ISSN 1678-0701
Número 68, Ano XVIII.
Junho-Agosto/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
 
Gestão Ambiental

No. 68 - 11/06/2019
A GESTÃO AMBIENTAL NUMA PERSPECTIVA DE PRODUÇÃO ALIMENTAR E DE GERAÇÃO DE RESÍDUOS, USANDO A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA  
Link permanente: http://revistaea.org/artigo.php?idartigo=3749 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

A GESTÃO AMBIENTAL NUMA PERSPECTIVA DE PRODUÇÃO ALIMENTAR E DE GERAÇÃO DE RESÍDUOS, USANDO A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA



Sandra Barbosa / Ecóloga; Esp. Em Gestão Ambiental; Educação Ambiental; Gestão de Recursos Hídricos.



Este artigo faz referência a dois artigos publicados na revista, nesta edição, contribuindo, assim, para o melhor entendimento da aplicação da gestão ambiental nas empresas.



A gestão ambiental é uma ferramenta de enfrentamento aos desafios dos impactos ambientais. Atualmente, as empresas precisam atender às exigências de qualidade pela demanda do mercado consumidor e, ainda, cumprir legislação ambiental, propostas de gestão dos municípios. Desta forma, o desenvolvimento de ações locais, que interferem no índice de crescimento dos impactos ambientais negativos, é essencial para que a escalada dos desastres ambientais tenha uma queda significativa.

A cada edição da Revista Educação Ambiental em Ação temos um contingente de materiais de grande qualidade com projetos, programas, ações que atendam às necessidades de conhecimento na área ambiental ou de educação ambiental. A gestão ambiental se utiliza de uma proposta de ação que tem cumprido o papel de conscientizar, aplica a educação ambiental como base para campanhas, programas e projetos desenvolvidos nas empresas para, assim, concluir com sucesso os objetivos e metas propostos.

A comunidade científica e agrícola vive hoje um problema ambiental sem referências passadas: o desaparecimento das abelhas, ou a morte em massa de abelhas; conhecer esta realidade identificada pela queda da oferta do mel, passa por um processo de gestão ambiental... GESTÃO AMBIENTAL EM APICULTURA??? Sim, é preciso levar dados – etapa de diagnóstico, projetar situações de conflito e determinar soluções – etapa de prognóstico. Então, temos aqui um processo de gestão ambiental voltado para a apicultura. Nesta edição, faço referência a dois artigos voltados a Gestão Ambiental: OS BENEFÍCIOS DA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA WENZEL’S APICULTURA EM PICOS – PIAUÍ, IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA E LOGÍSTICA REVERSA EM UMA ESCOLA PÚBLICA DO RIO DE JANEIRO. A necessidade de boas práticas ambientais tem sido um propósito das empresas que buscam trabalhar a sustentabilidade ambiental e econômica, neste caso, das abelhas, os autores “de Sousa et all/2019” descrevem a preocupação das empresas no mercado econômico:

Os processos produtivos das empresas prejudicam muito o meio ambiente com a retirada indevida de matéria prima. As organizações buscam através das tecnologias diminuir os impactos causados pelas atividades obtendo uma economia de grade escala na utilização de alguns recursos, como água, energia e o material utilizado durante a produção.

Estamos vivendo tempos difíceis com relação ao empreendedorismo, as condições econômicas. Então, o investimento que as empresas fazem em programas de gestão ambiental traz um retorno benéfico ao mercado consumidor, e as oportunidades de oferta de produtos que tragam a preocupação com os impactos ambientais cresce, na medida em que são questionados sobre os impactos que os produtos causam no meio ambiente. É possível encontrar nos rótulos ou nas referências dos produtos, informações que levem ao uso consciente, ao descarte correto, ao reaproveitamento de embalagens, o que leva as pessoas a mudar seu comportamento, assim como levam os legisladores a promover acordos setoriais buscando soluções para resíduos de complexa degradação, descarte ou ainda armazenamento.

Já no artigo IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA E LOGÍSTICA REVERSA EM UMA ESCOLA PÚBLICA DO RIO DE JANEIRO, é possível ver o engajamento da escola em implantar o programa “5 S” e trabalhar a forma de organizar ações para a logística reversa de embalagens, considerando que, atualmente, os resíduos são um dos maiores problemas ambientais e fator de crescimento de poluição ambiental em rios e solos, e a solução para este problema passa pelo comportamento de cada cidadão, independente da idade, seja ele criança ou idoso, que irá promover o descarte de resíduos durante o seu dia a dia, a mudança de comportamento, passando a agir de forma correta, descartando resíduos recicláveis nos coletores de coleta seletiva e armazenando as embalagens para promover ações de logística reversa, vindo do projeto de uma escola, permite que tenhamos esperança da melhor qualidade de vida e da preservação do meio ambiente.

Em tempos de desmonte de políticas ambientais, receber estes materiais e fazer uma referência a eles, nesta seção, faz com que boas ideias sejam multiplicadas, sejam percebidas e que os resultados ocorram mais rapidamente. Assim, as mudanças positivas podem ocorrer, mesmo que continuemos, ainda, promovendo ações poluidoras. As empresas necessitam rever fatores contribuintes de poluição para se manter no mercado, para concorrer com outras empresas que já lançam produtos com embalagens biodegradáveis, ou que recolhem suas embalagens ou promovem coleta através de pontos de devolução.

Esta preocupação se faz necessária, num momento em que a queda na produção de mel foi significativa nos mercados nacional e internacional, ainda considerando a situação, vários indicadores contribuem para um problema prolongado, já que é necessário mais de uma geração para a mudança da situação. Ainda considerando os programas “5 S” e de Logística Reversa, estes são ferramentas de gestão ambiental eficientes para retirar do meio ambiente resíduos que podem contaminar água e solo, e armazenar embalagens que podem ser recicladas ou reaproveitadas, além de produtos perigosos que são descartados em locais irregulares e poluem, contribuindo para a degradação ambiental.

Parabenizar os dois artigos citados é uma forma de reconhecer a qualidade das ações desenvolvidas, na temática de educação ambiental e gestão ambiental, se faz necessário para que os pesquisadores e empreendedores considerem sempre as implantações de projetos, relevando estes temas e produzindo conhecimento para a evolução do conhecimento e assim melhor qualidade do meio ambiente.

Se buscarmos ter um ambiente livre de poluição, com indicadores de qualidade significativos e reconhecimento internacional, é necessário produzir conhecimento e multiplicar.

A harmonia do meio ambiente passa por ações onde o ser humano percebe que tem sido o grande fator que altera esta qualidade e, assim, reverter as condições de degradação que tem submetido nossos recursos naturais.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias