ISSN 1678-0701
Número 67, Ano XVII.
Março-Maio/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Uma crônica, um artigo e algumas histórias!     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Artigos

13/03/2019EDUCAÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL: UM ESTUDO DAS CONTRIBUIÇÕES DO PROGRAMA DE MESTRADO  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3586 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL: UM ESTUDO DAS CONTRIBUIÇÕES DO PROGRAMA DE MESTRADO

Mônica Baldiotti Campolina Ferreira Pinheiro1, Janaína Moreira de Nazareth Pinto2, Matilde Meire Miranda Cadete3

1 Pedagoga pela Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Práticas Escolares de Alfabetização e Letramento pela PUC-MG. Mestranda em Gestão Social Educação e Desenvolvimento Local pelo Centro Universitário Una. monicabaldiotti@yahoo.com.br

2 Historiadora pelo Centro Universitário Uni-BH, especialista em História do Brasil Contemporâneo e Psicopedagogia. Mestranda em Gestão Social Educação e Desenvolvimento Local pelo Centro Universitário Una. janahistoria@hotmail.com

3 Doutora em Enfermagem pela Universidade de São Paulo. Docente do mestrado profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local do Centro Universitário Una. matilde@nescon.medicina.ufmg.br

Resumo

Este artigo objetivou analisar as contribuições apresentadas pelas dissertações do Programa de Pós-Graduação em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local -PPG-GSEDL- do Centro Universitário Una, Belo Horizonte, Minas Gerais e o contexto da educação ambiental no qual foram produzidas. Realizou-se pesquisa documental na biblioteca física e site do programa e fez-se levantamento das dissertações com foco na temática ambiental dos mestrandos ingressos entre os anos de 2008 e 2017.  Posteriormente, fez-se leitura de todos os títulos e seleção dos que poderiam compor a coletânea de análise com seleção e leitura de cada dissertação cujo cerne dos estudos se ocuparam do tema educação ambiental. Percebe-se que o tema “meio ambiente” aparece com frequência, mostrando-se de grande interesse para os mestrandos e também um tema relevante durante os dez anos de funcionamento do PPG-GSEDL.



Palavras-chave: Educação Ambiental, Desenvolvimento Local, Mestrado, Gestão Social, Meio Ambiente.

Abstract

This article aimed to analyse the contributions presented by the dissertations of the Postgraduation Program in Social Management, Education and Local Development-PPG-GSEDL - of the University Center Una, Belo Horizonte, Minas Gerais and the context of the environmental education in which they were produced. Documental inquiry happened in the physical library and website of the program and it was done a survey of the dissertations with focus in the environmental theme of the master’s candidates between the years of 2008 and 2017. Subsequently, it was done reading of all the titles and selection of those which might compose the collection of analysis with selection and reading of each dissertation which point of the studies was the environmental education. It is seen that the subject “environment” appears frequently, being shown of great interest for the master’s candidates and also a relevant subject during ten years of existence of the PPG-GSEDL.

keywords: Environmental Education, Local Development, Master's degree, Social Management, Environment.

  1. INTRODUÇÃO

O Programa de Pós-graduação em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local (PPG-GSEDL) do Centro Universitário Una, de Belo Horizonte, Minas Gerais, iniciou suas atividades no ano de 2008 com o objetivo de ser um mestrado profissional e interdisciplinar. Profissional por se dedicar às pesquisas que promovam o aperfeiçoamento e o desenvolvimento profissional. Interdisciplinar por buscar a intercessão de conhecimentos nas áreas de gestão social, de educação e de desenvolvimento local. Por ser interdisciplinar, propõe procedimentos pedagógicos dialogais em detrimento à habitual organização centrada nas disciplinas.

O programa tem como área de concentração “Inovações Sociais, Educação e Desenvolvimento Local” e tem como público alvo graduados de quaisquer áreas do conhecimento. Apresenta duas linhas de pesquisa que se entrecruzam e fornecem as diretrizes do curso “Educação e Desenvolvimento Local” e “Gestão Social e Desenvolvimento Local”.

Durante os dez anos do PPG-GSEDL, as pesquisas realizadas sempre estiveram atentas ao contexto social, econômico e político e às necessidades da sociedade da época em que elas se realizavam. O programa do Centro Universitário, assim como os de outras instituições de ensino e as pesquisas científicas no país, sofreu com as mudanças de governo, de política econômica e as crises pelas quais o país passou. Desafios que, certamente, impactaram e definiram temas de dissertações, ratificando o caráter atual da abordagem defendida pelo mestrado do Una.

Considerando as diversas oscilações no cenário político e econômico do país entre os anos 2008 e 2018 e a proposta do programa de ser canal de diálogo com a realidade em que está inserido e ponderando acerca das sempre atuais discussões relacionadas ao meio ambiente, debruçamo-nos, dentre os variados assuntos tratados pelos pesquisadores nesses anos do PPG-GSEDL, sobre aquelas dissertações que abordam o meio ambiente e perguntamo-nos: como as dissertações apresentadas durante os dez anos do programa refletem o contexto da educação ambiental no qual foram produzidas? Como é vista a complexa transformação de uma sociedade acometida por riscos, sobretudo ambientais? De que modos as dissertações sobre educação ambiental trazem contribuições e abordam o desenvolvimento local?

Objetivamos, portanto, nesse artigo, analisar as contribuições apresentadas pelas dissertações do PPG-GSEDL e o contexto da educação ambiental no qual foram produzidas. Procuramos também apresentar dissertações que engajaram diferentes níveis de ensino e atores do universo educativo, defendidas num contexto de profunda crise socioambiental (TALAMONI et al., 2018).

É notável que, embora a preocupação com o meio ambiente tenha crescido nos últimos anos e esteja expressa em programas, políticas públicas e planos de inserção e universalização da educação ambiental do Brasil, há ainda enormes desafios socioambientais a serem superados (TALAMONI et al., 2018). Desse modo, o significado social e pedagógico da educação ambiental, enquanto área de conhecimento indispensável tanto no ensino, quanto nas práticas e pesquisas, encontra-se ainda em construção, esbarrando em obstáculos, principalmente associados às tendências de consumo e à lógica excludente do capital.

Reiteramos que o presente artigo traz o tema das pesquisas com foco em estudos ambientais nas dissertações defendidas no PPG-GSEDL nos últimos dez anos, objetiva identificar contribuições inovadoras concernentes à educação ambiental tendo em vista a potencialização do desenvolvimento local. Para tanto, articula estudos e reflexões teórico-práticas sobre educação ambiental e pesquisas do PPG-GSEDL do Centro Universitário UNA, por meio de uma pesquisa documental.

1.1 Educação Ambiental e Desenvolvimento

A constante transformação da sociedade, ameaçada e estritamente afetada por riscos socioambientais, é um processo um tanto complexo e contraditório. Face à problemática da degradação ambiental desenfreada, cresce a importância de práticas sociais e políticas baseadas na promoção da sensibilidade das pessoas a fim de que se tornem corresponsáveis e reflitam sobre possíveis meios de modificar a situação atual.

Apesar de o emprego do termo “educação ambiental” não ser recente, tendo os primeiros registros datados de 1948 (JACOBI, 2005), as proposições teóricas entre educação e meio ambiente, como campo de conhecimento em construção, vêm sendo apoderadas de diferentes maneiras, mesmo com inúmeras ações de inserção da educação ambiental (EA) em nível planetário.

Trazendo o debate para a nosso contexto de crise socioambiental, a necessidade de planejar, erguer, sustentar e fortalecer uma educação para a cidadania ambiental faz-se urgente para a construção de uma visão crítica e ressignificação dos conteúdos escolares, o que requer do professor um entendimento da educação ambiental como uma “prática político pedagógica” (JACOBI, 2005, p. 245).

O conceito de desenvolvimento é, muitas vezes, fortemente tido como sinônimo de desenvolvimento econômico. Logo, evidencia-se a complexa relação entre desenvolvimento e meio ambiente, entre a satisfação das necessidades humanas e os seus impactos, sobretudo ecológicos.

Posto o arraigado viés economicista, a tensão entre preservação ambiental e desenvolvimento ainda vigora. Assim, a relação entre educação e meio ambiente incumbe-se do fortalecimento da cidadania ambiental (JACOBI, 2005), demandando novos saberes e diálogo entre as disciplinas para a compreensão de processos sociais complexos, na tentativa de promover o desenvolvimento e combater riscos ambientais.

De acordo Talamoni et al (2018) há uma tendência conservacionista que planeja e executa a EA com o intuito de sensibilizar as pessoas para com a natureza, enquanto a tendência pragmática volta-se às ações em EA com o foco no desenvolvimento e consumo sustentável.

Se existem várias iniciativas em EA correntes no Brasil, regulamentadas inclusive por uma gama de leis, cabe-nos verificar as dissertações do PPG-GSEDL que apresentam tais ações em EA desenvolvidas e as possíveis contribuições do mestrado para o desenvolvimento local. Descreveremos, a seguir, a pesquisa documental realizada no banco de dissertações do PPG-GSEDL.

  1. METODOLOGIA

Trata-se de pesquisa documental, uma vez que buscou identificar dissertações publicizadas no site do Mestrado em GSEDL no período compreendido entre 2008 -2018 e que ainda não sofreram qualquer tipo de análise. Constituem-se, portanto, de material autêntico.

Para Gil (2012, p.51), a pesquisa documental,

[…] assemelha-se muito à pesquisa bibliográfica. A única diferença entre ambas está na natureza das fontes. Enquanto a pesquisa bibliográfica se utiliza fundamentalmente das contribuições dos diversos autores sobre determinado assunto, a pesquisa documental vale-se de materiais que não receberam ainda um tratamento analítico, ou que ainda podem ser reelaborados de acordo com os objetivos da pesquisa.

Realizamos a busca inicialmente às dissertações impressas disponíveis na biblioteca do Centro Universitário Una – Campus Guajajaras, onde as aulas do mestrado são ofertadas. Apesar do PPG-GSEDL ter iniciado suas atividades em 2008, na biblioteca localizamos apenas dissertações publicadas a partir de 2010, ano em que os estudantes da primeira turma do curso de mestrado profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local apresentaram suas dissertações. Elencamos todos os títulos das dissertações que abordam o tema “meio ambiente” e “meio ambiente e educação”.

Posteriormente, acessamos o site do PPG-GSEDL (disponível em: http://www.mestradoemgsedl.com.br/), do Centro Universitário Una, no qual são disponibilizados, por ano de ingresso, os títulos das dissertações já defendidas e o link para as dissertações em sua íntegra. Com esse acesso mais completo, realizamos nova busca por dissertações que se referem ao tema “meio ambiente” e “meio ambiente e educação” e acessamos uma a uma a fim de retirar daquelas que versam sobre “meio ambiente e educação”, os objetivos, principais ideias, conclusões e seus produtos técnicos.

  1. RESULTADOS

Mostraremos, a seguir, as contribuições dos últimos dez anos, tempo de existência do PPG-GSEDL. Reiteramos que a análise será feita por ano de entrada dos mestrandos, com defesas e publicações posteriores, tendo em vista o prazo da elaboração das dissertações.

É importante reforçar o caráter interdisciplinar do programa de mestrado, o que justifica os índices que serão apresentados abaixo e a multiplicidade de temas desenvolvidos no curso. Vale mencionar também que, em se tratando de “meio ambiente e educação”, as dissertações sobre EA foram incluídas na categoria “meio ambiente” e “meio ambiente e educação”.

Quadro 1: Número de dissertações desenvolvidas no PPG-GSEDL de acordo com o ano de entrada dos alunos o que corresponde ao período de 2008 a 2018.

Ano de ingresso no

PPG-GSEDL

Número de dissertações apresentadas

Meio Ambiente




Meio Ambiente e Educação

2008

21

2

1

2009

15

0

0

2010

21

2

0

2011

28

3

1

2012

22

2

1

2013

29

1

1

2014

27

5

1

2015

25

2

1

2016

16

1

0

*2017

4

2

2



*Apenas quatro discentes da turma de 2017 concluíram, até a presente data, o mestrado. Ao término do prazo final, espera-se que mais dissertações defendidas abordem temas relacionados ao “meio ambiente” e ao meio “ambiente e educação”.

No quadro 2 encontram-se disponibilizados dados referentes ao número de dissertações/temas defendidos até 2018.

Quadro 2: Número total de dissertações apresentadas entre 2008 e 2018 no PPG-GSEDL, cujos temas são relativos ao meio ambiente e meio ambiente e educação.

Dissertações

apresentadas até dez/ 2018

Total


Dissertações que discutem “Meio Ambiente”

Dissertações sobre “Meio Ambiente e Educação”

Número


208

20

8

Porcentagem



100%



9,6%



3,8%



Observa-se que, das 208 dissertações publicadas, 20 (vinte) abordam de alguma maneira o meio ambiente. Dentre as 20 que discutem a temática ambiental, oito versam especificamente sobre meio ambiente e educação. Pode-se afirmar tratar-se de temáticas de extrema relevância educacional, ambiental e política, porém pouco inseridas no universo da produção científica do mestrado em tela.

A seguir encontra-se um breve resumo de cada uma das vinte dissertações analisadas para o presente artigo e, conforme assinalado anteriormente, o ano é referente à data de ingresso dos alunos no Programa de Mestrado em GSEDL.

2008

No concernente às pesquisas desenvolvidas pelos egressos da primeira turma do PPG-GSEDL, 21 dissertações e seus respectivos produtos técnicos foram iniciados em 2008. Destes, dois títulos possuem relação com a temática ambiental, a saber “Consumo Sustentável e Cidadania: reflexões sobre a atuação de empresas, sociedade civil e Estado na comunicação para a mobilização socioambiental na realidade de Belo Horizonte” (COSTA, 2010) e “O trabalho de campo como estimulador da sensibilização ambiental: uma proposta pedagógica para o Ensino Médio” (PESSOA, 2010).

Costa (2010) discutiu o consumo sustentável na sociedade contemporânea e as investidas para que esse consumo se tornasse mais social e ambientalmente responsável. Partindo da conexão entre consumo, comunicação e mobilização social, investigou o eixo da formação da postura socioambiental como atuação coletiva na esfera pública. Como resultado, afirmou que a mobilização social para o consumo sustentável pode ser promovida por diferentes meios, tais como a comunicação social, porém “as ações comunicacionais parecem atingir os cidadãos de formas diferenciadas, tornando-se complexa a condução ao ativismo no campo das relações de consumo e sustentabilidade” (COSTA, 2010, p. 9).

Já Pessoa (2010) debateu o ensino da EA no Ensino Médio. O objetivo da sua dissertação foi avaliar o trabalho de campo como procedimento pedagógico estimulador da percepção ambiental de alunos do Ensino Médio. Partindo dos resultados da pesquisa e dos desafios decorrentes principalmente do desinteresse dos estudantes pelos conteúdos escolares, o autor construiu uma metodologia voltada para a consolidação e enriquecimento da educação na última etapa da escolarização básica nacional, tendo no trabalho de campo uma proposta promissora.

2009

Das contribuições dadas pela segunda turma que ingressou no mestrado em 2009, têm-se 15 dissertações. Apesar da relevância dos temas trazidos por estes egressos, nenhuma das dissertações faz referência à EA ou ao meio ambiente.

2010

Os egressos de 2010 produziram, ao todo, 21 dissertações. Duas delas se destacam por evidenciarem temáticas relevantes ao meio ambiente, sobretudo no contexto daquela época.

