ISSN 1678-0701
Número 61, Ano XVI.
Setembro-Novembro/2017.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Logística Reversa     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Artigos

11/09/2017ANÁLISES BACTERIOLÓGICAS E FÍSICO-QUÍMICAS DO RIO DA PACA, CARAGUATATUBA, SÃO PAULO.  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=2903 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

ANÁLISES BACTERIOLÓGICAS E FÍSICO-QUÍMICAS DO RIO DA PACA, CARAGUATATUBA, SÃO PAULO.

 

Beverllyn Marinho Franco. Graduanda em Ciências Biológicas, Centro Universitário Módulo, Caraguatatuba, São Paulo, Brasil.bel_marinho@hotmail.com.br

Benedito Zacarias da Silva, Mestrando pela UNESP, Professor e coordenador do Curso Técnico em Meio Ambiente da ETEC/Caraguatatuba.benedito.silva13@etec.sp.gov.br

Gil Dutra Furtado. Professor PhD. Dr. da UFPB/PRODEMA e Engenheiro Agrônomo (gdfurtado@hotmail.com)

Judith Font Batalla. Professora Dra Adjunto I do Centro Universidade Módulo, Caraguatatuba, Brasil.

 

RESUMO

 

O rio da Paca que atravessa os bairros Jardim Jaqueira e Tinga dacidade de Caraguatatuba apresenta sinais de poluição, resultante do descarte de resíduos sólidos pela população diretamente no curso do rio. Observando-se as condições estéticas do rio,objetivou-se então analisar a qualidade da água a fim de constatar-se ou não a contaminação por esgotos domésticos não tratados de moradores e até mesmo de estabelecimentos comercias. Estas ações acabam deteriorando as condições da água e o habitat de muitos organismos, correndo-se o risco ainda do rio acabar tornando-se veículo de transmissão de doenças patogênicas para a população. Para se verificar a contaminação por efluentes foram coletadas amostras da água do rio da Paca para realizar as análises físico-químicas (pH, nitrogênio amoniacal, nitrito e nitrato; bacteriológicas coliformes totais e coliforme fecal). Através dos resultados obtidos foi constatada a presença de coliformes fecais, aproximadamente 23.300/100 ml. Como o rio ainda não possui classificação, levou-se em consideração o limite máximo de 4.000/100 ml de coliformes fecais permitido pela resolução CONAMA nº 357 dentre todas as classes; confirmando assim a contaminação por efluentes. Constatou-se que esgotos sanitários foram despejados recentemente no rio ou que próximo ao local da coleta existem fontes de emissões, pois, dentre os parâmetros físico-químicas analisadas o nitrogênio amoniacal, assim como o coliforme fecal, ultrapassou o limite máximo de 5,6 mg/l permitido pela resolução CONAMA n°357 apresentado uma concentração de 12,6 mg/l.

 

Palavras-chaves: Análises bacteriológicas e físico-químicas. Contaminação. Rio da Paca.

 

ABSTRACT

The Paca River thatcrossesthe Jaqueira and Tinga neighborhoods of thecityof Caraguatatuba presentssignsof pollution resulting from the disposal of solid waste by the population directly in the course of the river. The aesthetic conditions of the river were analyzed in order to verify the quality of the water in order to verify the contamination by domestic untreated sewers of residents and even of commercial establishments. These actions end up deteriorating the conditions of the water and the habitat of many organisms, running the risk still of the river end up becoming vehicle of transmission of pathogenic diseases for the population. In order to verify the effluent contamination, samplesof Paca riverwaterwere collected toperformthephysico-chemicalanalyzes (pH, ammoniacal nitrogen, nitrite and nitrate, bacteriological total coliforms and fecal coliform). The results showed the presence of fecal coliforms, approximately 23,300 / 100 ml. As the river has not yet been classified, the maximum limit of 4,000 / 100 ml of fecal coliforms allowed by CONAMA Resolution 357 was taken into account among all classes; Thus confirming contamination by effluents. It was found that sanitary sewage was recently dumped in the river or that near the collection site there are sources ofemissions, becauseammoniacalnitrogen, as well as fecal coliform, exceeded the maximum limit of 5.6 Mg / l allowed by CONAMA Resolution No. 357 presented a concentration of 12.6 mg / l.

 

Keywords: Bacteriologicalandphysicochemicalanalyzes. Contamination. Rio de Paca

 

1 INTRODUÇÃO

 

O esgoto sanitário é um dos maiores responsáveis pela presença de doenças patogênicas nos recursos hídricos porque junto das fezes descartadas no rio pela população que não estão conectadas a rede coletora de esgoto, pode-se acompanhar agentes patogênicos e consequentemente contaminar a população dos bairros onde este corpo d’ água faz o seu percurso e que estão mais suscetíveis ao contato. O esgoto também é um dos maiores responsáveis, pelo nitrogênio nas águas, onde as bactérias oxidam o nitrogênio presente no esgoto recentemente descartado em amônia depois através das bactérias nitrosomonas transformam em nitritos e em seguida em nitratos através das nitrobactéria (MELO;SILVA;LIMA, 2000).

O nitrogênio é o elemento que possui maior concentração na atmosfera aproximadamente 75% do total. Este é essencial tanto para os animais quanto para as plantas, sendo extremamente importante para o seu crescimento, porém dependendo de sua concentração pode acarretar uma multiplicação excessiva de macrófitas como a EichorniacrassipesI(Aguapé), planta muito utilizada como bioindicador de poluição. Esta macrófita é encontrada no rio da Paca em grande quantidade e sua presença pode influenciar na proliferação desordenada de algas,uma vez que as algas podem assimilar o nitrogênio presente na atmosfera e no esgoto sanitário. Quantidades excessivas desta planta podem causar o impedimento da passagem de luz, favorecendo a eutrofização e consequentemente, provocar um aumento da Demanda Bioquímica do Oxigênio (DBO) no rio, dependendo somente da vazão desse e de sua capacidade de diminuir ou controlar a concentração do nitrogênio(MELO; SILVA; LIMA, 2000).

            Além de o rio poder ser um possível veículo transmissor de doenças para as comunidades que são cortadas por suas águas, um “dano” que a ação antrópica pode estar gerando para esse recurso hídrico, se reflete no odor ruim que ele exala e que incomoda não só os moradores, mais também a alguns alunos e funcionários da Escola Estadual Antônio Alves Bernardino que fica próximo ao rio da Paca.

Sendo assim o artigo investigou a hipótese de contaminação por fezes, que justificaria o odor que o rio exala, já que é a principal reclamação dos moradores e alunos, que sofrem com o mau cheiro principalmente na estação de verão. Isto quando o rio não transborda com as fortes chuvas e acaba invadindo as casas da população mais próxima ou dificultando a saída dos alunos da escola, que consequentemente entram em contato com a água possivelmente contaminada.

 

2 MATERIAS E MÉTODOS

 

2.1 Caracterização da área de estudo

 

O corpo d' água conhecido pela população como rio da Paca (Figura 1), corta os Bairros do Jardim Jaqueira e Tinga. Provavelmente a localização da nascente do rio segundo relatos de moradores localiza-se em uma fazenda da região conhecida como fazenda do Carlos Rodriguez (Figura 2).

 

Figura 1 Curso do rio da Paca. A linha azul representa o curso do rio que a população acredita fazer depois da canalização

 

Cópia de igc curso do rio

Fonte: IGC (1973)

 

 

Figura 2 Identificação da nascente na atual fazenda do Carlos Rodriguez, Caraguatatuba (SP)

nascente é essaas

Fonte: IGC (1973)

 

A população que mora próximo ao rio ou que residem a mais tempo nos bairros que são cortados por este, afirmam que o curso do rio foi alterado conforme a área foi ficando mais urbanizada. Este rio acabou sendo canalizado, o que justificaria o fato de que o rio aparece na Avenida Alice de Souza Capeli, no Bairro do Jardim Jaqueira eantes de aparecer nesta avenida, o seu curso é desconhecido.

Depois que o rio aparece na avenida, supostamente passa por tubos por baixo da Rua Higino Martins (Bairro do Tinga) e a população sem ter conhecimento dessa tubulação, acabaram construindo as suas residências em cima. O rio segue por tubos até chegar a um trecho onde volta a ser possível a sua visualização já na Rua Marisa, passando entre casas que foram construídas à sua margem onde podemos constatar o lançamento direto de resíduos líquidos pelos moradores.

Depois que este passa entre as casas, continua sendo possível a sua visualização. Seguindo o seu curso, o rio passa pela Rua Benedito Reis, onde se localizou o ponto de coleta das amostras para se efetuar as análises bacteriológicas e físico-químicas. No mesmo local ocorre à diluição do rio ocasionado por uma água continua oriunda da fazenda dos Pintos.

Ao final da rua, o rio da Paca se mistura com outro rio já no Bairro Jardim das Gaivotas onde ambos seguem o curso para o Bairro do Poiares. Apesar de todo este percurso realizado pelo rio, a secretaria de meio ambiente da cidade não tem registrosdeste rio, conhecido popularmente como rio da Paca.A mesma nos orientou a consultar o GeoPortal do IGC (Instituto Geográfico e Cartográfico) para tentar identificar o curso do rio no mapa e verificar se seria um rio ou uma vala. Ao realizar a consulta constatou-se que o curso do rio da Paca e a localização de sua nascente (segundo relatos dos moradores), não aparecem na carta do IGC (1973).

Porém no GeoPortalfoi constatado um recurso hídrico com o nome de rio da Paca, mas localizado ao lado do mercado Spani no Bairro do Poiares. Entretanto a população insiste em afirmar que o corpo d’ água que passa nos bairros Jardim Jaqueira e Tinga é o rio da Paca, ainda que o seu curso tenha sido alterado logo após a construção da Escola Estadual Antônio Alves Bernardino, a qual foi instalada no bairro do Tinga em 1982.

Todavia com o auxílio do Geógrafo Marcello Alves Costa e do GeoPortal do Instituto Geográfico e Cartográfico foi possível identificar uma nascente no mesmo local, onde a população afirma que estaria localizado a nascente do rio da Paca, porém sendo impossível saber o restante de seu percurso, o qual somente seria possível com o auxílio do sensoriamento remoto. Também foi consultada a Carta Topográfica 1:50.000 (IBGE, 1974), constatando-se que onde se localiza a Fazenda Carlos Rodriguez atualmente aparece na carta do IBGE como Fazenda da Jaqueira do Tinga e que nesta existe uma nascente no mesmo local e um curso d’água que percorre os Bairro do Jardim Jaqueira e Tinga no mesmo local onde o geógrafo identificou uma nascente (Figura 3).

 

Figura 3 Nascente do Rio da Paca, localizado na fazenda da Jaqueira do Tinga, Caraguatatuba (SP).

paca

Fonte: Carta topográfica do IBGE (1974).

 

2.2 MÉTODOS

 

2.2.1 Análises Químicas e Bacteriológicas

 

Foram coletadas 3 amostras do corpo d' águaem frascos estéreis com capacidade 100 ml e conservando-os em uma caixa térmica. O material foi encaminhado ao laboratório da Escola Técnica Estadual de Caraguatatuba (ETEC), onde foram efetuadas as análises de nitrito, nitrato, nitrogênio amoniacal e pH.

O pH da amostra foi medido com um pH-metro com certificado de calibração do Inmetro, conforme metodologia descrita por APHA (2012). Posteriormente, as amostras foram filtradas com o intuito de retirar-se as partículas em suspensão, as quais poderiam alterar os resultados das análises.

As concentrações de nitrito, nitrato e nitrogênio amoniacal foram analisados com auxílio de um colorímetro e utilizadas as metodologias descritas emAPHA(2012), sendo usado o método 8155 para determinação do nitrogênio amoniacal e os métodos 8507, 81717 para determinação de nitrito e nitrato, respectivamente.

 

2.2.2 Análises Bacteriológicas

 

As análises bacteriológicas foram realizadas no final de 2014 e coletadas no mesmo local onde foram coletadas as amostras para se realizar as análises físico-químicas do rio da Paca. Duas amostras do corpo d'água foram coletadas em frascos estéreis com a capacidade de 120 ml e armazenadas em uma caixa térmica com gelos recicláveis e encaminhadas para laboratório, onde foram realizadas as análises bacteriológicas utilizando o método de substrato enzimático.

 

3 RESULTADOS e DISCUSSÃO

           

A Secretaria de Meio Ambiente da cidade, quando consultada não soube informa se este corpo d'água seria realmente um rio ou uma vala. Se no futuro a secretária de meio ambiente da cidade venha a afirmar futuramente que o rio da paca é na verdade uma vala,irá contrariar a noticia publicada no site daCompanhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP),onde afirmava que logo após a um mutirão de fiscalização nos bairros da cidade de Caraguatatuba, “uma das prioridades é retornar aos locais onde os imóveis estão próximos aos rios e córregos, como Canta Galo (Rio Guaxinduba), Caputera e Ponte Seca (Rio Santo Antônio) e Tinga (Rio da Paca)” (SABESP, 2012). Mutirão de fiscalização que contou com a parceria da Prefeitura e o setor de vigilância sanitária.

A Resolução CONAMA (2005) utiliza o nitrogênio amoniacal como um dos padrões de classificação das águas naturais e na Resolução CONAMA (2011) este  também é utilizado como um dos padrões de emissão de esgotos. Como esse corpo d'água não possui classificação, levou-se em consideração as muitas espécies de peixes, que de acordo com a CETESB não aguentam as concentrações acima de 5 mg/l de nitrogênio amoniacal e como pode-se perceber com resultado das análises efetuadas, o nitrogênio restringe a existência desses peixes no rio.

            E mesmo se o rio da Paca fosse classificado em qualquer uma das classes de acordo com o CONAMA N° 357 (2005) e dos resultados do pH obtidos, ultrapassaria os limites permitidos de nitrogênio amoniacal em todas as classes podendo variar dependendo dessas de 2,0 mg/l a 5,6 mg/l (Tabela 1).

Tabela 1 Ponto de coleta (Rua Benedito Reis), onde foram coletadas amostras para determinação do pH, Nitrogênio amoniacal, nitrato e nitrito no Rio da Paca.

PARAMETROS INORGANICOS

VALORES OBTIDOS

Ph

7.8

Nitrogênio amoniacal

12.6 mg/l

Nitrato

10.3mg/l

Nitrito

0.008mg/l

           

Assim como o nitrogênio amoniacal, foi efetuado uma comparação com todas as classes de água para verificar a concentração máxima de nitrato e verificar se o resultado atenderia o limite de concentração de 10 mg/l.Os resultados da análise deste parâmetro praticamente se encaixam em quase todas as classes de água doce, com exceção da classe especial, onde às condições naturais do corpo d'água deve ser mantida.Quanto às análises de nitrito o resultado atendeu aos padrões do CONAMA Nº 357 (2005),onde permite 1,0 mg/l.

            De acordo com os resultados da análise bacteriológica foi constatada a presença de aproximadamente 23.300 coliformes fecais por 100ml, ultrapassando assim a concentração máxima permitida de coliformes fecais para todas as classes de água de acordo com a resolução do CONAMA N° 357 (2005), que pode variar de 200 NMP/100ml a 4.000 NMP/100ml micro-organismos.

 

Tabela 2 Análises bacteriológicas realizadas no Rio da Paca.

 

PARAMETROS ORGANICOS

VALORES OBTIDOS

Coliformes totais

2.419.600 NMP/100 ml

Coliformes fecais

23.300 NMP/100 ml

NMP = Números mais prováveis

 

Os coliformes totais estão presentes na decomposição da matéria orgânica ou em outros nutrientes orgânicos, podendo habitar na água na vegetação e no solo.Já os coliformes fecais, um subgrupo dos coliformes, são organismos que são encontrados no intestino de animais de sangue quente e que são utilizados como bioindicadores de contaminação por esgotos sanitários nos recursos hídricos.

            Uma vez confirmada a presença de coliformes no rio da Paca e em concentrações acima do permitido pela resolução do CONAMANº 357 (2005), comprovando assim a contaminação por fezes humanas. Portanto, as concentrações de coliformes fecais são um bom indicador de qualidade das águas em termos de poluição por efluentes domésticos (BAUMGARTEN;POZZA, 2001).

            Com o auxilio do geógrafo Marcello Alves Costa e da interface do GeoPortal do Instituto geográfico e cartográfico (1973) e da carta topográfico do IBGE (1974), é possível afirmar que a nascente do Rio da Paca, localiza-se na fazenda atrás do Shibata, reafirmando o relato dos moradores, porém o seu percurso ainda é incerto.

            Confirmada a presença de coliformes totais e fecais acima dos limites permitido de todas as classes de água, certamente os números de coliformes principalmente fecais seriam ainda maiores caso as amostras do corpo d'água fossem coletadas um pouco mais em direção a sua jusante, pois no local de coleta das amostras ocorre à diluição do rio ocasionada por uma água continua. Esta água que escorre de um terreno, onde a população e até mesmo um dos donos da propriedade, afirmam a existência de três olhos d'água. Estes olhos d'água já foram registrados no Sistema integrado de gestão ambiental (SIGAM), faltando apenas à comprovação por um especialista de que sejam ou não nascentes na fazenda.

            Através das análises de nitrogênio amoniacal, nitrito e nitrato constatou-se que os esgotos presentes no corpo d'água foram despejados recentemente ou a fonte de emissão de esgoto está próxima do local aonde foram coletadas as amostras. Como o nitrogênio amoniacal é uma forma de nitrogênio mais reduzida, foi o resultado dentre todos os parâmetros analisados com a maior concentração por mg/l demonstrando que não ouve tempo para que o ciclo do nitrogênio se cúmplice até esse se tornar nitrato.

            O nitrogênio amoniacal não ionizado NH3, nessa concentração não é considerado perigosa para a população desse local, porém, é considerada tóxica em altas concentrações, podendo causar em valores acima 50 mg/l, irritação ocular e nasal, disfunção pulmonar a 1000 mg/l e risco de morte se uma pessoa for exposta a concentrações acima de 1500 mg/L (CETESB, 2015).

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

            O saneamento básico do bairro do Tinga ainda não é o adequado, os efluentes acabam sendo descartados no rio porque muitos moradores ainda não conectaram o seu esgoto na rede coletora que é responsável por encaminhar os esgotos domésticos para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

A localização do rio da paca e sua trajetória ainda é incerto, sendo assim se faz necessário a realização de uma pesquisa com os moradores do bairro Jardim Jaqueira e Tinga para se ter uma melhor compreensão do trajeto desse. Entretanto utilizando a Carta Topográfica do IBGE (1974) e os relatos de alguns, podemos considerar que o corpo d’água nasce na fazenda do Carlos Rodriguez, surge na Avenida Alice de Souza Capeli(Bairro do Jardim Jaqueira), passa por tubos por baixo da Rua Higino Martins (Bairro do Tinga).Depois segue seu trajeto por tubos até a Rua Marisa, onde passa por detrás das casas, o rio percorre a Rua Benedito Reis e ao final dessa se mistura com a água de um outro rio (Bairro Jardim das Gaivotas),  fluindoposteriormente para o bairro do Poiares.

 

REFERÊNCIAS

 

AMERICAN PUBLIC HEALTH ASSOCIATION (APHA). 2012. Standard Methods for ExaminationofWaterandWastewater, Washington, 1193pgs, 2012.

 

BAUMGARTEN, M. G.; POZZA, S. A. Qualidade de águas. Descrição de parâmetros químicos referidos na legislação ambiental. Rio Grande: Ed. FURG, 2001, 166p.

 

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – CETESB. Alterações físicas e químicas, São Paulo. Disponível em <http://www.cetesb.sp.gov.br/mortandade/causas_contaminantes_amonia.php>. Acesso em 7 demarço de 2015.

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – CETESB. Série de Nitrogênio (nitrogênio orgânico, amônia, nitrato e nitrito) São Paulo.Disponível em:< http://www.cetesb.sp.gov.br/userfiles/file/agua/aguas-superficiais/aguas-interiores/variaveis/aguas/variaveis_quimicas/serie_de_nitrogenio.pdf.> Acesso em 07 de abril de 2015.

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – CETESB. Variáveis de qualidade das águas. Águas superficiais, São Paulo. Disponível em: http://www.cetesb.sp.gov.br/agua/%C3%81guas-Superficiais/34-Vari%C3%A1veis-de-Qualidade-das-%C3%81guas.Acesso em 07 de maio de 2015.

COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO - SABESP. Notícias-Mutirão da SABESP fiscaliza mais de 3 mil imóveis e notifica trezentos. São Paulo. Ano de 2012. Disponível em: <http://site.sabesp.com.br/site/imprensa/noticiasdetalhe.aspx?secaoId=66&id=3770>. Acesso em 19de junho de 2015.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. Resolução N °357, Federal. Março de 2005.Disponível em:<http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35705.pdf>.Acesso em21 de Maio de 2015.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. Resolução N °430, Federal. Maio de 2011.Disponível em:<http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35705.pdf>.Acesso em21 de Maio de 2015.

INSTITUTO GEOGRÁFICO E CARTOGRÁFICO –GeoPortal. São Paulo, ano de 1973. Disponível em:<geoportal.igc.sp.gov.br>. Acesso em 20 de maio de 2015.

MELO, L. S; SILVA, F. D; LIMA, A. M. Avaliação da remoção de nitrogênio orgânico e amoniacal em amostra de esgoto doméstico submetido a pós-tratamento em tabuleiros.Rio grande do Norte. Disponível em: <http://www.quimlab.com.br/PDFlA/Processo%20%20de%20remo%E7%E3o%20%20de%20nitrog%EAnio%20org%E2nico%20e%20amoniacal.pdf.>.Acesso em 5 de abril de 2015.

PORTARIA MINISTÉRIO DA SAÚDE 518, Ministério Federal, ano 2004. Disponível em: <http://www.aeap.org.br/doc/portaria_518_de_25_de_marco_2004.pdf>. Acesso em 5 de março de 2015.

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA - Rios Juqueriquerê e Paca recebem limpeza e desobstrução nos próximos dias.São Paulo. Disponível em:<http://caraguatatuba.sp.gov.br/noticias/?id=3026%29>.Acesso em 27 de Abril de 2015.

 



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Logística Reversa     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias