relação às questões ambientais. Contudo, depara-se com mais da metade dos participantes (56%) informando que as atividades são inconstantes ou não ocorrem.

De acordo com Eckert, Gomes e Coelho (2017), a educação ambiental tem como objetivo a preservação da natureza, e as atividades voltadas para a mesma, é uma excelente forma para gerar um pouco de sensibilidade junto a população, pois a educação ambiental, não só transmite informação, mas também forma indivíduos, onde o mesmo tem suas atitudes voltadas para o meio ambiente repensadas, devendo possuir mais incentivo e motivação de realizações de atividades educativas para o meio ambiente nas escolas (MENEZES, 2014).

Ademais, houve a curiosidade de conhecer em quais disciplinas essa temática é abordada, tendo observado que há a preponderância nas disciplinas de Ciências/Biologia (82,4%) e Geografia (64,7%), conforme gráfico 1 a seguir, similarmente aos dados encontrados por Menezes e Rodrigues (2016).

Este dado possivelmente está diretamente relacionado por estas disciplinas abordarem diretamente temas relacionados a meio ambiente, meio ambiente, degradação, poluição, relação entre seres vivos, espaços geográficos, entre outros.

Gráfico 1 - Disciplinas em que a temática meio ambiente é abordada.

Fonte: Elaborada pelos autores.

Na atualidade escolar compreende-se que a proposta pedagógica de educação ambiental deva ser do ponto de vista crítica, onde o foco principal é a interdisciplinaridade, exercendo desta maneira a especificidade do conteúdo abordado em cada disciplina, promovendo assim, o conhecimento sobre os principais problemas socioambientais precisa ser trabalhada de forma transversal e interdisciplinar, para que assim, aconteça uma mudança no pensamento das pessoas, quanto aos problemas relacionados ao meio ambiente (PINTO e GUIMARÃES, 2017), inclusive considerando a nova formatação curricular com a implementação da Base Nacional Comum Curricular.

Aproveitando o ensejo, investigou-se quais os recursos e materiais didáticos que os professores utilizam para o desenvolvimento das suas atividades quando abordam a temática, sendo apontado principalmente a utilização de textos (79,4%), utilização de vídeos (61,8%), palestras (41,2%), rodas de conversa (38,2%), músicas (23,5%), além dos jogos educativos (14,7%).

Sabe-se que utilização das metodologias ativas e a diversificação de recursos e materiais especifico para se trabalhar um tema é muito importante, principalmente na educação ambiental. Tal diversidade propicia a construção de novos saberes a cada dia, o que aumenta a responsabilidade do professor de uma maneira até mesmo que social, pois o uso de tais tecnologias está além de suas formações acadêmicas (GONÇALVES; OLIVEIRA, 2017).

Para Baldin (2015) abordar o tema ambiental de forma lúdica é uma ótima opção para que as crianças aprendam brincando, para isso faz-se necessário que as atividades voltadas para o meio ambiente também despertem o interesse pelo mesmo, sendo favorável ao desenvolvimento da capacidade essencial para coabitação social, incentivando os participantes a buscarem maneiras de amenizar tais agressões ao meio ambiente (RODRIGUES et al, 2016).

Inquiriu-se também sobre a participação dos professores em projetos de educação ambiental desenvolvidos nas escolas. Nesse contexto, observou que 17 professores (50% do total de professores) já participaram de atividades desse gênero, sendo citados, os programas Agrinho, Com vida e Jovem do Futuro, que desenvolvem ações de sensibilização educativa de reuso, reciclagem e pesquisa sobre os impactos ambientais.

A utilização de projetos para se trabalhar a educação ambiental dentro das escolas é algo imprescindível e muito importante, pois é uma maneira de ver os conteúdos além da sala de aula, é o momento em que os alunos têm o contato direto com a realidade dos problemas ambientais, e assim, poderão se tornar agentes na busca de soluções para amenizar alguns dos problemas ambientais vivenciado pelos mesmos.

Sousa et al (2018) apontam a importância da educação ambiental sobre os indivíduos, levando em consideração o ambiente escolar, sendo este capaz de influenciar nas etapas de formação dos cidadãos, sendo assim, ao desenvolver projetos voltados a sensibilização ambiental, busca nesta perspectiva instigar os indivíduos a pensarem de forma crítica com relação ao meio ambiente.

E, por fim, questionou-se sobre os principais problemas ambientais visualizados no município e como as escolas trabalham e sensibilizam a comunidade perante eles. De acordo com os professores, os principais problemas encontrados na comunidade estão relacionados às fabricas de cerâmicas existentes na região da comunidade, onde as mesmas geram uma grande quantidade de fumaça poluindo o ar, além da degradação do solo através da retirada de argila, e o desmatamento, onde usam a lenha para funcionamento dos fornos. Citaram também o problema do lixo nas ruas, e a má utilização da agua (figura 1).

FIGURA 1. Visão dos professores frente aos problemas ambientais, e possíveis soluções de mediação dos mesmos.

FONTE: Elaborada pelos autores.

Os professores também apontaram possíveis ações de melhoria desses problemas, como fiscalização por parte dos órgãos competentes, a sensibilização e conscientização, possivelmente os filtros nas chaminés das cerâmicas para amenizar a fumaça. Os professores também ressaltaram que assuntos relacionados ao meio ambiente sempre são abordados em sala de aula, e os alunos sempre são bem participativos.

O homem vem transformando o meio em que vive desde a revolução industrial, quando evidenciou-se seus interesses econômicos, porém toda evolução industrial gera resíduos que quando não tratados corretamente traz problemas para o meio ambiente, sendo estes geradores dos poluentes que ocasionam consequências socioambientais (SILVA; VIEIRA, 2017).

Por isso faz se tão necessário e importante a educação ambiental dentro das escolas, pois a mesma tem o poder de evidenciar os problemas ambientais enfrentados pelo meio ambiente de forma global, e o professor tem papel fundamental nesse processo, pois o mesmo tem em suas mãos a possibilidade de gerar mais conhecimentos a respeito do assunto, assim também, como promover reflexões acerca dos problemas ambientais vividos no mundo todo, e no determinado meio em que vivem, visando buscar desta maneira, meios de sensibilizar os alunos e discutir sobre medidas para amenizar tais problemas causados ao meio ambiente em geral.



4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Diante de tudo que foi observado na pesquisa, percebe-se que a educação ambiental é um tema bastante importante, e de grande destaque na atualidade, devido aos inúmeros problemas ambientais existentes na natureza, e que tem o homem como o principal causador, por isso tem-se a necessidade de instruir as novas gerações para que possam ser capazes de cuidar do meio em que vivem, e é na escola onde existe uma ponte para que tudo isso possa vir a acontecer, tendo esta, um papel importante na formação dos cidadãos tornando-os críticos e reflexivos.

De forma geral, os professores demonstraram considerar bastante importante a abordagem do tema educação ambiental no ambiente escolar, de forma interdisciplinar. Além disso, também conseguiu-se perceber quais as principais formas que o tema é abordado em sala de aula, e de que maneira as diferentes metodologias utilizadas contribuem para um aprendizado, e possível reflexão do tema.

Observou-se também a percepção dos problemas ambientais existentes no distrito, apontando as fábricas de cerâmicas como principal fator que causa a poluição do ar atmosférico e também grande responsável pelo desmatamento local e degradação do solo, porém sendo as mesmas também responsáveis pela maior parte da renda da região.

Conclusivamente, percebe-se que a presença da educação ambiental no contexto escolar, inclusive refletindo sobre os principais problemas ambientais recorrentes no distrito, mesmo considerando a importância das fábricas de cerâmicas para a renda local, e sustentação familiar, refletindo a possibilidade de essas industrias serem mais sustentáveis, visando não apenas a renda e os lucros gerados pelas mesmas, mais também uma forma de agredir menos o meio ambiente, já que o cuidado para com o meio ambiente depende de todos.



REFERÊNCIAS

AMORIM, Felipe Silva et al. Impactos ambientais gerados no processo de produção de cerâmicas no extremo sul do Piauí. Agropecuária científica no semiárido, v. 13, n. 3, p. 241-246, 2017. Disponível em: < http://revistas.ufcg.edu.br/acsa/index.php/ACSA/article/view/892> . Acesso em: 18 maio 2017



ARRUDA, Raul Ferraz; MARQUES, Milene Reis; REIS, Januária Telis. IMPLANTAÇÃO DE HORTA ESCOLAR UTILIZANDO MATERIAIS RECICLÁVEIS COMO ALTERNATIVA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. LINKSCIENCEPLACE - Interdisciplinary Scientific Journal, v. 4, n. 3, 2017. Disponível em: < http://revista.srvroot.com/linkscienceplace/index.php/linkscienceplace/article/view/382>. Acesso em: Acesso em: 18 março 2017

BALDIN, Nelma. Uma abordagem lúdica e pedagógica no ensino fundamental: Trabalhando com a Educação Ambiental. Cadernos de pesquisa: pensamento educacional, v. 10, n. 24, p. 209-228, 2017. Disponível em: < https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/14236/1/elienae_pereira_ioc_dout_2015.pdf>. Acesso em: Acesso em: 18 março 2018

ECKERT, Natali Oliveira Santos; GOMES, Tatiana Botelho; COELHO, Andressa Sales. POLUIÇÃO MARINHA NO PONTAL DO PEBA/ALAGOAS: SENSIBILIZAÇÃO DE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL II. Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional, v. 10, n. 1, 2017. Disponível em< https://eventos.set.edu.br/index.php/enfope/article/view/4880>. Acesso em 18 abril 2018

GALVÃO, Camila Brito; JÚNIOR, Carlos Alberto de Oliveira Magalhães. A relação entre as Representações Sociais de professores sobre Educação Ambiental e os projetos relacionados à Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 33, n. 2, p. 124-141, 2016.

GONÇALVES, Claudemir Fonseca; OLIVEIRA, Nádia Rosania Reis. Educação ambiental: o solo como recurso didático na produção de tintas e pinturas. Os Desafios da Geografia Física na Fronteira do Conhecimento, v. 1, n. 2017, p. 3567-3572, 2017. Disponível em< https://ocs.ige.unicamp.br/ojs/sbgfa/article/view/2308>. Acesso em 10 março 2018

GUIMARÃES, Mauro. Por uma educação ambiental crítica na sociedade atual. Revista Margens Interdisciplinar, v. 7, n. 9, p. 11-22, 2016. Disponível em: < https://periodicos.ufpa.br/index.php/revistamargens/article/view/2767>. Acesso em: 8 out. 2017

MENEZES, Jones Baroni Ferreira; RODRIGUES, Alzeir Machado. Sustentabilidade como tema de práticas pedagógicas na Escola Estadual de Educação Profissional Alfredo Nunes de Melo em Acopiara (CE). Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), v. 10, n. 2. Disponível em: < http://www.sbecotur.org.br/revbea/index.php/revbea/article/view/45>. Acesso em: Acesso em: 9 out. 2017

MENEZES, Jones Baroni Ferreira. Educação ambiental como prática pedagógica em uma escola de ensino fundamental na cidade de Acopiara–ce. 2014. Revista da SBEnBio, nº 7, 2014. Disponível em: < https://www.sbenbio.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2014/11/R0025-2.pdf >. Acesso em: 19 out. 2017

MOREIRA, J. R. et al. BIOMONITORAMENTO DE POLUENTES ATMOSFÉRICOS PROVENIENTE DAS INDÚSTRIAS DE CERÂMICA NO MUNICÍPIO DE RUSSAS-CEARÁ. Blucher Chemical Engineering Proceedings, v. 1, n. 2, p. 6697-6703, 2015.Disponível em: <http://pdf.blucher.com.br.s3-sa-east-1.amazonaws.com/chemicalengineeringproceedings/cobeq2014/0131-26888-165272.pdf.> Acesso em: 20.Jun. 2017

PINTO, Vicente Paulo dos Santos; GUIMARÃES, Mauro. A educação ambiental no contexto escolar: temas ambientais locais como temas geradores diante das questões socioambientais controversas. Revista de Geografia-PPGEO-UFJF, v. 7, n. 2, 2017. Disponível em: < https://geografia.ufjf.emnuvens.com.br/geografia/article/view/197>. Acesso em: 7 dez. 2017

RODRIGUES, Alzeir Machado et al. Gestão Ambiental na Educação Básica: A realidade de escolas da rede estadual de ensino em Iguatu, Ceará, Brasil. Electronic Journal of Management, Education and Environmental Technology (REGET), v. 20, n. 1, p. 40-49, 2016. Disponível em: < https://periodicos.ufsm.br/reget/article/view/19727>. Acesso em: 7 dez. 2017

SANTOS, Helvys Amaro; BARRETO, Polliana de Luna Nunes. Análise jurídica da sustentabilidade ambiental: estudo de caso da cerâmica gomes de matos em crato-ce. Revista Interfaces: Saúde, Humanas e Tecnologia, v. 3, n. 11, 2016. Disponível em: < http://interfaces.leaosampaio.edu.br/index.php/revista-interfaces/article/view/291 Acesso em: 2 dez. 2017

SANTOS, Larissa. Araújo et al. A inserção da educação ambiental por meio de estratégias lúdico-educativas. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 15, n. 1, p. 240-252, 2017. Disponível em: < periodicos.unincor.br/index.php/revistaunincor/article/download/3756/pdf_630>Acesso em: 4 dez. 2017

SILVA, Alexandre Fernando; VIEIRA, Carlos Alexandre. Aspectos da poluição atmosférica: uma reflexão sobre a qualidade do ar nas cidades brasileiras. Rev. Ciência e Sustentabilidade, v. 3, n. 1, p. 166-189, 2017. Disponível em: < https://periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/cienciasustentabilidade/article/view/180 Acesso em: 7 dez. 2017

SOUSA, Cynthia Alvez Félix et al. Análise da viabilidade para aplicação de projetos de Educação Ambiental do ponto de vista dos atores institucionais enquanto participantes. Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), v. 13, n. 1, p. 272-282, 2018. Disponível em: < www.sbecotur.org.br/revbea/index.php/revbea/article/download/5006/3395>. Acesso em: 7 dez. 2017





" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Notícias     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Entrevistas     Saber do Fazer     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Educação     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     O Eco das Vozes     Relatos de Experiências