Duarte (2012) fez uma observação da implementação e monitoramento de 100 equipamentos solares doados pelo Estado à comunidade do bairro Sapucaias, Contagem-Minas Gerais, Brasil, sob um ponto de vista incomum, em que o foco não se concentrou na economia financeira ou de energia e sim no desenvolvimento do programa, quando a relação Estado x Comunidade está baseada em doação, buscando revelar os entraves deste tipo de programa. Traz considerações importantes de que “a participação madura e efetiva se dá quando há compromisso, trabalho e cobrança. O envolvimento e o entendimento do programa e de seus objetivos são os primeiros e permanentes passos para que haja perenidade e seriedade” (DUARTE, 2012, p.6).

Moreira (2012) reconheceu a internet como ferramenta importante de apoio à promoção da saúde, colaborando nas campanhas contra a Dengue, porém demonstra em sua dissertação que, apesar das contribuições, tal recurso nem sempre era habitual de modo eficiente. Diante da constatação, sugeriu a adequação de sites às demandas de quem os utiliza a fim de que representem, de fato, uma tecnologia social favorável ao desenvolvimento da sociedade.

2011

Os egressos do PPG-GSEDL da turma de 2011 produziram 28 dissertações, das quais três trazem a temática de interesse no presente artigo.

A pesquisa de Rossetti (2012), intitulada “Notícias da gente, notícias do lugar: a comunicação comunitária e a formação de substrato social em localidades rurais do entorno de uma unidade de conservação” objetivou indicar numa proposta de comunicação comunitária elementos que auxiliassem na formação e fortalecimento do “substrato social” entre moradores de três comunidades situadas no entorno da Floresta Estadual Uaimi-i, Unidade de Conservação situada em Ouro Preto, além de indagar se a comunicação comunitária conseguiria mobilizar populações rurais a agirem coletivamente em prol de qualidade de vida, cidadania e democracia participativa num contexto de conquistas individuais e hiper consumo O autor verificou, por meio da pesquisa, a propensão de moradores a fazer da comunicação comunitária uma tecnologia social efetiva em termos de expressão, comunicação e desenvolvimento local.

Já a dissertação de Carvalho (2013) aborda o tema da EA mais especificamente. Esse estudo analisou o trabalho desenvolvido pelo Instituto Terra juntamente com escolas da rede estadual do município de Aimorés-MG, tido como um caso de sucesso em EA. A pesquisa mostrou-se um importante suporte ao professor que deseja desenvolver com os alunos temáticas ambientais de forma participativa, na perspectiva de proteger a natureza e desacelerar a destruição dos recursos naturais. A autora defende ser “possível modificar uma realidade natural local com educação ambiental forte e presente no contexto escolar, no qual o aluno é mais dinâmico, crítico e participativo em suas atitudes em relação ao meio ambiente” (CARVALHO, 2013, p. 7).

Além dessas, em pesquisa qualitativa e quantitativa, Monteiro (2013) buscou demonstrar a correspondência entre coleta seletiva, organizações de catadores de materiais recicláveis, gestão social e desenvolvimento local partindo de dados colhidos em um questionário realizado em 18 organizações da região metropolitana de Belo Horizonte, elaborando, assim, um diagnóstico dessas organizações quanto a aspectos administrativos, de engenharia civil e de produção, de saúde e segurança do trabalho e comerciais em 2012. A pesquisa

[...] demonstrou a comercialização dos recicláveis como o principal influenciador sobre todos os aspectos trabalhados evidenciando a necessidade da observação das características de desenvolvimento local no planejamento de ações que tenham as organizações de catadores de materiais recicláveis como parte integrante (MONTEIRO, 2013, p. 6).

2012

Fruto das pesquisas dos egressos da turma de 2012 há 22 dissertações, sendo que uma delas discute a “Educação Ambiental como função social da escola na perspectiva da Lei 9795/99” (ANDRADE, 2014), enquanto outra aborda a “Inclusão da Gestão Social na coleta seletiva em Belo Horizonte” (ANDRADE, 2014).

Com a proposta de indagar de que modo as práticas de Educação Ambiental realizadas por uma escola da rede estadual de Minas Gerais se articulam com os princípios da Lei 9.795/99 – Política Nacional de Educação Ambiental - e as possíveis conexões entre a formação social, desenvolvimento local e gestão social, Andrade (2014) afirma, por meio de pesquisas bibliográfica, documental e de campo, que os processos de Educação Ambiental não condizem com as diretrizes da Lei supracitada. Afirma, ainda, que a instituição desenvolve a Educação Ambiental em desacordo com as prerrogativas da Lei por não ter conhecimento e pela ausência de formação complementar por parte do órgão gestor ao qual está subordinada e que é uma determinação da Política Nacional de Educação Ambiental (ANDRADE, 2014).

Tento em vista o desafio na lida com os resíduos sólidos urbanos e a obrigatoriedade da implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Andrade (2014) traçou a articulação da política então em curso em Belo Horizonte e a política nacional e indicou vias para a redução de resíduos, coleta seletiva de recicláveis e adoção da gestão social como meio de conduzir o diálogo entre cidadãos e município a partir de pesquisa bibliográfica e documental. Constatou-se que

[...] o projeto em curso em Belo Horizonte está em consonância com alguns pontos exigidos pela PNRS e contribuiu para a articulação de uma série de ações no setor de resíduos da capital, apesar de haver desafios a serem enfrentados (ANDRADE, 2014, p. 6).

Ademais, um blog e uma página no Facebook foram criados pela pesquisadora como espaço de debate e diálogo entre as pessoas, objetivando trazer elementos para o plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos.

2013

Uma das 29 dissertações apresentadas ao PPG-GSEDL pelos egressos da turma de 2013 dialoga com a problemática ambiental, intitulada “Percepções socioambientais para o desenvolvimento local” (PERONA, 2015).

A dissertação traz a percepção de moradores e jovens (alunos do Ensino Médio) sobre a contribuição da educação para promoção do desenvolvimento local na região da Bacia do Córrego Bom Jesus, tendo em vista os impactos socioambientais oriundos da expansão urbana. Constatou-se, por meio da pesquisa, que os alunos

[...] não conseguem associar o conteúdo aprendido na escola com a realidade local, não percebendo os impactos socioambientais que ocorrem na região, com os aspectos relacionados à percepção do ambiente urbano. Entretanto, os alunos que participaram de atividades diferenciadas (trabalho de campo, oficinas de reciclagens, jogos que caracterizam a região), desenvolveram maior percepção dos impactos socioambientais, possibilitando o entendimento sobre o uso e ocupação desse espaço, favorecendo o empoderamento local (PERONA, 2015, p 7).



Perona (2015) defende que a educação ambiental formal possui papel relevante nos processos de gestão social ao formar cidadãos críticos capazes de transformar o entorno em que vivem, de forma a promover o desenvolvimento local.

2014

Pelos egressos de 2014, foram defendidas 27 (vinte e sete) dissertações, das quais cinco trataram de temas ligados ao meio ambiente e a temas ligados a meio ambiente e educação.

A dissertação “Política Nacional de Resíduos Sólidos: gestão compartilhada dos Resíduos Recicláveis a partir dos locais de entrega voluntária.”, de autoria de Cristina Mendes Altavilla Luttner buscou

[...] avaliar a participação da sociedade e entendimento do poder público e dos catadores organizados em cooperativas/associações na coleta seletiva, por meio dos Locais de Entrega Voluntária – LEVs, em Belo Horizonte (MG), no ano de 2015 (LUTTNER, 2016, p. 8).

Emília Alves da Cruz tratou do descarte de resíduos sólidos nas calçadas por moradores do distrito São Benedito em Santa Luzia e seus reflexos no/do desenvolvimento local. Essa pesquisa, segundo a autora, nasceu a partir da observação da constância no descarte de resíduos de construção civil pelos moradores nas calçadas do distrito estudado. Para Cruz (2016, p.4),

Acredita-se na contribuição do estudo para novas reflexões acerca da participação social, da intersetorialidade enquanto estratégia necessária ao comprometimento de diferentes atores e na disseminação da informação enquanto empoderamento popular por meio de ferramentas tecnológicas.



Também tratando de descarte de resíduos sólidos, Gabriela Leite Marcondes Schott defendeu sua dissertação com o título “A prática de descarte de resíduos têxteis nas indústrias de confecção de vestuário à luz do paradigma da política nacional dos resíduos sólidos”. A autora objetivou identificar quais procedimentos de gestão social precisam ser considerados na prática de descarte de resíduos têxteis nas indústrias de confecção do vestuário, no Bairro Prado, em Belo Horizonte, Minas Gerais no ano de 2015, em atendimento ao preconizado pela política nacional dos resíduos sólidos.

Ainda sobre resíduos têxteis, Poliana Gomes Silveira Machado tratou de “Práticas de gestão social na reciclagem e reaproveitamento dos resíduos têxteis: um estudo de caso no município de Belo Horizonte, Minas Gerais”, afirmando que a gestão adequada dos resíduos é um desafio atual para as administrações públicas (MACHADO, 2016).

Edward Aredes da Silva Júnior desenvolveu pesquisa sobre a inclusão do tema “sustentabilidade” nas aulas de química do Ensino Médio da rede pública estadual de Minas Gerais e teve como mote a falta de conhecimento dos professores para tratar o tema em questão. A pesquisa de Silva Júnior constitui, portanto, a única dos egressos deste ano voltada a questões ligadas a educação e meio ambiente. Dez professores da rede estadual de ensino da região metropolitana de Belo Horizonte foram entrevistados por ele. Ele pôde concluir que os professores não foram capacitados durante a graduação para tratar o tema “sustentabilidade” e que o tema é trazido de forma esporádica para as aulas. Observou-se também que o material didático disponível é deficitário para esse assunto e buscar por material acessório é dispendioso. Para 70% dos docentes entrevistados, a criação de um site para capacitação sobre sustentabilidade corresponde ao suporte ideal para subsidiar o tema. Assim, como produto técnico de sua pesquisa, o autor apresentou um website que aborda o tema em voga.

2015

Os egressos de 2015 produziram 25 dissertações, das quais duas abordam temas relacionados a meio ambiente e meio ambiente e educação.

Ari Silva Gobira apresentou o resultado de seus estudos com o título “Projeto Sala Verde: desdobramentos de uma educação para o meio ambiente e o desenvolvimento local”. Gobira afirma que a partir da lei 9795/99 o tema “educação ambiental” é inserido em todos os níveis de ensino. A partir de então vários projetos levam o tema à sala de aula. O projeto Sala Verde, da prefeitura de Belo Horizonte, é aquele ao qual a pesquisa se dedica. O pesquisador investigou a aplicação ou não do aprendido no curso “BH itinerante”. Ele realizou pesquisa bibliográfica e empírica, com uma entrevista. E ao final do trabalho, elaborou um caderno “com orientações de como estruturar um projeto e com sugestões de ferramentas pedagógicas para auxiliar no trabalho de educação da temática ambiental” (GOBIRA, 2016, p. 8).

Egresso de ano 2015, Vagner Domingues de Souza desenvolveu projeto de pesquisa com o título “Programa da bolsa reciclagem em Minas Gerais: inclusão social e socio-produtiva em instituições de catação em Belo Horizonte, Minas Gerais”. Ele nos informa que a pesquisa tem o intuito de

[...] apresentar a Lei Estadual nº 19.823/2011, e suas potencialidades em relação à inclusão social e sócio-produtiva dos(as) colaboradores(as) catadores(as) de materiais recicláveis no município de Belo Horizonte – Minas Gerais (SOUZA, 2017, p. 7).

Essa pesquisa, portanto, trata de meio ambiente, mas não de educação.

2016

Os egressos de 2016 apresentaram 16 dissertações ao PPG-GSEDL do Centro Universitário Una. Dessas, apenas a pesquisa de Adriano Vilhena Liz da Silva abordou o tema meio ambiente. A dissertação, cujo título é “Economia Solidária e Articulação em Rede: requisites da sustentabilidade dos pequenos produtores agrícolas” teve como objetivo verificar, “junto à rede pesquisada, o modo como se processam as relações em um sistema de economia solidária, considerando especialmente as articulações em rede e a contribuição para a sua sustentabilidade” (SILVA, 2018, p. 9). Nela, Silva (2018) procura responder à pergunta: “como se estabelece e se sustenta uma comunidade de pequenos produtores agrícolas pautada na economia solidária em Belo Horizonte e cujo padrão de produção atende aos requisitos do Movimento Slow Food?”.

Seu trabalho, embora de grande relevância, não versa acerca da educação ambiental, foco desse artigo.

2017

A pesquisa das dissertações desenvolvidas pelos estudantes da turma de 2017 foi realizada na biblioteca da Una, uma vez que nem todos os resultados dos estudos se encontram disponíveis no site e que há ainda muitas pesquisas em curso, logo não foram concluídas e publicadas.

Cabe aqui lembrar que podem existir trabalhos com a temática em questão cujo exemplar não tenha sido disponibilizado na biblioteca, uma vez que os pesquisadores têm um prazo para apresentar a versão final das dissertações defendidas.

Assim sendo, localizamos, através do site, uma dissertação recém-defendida, apresentada ao PPG-GSEDL em outubro de 2018. Wellington Nora Soares discorreu sobre “A robótica educacional como instrumento de promoção da educação socioambiental”. Seu locus de pesquisa foi uma escola particular situada na região metropolitana de Belo Horizonte e abordou professores, alunos e coordenadores de ensino. Como resultado de pesquisa, o autor apresenta os seguintes dados

(i) Fomentar os alunos a usar a imaginação e a criatividade na busca de soluções inovadoras para problemas socio ambientais; (ii) atender às orientações dos Parâmetros curriculares Nacionais (PCN) Meio ambiente e a Lei de Diretrizes e Bases (Lei nº 9394/1996), artigo 36, que trata da promoção da educação ambiental; (iii) gerar inovações sociais; (iv) promover o Desenvolvimento Local (SOARES, 2018, p. 8).

Como contribuição de pesquisa, Soares apresenta “um guia de atividades para implementação da robótica na promoção da educação ambiental no Ensino Médio” (SOARES, 2018, p.8). Seus estudos estão, portanto, em perfeita harmonia com o interesse da nossa pesquisa, ou seja, a abordagem do meio ambiente na educação.

Recebemos, por e-mail, o resumo da dissertação “O que pulsa na Educação Ambiental? Práticas no Ensino Fundamental e o Desenvolvimento Local em Pirapora/MG” de Gledson Alessandro Silva Santos, defendida em dezembro de 2018. A pesquisa objetivou

[...] analisar como a educação ambiental vem sendo tratada no Ensino Fundamental através das ações do Projeto Terra Vida que Pulsa, de uma escola particular do município de Pirapora-MG, em parceria com uma Associação de Catadores de materiais recicláveis (SANTOS, 2018, s/p.).

Para tal, na revisão bibliográfica Santos (2018) analisa a EA na literatura e traz o histórico das legislações vigentes sobre o tema; coletou dados via questionários e entrevistas a diretores, realizou grupo focal com professores, estudantes e catadores.

Com o propósito de sugerir ações de Educação Ambiental na cidade de Pirapora que integrem a escola e a associação de catadores, Santos (2018) elaborou um produto técnico tendo como referência as orientações das legislações vigentes no país no campo da Educação Ambiental. O exemplar da dissertação completa logo também estará disponível na biblioteca do Centro Universitário Una, assim como no site do PPG-GSEDL.

3.1 Sintetizando

Quadro 3: Título da dissertação, autores, ano de entrada e de publicação.

Título dissertação

Autores

Ano de entrada

Ano de publicação



Consumo Sustentável e Cidadania: reflexões sobre a atuação de empresas, sociedade civil e Estado na comunicação para a mobilização socioambiental na realidade de Belo Horizonte

Daniela Viegas da Costa

*Armindo dos Santos de Sousa Teodósio

2008

2010

O trabalho de campo como estimulador da sensibilização ambiental: uma proposta pedagógica para o Ensino Médio

Gustavo Pereira Pessoa

*Rosalina Batista Braga

2008

2010

Energia solar como fonte geradora de tecnologia social: acrescentando novas perspectivas às avaliações de um projeto tecnológico/social

Eduardo Marques Duarte

*Cláudio Márcio Magalhães

2010

2012

Aedes Aegypti na rede: uma análise da dengue pelos sites do ministério da saúde

Kristianne Maia Moreira

*Cláudio Márcio Magalhães

2010

2012

Notícias da gente, notícias do lugar: a comunicação comunitária e a formação de substrato social em localidades rurais do entorno de uma unidade de conservação

Breno Rossetti

*Cláudio Márcio Magalhães

2011

2012

Educação ambiental emancipatória na escola: possibilidade da prática educativa docente

Izabela de Souza Carvalho

*Áurea Regina Guimarães Thomazi

2011

2013



Os impactos da obrigatoriedade da Coleta seletiva pela política nacional de resíduos sólidos sobre as organizações de catadores de materiais recicláveis

Márcio Augusto Monteiro

*Adilene Gonçalves Quaresma

2011

2013



Educação Ambiental como função social da escola na perspectiva da Lei 9795/99

Cleudes Dias Martins Andrade

*Adilene Gonçalves Quaresma

2012

2014



Inclusão da gestão social na coleta seletiva em Belo Horizonte: um estudo da arte e propostas de intervenções

Cristiana Cyrino Borges de Andrade

*Cláudio Márcio Magalhães

2012

2014



Percepções socioambientais para o desenvolvimento local

Gabriel Moreira Perona

*Fernanda Carla Wasner Vasconcelos

2013

2015



Política Nacional de Resíduos Sólidos: Gestão Compartilhada dos Resíduos Recicláveis a Partir dos Locais de Entrega Voluntária

Cristina Mendes Altavilla Luttner

*Fernanda Carla Wasner Vasconcelos

2014

2016



O descarte de resíduos sólidos nas calçadas pelos moradores do distrito são benedito em santa luzia: reflexos do/no desenvolvimento local

Emília Alves da Cruz

*Alexandra Nascimento Passos

2014

2016



A prática de descarte de resíduos têxteis nas indústrias de confecção de vestuário à luz do paradigma da política nacional dos resíduos sólidos

Gabriela Leite Marcondes Schott

*Fernanda Carla Wasner Vasconcelos

2014

2015



Práticas de gestão social na reciclagem e reaproveitamento dos resíduos têxteis: um estudo de caso no município de Belo Horizonte, Minas Gerais

Poliana Gomes Silveira Machado

*Fernanda Carla Wasner Vasconcelos

2014

2016



Práticas Educativas de Inclusão da temática da sustentabilidade ambiental nas aulas de química do Ensino Médio da rede pública estadual

Edward Aredes da Silva Júnior

*Adilene Gonçalves Quaresma

2014

2015



Projeto Sala Verde: desdobramentos de uma educação para o meio ambiente e o desenvolvimento local

Ari Silva Gobira

*Áurea Regina Guimarães Tomasi

2015

2016



Programa da bolsa reciclagem em Minas Gerais: inclusão social e socio-produtiva em instituições de catação em Belo Horizonte, Minas Gerais

Vagner Domingues de Souza

*Frederico de Carvalho Figueiredo

2015

2017



Economia Solidária e Articulação em Rede: requisites da sustentabilidade dos pequenos produtores agrícolas

Adriano Vilhena Lis da Silva

*Ediméia Maria Ribeiro de Mello

2016

2018



A robótica educacional como instrumento de promoção da educação socioambiental

Wellington Nora Soares

*Fernanda Carla Wasner Vasconcelos

2017

2018



O que pulsa na Educação Ambiental? Práticas no Ensino Fundamental e o Desenvolvimento Local em Pirapora/MG

Gledson Alessandro Silva Santos

*Adilene Gonçalves Quaresma

2017

2018



* Doutor(a) orientador(a) da dissertação.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O PPG-GSEDL preocupa-se em oferecer uma formação interdisciplinar, que tenha como um de seus eixos principais o desenvolvimento local e a busca de inovações sociais. Percebe-se, ao percorrer atentivamente os títulos das dissertações defendidas ao longo dos dez anos do programa, seu já mencionado caráter interdisciplinar. As pesquisas às quais nos debruçamos, ou seja, aquelas que investigavam assuntos relacionados ao meio ambiente e educação ambiental, revelaram-se bastante conectadas às realidades e demandas de seu tempo; buscaram, efetivamente, responder a dúvidas e questões que levem a obtenção de elementos para a construção de uma proposta de intervenção educacional, socialmente inovadora e comprometida com o desenvolvimento local.

Finalizando, sublinha-se que, apesar de ainda serem escassas as pesquisas produzidas, percebe-se a intencionalidade de estudos na área do meio ambiente, devendo-se, devido ao atual contexto mundial de preocupação com a preservação da natureza e ao desenvolvimento sustentável, que esforços sejam envidados e o “meio ambiente” seja objeto de mais estudos científicos.



REFERÊNCIAS

ANDRADE, Cleudes Dias Martins. A Educação Ambiental como função social da Escola na perspectiva da Lei 9795/99. 220 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2014.

ANDRADE, Cristiana Cyrino Borges de. Inclusão da Gestão Social na coleta seletiva em Belo Horizonte: um estudo da arte e propostas de intervenções. 231 f. 2014. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local) –, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2014.

CARVALHO, Izabela de Souza. Educação ambiental emancipatória na Escola: possibilidade da prática educativa docente. 91f. 2013. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local) –Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2013.

COSTA, Daniela Viegas da. Consumo Sustentável e Cidadania: reflexões sobre a atuação de empresas, sociedade civil e Estado na comunicação para a mobilização socioambiental na realidade de Belo Horizonte. 215 f. 2010. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Loca) – Curso de Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2010.

CRUZ, Emília Alves da. O descarte de resíduos sólidos nas calçadas pelos moradores do Distrito São Benedito em Santa Luzia: reflexos do/no desenvolvimento local. 124 f. 2016. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local) – Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2016.

DUARTE, Eduardo Marques. Energia Solar como fonte geradora de Tecnologia Social: acrescentando novas perspectivas às avaliações de um projeto tecnológico/social. 68 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2012.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2012

GOBIRA, Ari Silva. Projeto Sala Verde: desdobramentos de uma educação para o meio ambiente e o desenvolvimento local. 185 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2017.

LUTTNER, Cristina Mendes Altavilla. Política Nacional de Resíduos Sólidos: gestão compartilhada dos resíduos recicláveis a partir dos Locais de Entrega Voluntária. 168 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2016.

JACOBI, Pedro Roberto. Educação ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 31, n. 2, p. 233-250, ago. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022005000200007&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 31 out. 2018. 

MACHADO, Poliana Gomes Silveira. Práticas de Gestão Social na reciclagem e reaproveitamento dos Resíduos Têxteis: um estudo de caso no município de Belo Horizonte, Minas Gerais. 187 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2016.

MONTEIRO, Márcio Augusto. Os impactos da obrigatoriedade da coleta seletiva pela Política Nacional de resíduos sólidos sobre as organizações de catadores de materiais recicláveis. 123 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2013.

MOREIRA, Kristianne Maia. Aedes Aegypti na Rede: uma análise da dengue pelos sites do ministério da saúde. 101 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2012.

PERONA, Gabriel Moreira. Percepções socioambientais para o Desenvolvimento Local. 236 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2015.

PESSOA, Gustavo Pereira. O trabalho de campo como estimulador da sensibilização ambiental: uma proposta pedagógica para o Ensino Médio. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Uma, Belo Horizonte, 2010.



ROSSETI, Breno. Notícias da gente, notícias do lugar: a Comunicação Comunitária e a formação de substrato social em localidades rurais do entorno de uma Unidade de conservação. 128 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2012.

SANTOS, Gledson Alessandro Silva. O que pulsa na Educação Ambiental? Práticas no Ensino Fundamental e o Desenvolvimento Local em Pirapora/MG. 156 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Uma, Belo Horizonte, 2018.

SCHOTT, Gabriela Leite Marcondes. A Prática de descarte dos Resíduos Têxteis nas indústrias de confecção do vestuário, à Luz do paradigma da Política Nacional de Resíduos Sólidos. 110 f. 2015 Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2015.

SILVA, Adriano Vilhena Lis da. Economia Solidária e Articulação em rede: requisitos da sustentabilidade dos pequenos produtores agrícolas. 118 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2018.

SILVA JÚNIOR, Edward Aredes da. Práticas Educativas de Inclusão da temática da sustentabilidade ambiental nas aulas de química do Ensino Médio da rede pública estadual. 127 f. 2015.Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2015.

SOARES, Wellington Nora. A robótica educacional como instrumento de promoção da educação socioambiental.201f. 2018 Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2018.

SOUZA, Vagner Domingues de. Programa da Bolsa Reciclagem em Minas Gerais: inclusão social e sócio-produtiva em instituições de catação em Belo Horizonte. 129 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, Centro Universitário Una, Belo Horizonte, 2017.

TALAMONI, A.C.B.; PERES, W.C.; PINHEIRO, H.M.S. & PINHEIRO, M.A.A. 2018. Histórico da educação ambiental e sua relevância à preservação dos manguezais brasileiros, In: PINHEIRO, M.A.A. & TALAMONI, A.C.B. (Org.). Educação Ambiental sobre Manguezais. São Vicente: UNESP, Instituto de Biociências, Câmpus do Litoral Paulista, 165 p. Cap. 2: p. 57-73.











" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Uma crônica, um artigo e algumas histórias!     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias